Regulamentação - Design

Regulamentação - Design

(Parte 2 de 2)

Adaptação do texto de FreddyVanCamp–Designer, professor da ESDI/UERJ –A quem interessa a regulamentação

2 –USUÁRIO CONSUMIDOR.

Tudo o que produzimos e que tem contato com o público necessita de um responsável. Conseqüência disto é que sem um registro profissional não é possível ao designer emitir uma ART, a Anotação de Responsabilidade Técnica, documento necessário pela nossa legislação, por exemplo, para que determinados produtos sejam aceitos em licitações ou em compras públicas onde haja risco para os seus usuários finais.

Adaptação do texto de FreddyVanCamp–Designer, professor da ESDI/UERJ –A quem interessa a regulamentação

3 – E MPRESÁRIOS/CLIENTES .

A regulamentação interessa aos empresários, o cliente, pois o design é uma atividade de alto risco e com algum tipo de fiscalização ele pode se garantir de estar recebendo o melhor de um profissional .

Design está entre as áreas que têm especificidades técnicas que precisavam ser avaliadores por especialistas na área, semelhante a carreiras como a dos arquitetos ou dos engenheiros

Adaptação do texto de FreddyVanCamp–Designer, professor da ESDI/UERJ –A quem interessa a regulamentação

4 –AOS PROFISSIONAIS DE OUTRAS ÁREAS. Aos analistas de sistema, publicitários, arquitetos, engenheiros, artistas plásticos e outros que integram equipes multidisciplinares com os designers e precisam entender, de maneira objetiva, as reais funções, métodos, qualificações e produtos gerados pelo designer.

Texto de Felipe Lopes

5 –AOS DESIGNERS. O profissional que por quatro ou cinco anos adquire uma formação e treinamento que lhe dá competência e o intitula a exercer esta especialidade em qualquer tipo de empresa, especialmente nas que tem planos de cargos e salários estruturados.

Adaptação do texto de FreddyVanCamp–Designer, professor da ESDI/UERJ –A quem interessa a regulamentação

Manter o ciclo de palestras de conscientização nas instituições de ensino superior de design;

Promover o encontro nacional de profissionais de designers, através das associações;

Propor novas abordagens na redação de um novo Projeto de Lei para ser encaminhado em 2007 por um(a) deputado(a) da nova legislatura.

Adaptação do texto de FreddyVanCamp–Designer, professor da ESDI/UERJ –A quem interessa a regulamentação

Ser crítico em relação aos textos e artigos, FAVORÁVEIS E DESFAVORÁVEIS já que grande parte deles estão ligados à questões individuais e não em questões relevantes para a coletividade.

Associar-se às Associações profissionais de Design.

“A profissão do Desenhista Industrial se caracteriza pelo desempenho de atividades especializadas, de caráter técnico científico e criativo para a elaboração de projetos de sistemas e/ou produtos e mensagens visuais passíveis de seriação e/ou industrialização que estabeleça uma relação de contato direto com o ser humano, tanto no aspecto de uso, quanto no aspecto de percepção, de modo a atender necessidades materiais e de informação visual”.

Acompanhar o projeto de lei e promover a divulgação de debates em busca do discurso unificado dentro da classe profissional.

Regulamentar é criar mecanismo para garantir que o exercício da profissão resulte em benefícios para a coletividade.

É proporcionar:

Aos designers, condições dignas para atuação; Aos clientes e usuários, projetos de qualidade e compromisso;

Ao poder público, a consolidação de uma atividade que é de grande importância para o desenvolvimento sócio-econômico;

Aos outros profissionais, a clareza e segurança quanto aos limites de atuação do designer.

w.adegraf.org.br

Designer, Professor da UniBrasília,Unip Esepcialistaem Ergonomia (PUC-Rio), Mestrando em Ciência da Informação UnB, Comissão de Regulamentação ADEGRAF w w w.felip elopes.com.br - contato@felip elopes.com.br

(Parte 2 de 2)

Comentários