Alvenaria estrutural

Alvenaria estrutural

(Parte 1 de 2)

1Fascículos ColecionÆveis PR - 1 COMO ESCOLHER E CONTROLAR A QUALIDADE DOS BLOCOS

As paredes de blocos de concreto sªo montadas a partir das unidades de alvenaria - os blocos. Portanto, Ø imprescindível que eles obedeçam às características estabelecidas para que se obtenha o mÆximo de vantagens oferecidas pelo sistema.

Definindo o tipo de bloco

Antes de sair a campo catando blocos , Ø importante escolher aquele que atenderÆ melhor ao sistema. Quem define o tipo, ou a família, Ø o arquiteto. CaberÆ ao engenheiro de estruturas informar a classe de resistŒncia que serÆ adotada.

A normalizaçªo brasileira define basicamente dois tipos de blocos de concreto, de acordo com sua aplicaçªo:

Bloco vazado de concreto simples para alvenaria sem funçªo estrutural (NBR 7173/82), que chamaremos de bloco de vedaçªo ,

Bloco vazado de concreto simples para alvenaria estrutural (NBR 6136/1994), que chamaremos de bloco estrutural .

Uma das características importantes, Ø que o bloco dever ser vazado, ou seja, sem fundo, aproveitando-se os furos para a passagem das instalaçıes e para a aplicaçªo do graute (concreto de alta plasticidade). Nªo tendo fundo, hÆ tambØm uma grande economia de argamassa de assentamento.

A norma brasileira faz uma designaçªo dos blocos tomando como base a largura, por exemplo M- 10, M-15 e M-20, referindo-se às larguras 9, 14 e 19 cm, respectivamente (ver tabela 1).

As dimensıes padronizadas dos blocos admitem tolerâncias de + 2 m para a largura e + 3 m para a altura e comprimento. A família 39, designada por M15, possui a dimensıes modular do comprimento (20 cm), diferente da largura (15 cm). Tal diferença exige a introduçªo de blocos complementares com o objetivo de restabelecer a modulaçªo nos encontros das paredes: o 14 x 19 x 34, para amarraçªo nos cantos, e o 14 x 19 x 54, para amarraçıes em T .

Como Escolher e Controlar a Qualidade dos Blocos

Ao escolher entre os sistemas construtivos de alvenaria estrutural ou de vedaçªo, uma das primeiras perguntas que surgem Ø: qual bloco devo utilizar? Diante da diversidade de produtos no mercado, como saber qual Ø o bloco ideal? Como saber se um bloco Ø de qualidade ou nªo?

Designaçªo largura altura comprimento ParedelongitudinalParede transversal

Dimensıes (m) TABELA 1

ADA PR - 1

2 Fascículos ColecionÆveis PR - 1 COMO ESCOLHER E CONTROLAR A QUALIDADE DOS BLOCOS

Apesar de seu comprimento ainda nªo constar nas dimensıes padronizadas da norma de blocos estruturais, existe no mercado a família 29 , que se enquadra na designaçªo M-15, presente nos blocos de vedaçªo. Os elementos que a compıem sªo o 14 x 19 x 29, 14 x 19x 14, e 14 x 19 x 4. Observa-se que a família 29 possui dimensªo

A Família 39 (dimensıes em cm)

14 x 19 x 3914 x 19 x 19

14 x 19 x 3414 x 19 x 54 modular no comprimento igual a da largura (15 cm), nªo necessitando de bloco complementar para as amarraçıes nos cantos.

Definida a alvenaria, escolhidas as famílias e as classes de resistŒncia, o próximo passo Ø a escolha do fabricante.

14 x 19 x 1414 x 19 x 2914 x 19 x 4 A Família 29 (dimensıes em cm)

3Fascículos ColecionÆveis PR - 1 COMO ESCOLHER E CONTROLAR A QUALIDADE DOS BLOCOS

Escolhendo o fabricante

HÆ fabricantes de blocos espalhados por praticamente todas as regiıes do país. A Norma Brasileira estabelece a fase de qualificaçªo quando se faz a escolha do fornecedor. Nesta fase Ø importante conhecer os resultados dos ensaios de caracterizaçªo dos blocos tais como: anÆlise dimensional, resistŒncia à compressªo, determinaçªo da massa específica, absorçªo e retraçªo por secagem.

Procure fabricantes que possuam blocos aprovados em conformidade com as normas tØcnicas, que possuam acompanhamento de um laboratório e primem pelo controle da qualidade.

Como fazer o pedido

Antes de efetuar o pedido, faça uma programaçªo com antecedŒncia da entrega dos blocos, evitando atrasos, falta de peças e outros inconvenientes.

No momento da solicitaçªo, informe:

Tipo do bloco (estrutural, vedaçªo, pigmentado, texturizado etc.)

Família (as dimensıes)

ResistŒncia especificada pelo projetista

Quantidade de blocos

Se necessÆrio, programe os intervalos em que serªo feitas as entregas. Prefira a entrega em pallets, porque facilitarÆ o descarregamento e a armazenagem no canteiro.

Cuidados no recebimento dos blocos

Tenha no canteiro um espaço reservado para a armazenagem, separando os blocos por tipos e classes de resistŒncia. Facilite o acesso do caminhªo, a descarga e o transporte do material. Eleja um responsÆvel que farÆ as verificaçıes para o recebimento.

A verificaçªo deverÆ ser realizada visualmente antes e durante o descarregamento. Os blocos devem ser homogŒneos, compactos, ter os cantos vivos, sempre livres de trincas e imperfeiçıes que possam prejudicar o assentamento ou afetar a resistŒncia e a durabilidade da construçªo. Se forem revestidos, os blocos podem ter superfície Æspera, desde que seja homogŒnea.

Em uma descarga adequada, a quebra de muitas peças indica blocos com resistŒncia mecânica insuficiente.

Controle Tecnológico

No canteiro de obras, assim que os blocos sªo recebidos, devem ser separadas amostras para cada lote, para que sejam encaminhadas a um laboratório e ensaiadas. É importante que as amostras sejam coletadas aleatoriamente, representando as características do lote, seguindo as quantidades estabelecidas pela NBR 6136/94, tabela 6, e NBR 7173/82, itens 6.1 e 6.2 (Veja Tabela 2).

As amostras coletadas serªo marcadas identificando a data da coleta e o lote e posteriormente, enviadas a um laboratório para os ensaios.

TABELA 2

Nœmero mínimo deblocos de amostraNœmero de blocos para ensaio à compressªo

Nœmero de blocos para ensaios de absorçªo, massa específica, umidade e Ærea líquida

Estrutural

de Vedaçªo

Tipo de Bloco

4 Fascículos ColecionÆveis PR - 1 COMO ESCOLHER E CONTROLAR A QUALIDADE DOS BLOCOS

Para a resistŒncia à compressªo e absorçªo a norma brasileira estabelece os limites, como mostra a tabela 3

No caso dos blocos analisados nªo atenderem a algum requisito, o fabricante deve ser contatado e providenciada uma nova sØrie de ensaios.

(Parte 1 de 2)

Comentários