Apostila de Administração de Empresas

Apostila de Administração de Empresas

(Parte 1 de 4)

Universidade Presbiteriana Mackenzie

Escola de Engenharia

Engenharia Mecânica

Apostila

de

Administração

Bruno Ozi Silva Rosalin de Oliveira ......

Nº 3030107-6

10ºD

-2007-

SUMÁRIO

  1. Bens e Serviços

Em geral os bens são tangíveis (pode tocar fisicamente). Os serviços são intangíveis (não pode tocar).

Bens

Serviços

  • Tangíveis

  • Movimentados e armazenados

  • Qualidade evidente

  • Produção precede produção (empurrada)

  • Baixo nível de contato com o consumidor

  • Intangível

  • Dificilmente transportados e movimentados

  • É mais difícil avaliar a qualidade

  • A produção e consumo caminham juntos (JIT)

  • Muita relação com o consumidor

  1. 5 Objetivos de Desempenho

Objetivo Qualidade  Significa “fazer as coisas certo”.

Objetivo Rapidez  Significa quanto tempo os consumidores precisam esperar para receber seus produtos ou serviços.

Objetivo Confiabilidade  Significa fazer as coisas em tempo para os consumidores receberem seus bens e serviços quando prometidos.

Objetivo Flexibilidade  Significa ser capaz de mudar a operação de alguma forma. Pode ser alterar o que a operação faz, como faz, ou quando faz. Mudança é a idéia-chave.

Objetivo Custo  Quanto menor o custo de produzir seus bens e serviços, menor pode ser o preço aos seus consumidores ou maior pode ser o lucro.

    1. Relação do Custo com os Outros Objetivos

  • Operações de alta qualidade não desperdiçam tempo ou esforço de retrabalho nem seus clientes internos são incomodados por serviços imperfeitos. Alta qualidade pode significar custos baixos.

  • Operações rápidas reduzem o nível de estoque em processo, entre as micro operações, bem como diminuem os custos administrativos indiretos. Ambos podendo reduzir o custo da macro operação.

  • Operações confiáveis não causam qualquer surpresa desagradável aos clientes internos. Pode-se confiar que suas entregas serão exatamente como planejado. Isso elimina o prejuízo de interrupção e permite que as outras micro operações trabalhem eficientemente.

  • Operações flexíveis adaptam-se rapidamente as circunstâncias mutantes e não interrompem o restante da macro operação. As operações microflexíveis podem também trocar rapidamente entre tarefas, sem desperdiçar tempo e capacidade, reduzindo os custos.

Na produção uma forma importante de melhorar o desempenho dos custos é melhorar o desempenho dos outros objetivos operacionais.

  1. Os 3 Papéis

  • Fornecedor

  • Negócio

  • Cliente

A maioria das áreas de produção (macro operação) é constituída de várias unidades ou departamentos (micro operações) que, por sua vez, funcionam como versões reduzidas da operação global de que fazem parte.

Essas microoperações têm inputs, alguns dos quais procedentes de macrooperações externas, mas muitas delas decorrentes de outras microoperações internas. Este conceito de macro e microoperações pode ser ampliado. Dentro de cada microoperação pode haver seções ou grupos que podem ser considerados operações. Essas seções ou grupos podem receber seus inputs e fornecer parte de seus outputs outras seções ou grupos de sua própria microoperação e fora dela. Dessa maneira, qualquer função produção pode ser considerada como uma hierarquia de operações.

Esse conceito de hierarquia de operações tem duas implicações importantes:

  • A ligação das microoperações para formar os relacionamentos dos consumidores e fornecedores internos.

  • Todas as partes da organização são operações que requerem administração de produção.

  1. Estrutura Organizacional

    1. Componentes da Estrutura Organizacional

      1. Sistema de Responsabilidade

Responsabilidade refere-se a obrigação que uma pessoa tem de fazer alguma coisa para outrem.

  • Quando um subordinado assume determinada obrigação, deve prestar contas à pessoa que lhe atribuiu a responsabilidade.

