Introdução a sensores e automação

Introdução a sensores e automação

(Parte 1 de 9)

Automação e Controle

COMANDOS ELETROMECÂNICOS 3

Contatos elétricos 4

Classificação dos contatos elétricos: 4 Dispositivos acionadores dos contatos: 5

Automação Eletromecânica 1

Tipos de Diagrama 12 CIRCUITOS BÁSICOS 14

Sensores Industriais 17

Sensores 17 Sensores Digitais podem apresentar as seguintes saídas : 19 Tipo de Sensores Digitais 20

Lógica Digital “Emprego dos Acionadores e Sensores Digitais” 26

Lógica dos contatos elétricos 26 Funções lógicas 27 Funções lógicas básicas e derivadas 29

Automação Industrial 3

Histórico da Automação Industrial 3 Anos 60 34 Anos 70 e 80 34 Anos 90 35

Conceitos Básicos 35 Definição dos Níveis de Automação 35

Os Controladores Lógicos Programáveis ( CLP’s ) 36

Princípio de funcionamento de um CLP 37 Ciclo de Varredura 37 Linguagens de Programação dos CLPs 38

Noções Básicas sobre o Hardware 40

CLP’s não expansíveis – Linha FX1S 40 CLP’s expansíveis FX1N FX2N- FX2NC 40 Ligações Externas 42 Conexões dos Dispositivos de Saída 43

Software de Progamação GX Developer 45

Executando o GX 46 Conversão do Programa 56 Base de dados dos CLPs da Família FX 59 Conjunto de Instruções Básicas 67 Exemplos : 68

Sensores Analógicos 73

Medição de Temperatura 74 Medição de temperatura com Termopar 74

Automação e Controle

Medição de Temperatura por Termoresistência As termoresistências Pt - 100 : Medição de pressão

Dispositivos para medição de pressão 84 Medição de vazão 89 Medição de nível 96

Uso de simbologia de instrumentação e Controle 106

Nomenclatura de instrumentos em malhas de controle 106 Malhas de controle 108

Controle 1 1.0 Introdução 1 1.1 - Evolução Histórica do Controle Automático 112 2 - Conceitos e Considerações Básicas de Controle Automático 112 2.1 - Conceitos 112 2.1.1 - Como definir um sistema de controle 115 2.1.2 - Instrumentação dos sistemas de controle 117 2.2 – Tipos de Controle 118 2.2.1 - Controle Manual e Controle Automático 118 2.2.2 - Controle Auto-operado 119 2.2.3 - Controle em Malha Aberta e Malha Fechada 120 2.3 – Realimentação 121 2.4 – Diagrama de Blocos 121 2.5 – Atrasos no Processo 122 3 - Ações de Controle 124 3.1 - Modos de Acionamento 124 3.2 - Ação de Controle ON-OFF (Liga-Desliga) 125 3.3 – Ação Proporcional (Ação P) 127 3.4 – Ação Integral 132 3.5 – Ação Proporciona + Integral (Ação P+ I) 135 3.6 – Ação Derivativa (Ação D) 138 3.7 - Ação Proporcional + Integral + Derivativa ( PID ) 141

Automação e Controle

PID – Instrução de Controle Proporcional Integral e Derivativo do FX2N Conversor AD – FX2N 4AD - Setup

Conversor DA – FX2N 4DA - Setup 152 Resumindo ações de controle 153

Ações de controle 153

Ação Proporcional 154 Ação Integral 155 Ação Derivativa 155

Comandos Eletromecânicos

Automação e Controle

Ação que atua o contato

Contatos elétricos

Contato elétrico é um meio condutor móvel destinado a fechar ou abrir circuitos elétricos, permitindo ou não a circulação de corrente elétrica.

Classificação dos contatos elétricos:

Podemos classificar os contatos elétricos em três tipos, segundo suas características de fabricação:

Contato normalmente aberto (NA):

Este tipo de contato é construído de maneira que permaneça aberto durante o repouso do aparelho ao qual pertença. Quando acionado o aparelho, o contato NA é fechado permitindo a circulação de corrente elétrica pelo circuito. Também é chamado de contato fechamento, contato de trabalho ou normally open contact (NO).

Contato normalmente fechado (NF):

Este tipo de contato é construído de maneira que, quando acionado abre o circuito interrompendo a passagem da corrente elétrica. Também é chamado de contato abertura, contato de repouso ou normally closed contact (NC).

Ação que atua o contato

Automação e Controle

Contato reversível:

Este tipo de contato possui características tanto de contato NA quanto de contato NF. Pode possuir um terminal de ponto comum ou terminais independentes.

Dispositivos acionadores dos contatos:

As ações responsáveis pela atuação dos contatos elétricos são provenientes de dispositivos acionadores (também conhecidos como "dispositivos auxiliares para comando") os quais dividimos essencialmente em dois tipos: Dispositivos auxiliares para comando manual (provocado) e Dispositivos auxiliares para comando automático. Os dispositivos acionadores são construídos para muitos tipos de aplicações diferentes, possuindo por isso, formatos e modos de operação variados.

Dispositivos auxiliares para comando provocado:

(Parte 1 de 9)

Comentários