Introdução a sensores e automação

Introdução a sensores e automação

(Parte 2 de 9)

Geralmente recebem ação manual para seu acionamento, por exemplo: interruptores, comutadores e botões. Os interruptores são os aparelhos de comutação mais utilizados nas instalações elétricas interiores (para controle de iluminação). Esses aparelhos conservam a posição adquirida quando se deixa de agir sobre eles, apresentam portanto, dois estados estáveis.

Interruptor acionado com Tecla

Acionador tipo TECLA

Contato elétrico (NA)

Bornes de ligação

Ação que atua o contato

Ação que atua o contato

Terminal de ponto comum Terminais independentes

Automação e Controle

Os comutadores, assim como os interruptores, acionam contatos elétricos porém, estes dispositivos podem conter mais de um contato de tipos diferentes (NA e NF). Além disso, também podem assumir várias posições estáveis ou contar com mecanismo de retorno automático à posição original. Estes dispositivos podem ter acionadores do tipo manopla curta, manopla longa ou com chave.

Exemplo de um comutador (com manopla longa) de 3 posições:

Os botões, por sua vez, quanto ao tipo de aplicação, podem ter seus sistemas de acionamento embutidos no corpo (evitando acionamentos involuntários) ou externos (tipo pedal ou soco, proporcionando grande rapidez de manobra), os quais são utilizados, principalmente, em comandos no pé ou para desligamento das instalações em casos de emergência. Os botões podem ser classificados em dois tipos básicos:

¾ Botão de impulso (mais conhecido como botão pulsador): Possui apenas uma posição estável, isto é, quando se deixa de agir sobre ele a força de uma mola provoca seu retorno a posição original (de repouso).

¾ Botão de contato mantido (mais conhecido como botão liga/desliga) possui duas posições estáveis, ou seja, alterna os estados de seus contatos a cada acionamento realizado.

Símbolo Vista lateral

Automação e Controle

Dispositivos auxiliares para comando automático:

Estes dispositivos são órgãos de detecção de informações, em função da ação de um operador, da variação de uma grandeza física ou da posição de um móvel, como por exemplo, chaves de fim de curso. As chaves de fim de curso (ou LIMIT SWTCHES) encontram-se dentre os dispositivos "mecânicos" auxiliares para comando automático mais encontrados em máquinas e processos. Estes dispositivos possuem muitas variações de formas construtivas e de especificações, tais como:

¾ Fabricante;

¾ Tamanho;

arranjo dos contatos, tipo de terminais,);

¾ Características elétricas (faixa de tensão, faixa de corrente, resistência de isolamento,

¾ Características mecânicas (resistência a vibração, posição de trabalho, tipo de atuador,...),etc.

Atuador Cabeça

Corpo Tampa

Limit Switch

Automação e Controle

Os limit switches compõem-se basicamente de: corpo (que contém os contatos, geralmente 1NA + 1NF) e cabeça ou cabeçote (que suporta o sistema atuador). O atuador é a parte responsável pelo contato com a superfície que acionará o limit switch. Existe um atuador específico para cada tipo de superfície de contato e, normalmente, é permitida a troca do mecanismo atuador aproveitando-se o corpo. Exemplos de atuadores para limit switches:

Símbolos:

Os dispositivos de comando são representados nos diagramas elétricos através de símbolos gráficos que definem os tipos de acionadores, de contatos utilizados, assim como, o estado inicial do dispositivo. Como por exemplo:

Botão pulsador (com 1NA + 1NF)

Chave de fim de curso acionada no repouso (com 1NA + 1NF)

Chave de fim de curso desacionada no repouso (com 1NA + 1NF)

Tipo comando por roldana com atuação bidirecional com uma posição estável.

Tipo lira com atuação bidirecional e duas posições estáveis (memória do sentido do deslocamento).

Tipo haste ou vareta (rígida ou flexível) com atuação unidirecional ou bidirecional, com uma posição estável.

Tipo comando esférico com uma posição estável.

Tipo alavanca com roldana com atuação unidirecional, com uma posição estável.

Automação e Controle

acionamento de pequenas cargas

Os contatos elétricos também podem pertencer a dispositivos de comando eletromecânicos como Relés e Contatores. Vejamos, então, algumas características destes dispositivos. Os relés são interruptores com comando por eletroímã a distância. Possuem uma bobina que quando energizada, cria um campo magnético provocando o acionamento de seus contatos que podem formar a lógica de controle de um sistema ou serem utilizados para

Principais partes de um relé:

Contato Suporte móvel

Circuito magnético

Caixa

Terminal da bobina

Terminal do contato

Bobina

Mola recuperadora

Espira de Frager

Comum NF

Terminais da bobina Mola Núcleo

(Parte 2 de 9)

Comentários