Otimização do espaço hospitalar com a melhoria do sistema de distribuição de medicamentos através de um modelo móvel de dispensação

Otimização do espaço hospitalar com a melhoria do sistema de distribuição de...

(Parte 1 de 8)

Universidade Gama Filho – RJ Universidade UNIMED – BH

Camilla Pinto Grenfell

Belo Horizonte – MG 2005

Camilla Pinto Grenfell

Monografia apresentada, como pré-requisito de conclusão do curso de pós-graduação em Administração Hospitalar à

Universidade Unimed – BH em parceria com a Universidade Gama Filho – RJ.

Orientadora: Virgínia Caetano de Melo Castro

Belo Horizonte – MG 2005

alegria e amizade; e às minhas amigas, Elisa e Fá, pela carinhosa torcida

Ao meu pai, pelo incentivo na realização deste curso e por me ensinar que é infindável a busca pelo saber; à minha mãe, pelo amor, dedicação e companheirismo nesta etapa. A Rafa, minha farmacêutica preferida, este trabalho é para você. Ao Silvinho, exemplo de I

Ao Administrador Hospitalar Silvio Denis Grenfell pelas idéias inovadoras e pensamento no futuro. Ao Arquiteto Jarbas Karman, pelo incentivo e valiosa contribuição para este trabalho. Aos Hospitais A e B, por viabilizarem a pesquisa de campo.

Às Farmacêuticas responsáveis pelas Farmácias dos Hospitais pesquisados, respectivamente, Carla Bonanato de Avelar e Vera Lúcia Silva Reis.

Ao Professor Victor Grabois e aos colegas e profissionais, Conceição de Maria Coelho

Verdini, Américo Calzavara Neto, José Flávio Ribeiro de Andrade e Miguel Sandrone de

Abreu pelas entrevistas realizadas. À Tia Beth pela ajuda na finalização do trabalho.

À amiga Lila, pela vitória conquistada com dedicação, companheirismo e alegria.

Á Professora e Arquiteta Virgínia Caetano de Melo Castro pelas orientações objetivas e pelo carinho e atenção no desenvolvimento do trabalho.

A área Hospitalar vem sofrendo constantes mudanças organizacionais devido à introdução de novas tecnologias que incentivam a melhoria do gerenciamento, o controle de custos e a otimização espacial das Instituições Hospitalares.

Este trabalho tem como objetivo analisar os sistemas de distribuição de medicamentos da Farmácia Hospitalar para que seja possível propor um modelo de dispensação mais flexível que visa à otimização espacial.

A revisão bibliográfica aborda as definições de espaço e de espaço hospitalar, as características das unidades funcionais com ênfase na Farmácia Hospitalar, finalizando com os sistemas de distribuição de medicamentos e os carros de dispensação.

O método de pesquisa escolhido é o estudo comparativo que possibilita a busca das vantagens e desvantagens dos sistemas utilizados em dois Hospitais Gerais da cidade de Belo Horizonte e a obtenção de informações e opiniões dos profissionais farmacêuticos sobre o melhor funcionamento das Farmácias Hospitalares.

Através do estudo da revisão bibliográfica, da análise dos Hospitais escolhidos e das entrevistas feitas junto a profissionais da área de saúde, verifica-se que a logística farmacêutica diferenciada e o modelo móvel de dispensação de medicamentos constituem ferramentas gerenciais úteis ao farmacêutico que coordena uma Farmácia Hospitalar, por possibilitar a construção de soluções e sua implantação dentro da realidade local, privilegiando a organização de idéias, o fornecimento de subsídios para tomada de decisões, a aplicação de novas tecnologias, a participação dos profissionais e o pensamento criativo, essenciais ao planejamento de ações que possibilita a melhoria do gerenciamento da Instituição e da qualidade dos serviços prestados aos pacientes.

PALAVRAS-CHAVES Otimização espacial, Farmácia Hospitalar e sistema móvel de distribuição de medicamentos.

The Hospital area has been suffering constant organized alterations due to introduction of new technologies that stimulate the improvement of management, the control of expenses and the spatial optimization of hospitals establishment.

This woks aims the analyses of the systems of distribution of medicines on hospital pharmacy that can be possible a more flexible model of dispensation focusing a spatial optimization.

The bibliography revision broaches the definitions of area and hospital area, the characteristics of functional unities emphasizing hospital pharmacy, ending with the system of medicines distribution and distribution cars.

The method of research chosen is the comparative study that allows the search of advantages and disadvantages of the systems utilized in two general hospitals in the city of Belo Horizonte and the acquisition of informations and opinions of professionals chemists about the best functioning of hospitals pharmacies.

