Organização Industrial USP - Notas de Aula - Cap 06PLANEJAMENTO, PROGRAMAÃ?Ã?O E CONTROLE DA PRODUÃ?Ã?O

Organização Industrial USP - Notas de Aula - Cap 06PLANEJAMENTO, PROGRAMAÃ?Ã?O E...

6- PLANEJAMENTO, PROGRAMAÇÃO E CONTROLE DA PRODUÇÃO.

Planejamento, Programação e Controle da Produção (PPCP) é uma função técnica e administrativa que tem por objetivo fazer os planos que orientarão a produção e servirão de guia para seu controle. É um conjunto de funções interrelacionadas que objetivam comandar o processo produtivo e coordená-lo com os demais setores da empresa. O PPCP objetiva formular os planos para organizar a aplicação dos recursos humanos e materiais de modo a controlar as ações para correções de eventuais desvios e minimizar perdas. O PPCP, ou PCP como é mais comumente referenciado, é o departamento da empresa que determina:

- o que vai ser produzido - quanto vai ser produzido

- onde vai ser produzido

- como vai ser produzido

- quando vai ser produzir

O PPCP recebe outras denominações que em conceito muito pouca coisa muda, tais como:

PCP – Planejamento e Controle da Produção SIG – Sistema Integrado de Gestão PPS – Sistema de Planejamento de Produção TPS – Sistema Total de Produção (Total Production System), dentre outros.

6. 1- Atividades relacionadas ao PPCP

- Previsões de demanda baseadas em estatísticas com simplicidade e habilidade de rápidos ajustes frente a mudanças no mercado.

- Planejamento de aplicação de recursos de médio e longo prazo, dimensionando as previsões futuras necessárias. - Planejamento agregado de produção que consiste na divisão dos recursos por família de itens.

- Planejamento mestre da produção, também conhecido como Plano Mestre, que estabelece quando e em que quantidade cada item deverá ser produzido dentro de um certo horizonte que pode variar de 4 a 12 meses.

- Planejamento das quantidades de materiais (MRP – Material Requirements Planning) que consiste nas necessidades de materiais para execução do plano de produção, dimensionando quanto, quais e quando devem ser comprados e fabricados. - Planejamento e sequenciamento da capacidade de produção definindo qual a carga de cada centro de trabalho.

- Controle da produção e matérias para aplicar correções de rumos e acertos no planejamento, quando necessários, com o objetivo de atender os compromissos da empresa. - Planejamento das paradas de máquinas e equipamentos em conjunto com a Manutenção.

6.2- As Quatro Etapas do PPCP

1ª) Planejamento - os planos são elaborados determinando-se o que deverá acontecer. Os planos devem procurar oferecer respostas às todas as questões formuladas. 2ª) Acompanhamento da execução do plano para levantamento, medição e registro de dados da execução. 3ª) Controle - determina-se: - o que foi produzido - quanto foi produzido

- onde foi produzido

- como foi produzido

- quando foi produzido

-
PLANEJA ACOMPANHA CONTROLAANALISA OS DADOS
E REALIMENTA COM INFORMAÇÕES

4ª). Análise de dados

O PPCP se baseia nas previsões de vendas para definir o tipo de produto, quando e as quantidades a fabricar. A partir daí são planejados: - onde cada operação será realizada,

- os tempos unitários e totais de produção,

- qual a seqüência e o deslocamento dos componentes na linha de produção,

- qual a periodicidade das entregas de matérias-primas e dos lotes de intermediários de produção,

- e os planos de compras, de inspeção, de manutenção, de expedição, dentre outros.

Concomitantemente, o PCP acompanha a produção, medindo e levantando dados para análise e comparações com o planejado, executando correções de rumos e catalogando informações para um banco de dados visando futuros procedimentos.

Com experiências comprovadamente bem sucedidas, são elaborados os manuais de procedimentos para diversas operações e ações, com a finalidade de simplificar planejamentos futuros.

A produção de um determinado produto seja ele em lotes, seriado ou não, obedecem a comandos chamados “ORDEM DE PRODUÇÃO” que é transmitido aos diversos setores envolvidos sob a forma de documentos, tais como:

- Requisição de materiais; - Notas de empenho;

- Listas de operações ou roteiros de produção;

- Fichas de mão de obra;

- Fichas de carga de máquinas;

- Notas de entrega de produção;

- Fichas de controle de qualidade: - Fichas de custo da ordem de produção;

- Desenhos de fabricação;

- Normas de produção;

- Especificações;

- Pedidos de Compra.

6.3- Fatores que Levam Perturbações ao PPCP

Diversos fatores de ordem interna ou externa da empresa podem provocar desvios e necessidade de correções no planejamento e controle da produção, tais como:

- falta ou atraso de material e de mão de obra, - quebra não prevista de máquinas,

- falta de energia elétrica, combustíveis, água, vapor, ar comprimido e outros suprimentos,

- atraso da manutenção na liberação de máquinas

- atraso nos tempos de fabricação devido à ineficiência do homem e/ou máquina,

- greves, feriado e outros eventos não previstos.

6.4- Localização do PPCP no organograma da empresa

- De acordo com o princípio da separação de controles, o PPCP deve estar situado no mesmo nível que a gerência da fábrica, e ambos subordinados à direção industrial. - O PPCP faz os planos de fabricação, acompanha e controla sua execução.

- A fabricação executa o plano, supervisionada pelo grupo de Qualidade e Direção.

- O PPCP subordinado à gerência de fabricação sofre interferências que podem levar ao desrespeito do plano e por vezes a sua ineficiência.

