pdf

pdf

(Parte 1 de 3)

CELETISTAFISIOTERAPEUTA - PSF Prova Capa Amarela

Texto 1:Gente boa

Li outro dia um artigo sobre monges budistas, freiras de clausura e essa gente toda que medita com freqüência. Estudos provaram que eles têm mais desenvolvida a parte do cérebro que percebe o aspecto luminoso das coisas. Enxergam mínimas virtudes, têm mais compaixão e sabem amar com desprendimento.

Quem chega ali vindo de um mundo em que
importância do silêncio, do não julgamentoSabem
Tenho consciência de que um dia fui melhor do

Há sete anos passei um mês em Myanmar, a antiga Birmânia, e lembro-me de sentir nitidamente que aquela gente era melhor do que eu. Havia harmonia e benevolência na expressão das pessoas. Eu acordava predisposta para o bem, não porque seja de fato boa, mas porque era o que se esperava de mim. Ninguém na rua imaginava que eu pudesse dar um golpezinho, enganar ou pensar algo crítico enquanto sorria gentilmente. A delicadeza ali está por toda parte e aponta para o que há de mais puro na gente, contagiando com qualidades sublimes. Enquanto estive com aquela gente, umas belezas emboloradas foram brotando feito susto de dentro dos meus egoísmos. Por lá não há, ou não havia na época, o hábito da televisão a qualquer hora, nem sequer existia TV por satélite, e a cultura mantinha-se, assim, preservada dos costumes ocidentais. Não vi uma pessoa vestindo calça jeans, nem eu mesma, que rapidamente aprendi a amarrar panos na cintura para fazer saia igual às das moças de lá – se amarrar diferente vira saia de homem. A única infiltração de hábito ocidental que se percebe é um pouco de cinema e, mesmo assim, os filmes são quase sempre indianos. tudo se consegue por força fica perplexo diante dos meninos e meninas que escolhem passar, às vezes três anos de sua adolescência burilando o espírito em monastérios budistas, no preparo para a vida adulta. Saem sabendo tudo de abnegação, generosidade, da pouco ou nada de sexo, drogas e rock'n'roll. E conseguem viver sem isso, rindo! Não pretendo fazer o relato sentimentalóide da pureza de um povo simples e isolado do mundo, mas é que a virtude precisa mesmo de exercício para manter-se espontânea, e aquele povo, sei lá por quê, parece achar essa prática importante. (...) que hoje – quando eu era mais simples. A vida foi se sofisticando, me deixando esperta e mais apta para o jogo social. Tive ganhos com isso mas perdi algo de genuíno que me diferenciava. Fui perdendo, no correcorre do "fiz, faço, aconteço,” o que me aproximava de uma experiência particular e única – e melhor, eu acho.

Mas aícadê a firmeza?

Felizmente, nada é irreversível e não preciso morar em Myanmar para resgatar minhas virtudes distantes. Posso fazer isso do meu apartamento em Copacabana - nada é mais poderoso que a firmeza de uma intenção.

PROENÇA, Maitê. Entre ossos e a escrita. Rio de Janeiro, 2004. p.9-100. (Fragmento)

1 - Segundo as conclusões da autora, a experiência em Myanmar não a transformou em outra pessoa, mas fez com que emergissem seus sentimentos positivos. Assinale a opção em que se evidencia esta idéia. A) "Eu acordava predisposta para o bem, não porque seja de fato boa, mas porque era o que se esperava de mim."

B) "Enquanto estive com aquela gente, umas belezas emboloradas foram brotando feito susto de dentro dos meus egoísmos."

C) "Ninguém na rua imaginava que eu pudesse dar um golpezinho, enganar ou pensar algo crítico enquanto sorria gentilmente."

D) "Tenho consciência de que um dia fui melhor que hoje – quando eu era mais simples."

2 - Em "E conseguem viver sem isso, rindo!", o ponto de exclamação ao final da frase é indício de subjetividade e denota: A) ironia. B) deboche. C) alegria. D) surpresa.

3 - No texto, a autora alterna elementos típicos da oralidade com estruturas perfeitamente adequadas do ponto de vista do português escrito. Esse jogo contribui para dar ao texto um tom mais descontraído, e aproximar o leitor. Assinale a opção em que se verifica marca de oralidade. A) " Por lá não há, ou não havia na época, o hábito da televisão a qualquer hora, nem sequer existia TV por satélite, e a cultura mantinha-se, assim, preservada dos costumes ocidentais."

B) "Estudos provaram que eles têm mais desenvolvida a parte do cérebro que percebe o aspecto luminoso das coisas."

C) "Não pretendo fazer o relato sentimentalóide da pureza de um povo simples e isolado do mundo, mas é que a virtude precisa mesmo de exercício para manter-se espontânea..."

D) "A única infiltração de hábito ocidental que se percebe é um pouco de cinema e, mesmo assim, os filmes são quase sempre indianos."

LÍNGUA PORTUGUESAquestões 01 a 10

Fundação Professor Carlos Augusto Bittencourt – FUNCAB (021) 2621-0966 w.funcab.org

CELETISTAFISIOTERAPEUTA - PSF Prova Capa Amarela

4 - A autora conclui que só a ação continuada da generosidade, da aceitação do outro faz com que as pessoas realmente aprendam a viver em harmonia. Assinale o trecho em que se verifica esta idéia. A) "A virtude precisa mesmo de exercício para manter-se espontânea."