Through the bibliographic revision study, the analyses of the chosen hospitals and the interviews with the health area professionals, one can verify that the distinguished pharmaceutic logistic and the movable model of distribution medicines establish management tools useful to the chemist that coordinates a hospital pharmacy, to allow the construction of solutions and its implantation within the local, reality, favouring the organization of ideas, supplying subsidies to make decisions, application of new technologies, the professionals participation and the creative thought, essential to projection of actions that enables the improvement of the institution management and the qualify of services given to the patients.

KEY WORDS Spatial optimization, hospital pharmacy and movable model of medicines distribution.

El área hospitalario, en los últimos tiempos, ha sufrido frecuentes cambios en su organización a consecuencia de la introducción de nuevas tecnologías que impulsionan la mejoría de la administración, el control de los gastos y la optimización espacial de las Instituciones Hospitalarias.

Este trabajo tiene como objetivo analisar los sistemas de distribución de medicinas de la

Farmacia Hospitalaria para que sea posible proponer un modelo dispensador más flexible que pretende a la optimización espacial.

La revisión bibliográfica aborda las definiciones de espacio y del espacio hospitalario, las características de las unidades funcionales con énfasis en la Farmacia Hospitalaria, finalizando con los sistemas de distribución de medicinas y de los coches dispensadores.

El método de investigación elegido es el estudio comparativo que posibilita la búsqueda de las ventajas y desventajas de los sistemas utilizados en dos Hospitales Generales de la ciudad de Belo Horizonte y la obtención de informaciones y opiniones de los profesionales farmacéuticos sobre lo mejor funcionamiento de las Farmacias Hospitalarias.

A través de la revisión bibliográfica, del análisis de los Hospitales escogidos y de las entrevistas hechas a profesionales del área de la salud, se verifica que la logística farmacéutica diferencial y el modelo móvil dispensador de medicinas constituyen herramientas de gerencia, útiles al farmacéutico que coordina una Farmacia Hospitalaria, por posibilitar la construcción de soluciones y su implantación dentro de la realidad local, privilegiando la organización de ideas, el suministro de subsidios para toma de decisiones, la aplicación de nuevas tecnologías, la participación de los profesionales y el pensamiento creativo, esencial a la planificación de acciones que posibiliten la mejoría administrativa de la Institución y de la calidad de los sevicios a los pacientes.

PALABRAS CLAVES Optimización espacial, Farmacia Hospitalaria y el sistema móvil de distribución de medicinas.

RESUMOIV
ABSTRACTV
RESUMENVI
LISTA DE FIGURASX
LISTA DE TABELASXI
LISTA DE QUADROSXII
LISTA DE SIGLASXIII
1 INTRODUÇÃO14
1.1 Descrição do problema15
1.2 Justificativa da pesquisa16
1.3 Objetivos16
1.3.1 Objetivo geral17
1.3.2 Objetivos específicos17
1.4 Metodologia18
1.5 Resultados esperados18
1.6 Estrutura do trabalho19
2 SUPORTE TEÓRICO20
2.1 Espaço21
2.1.1 Definições de Espaço21
2.2 Espaço Hospitalar2
2.2.1 Definições de Espaço Hospitalar2
2.3 Unidades Funcionais2
2.3.1 Definições de Unidade Funcionais2
2.4 Farmácia Hospitalar25
2.4.1 Definições de Farmácia Hospitalar25
2.5 Farmacotécnica e Farmácia28
2.5.2 Definições de Farmácia30
2.6 Carros de Dispensação36
2.7 Infecção Hospitalar37
3 SUPORTE PRÁTICO39
3.1 Seleção das Instituições para efeito de diagnóstico39
3.2 Metodologia do levantamento de dados40
3.3 Apresentação dos locais pesquisados41
3.3.1 Hospital A41
3.3.1.1 Farmácia Hospitalar do Hospital A45
3.3.2 Hospital B47
3.3.2.1 Farmácia Hospitalar do Hospital B51
3.3.3 Resultados obtidos através do Levantamento de Dados52
4 MODELO: CARROS – MEDICAMENTOS54
4.1 Sistema de Distribuição de Medicamentos54
4.2 Modelo de Distribuição de Medicamentos através de Carros – Medicamentos5
4.3 Requisitos para o Funcionamento do Sistema de Carros – Medicamentos59
4.4 Benefícios e Dificuldades59
5 CONSIDERAÇÕES FINAIS61
5.1 Conclusão61
5.2 Recomendações63
REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS64
ANEXOS71
ANEXO A – Carta de Solicitação de Visita e Entrevista71
ANEXO B – Questionário de Monografia sobre Farmácia Hospitalar72
ANEXO C – Padronização dos carros de emergência74

