Assentamento em fachadas

Assentamento em fachadas

Introdução

A Fachada é a primeira impressão visual de uma construção arquitetônica. Ela é o cartão de visitas da edificação. Quando essa fachada é revestida com placas cerâmicas, uma boa aplicação revela a qualidade, cuidado e capricho da mão-de-obra. Por isso os profissionais devem estar atentos à importância de utilizar uma técnica apropriada para a fixação das peças cerâmicas de forma a garantir a sua durabilidade, estética e segurança.

Aqui os profissionais assentadores e especificadores irão encontrar informações simples e práticas para obter o melhor resultado técnico e estético quando o assunto for aplicação de revestimentos esmaltados ou Porcellanato Eliane em Fachadas.

O projeto

A especificação do revestimento cerâmico para uma fachada deve ocorrer no projeto arquitetônico da edificação. Ela deve ser feita levando-se em conta dados como as características estruturais do edifício e o ambiente onde está situado. O posicionamento das juntas de assentamento e de dilatação e todas as necessidades de planejamento e orientações técnicas para a execução da obra devem ser feitos também neste momento.

A escolha do revestimento

Os revestimentos cerâmicos destinados para uso em fachadas devem ser apropriados a esta finalidade. Utilize apenas produtos declarados especificamente para uso em fachadas. Os produtos para fachada devem ter:

  • Baixa expansão por umidade;

  • Não desbotar com a ação da luz do sol;

  • Ter superfície de fácil limpeza.

A escolha da argamassa colante e do rejuntamento

A argamassa

Recomendamos observar as recomendações da norma NBR 13755 - Revestimento de paredes externas e fachadas com placas cerâmicas e com utilização de argamassa colante – Procedimento.

O assentamento das cerâmicas Eliane em fachadas exige o uso de Argamassa Colante da Eliane Argamassas.

A argamassa colante Ligamax Fachada Eliane é o produto ideal para a aplicação dos revestimentos esmaltados de fachada Eliane até um formato máximo de 20 x 20 cm e com absorção de água de 3 a 6% (grupo BIa) e de 6 a 10% (grupo BIIb). Pode ser usada para fixar os revestimento cerâmicos em placas de cimento, tijolos sobre superfícies de concreto, alvenaria, painéis de gesso e emboço. Trata-se de um produto especialmente formulado para uso em fachadas.

Se o revestimento escolhido for o porcellanato ou revestimentos de formato maior do que 20 x 20 cm, a argamassa indicada é a Ligamax Carga Mineral + Adimax Super ou Premium.

Todas as argamassas Eliane atendem e excedem as especificações técnicas da norma ABNT – NBR 14081 e ANSI A 118.4.

O rejuntamento

A Eliane recomenda o uso da argamassa de rejuntamento Juntaplus Larga + Adimax Aditivo para Rejuntamento.

Preparando a base para receber o revestimento

A base mais comum para receber os revestimentos cerâmicos é constituída pela alvenaria, vigas e pilares da estrutura da edificação. Na maioria das vezes essas estruturas são cobertas primeiramente por uma camada de emboço ou reboco que torna a superfície homogênea.

Com o passar do tempo essas fachadas sofrem diversas agressões pois estão expostas ao sol, à chuva, à umidade, aos choques térmicos e pressões mecânicas, fatores que devem ser considerados antes da aplicação da cerâmica.

Com base nisso o projeto arquitetônico deve prever juntas de assentamento e de dilatação (página 04), fundamentais para evitar as deformações. Pode-se usar as aberturas, mudanças de pavimentos e projeções de sacadas para colocar as juntas de dilatação e alinhar melhor as juntas de assentamento.

Construções antigas

Remova totalmente o revestimento da parede até atingir a alvenaria ou a própria estrutura de concreto armado.

O passo seguinte é fazer uma boa limpeza em toda a área, com máquina lava-jato, removendo completamente a poeira e os eventuais resíduos do revestimento antigo.

Recomendamos que seja realizado um teste de arrancamento do emboço de forma a comprovar a sua integridade.