B) "Saem sabendo tudo de abnegação, generosidade, da importância do silêncio, do não julgamento."

C) "Posso fazer isso do meu apartamento em

Copacabana – nada é mais poderoso que a firmeza de uma intenção."

D) "Enxergam mínimas virtudes, têm mais compaixão e sabem amar com desprendimento."

5 - Em "e lembro-me de sentir nitidamente que

aquela gente era melhor do que eu." A construção segue a norma culta, no que diz respeito à regência verbal. O mesmo não acontece em: A) Você lembra do nome de todas as pessoas com as quais já se relacionou?

B) E acabo me esquecendo de que posso ser alguém melhor.

C) Ele acabou esquecendo os movimentos que o faziam relaxar.

D) Lembramos aos participantes o horário das palestras.

6 - A oração grifada em "Tenho consciência de que um dia fui melhor do que hoje" exerce a mesma função sintática que o termo destacado na seguinte opção: A) "...me deixando esperta e mais apta para o jogo social."

B) "Tive ganhos com isso mas perdi algo de genuíno que me diferenciava."

C) "...a virtude precisa mesmo de exercício para manter-se espontânea..."

D) "Li outro dia um artigo sobre monges budistas."

Texto 2:

A felicidade começa no cérebro. Faça algo bem-feito, receba um agrado ou um carinho ou ache graça em uma piada, e seu sistema de recompensa se encarrega de fazer com que as regiões do cérebro que cuidam de movimentos automáticos – aqueles que fazemos sem precisar pensar – estampem um belo sorriso em seu rosto. A neurociência explica: um trabalho recente mostrou que o sorriso genuíno já basta para ativar o córtex da insula, região do cérebro que nos dá sensações subjetivas como a do bem-estar. Ver alguém sorrir também funciona. Um sorriso no rosto de quem fala com você aciona as mesmas áreas do cérebro responsáveis pelo seu próprio sorriso. (...) É como se ver alguém sorrindo bastasse para você se sentir sorrindo por dentro também. Uma vez que seu cérebro repete por dentro o sorriso que ele vê por fora, o bem-estar do outro é contagiante. Felicidade gera felicidade: ela passa de um cérebro para o próximo por meio do sorriso.

HERCULANO-HOUZEL, Suzana. A beleza do sorriso.

Folha de S. Paulo, São Paulo,p.5, 17 ago.2006. Equilíbrio (Fragmento adaptado)

7 - “as regiões do cérebro que cuidam de

movimentos automáticos – aqueles que fazemos sem precisar pensar – estampem um belo sorriso em seu rosto. A neurociência explica: um trabalho recente mostrou que o sorriso genuíno já basta para ativar o córtex da insula, região do cérebro que nos dá sensações subjetivas como a do bemestar." Indique a opção em que estão presentes os antecedentes dos pronomes relativos do trecho acima. A) regiões - aqueles - trabalho - cérebro. B) regiões - aqueles – região C) cérebro - movimentos - trabalho D) cérebro - movimento - trabalho – região

8 - Assinale a opção em que as modificações na frase abaixo obedecem às normas da língua culta.

que as regiões do cérebro

"Faça algo bem-feito, receba um agrado ou um carinho ou ache graça em uma piada, e seu sistema de recompensa se encarrega de fazer com que as regiões do cérebro..." A) Faze algo bem feito, recebe um agrado ou um carinho ou aches graça em uma piada, e teu sistema de recompensa te encarrega de fazer com

que as regiões do cérebro

B) Faz algo bem-feito, recebes um agrado ou um carinho ou aches graça em uma piada, e seu sistema de recompensa se encarrega de fazer com

que as regiões do cérebro

C) Faze algo bem-feito, recebe um agrado ou um carinho ou acha graça em uma piada, e teu sistema de recompensa se encarrega de fazer com

que as regiões do cérebro

D) Faze algo bem-feito, recebas um agrado ou um carinho ou achas graça em uma piada e seu sistema de recompensa se encarrega de fazer com

9 - A locução grifada no trecho abaixo expressa idéia de:

"Uma vez que seu cérebro repete por dentro o sorriso que ele vê por fora, o bem-estar do outro é contagiante." A) concessão. B) tempo. C) causa. D) fim.

Fundação Professor Carlos Augusto Bittencourt – FUNCAB (021) 2621-0966 w.funcab.org

CELETISTAFISIOTERAPEUTA - PSF Prova Capa Amarela

10 - O plural de "corre-corre” (texto 1) e "bemestar" (texto 2) está correto na alternativa: A) corres-corres - bens-estares B) corres-corre - bem-estares C) corre-corres - bem-estares

D) corre-corres - bens-estares

1 - O Programa de Saúde da Família e Comunidade (PSF) determina que sejam: A) promovidas assistências primária e terciária em saúde.

B) priorizadas as ações de promoção, proteção e recuperação da saúde das famílias.

C) realizadas ações fragmentadas e comunitárias de saúde. D) reorganizados os serviços federais de saúde.

12 - O SUS tem como princípio a participação da comunidade. Sobre a participação popular no SUS, é incorreto afirmar que: A) os Conselhos de Saúde são compostos por representantes do governo, prestadores de serviço, profissionais de saúde e usuários..

B) os Conselhos de Saúde têm caráter permanente e deliberativo.

(Parte 1 de 3)

Comentários