(Parte 4 de 8)

– [a-z,1,0] - Faz referência a intervalo de caracteres de a até z ou 1 ou 0 naquela posição.

A procura de caracteres é “Case Sensitive” assim se você deseja que sejam localizados todos os caracteres alfabéticos você deve usar [a-zA-Z].

Caso a expressão seja precedida por um , faz referência a qualquer caracter exceto o da expressão. Por exemplo [abc] faz referência a qualquer caracter exceto a, b e c.

• {padrões} - Expande e gera strings para pesquisa de padrões de um arquivo/diretório. – X{ab,01} - Faz referência a seqüencia de caracteres Xab ou X01

– X{a-z,10} Faz referencia a seqüencia de caracteres Xa-z e X10.

O que diferencia este método de expansão dos demais é que a existência do arquivo/diretório é opcional para geração do resultado. Isto é útil para a criação de diretórios. Lembrando que os 4 tipos de curingas (“*”, “?”, “[]”, “{}”) podem ser usados juntos. Para entender melhor vamos a prática:

Vamos dizer que tenha 5 arquivo no diretório /usr/teste: teste1.txt,teste2.txt, teste3.txt,teste4.new,teste5.new.

Caso deseje listar todos os arquivos do diretório /usr/teste você pode usar o coringa “*” para especificar todos os arquivos do diretório:

cd /usr/teste e ls * ou ls /usr/teste/*.

Não tem muito sentido usar o comando ls com “*” porque todos os arquivos serão listados se o ls for usado sem nenhum Coringa.

Agora para listar todos os arquivos teste1.txt,teste2.txt,teste3.txt com excessão de teste4.new, teste5.new, podemos usar inicialmente 3 métodos:

1 Usando o comando ls *.txt que pega todos os arquivos que começam com qualquer nome e terminam com .txt.

2 Usando o comando ls teste?.txt, que pega todos os arquivos que começam com o nome teste, tenham qualquer caracter no lugar do coringa ? e terminem com .txt.

Com o exemplo acima teste*.txt também faria a mesma coisa, mas se também tivéssemos um arquivo chamado teste10.txt este também seria listado.

3 Usando o comando ls teste[1-3].txt, que pega todos os arquivos que começam com o nome teste, tenham qualquer caracter entre o número 1-3 no lugar da 6a letra e terminem com .txt. Neste caso se obtém uma filtragem mais exata, pois o coringa ? especifica qualquer caracter naquela posição e [] especifica números, letras ou intervalo que será usado.

Agora para listar somente teste4.new e teste5.new podemos usar os seguintes métodos:

1 ls *.new que lista todos os arquivos que terminam com .new 2 ls teste?.newquelistatodososarquivosquecomeçamcomteste,contenhamqual- quer caracter na posição do coringa ? e terminem com .new.

3 ls teste[4,5].* que lista todos os arquivos que começam com teste contenham números de 4 e 5 naquela posição e terminem com qualquer extensão.

Existem muitas outras formas de se fazer a mesma coisa, isto depende do gosto de cada um. O que pretendi fazer aqui foi mostrar como especificar mais de um arquivo de uma só vez. O uso

Capítulo 2. Explicações Básicas 12 de curingas será útil ao copiar arquivos, apagar, mover, renomear, e nas mais diversas partes do sistema. Alias esta é uma característica do GNU/Linux: permitir que a mesma coisa possa ser feita com liberdade de várias maneiras diferentes.

Capítulo 3 Hardware

Hardware é tudo que diz respeito a parte física do computador. Nesta seção serão abordados assuntos relacionados com a configuração de hardwares, escolha de bons hardwares, dispositivos for Windows, etc.

3.1 Placa de expansão

É um circuito eletrônico encaixado na placa mãe que tem por objetivo adicionar novas funcionalidades ao computador. Esta placa pode ser uma:

• placa de som - para fazer o computador emitir sons, músicas, ligar um joystick, etc.

• Placa de vídeo 3D - Para obter imagens mais rápidas para jogos e ambientes de desktop 3 dimensões

• Placa de captura - Para assistir televisão/rádio e gravar a programação de TV em seu micro.