Depois que o local estiver preparado siga os mesmos passos para o assentamento da cerâmica em uma edificação nova. (Passo seguinte)

Construções novas

  • Se a alvenaria for de tijolos de cerâmica, estes deverão ser de boa qualidade.

  • Os blocos de concreto devem ter baixa absorção de água e ser curados adequadamente, assentados no prumo e com argamassa resistente.

  • A parede deve estar limpa e ter superfície regular.

  • Antes de aplicar o reboco é comum chapiscar a superfície dos blocos com argamassa apropriada. Esse chapisco aumenta a área de contato do reboco e garante aderência.

  • Prepare a argamassa de chapisco com uma parte de cimento para duas de areia lavada grossa.

  • Para qualquer tipo de base, umedeça-a com o auxílio de uma trincha.

  • Para evitar fissuras nas junções de alvenaria com estruturas de concreto coloque uma tela de aço galvanizado fio 24 BWG, malha ½ polegada ou similar, com transpasse mínimo de 15 centímetros em cada lado.

  • Caso seja necessário, poderá ser realizado um teste de arrancamento do emboço a fim de comprovar sua resistência.

Rebocando

24 horas depois de fazer o chapisco inicie o reboco ou emboço usando 1 parte de cimento para 5 de areia média de rio e 0,5 ou ½ de cal de boa qualidade ou um plastificante na proporção recomendada pelo fabricante. Também pode-se fazer uso de argamassa pré-fabricada específica para este fim. Siga rigorosamente as instruções do fabricante.

Material - a areia média é ideal porque o reboco fica com uma superfície rugosa, com boa aderência da argamassa colante na hora da fixação final das peças cerâmicas. Não esqueça que a areia deve estar livre de sais e outras impurezas.

Espessura - a espessura do reboco deve ser de, no máximo, 20 milímetros. Quando for necessário uma espessura maior faça duas ou mais camadas de 10 a 15 milímetros. Observe o tempo de cura de 7 dias entre as aplicações.

Cura – são necessários no mínimo 15 dias para a cura total do reboco ou emboço e só após passado esse tempo é que deve ser iniciado o assentamento. No caso de estruturas de concreto a aplicação só pode ser feita 6 meses depois de sua cura.

Durante o chapisco, reboco e assentamento da cerâmica, as superfícies não devem estar sob ação direta do sol.

Locais como floreiras devem ser previamente impermeabilizados com Membrana Impermeabilizante fabricada pela Eliane Argamassas. Infiltrações de água podem trazer problemas como eflorescência, mofo e deterioração do reboco ou emboço.

Conferindo as condições da base

A base deve estar:

  1. Alinhada e sem ondulações.

  1. Sem partículas soltas, poeira, fungos ou fissuras.

  1. Homogênea, com rugosidade e resistência mecânica apropriada (se necessário, execute um teste de arrancamento).

  1. Com boa absorção de água, mas sem exageros.

  1. Sem eflorescências e infiltrações de água. Se houver, a base terá que ser refeita.

Juntas

As cerâmicas se diferenciam de outros tipos de acabamentos porque compõem mosaicos ao gosto do projetista. As juntas fazem parte da qualidade das aplicações e ajudam na beleza do revestimento.

Além da questão estética as juntas desempenham importante papel pois conferem flexibilidade para a superfície na acomodação das peças.

As juntas de dilatação

As fachadas de revestimento cerâmico contínuo exigem que sejam bem caracterizadas as juntas de dilatação, executadas na horizontal e na vertical.

Como fazer:

  • As juntas de dilatação devem ser executadas na horizontal e na vertical, respeitando-se o limite de 12 m² de extensão máxima do pano de revestimento ou a cada 4 m lineares na horizontal e 3 m lineares na vertical. Isso torna sua existência mais um elemento decorativo, sendo um recurso extra a ser usado pela arquitetura. Planeje a localização das juntas de dilatação de forma a coincidir com juntas de assentamento e assim evitar recortes nos revestimentos.