2.5.1 Definições de Farmacotécnica.................................................................................. 28 VIII

ANEXO E – Avaliação dos carros de emergência85
ANEXO G – Imagens dos carros - medicamentos98

ANEXO D – Composição do carro de emergência fornecido pelo Hospital B.................79 ANEXO F – Kits padronizados para cirurgias e anestesias fornecidos pelo Hospital B...86 IX

Figura 1: Organograma da estrutura do suporte teórico20
Figura 2: Diagrama das unidades funcionais das Instituições Hospitalares23
Figura 3: Organograma da farmácia hospitalar27
Figura 4: Organograma da farmacotécnica29
medicamentos58

LISTA DE FIGURAS Figura 5: Sistema integrado de distribuição de medicamentos através de carros – X

Tabela 1: Atividades do Hospital A e o número de leitos de cada atividade43
Tabela 2: Atividades do Hospital B e o número de leitos de cada atividade49
Quadro 1: Vantagens e desvantagens dos Sistemas de distribuição de medicamentos34

ADT – Atendimento Domiciliar Terapêutico CAF – Central de Abastecimento Farmacêutico CME – Central de Material Esterilizado CNEN - Comissão Nacional de Energia Nuclear CPN – Centro de Parto Normal CTI – Centro de Tratamento Intensivo DML – Depósito de Material de Limpeza EUA – Estados Unidos da América RAM – Rádio Moldagem RDC – Resolução de Diretoria Colegiada SAC – Serviço de Atendimento ao Cliente SAME – Serviço de Arquivamento Médico SAS – Serviço de Assistência à Saúde SDMDU – Sistema de Dispensação de Medicamentos em Dose Unitária SND – Serviço de Nutrição e Dietética SPP – Serviço de Prontuário do Paciente SUS – Sistema Único de Saúde UCO – Unidade de Tratamento Cardiovascular UTI – Unidade de Tratamento Intensivo UTQ – Unidade de Tratamento de Queimados

1 INTRODUÇÃO

Nos últimos tempos pode-se observar uma série de mudanças na área da saúde, que permitem visualizar novos cenários dentro dos Hospitais. Observa-se uma necessidade de reformular o conceito existente de gestão Hospitalar para que a unidade esteja apta a receber as novas mudanças.

Qualquer processo de transformação, em qualquer área do conhecimento humano, envolve a apresentação de propostas e relaciona novas maneiras de executar, com maior eficiência e eficácia, as atividades analisadas.

A reorganização administrativa de uma instituição pode apresentar numa visão micro, uma série de propostas para diversas áreas administrativas, propostas estas visando tão somente otimizar determinados fluxos e procedimentos e/ou criar novas rotinas.

Para que haja mudança é necessário comprometimento e conscientização das lideranças das organizações de que o homem é o principal agente de transformação.

Partindo-se do princípio de que todas as organizações, bem como seus ambientes, estão continuamente em mudança, podendo elas próprias redefinir, mudar e influenciar seu ambiente em causa própria, o processo de mudança é como se fosse um processo de aprendizagem, em que a organização está ininterruptamente reavaliando seus processos para detectar os pontos de acertos e os pontos em que foram cometidos desvios (Pereira, 2000).

A redução do espaço físico é uma das principais mudanças abordadas neste trabalho de pesquisa, conceito este que é bastante citado na idéia de Hospital do Futuro, havendo uma maior flexibilidade e adaptação dos espaços às necessidades.

A aplicação dos novos conceitos requer um novo desenho do edifício hospitalar, colocando como condição prévia de projeto a discussão do modelo gerencial da futura instituição de saúde.

O Modelo Gerencial pode ser definido como o conjunto de documentos que caracterizam o gerenciamento dos recursos físicos, materiais, humanos e financeiros de uma instituição, considerando sua identidade, seus aspectos jurídicos e sua localização dentro do Sistema de Saúde (Gomez, 2003).

Com isso, observa-se a necessidade de adoção de uma logística diferenciada para que haja uma otimização dos espaços existentes com um maior controle de custos.

O que se pretende neste trabalho é apresentar um sistema de distribuição de medicamentos móvel e flexível visando à otimização dos espaços dentro dos hospitais, além de melhorias no gerenciamento da Farmácia Hospitalar.

(Parte 1 de 8)

Comentários