Apostila de Concreto Armado I

Apostila de Concreto Armado I

(Parte 4 de 9)

• Peso dos elementos construtivos fixos e de instalações permanentes NBR 6120(1980)

• Empuxos permanentes

I.8.1.2 – Ações permanentes indiretas

As ações permanentes indiretas são constituídas pelas deformações impostas por retração e fluência do concreto, deslocamentos de apoio, imperfeições geométricas e protensão.

• Retração do concreto

• Deslocamentos de apoio

• Imperfeições geométricas 1. Imperfeições globais 2. Imperfeições locais

• Momento mínimo

I.8.2 – Ações variáveis

I.8.2.1 – Ações variáveis diretas

As ações variáveis diretas são constituídas pelas cargas acidentais previstas para o uso da construção, pela ação do vento e da chuva.

• Cargas acidentais previstas para o uso da construção

• Ação da água

• Ações variáveis durante a construção

I.8.2.2 – Ações variáveis indiretas • Variações uniformes de temperatura

• Variações não uniformes de temperatura

• Ações dinâmicas

I.8.3 – Ações excepcionais

No projeto de estruturas sujeitas a situações excepcionais de carregamento, cujos efeitos não podem ser controlados por outros meios, devem ser consideradas ações excepcionais com os valores definidos, em caso particular, por Normas Brasileiras específicas.

I.8.4 – Valores das ações I.8.4.1 – Valores característicos

Os valores característicos Fk das ações são estabelecidos na NBR-6118 (2003) em função da variabilidade de suas intensidades.

Para as ações permanentes Fgk , os valores característicos devem ser adotados iguais aos valores médios das respectivas distribuições de probabilidade, sejam valores característicos superiores ou inferiores. Esses valores são aqui definidos ou em normas específicas, como a NBR-6118(2003).

Os valores característicos das ações variáveis Fqk , estabelecidos por consenso em Normas Brasileiras específicas, correspondem a valores que têm de 25% a 35% de probabilidade de serem ultrapassados no sentido desfavorável, durante um período de 50 anos. Esses valores são aqui definidos ou em normas específicas, como a NBR-6118(2003).

I.8.4.2 – Valores representativos

As ações são quantificadas por seus valores representativos, que podem ser: 1. os valores característicos conforme definido acima; 2. valores convencionais excepcionais, que são os valores arbitrados para as ações excepcionais; 3. valores reduzidos, em função da combinação de ações, tais como:

• verificações de estados limites últimos, quando a ação considerada se combina com a ação principal.Os valores reduzidos são determinados a partir da expressão ψoFk , que considera muito baixa a probabilidade de ocorrência simultânea dos valores característicos de duas ou mais ações variáveis de naturezas diferentes;

• verificação de estados limites de serviço. Estes valores reduzidos são determinados a partir de ψ1Fk , que estima um valor freqüente e ψ2Fk , que estima valor quase permanente, de uma ação que acompanha a ação principal.

I.8.4.3 – Valores de cálculo

Os valores de cálculo Fd das ações são obtidos a partir dos valores representativos, multiplicando-os pelos respectivos coeficientes de ponderação γf definidos a seguir.

I.8.5 – Coeficientes de ponderação das ações

γf = γf1 . γf2 . γf3(1.16)

As ações devem ser majoradas pelo coeficiente γf dado por: onde:

• γf1 – parte do coeficiente de ponderação das ações γf , que considera a variabilidade das ações

• γf2 – parte do coeficiente de ponderação das ações γf , que considera a simultaneidade de atuação das ações

• γf3 – parte do coeficiente de ponderação das ações γf , que considera os desvios gerados nas construções e as aproximações feitas em projeto do ponto de vista das solicitações

I.8.5.1 – Coeficientes de ponderação das ações no ELU

Os valores-base são os apresentados na tabela 1.4 para γf1 . γf3 e na tabela 1.5 para γf2 . Tabela 1.4 – Valores de γf1 . γf3

Combinações de ações

Ações

Permanentes (g)

Variáveis (q)

Protensão (p)

Recalques de apoio e retração

D1) F G T D F D F

Normais 1,4 1,0 1,4 1,2 1,2 0,9 1,2 0

Especiais ou de construção 1,3 1,0 1,2 1,0 1,2 0,9 1,2 0

Excepcionais 1,2 1,0 1,0 0 1,2 0,9 0 0

Onde: D é desfavorável, F é favorável, G é geral e T é temporária. 1) Para as cargas permanentes de pequena variabilidade, como o peso próprio das estruturas, especialmente as pré-moldadas, esse coeficiente pode ser reduzido para 1,3.

I.8.5.2 – Coeficientes de ponderação no ELS

Em geral , o coeficiente de ponderação das ações para estados limites de serviço é dado pela expressão:

γf = γf2(1.17)

onde γf2 tem valor variável conforme a verificação que se deseja fazer (tab. 1.5) • γf2 = 1 para combinações raras

(Parte 4 de 9)

Comentários