reparodução assistida

reparodução assistida

Histórico

  • 1799 - inseminação artificial

  • 1944 - tentativa de fertilização in vitro

  • 1953 - congelamento de espermatozóides humanos

  • 1978 - nasce bebê fecundado in vitro - nasce bebê oriundo de embrião congelado

  • 1983 - nasce bebê de maternidade substitutiva

  • 1993 - clonagem de embriões humanos a partir de outro embrião

  • 2001 – suposta clonagem de embrião humano

O que é a reprodução assistida??

  • Reprodução assistida consiste na utilização

  • das várias técnicas que possibilitam um casal

  • infértil a ter filhos.

  • Esses problemas de infertilidade têm sido ultrapassados, graças a uma evolução da terapêutica e da intervenção médica.

  • Os problemas de infertilidade advêm de diversas causas e portanto, existem diversos tipos de tratamento, desde a inseminação artificial à estimulação controlada dos ovários.

Reprodução Assistida

  • Genericamente considerada como qualquer fecundação ocorrida por modo diverso da relação sexual entre os genitores.

  • Inseminação artificial que é a mais rudimentar dessas técnicas.

  • Avanço constante da medicina a criar sucessivos métodos modernos para tanto.

Reprodução Assistida

  • Ausência de normas legais a disciplinar-lhes o uso.

  • A Resolução CFM nº 1.358/92

  • Vários projetos de Lei, nesse sentido, em trâmite no Congresso Nacional, via de regra, seguindo as modernas legislações estrangeiras sobre o tema.

REPRODUÇÃO ASSISTIDA: A BASE DEONTOLÓGICA

  • Não há normatização legislativa sobre o assunto. A Resolução CFM nº 1.358/92 é a referência deontológica sobre o assunto:

    • Necessidade de vínculo matrimonial:
      • A Resolução exige para a sua aplicação a concordância livre e consciente em documento de consentimento informado, e a anuência formal do cônjuge ou companheiro.
    • Seleção do sexo do bebê:
      • Proibida, exceto quando se trate de evitar doenças genéticas ligadas ao sexo.
    • Doação de gametas:
      • Gratuidade da doação e anonimato dos doadores.
    • Número de embriões transferidos:
      • Limitou a transferência de até quatro embriões por cada procedimento.

REPRODUÇÃO ASSISTIDA: A BASE DEONTOLÓGICA

    • Criopreservação de gametas e embriões:
      • Os embriões excedentes obtidos por FIV, após transferência a fresco, não podem ser descartados, podendo ser criopreservados para posterior transferência.
      • O tempo máximo de desenvolvimento dos pré-embriões in vitro será de 14 dias.
    • Diagnóstico genético in vitro:
      • Podem ser utilizadas no diagnóstico e tratamento de doenças hereditárias e genéticas, quando indicadas e com garantias de sucesso.
    • A gravidez de substituição
      • Permite desde que exista impedimento físico ou clínico para que a mulher, doadora genética, possa levar a termo uma gravidez.
      • Em conformidade com a tendência internacional, restringe a receptora biológica ao ambiente familiar, permitindo que a gestação aconteça dentro da família, criando os laços de afetividade necessários para o desenvolvimento saudável da criança.
      • Impede qualquer caráter lucrativo ou comercial na relação estabelecida.

Nenhuma relação de filiação se reconhece entre doador de gameta e o filho assim gerado, resguardado o anonimato dos envolvidos, salvo se houver interesse terapêutico.

  • Nenhuma relação de filiação se reconhece entre doador de gameta e o filho assim gerado, resguardado o anonimato dos envolvidos, salvo se houver interesse terapêutico.

Métodos de reprodução Assistida

  • Os métodos mais recentes e utilizados hoje em dia são:

    • Técnica de fecundação in vitro (FIV)
    • Microinjecção citoplasmática de um espermatozóide num oócito II (ICSI).

Fertilização in Vitro

Técnica da fertilização in vitro

  • A fecundação in vitro é usada em vários problemas de infertilidade, que podem ir de disfunção dos ovários a problemas relacionados com disfunções testiculares.

  • A técnica consiste em recolher oócitos e colocá-los, juntamente com um elevado número de espermatozóides ativos (do marido ou do doador), num meio nutritivo a 37ºC.

  • Normalmente, esse meio de cultura é colocado numa incubadora, com o objetivo de simular as condições existentes nos ovidutos e no útero materno.

  • E em casos de deficiências ao nível do endométrio, a mulher pode ser sujeita a tratamentos hormonais, com progesterona, de forma a estimular o endométrio e permitir a posterior fixação do embrião na estrutura uterina.

