Apostila de Eletricidade Industrial

Apostila de Eletricidade Industrial

(Parte 4 de 4)

Símbolos dos dispositivos auxiliares bobina auxiliar

bobina de impulso bobina de subtensão

Figura 3 – Disjuntor motor

6.4 BOTOEIRAS, PEDALEIRAS E FIM DE CURSOS

Estes são os interruptores usados nos circuitos elétricos industriais. As botoeiras são instaladas em portas de quadro de comando, em frente de máquinas etc. As pedaleiras são utilizadas em máquinas onde o operador liga e/ou desliga o equipamento com o pé. Já os fins de curso tem a maior aplicação como limitadores de deslocamento e proteção de máquinas.

Cada cor de botão indica um tipo de atividade, conforme descrito por norma, sendo que cada empresa pode criar seu próprio padrão. O mais comum é utilizar vermelho para as funções Emergência e/ou desliga e verde e preto para ligar.

Fonte:

http://200.170.17.200:9/catalo gue/donnees/photos/TL1/8123. gif relé térmico:

proteção de sobrecargas relé eletromagnético: proteção de curto-circuito mecanismo de disparo dispositivo auxiliar

48 Figura 34 – Componentes (Fabricação TELEMECANIQUE)

Fim de curso com rolete;

Fonte: http://200.170.17.200:9/catal ogue/donnees/photos/TL3/XC 1AC.gif

Fim de curso com pino:

Pedaleira:

Conjunto pendente:

Botoeiras dupla isolação, para circuitos auxiliares.

Botão à impulsão

Manipulador:

Comutadores

Botão emergência soco

Cabeçotes para comutadores com chave.

6.5 SINALIZADORES

Os sinalizadores são usados quando há necessidade de indicar um estado da máquina ou da instalação.

Existem os sinalizadores sonoros e os luminosos. Como sinalizador sonoro usa-se geralmente sirene ou campainha (buzzer). Na sinalização luminosa são variados os tipos de sinaleiros existentes; são usados nas portas de quadros de comando, na frente de máquinas, na parte superior das máquinas etc. A cor do sinalizador pode indicar alguma função específica.

Figura 35 – Sinalizadores

6.6 SENSORES

Sensores são componentes que realizam uma comutação elétrica sem haver contato físico. Podem atuar pela aproximação de algum material, ou, ainda, pela variação de alguma grandeza física, como temperatura e pressão.

São diversos os tipos de sensores, cada um com sua característica de acionamento. Os sensores indutivos atuam pela aproximação de materiais metálicos; já os sensores capacitivos atuam com a aproximação de qualquer tipo de material.

sirene alarme audiovisual sinaleiro

∅ 10,4mm multissinalizador industrial

Fonte: DNH; alto-falantes

Fonte: WESTINGHOUSE DO BRASIL. Divisão Blindex. Equipamentos Eletrônicos Industriais

TL50/101178.gif2/04/2002

Sinaleiro ∅ 2m TELEMECANIQUE

Existem também os sensores magnéticos, que fazem a comutação elétrica mediante a presença de um campo magnético externo, proveniente de um imã permanente ou de um eletroímã. Os sensores ópticos atuam quando ocorre a interrupção dos raios de luz provenientes de um emissor para um receptor, devidamente alinhados.

Alguns sensores têm seu nome relacionado com a grandeza física que determina seu acionamento, como, por exemplo, pressostato, termostato, fluxostato, vacuostatos, tacostatos, etc.

A ligação de um sensor a um circuito divide-se basicamente em dois tipos: sensores para ligação direta – devendo-se observar sua tensão e corrente máxima – e sensores para ligação indireta, devendo-se ligar com relés apropriados, onde estarão os contatos para comutação.

Para os sensores de proximidade, a distância para acionamento varia conforme modelo e fabricante. Em sensores que necessitam de alimentação deve-se observar se são para AC ou DC.

Figura 36 – Sensores

Pressostato

Fonte: http://www.margirius com.br

Termostato

Fonte: TONINI; controles de temperatura

Sensores de proximidade

(Parte 4 de 4)

Comentários