• fax-modem - para enviar/receber fax, conectar-se a internet, acesso remoto, bina, etc.

• rede - para permitir a comunicação com outros computadores em uma rede interna

• controladora de periféricos - Para ligar discos rígidos, unidades de disquete, impressora, mouse, joystick, etc.

• SCSI - Para ligar unidades de disco rígidos e periféricos de alto desempenho.

• Controladora de Scanner - Para ligar um Scanner externo ao micro computador.

O encaixe da placa mãe que recebe as placas de expansão são chamados de Slots.

Capítulo 3. Hardware 14

3.2 Nomes de dispositivos

nos se referir a ele pela IRQ, I/O, etcpara evitar isso são usados os nomes de dispositivos.

SeriaterrívelseaoconfigurarCADAprogramaqueutilizeomouseouomodemprecisássemos

Os nomes de dispositivos no sistema GNU/Linux são acessados através do diretório /dev. Após configurar corretamente o modem, com sua porta I/O 0x2F8 e IRQ 3, ele é identificado automaticamente por /dev/ttyS1 (equivalente a COM2 no DOS). Daqui para frente basta se referir a /dev/ttyS1 para fazer alguma coisa com o modem.

Você também pode fazer um link de /dev/ttyS1 para um arquivo chamado /dev/modem usando: ln -s /dev/ttyS1 /dev/modem, faça a configuração dos seus programas usando /dev/modem ao invés de /dev/ttyS1 e se precisar reconfigurar o seu modem e a porta serial mudar para /dev/ttyS3, será necessário somente apagar o link /dev/modem antigo e criar um novo apontando para a porta serial /dev/ttyS3.

Não será necessário reconfigurar os programas que usam o modem pois eles estão usando /dev/modem que está apontando para a localização correta. Isto é muito útil para um bom gerenciamento do sistema.

Abaixo uma tabela com o nome do dispositivo no GNU/Linux, portas I/O, IRQ, DMA e nome do dispositivo no DOS (os nomes de dispositivos estão localizados no diretório /dev):

Dispos. Dispos. Linux DOS IRQ DMA I/O ttyS0 COM1 4 - 0x3F8 ttyS1 COM2 3 - 0x2F8 ttyS2 COM3 4 - 0x3E8 ttyS3 COM4 3 - 0x2E8 lp0 LPT1 7 3(ECP) 0x378 lp1 LPT2 5 3(ECP) 0x278 /dev/hda1 C: 14 - 0x1F0,0x3F6

/dev/hda2 D: * 14 - 0x1F0,0x3F6 /dev/hdb1 D: * 15 - 0x170,0x376

* A designação de letras de unidade do DOS não segue o padrão do GNU/Linux e depende da existência de outras unidades físicas/lógicas no computador.

3.3 Configuração de Hardware

A configuração consiste em ajustar as opções de funcionamento dos dispositivos (periféricos) paracomunicaçãocomaplacamãebemcomoaconfiguraçãodosoftwarecorrespondentepara fazer acesso ao hardware. Um sistema bem configurado consiste em cada dispositivo funcionando com suas portas I/O, IRQ, DMA bem definidas, não existindo conflitos com outros dispositivos. Isto também permitirá a adição de novos dispositivos ao sistema sem problemas.

Capítulo 3. Hardware 15

Dispositivos PCI, PCI Express, AMR, CNR possuem configuração automática de recursos de hardware, podendo apenas ser ligados na máquina para serem reconhecidos pela placa mãe. Após isso deverá ser feita a configuração do módulo do kernel para que o hardware funcione corretamente.

Os parâmetros dos módulos do kernel usados para configurar dispositivos de hardware são a IRQ, DMA e I/O. Para dispositivos plug and play, como hardwares PCI, basta carregar o módulo para ter o hardware funcionando.

3.3.1 IRQ - Requisição de Interrupção

Existem dois tipos básicos de interrupções: as usadas por dispositivos (para a comunicação com a placa mãe) e programas (para obter a atenção do processador). As interrupções de software são mais usadas por programas, incluindo o sistema operacional e interrupções de hardware mais usado por periféricos. Daqui para frente será explicado somente detalhes sobre interrupções de hardware.

(Parte 4 de 8)

Comentários