  • As juntas devem ser previstas em projeto, pois elas podem se aproveitar de mudanças de elementos arquitetônicos e marcar, por exemplo, níveis inferiores de sacadas, alinhamento superior de janelas, destaques de marcações externas, desenhos diferenciados ou qualquer outra opção do arquiteto. Recomenda-se executar juntas nas mudanças de direção do plano do revestimento, no encontro da área revestida com pisos, forros, colunas, vigas ou com outros tipos de revestimentos, bem como onde houver mudança dos materiais que compõem a estrutura-suporte de concreto para alvenaria.

  • Largura mínima: 10 mm.

  • Profundidade: depende da espessura do reboco ou emboço. O ideal é que ela alcance a face da alvenaria ou do elemento estrutural de concreto.

  • Preenchimento: deve ser feito com mástiques elásticos à base de poliuretano que também podem ser obtidos em diversas cores. Sua aplicação deve seguir as orientações do fabricante.

É importante observar que a junta de dilatação inclui o revestimento cerâmico, a argamassa de assentamento e o reboco ou emboço, atingindo a superfície da alvenaria ou do concreto.

As juntas de assentamento

As juntas de assentamento impedem o desenvolvimento de tensões entre as peças cerâmicas. A ausência delas ou mesmo o pouco espaçamento pode causar quebras e até mesmo o desprendimento do revestimento. A largura mínima da junta de assentamento para fachadas é de 5 mm. Consulte a embalagem do revestimento e observe a largura de junta ideal para o produto adquirido.

Roteiro para um perfeito assentamento

Planejando o trabalho

Antes de iniciar o trabalho de assentamento é importante seguir alguns passos que certamente irão facilitar e agilizar a sua tarefa:

  1. Faça uma inspeção visual de todas as peças cerâmicas a serem colocadas, confirmando sua referência de fábrica, a tonalidade e o tamanho. No caso do projeto de paginação prever o uso de diversas cores certifique-se de que o tamanho de todas as peças é o mesmo.

  1. Verifique no projeto onde são previstas juntas de dilatação, marcando suas posições.

  1. Defina a melhor estratégia de colocação, determinando o número e a disposição das peças a serem fixadas a cada etapa de trabalho.

  1. Cuide do alinhamento, esticando fios guias verticais, que deverão se estender por toda a altura da fachada.

  1. Inicie a colocação pela parte superior do edifício.

Preparando a argamassa colante

Leia atentamente as instruções de preparo na embalagem da argamassa. A argamassa colante preparada deve ser protegida do sol, da chuva e do vento. Durante o uso mexa ocasionalmente para manter a mistura trabalhável.

É sempre bom lembrar que as argamassas têm um tempo ideal de utilização (tempo aberto). Depois disso elas perdem sua capacidade de colagem e até mesmo sua resistência mecânica. Por isso devem ser preparadas na quantidade suficiente para atender a cada frente de trabalho.

Misture a argamassa em um recipiente limpo, observando sempre a quantidade de água indicada. Eventualmente esta quantidade pode variar de acordo com as condições climáticas do local. Certifique-se de estar usando a argamassa colante indicada para a sua aplicação. Despeje a quantidade de água indicada no recipiente. Em seguida adicione o pó, mexendo sempre até obter uma consistência firme e sem grumos. Deixe a argamassa repousar durante 5 a 10 minutos. Volte a mexer sem adicionar mais pó ou líquido. Durante o uso mexa ocasionalmente para manter a mistura trabalhável. Argamassas com tempo vencido não devem serreutilizadas.

Siga rigorosamente as instruções da embalagem de argamassa colante.

A aplicação das peças

  1. Umedeça superficialmente a parede. Não execute o assentamento se o emboço estiver saturado de água, logo após a ocorrência de chuvas.

  1. Delimite uma área de trabalho que permita o assentamento da cerâmica em poucos minutos.

  1. Aplique a argamassa colante na parede com o lado dentado da desempenadeira formando cordões.

  1. Use desempenadeira nova ou semi-nova, com dentes intactos de 8 mm de altura. O uso de desempenadeiras gastas pode comprometer todo o processo de colagem e se transformar em fonte de desperdícios.

