Saúde Coletiva

Saúde Coletiva

(Parte 1 de 5)

ESSA – Escola da Saúde | Rua dos Jequitibás, 101 | Metrô Jabaquara| 5012-1020 | w.essa.edu.br1

Enfermagem

Enfermagem em Saúde

Coletiva (Módulo I)

ESSA – Escola da Saúde | Rua dos Jequitibás, 101 | Metrô Jabaquara| 5012-1020 | w.essa.edu.br2

Enfermagem

Aula 01 – Conceitos / Atribuições da Enfermagem

Saúde Coletiva é uma expressão que designa um campo de saber e de práticas referido à saúde como fenômeno social e, portanto, de interesse público. As origens do movimento de constituição deste campo remontam ao trabalho teórico e político empreendido pelos docentes e pesquisadores de departamentos de instituições universitárias e de escolas de Saúde Pública da América Latina e do Brasil, em particular, ao longo das duas últimas décadas.

A crítica aos sucessivos movimentos de reforma em saúde, originários da Europa e dos

Estados Unidos, como os da Saúde Pública e Higiene, Medicina Preventiva, Medicina Comunitária, Medicina de Família, Atenção Primária à Saúde, delineou progressivamente o objeto de investigação e práticas em Saúde Coletiva, que compreende as seguintes dimensões: o Estado de saúde da população, isto é, condições de saúde de grupos populacionais específicos e tendências gerais do ponto de vista epidemiológico, demográfico, sócio-econômico e cultural; o Serviços de saúde, abrangendo o estudo do processo de trabalho em saúde, investigações sobre a organização social dos serviços e a formulação e implementação de políticas de saúde, bem como a avaliação de planos, programas e tecnologia utilizada na atenção à saúde; o Saber sobre a saúde, incluindo investigações históricas, sociológicas, antropológicas e epistemológicas sobre a produção de conhecimentos neste campo e sobre as relações entre o saber "científico" e as concepções e práticas populares de saúde, influenciadas pelas tradições, crenças e cultura de modo geral.

Hoje a saúde coletiva é desenvolvida no atendimento de saúde pública.

Anteriormente a área de saúde pública destinava-se principalmente a prevenção de doenças.

Hoje o foco está ampliado, o profissional que atua em saúde coletiva deve estar atento para prevenção, tratamento e reabilitação dos pacientes.

Prevenção

Atuação dos agentes de saúde

Solicitação de exames preventivos

Tratamento

Acompanhamento de patologias Solicitação de exames

ESSA – Escola da Saúde | Rua dos Jequitibás, 101 | Metrô Jabaquara| 5012-1020 | w.essa.edu.br3

Enfermagem

Tratamento Reabilitação

Acompanhamento de seqüelas Orientação sobre reabilitação e encaminhamento para atendimento

Papel da Enfermagem

Realizar coleta de citologia oncótica e solicitar supervisão do enfermeiro para atendimento conjunto quando a paciente apresentar sinais/sintomas (Ex: presença de leucorréia; paciente referir prurido). Realizar coleta de exames.

Fazer esterilização/desinfecção/acondicionamento de materiais.

Fazer acompanhamento dos pacientes hipertensos/diabéticos cadastrados no serviço, conforme prescrição da assistência de enfermagem pelo Enfermeiro verificação de dados antropométricos, verificação de sinais vitais, registro de hábitos alimentares e atividades físicas do paciente, orientação de uso da medicação prescrita pelo médico Repor materiais nos setores e consultórios.

Imunização - aplicar, orientar, organizar fichário, realizar controle da rede de frio, segundo Programa Nacional de Imunização. Efetuar controle de pacientes e comunicantes de doenças transmissíveis.

Realizar acompanhamento de crianças - fazendo a verificação do peso e da estatura, registrando no prontuário e no gráfico da criança, registrar queixas/sinais/sintomas observados com relação ao desenvolvimento neuro-psico-motor, incentivar o aleitamento materno, orientar sobre higienização (art. 13, “a” da Lei nº 7.498/96)

Realizar procedimentos e cuidados básicos de enfermagem (Ex: verificação de sinais vitais; punção venosa; eletrocardiograma solicitado pelo médico; cauterização de coto umbilical prescrita pelo médico; cuidados de higiene).

Preparar e administrar medicamentos conforme prescrição (médica ou do enfermeiro ou do dentista) - via oral, enteral, sub-lingual e/ou tópica. Preparar e administrar inalação/oxigenoterapia conforme prescrição médica.

Participar do acolhimento aos usuários do serviço, conforme protocolo anexo.

Realizar curativos de menor complexidade - observando/ reconhecendo e descrevendo em prontuário sinais da lesão (art. 13, “a” da Lei nº 7.498/96).

Considerando o campo da saúde coletiva: o Participar em ações de educação em saúde. o Realizar visitas domiciliares, bem como convocação de pacientes faltosos. o Dispensar medicação prescrita conforme receita médica/ ou do dentista ou do enfermeiro. o Participar de discussão e elaboração de projetos terapêuticos. o Atuar no Núcleo de Saúde Coletiva em ações de vigilância à saúde. o Participar no processo de cadastro e descrição de clientela.

01Conceitos Gerais

ESSA – Escola da Saúde | Rua dos Jequitibás, 101 | Metrô Jabaquara| 5012-1020 | w.essa.edu.br4

Enfermagem

Aula 02 – Imunização

Existem doenças que são IMUNOPREVENÍVEIS, isto é, doenças que podem ser prevenidas com a imunização ou a vacinação.

Imunizar é tornar o organismo resistente e/ou capaz de reagir à presença de certos agentes (doenças, venenos de animais e outros). Nós temos dois tipos de imunidade:

• Imunidade natural - mecanismo desenvolvido pelo próprio organismo e que protege as pessoas contra infecções e doenças. • Imunidade adquirida - é aquela que o organismo desenvolve após receber vacinas e soros (imunização passiva).

Vacinas

São substâncias que contêm agentes capazes de desenvolver no indivíduo mecanismos de proteção contra determinadas doenças.

As doenças que podem ser prevenidas por vacinas do Programa Nacional de Imunização, e que estão disponíveis, são:

Caxumba Poliomielite (Paralisia infantil)

Infecções por Haemophilus Influenzae B

Existem algumas vacinas que são indicadas em situações especiais, como:

• Febre Amarela: deve ser tomada, no mínimo 10 dias antes de viajar para as seguintes áreas onde ocorre a doença:

- No Brasil: Amazonas, Amapá, Bahia, Distrito Federal, Goiás, Maranhão, Minas Gerais, Pará, Roraima e São Paulo.

- No exterior: África (Angola, Benin, Burkina Faso, Camarões, Congo, Gabão, Gâmbia,

ESSA – Escola da Saúde | Rua dos Jequitibás, 101 | Metrô Jabaquara| 5012-1020 | w.essa.edu.br5

Enfermagem

Ghana, Ghiné, Libéria, Nigéria, Serra Leoa e Sudão) América do Sul (Bolívia, Colômbia, Equador, Guiana Francesa, Peru e Venezuela)

• Vacina anti-rábica/soro anti-rábico – em acidentes (mordeduras, lambeduras e arranhaduras) por animais potencialmente transmissores do vírus da raiva.

• Hepatite A

• Antivaricela zoster (contra Catapora)

(Parte 1 de 5)

Comentários