Técnica da fertilização in vitro

Embriões implantados

  • Os embriões são sujeitos a exame antes de serem transferidos para o útero e são escolhidos de 3 a 4 embriões que são seguidamente introduzidos no útero por via vaginal.

Implantação do embrião

Crioconservação

  • Crioconservação de material genético humano é permitida, exigindo-se renovação a cada 2 anos da autorização para a sua guarda, limitado ao prazo máximo de 4 anos, após o que, os centros em que guardados poderão dar-lhes quaisquer das destinações previstas em Lei.

Um pouco de história…

  • No dia 25 de julho de 1978 nascia, por cesariana, Louise Brown, o primeiro bebê-proveta. A sua mãe, Lesley Brown, tentara durante nove anos engravidar, mas uma malformação na trompa de Falópio impedia-a  de procriar.

  • No dia 7 de outubro de 1984, nasceu Anna Paula Caldeira, o primeiro bebê de proveta do Brasil e da América Latina. A mãe, Ilza Caldeira, tinha peritonite, que a impedia de engravidar.

  • Entre 1978 e 2005, calcula-se que tenham nascido em todo mundo, graças a técnica, mais de 300.000 crianças.

Microinjeção Citoplasmática

  • Microinjeção Citoplasmática

Microinjeção Citoplasmática

  • Consiste na microinjeção citoplásmatica de um espermatozóide num oócito, conhecida também por ICSI.

  • É uma técnica que foi descoberta e pela primeira vez testada em 1991 num laboratório de Bruxelas.

Microinjeção Citoplasmática

  • Só pode ser realizada ao microscópio.

  • E injeção, pois injeta-se diretamente o espermatozóide dentro do oócito.

  • Previamente os oócitos permanecem numa incubadora em condições similares à da cavidade uterina. Por sua vez o esperma, depois de recolhido, é sujeito a processos de centrifugação e de lavagens, de forma a obter os espermatozóides.

Microinjeção Citoplasmática

Discussões éticas

Problemas Éticos

  • É legítimo manipular formas de vida humana ainda que estas não tenham nascido?

  • Deve realizar-se uma fecundação estritamente "artificial" quando a natureza não o permitiu?

  •   

  • No caso de uma inseminação com esperma de um doador anônimo: o doador não tem nenhuma responsabilidade sobre o seu filho genético? Não tem o direito de reclamar os seus direitos de paternidade ?

Problemas Éticos

  • Um filho não tem o direito de saber quem é o seu pai e herdar do seu progenitor?

  • É legítimo que uma mulher leve dentro da sua barriga o filho de outras pessoas?

  • O que é família?

Problemas Éticos

  • Status do embrião

    • Congelamento
    • Danos potenciais
  • Multiplicidade de participantes

    • Perda da privacidade/intimidade
  • Disputas de linhagens

    • Doador não identificado/anônimo/não identificável
    • Identificação dos participantes
  • Maternidade substitutiva

    • Vínculo comercial
    • Vínculo familiar

Problemas Éticos

  • Reprodução além da idade reprodutiva

  • Reprodução além da vida de um dos pais

    • Orfandade programada
  • Potencial eugênico

    • Seleção de embriões por sexo
    • Seleção por características imunológicas
  • Repercussões psicológicas e sociais tardias

Avó barriga de aluguel dará à luz gêmeos para a filha

  • Avó 'barriga de aluguel' fez um pré-natal rigoroso pelo risco de hipertensão e diabetes. Filha diz que foi difícil fazer o pedido à mãe. 15/11/2007

Reflita sobre o caso: Fertilização com sêmem de doador falecido

  • Um homem de 22 anos de idade, noivo, com casamento marcado para daqui a 4 meses, teve confirmado o diagnóstico de morte cerebral após um acidente de automóvel.

  • O seu pai foi o primeiro a chegar ao hospital e concordou em doar os seus órgãos para a realização de transplantes.

  • O pai fez, contudo, uma solicitação incomum: se o esperma do filho poderia ser obtido e congelado para uso futuro?

  • A noiva deste rapaz não foi ainda localizada para ser consultada, mas o pai acredita que ela concordará em conceber um filho de seu noivo, pois assim uma "parte dele continuará viva".

  • Já foi realizada coleta de esperma, com sucesso, em outros pacientes nesta mesma situação. O pai do rapaz tinha apenas este filho, e afirmou que, caso a noiva não queira conceber um filho com este esperma, doará o mesmo, para que a linhagem de sua família tenha continuidade, pelo menos desta forma.

Comentários