  1. O porcellanato deve ser sempre assentado por dupla colagem, ou seja, a argamassa colante deverá ser aplicada no emboço e também no verso das peças a fim de garantir uma melhor aderência.

  1. Posicione a peça cerâmica e pressione com a mão, batendo em seguida com martelo de borracha. No caso de assentamento de porcellanato brilhante de cor clara utilize martelo de borracha clara ou envolva o martelo de borracha em um pano a fim de evitar manchas.

  1. Para controlar o distanciamento entre as peças é indicado o uso de espaçadores feitos com materiais de boa durabilidade e que conservem suas dimensões originais apesar da grande manipulação nas obras. Os espaçadores na forma T ou + auxiliam o encaixe e dão maior velocidade à aplicação.

  1. Observe as juntas de assentamento e o posicionamento das eventuais juntas de dilatação do revestimento.

  1. De vez em quando verifique se a argamassa preenche todo o verso das peças.

  1. Verifique o Tempo Aberto da argamassa: um teste comum para ver se a argamassa perdeu suas melhores condições é dar um leve toque em sua superfície. Caso os dedos não sujem, ela deverá ser descartada.

  1. No verão ou em locais com temperatura alta é recomendável trabalhar em equipes de duas pessoas, uma preparando a argamassa e espalhando no verso das peças e outra espalhando argamassa na parede e assentando as peças. O sistema de assentamento por dupla colagem (argamassa na parede e argamassa no verso das peças) é obrigatório quando o revestimento for porcellanato ou peças de tamanho superior a 20 x 20 cm.

  1. É aconselhável que, durante o processo de assentamento, o colocador mantenha a superfície cerâmica e as juntas livres de argamassa. Se, por um descuido, a cerâmica sujar, deve-se limpar imediatamente, enquanto a argamassa ainda estiver úmida, de modo a evitar manchas.

Os cortes e recortes

Todo bom colocador de peças cerâmicas sabe que existem peças-chave para uma boa aplicação, como as ferramentas de cortes e recortes. Para evitar surpresas desagradáveis e retrabalhos, a coordenação dos serviços deve instrumentar as frentes de trabalho com ferramentas de corte e furação rápida. O investimento vale a pena e é pequeno se comparado aos defeitos causados em peças “mastigadas” por torquês. Evite também utilizar serra elétrica para recortes do porcellanato.

O rejuntamento

Limpe todas as juntas e a superfície das peças assentadas enquanto a argamassa ainda estiver fresca. Retire os espaçadores e faça o rejuntamento, no mínimo, 24 horas após o término do assentamento.

  1. Prepare a argamassa de rejuntamento conforme as instruções da embalagem.

  1. Após a aplicação do rejunte, a limpeza do painel deve ser feita quando o material já tenha perdido sua plasticidade mas ainda não endureceu. O momento certo é quando a junta fica opaca. A limpeza prematura pode provocar a remoção parcial do rejunte e uma limpeza tardia obrigará a uma ação agressiva, podendo causar a deterioração irreversível da superfície cerâmica.

  1. A cura perfeita do rejunte se dá após 3 dias, período em que se recomenda mantê-lo sempre úmido.

  1. A retirada do excesso de argamassa de rejuntamento é feita com uma esponja úmida (não encharcada). Em seguida passa-se um pano limpo e seco.

A manutenção

A grande vantagem do revestimento cerâmico em relação às outras alternativas de revestimentos para fachadas é a facilidade com que as superfícies revestidas se mantêm limpas.

A simples ação natural das chuvas é capaz de remover os resíduos da poluição ambiental, como poeira e fuligem.

A superfície impermeável da cerâmica evita a contaminação por vapores, substâncias tóxicas ou qualquer outro fluído, sem afetar a estabilidade de cores e tonalidades.

No caso de poluição intensa e ausência prolongada de chuvas recomenda-se uma lavagem com água e detergente de uso doméstico, cuidando para que a eventual utilização de jateamento de água sob pressão não afete os rejuntes.

7

Comentários