  • A quantidade de responsabilidade pela qual o subordinado terá de prestar contas determina a quantidade de autoridade delegada.

  • Permanece na responsabilidade a obrigação do indivíduo a quem ela foi atribuída, ou seja, a responsabilidade não se delega.

      1. Sistema de Autoridade

Autoridade é o direito para fazer alguma coisa. Ela pode ser o direito de tomar decisões, de dar ordens e requerer obediência, ou simplesmente o direito de desempenhar um trabalho que foi designado. A autoridade pode ser formal ou informal.

Tipos de autoridade:

  • Autoridade Formal  Representa a delegada pelo superior hierárquico.

  • Autoridade Informal  Representa uma “autoridade adquirida”, desenvolvida por meio de relações informais entre pessoas da empresa, que o fazem voluntariamente e por deferência a sua posição ou status.

O chefe leal aos seus subordinados tem maiores possibilidades de estabelecer uma autoridade informal eficaz e maior possibilidade de influenciar seus subordinados.

  • Autoridade Estatutária  Direito de comandar e o poder de se fazer obedecer.

  • Autoridade Pessoal  Imposta pela inteligência, pelo saber, pelo valor moral, pelo dom do comando, pela experiência.

Um bom chefe deve aliar a autoridade estatutária a pessoal.

  • Autoridade Singular  O poder de se fazer obedecer e o direito de comandar são exercidos por um só indivíduo.

  • Autoridade Múltipla  O poder de se fazer obedecer e o direito de comandar são exercidos por um grupo. O poder pertence ao grupo, mas a função é dividida entre os membros.

  • Autoridade Hierárquica  Segue as linhas de comando estabelecidas pela estrutura hierárquica da empresa.

  • Autoridade Funcional  Corresponde a autoridade estabelecida pela função exercida pelas unidades organizacionais. Esta autoridade deve ser bem estabelecida para evitar duplicidade de comando.

      1. Sistema de Comunicações

Comunicação é o processo mediante o qual uma mensagem é enviada por um emissor, por meio de determinado canal, e entendida por um receptor.

O sistema de comunicação é a rede por meio da qual fluem as informações que permitem o funcionamento da estrutura de forma integrada e eficaz.

No sistema de comunicação, deve ser considerado:

  • O que deve ser comunicado;

  • Como deve ser comunicado;

  • Quando deve ser comunicado;

  • De quem deve vir a informação;

  • Para quem deve ir a informação;

  • Por que deve ser comunicado

  • Quanto deve ser comunicado.

    1. Esquemas de comunicação

Formal  planejado, facilitado e controlado. Segue a corrente de comando numa escala hierárquica.

Informal  Surge espontaneamente na empresa, em reação as necessidades de seus membros. Não pode ser evitado, portanto estudar o informal para melhorar e fortalecer o formal. Quando essa comunicação torna-se ruim com boatos tem que ser evitada, e quando é boa tem que ser incentivada, para isso é necessário alteração de arranjo físico, alteração da estrutura organizacional, etc.

    1. Fluxos da comunicação

Horizontal  Realizado entre unidades organizacionais diferentes, mas do mesmo nível hierárquico.

Diagonal ou Transversal  Realizado entre unidades organizacionais e níveis diferentes.

Vertical  Realizado entre níveis diferentes, mas da mesma área de atuação.

    1. Custo da Comunicação

Fatores que aumentam o custo da comunicação:

  • Demasiado número de níveis hierárquicos envolvidos na supervisão de atividades correntes a curto prazo;

  • Demasiado número de estágios na elaboração das decisões;

  • Existência de grandes serviços funcionais ou de assessoria;

  • Complexidade da estrutura, responsabilidades diluídas, etc.;

  • Unidades organizacionais sem objetivos mensuráveis, função vaga e qualitativa, chefia sem agressividade;

  • Unidades organizacionais sem meios completos e autônomos para atingirem seus objetivos;

  • Unidades organizacionais que trabalham abaixo da dimensão necessária.

    1. Subsistema de Procedimentos

(Parte 1 de 4)

Comentários