- O Planejamento também deve estar situado no mesmo nível da Gerência de Qualidade para definir o destino das não conformidades, refugos, resíduos e re-processamentos.

- Da mesma forma, o PPCP deve atuar como planejador também junto a Expedição, Custos, Compras, Manutenção e Engenharia.

- A Gerência de Custos troca com o PPCP diversas informações indispensáveis ao planejamento econômico e financeiro da empresa, tais como: custos unitários de produção e compras, investimentos em estoques, custos operacionais de equipamentos, valores de hora-homem e hora-máquina, dentre outras. Tais informações se prestam para a determinação de lotes econômicos de venda, de compra e de produção, bem como para minimização de custos , maximização de lucros e definição do pontos de equilíbrio da empresa.

- A Gestão de Estoque deve manter intimo relacionamento com o PCP ou ser a ele diretamente subordinada. As atividades da Gestão de Estoque inter-relacionadas com as atividades do PCP são: - emitir as solicitações de compra para suprir o estoque,

- atender as requisições que acompanham as ordens de produção,

- determinar os estoques mínimos e máximos para cada item do estoque,

- determinar o Ponto de Pedido para cada item,

- determinar o Lote Econômico de Compra e

- suprir e acompanhar o cálculo dos custos de fabricação.

6.5- Lote Econômico de Fabricação

um prejuízo
, onde:(24)

O Lote econômico de Fabricação (Q), ou de Produção é a quantidade mínima de produto a ser fabricado em que o custo total da fabricação se iguala ao preço total de vendas. É a quantidade que se não for atingida levará a empresa a

Q = Lote Econômico de Fabricação [unidades de produto] R = Receita de Venda, comprometida ou realizada do produto fabricado, em determinado período [$ / unidades de produto]

S = Custo Variável unitário de preparação de uma ordem de produção (OP). Os custos Fixos de OPs emitidas não são considerados.

Q = f (R , S , J, C)

(25) Obs. S tem valor aproximadamente constante, desde que não se leve em conta à inflação.

J = Taxa de Juros adotada relativa ao período, que exprime a relação entre os custos totais de ter o estoque do material (remuneração do capital investido, armazenamento, seguro, deterioração e obsolescência) e o valor do estoque.

Valor do Estoque Médio(26)

Custos Totais de ter o estoque no período J =

C = Custo Unitário de Fabricação do produto no período, onde são inclusos mão de obra direta, matéria-prima e custos indiretos de produção, exceto os custos da preparação das OPs incluídos em “S”.

O cálculo do Lote Econômico de Fabricação é muito variável e diferenciado de uma empresa para outra, mesmo que disputem um mesmo segmento de mercado. Cabe ao PPCP elaborar um modelo matemático que defina, com certa precisão, os Qs por máquina e o seu valor médio, valores esses que orientarão os planejamentos do custo de produção.

6.6- Logística Integrada.

O desenvolvimento tecnológico e a garantia de abastecimento dos mercados com qualidade e cumprimento das normas atuais, trousse ao PPCP uma função expandida que o envolve em planejamentos desde a comercialização dos produtos da empresa, até a expedição para o cliente. A Figura 24 exemplifica sob a forma de um fluxograma a Logística Integrada de um PPCP.

Figura 24- Exemplo de fluxograma da Logística Integrada do PPCP em uma indústria química.

S =

Custos Variáveis totais para preparação de OPs no período Quantidade de OPs preparadas no período

6.7- O Desperdício e o PPCP

O Planejamento deve estar atento para os 7 principais desperdícios que ocorrem durante a execução do

Planejamento. Esses desperdícios agregam custos ao processo e mascaram os dados obtidos pelo e controle. A Figura 25 mostra os 7 principais desperdícios em uma linha de produção.

Figura 25- Os principais desperdícios em uma linha de produção

1- Super Produção – Produzir mais que o necessário e produzir mais rápido que o necessário.

Causas principais: operações desequilibradas e falta de comunicação. 2- Super processamento – Cuidados e atividades em excesso.

4-Movimentação desnecessária de operadores – Qualquer movimento de pessoal que não acrescente valor ao

Causas: qualquer atividade ou serviço que não contribui para o desempenho do processo. Atividades Desnecessárias. 3- Movimentação desnecessária - Qualquer movimentação de materiais que não acrescente diretamente valor ao processo de fabricação. Causas: medição de tempos e estudo de métodos incorretos. produto, tal como caminhada, ato de segurar retendo peças, bate-papos, etc. Causas: Falta de orientação, treinamento, supervisão, tempo ocioso, etc. 5- Retrabalho – Refazer, reparar, correções.

Causas: não satisfazer as especificações do cliente, retrabalhando ou corrigindo um produto. 6- Espera -.Qualquer tempo ocioso de um homem, máquina ou material.

Causas: planejamento e medição de tempos e métodos incorretos. 7- Inventário – Acúmulo de peças, produtos semimontados no processo ou em armazenamentos e todo tipo de sobras desnecessárias. Causas: Controle ineficiente, deterioração de materiais, refugos e obsolescência de material.

Como melhorar os 7 tipos de desperdícios? Eliminá-los é quase impossível devido a diversos fatores de ordem técnica ligados às maquinas e equipamentos, a deficiência de um banco de dados para planejamento e a fatores humanos. Entretanto, um programa persistente de PMC - Processo de Melhoria Contínua, que busque incessantemente a redução dos desperdícios, através de conscientizações, treinamentos e busca de novas tecnologias.

Comentários