AULA 2

Como já anteriormente falado, o petróleo é constituído de diversos compostos inorgânicos, íons metálicos, e compostos orgânicos, sendo que desses últimos os mais importantes comercialmente são os hidrocarbonetos.

Os hidrocarbonetos podem ocorrer no petróleo desde o metano (CH4) até compostos com mais de 60 átomos de carbono.

O estado físico de uma mistura de HC depende não só da sua composição, mas fundamentalmente das condições de P e T a que a mesma está submetida. Entende-se por composição não só quais HC estão presentes, mas em que proporções eles se apresenta na mistura.

Os compostos que não são classificados como hidrocarbonetos concentram-se nas frações mais pesadas do petróleo.

Quando a mistura de HC se apresenta no estado gasoso, recebe o nome de gás natural ou gás. Predominam os HC mais leves da série das parafinas, sendo o METANO o mais abundante e é exatamente por isso que a mistura se apresenta nesse estado físico.

Quando no estado líquido, o petróleo é chamado de óleo cru ou simplesmente óleo. Nas condições do reservatório, temos não exatamente óleo e sim uma mistura líquida de HC.

Essas formas em que uma substância pode se apresentar dá-se o nome de Estados Físicos ou Fase, que é definida pelas condições de P e T.

As acumulações de petróleo são submetidas a constantes alterações das condições de P e T em decorrência dos seus processos produtivos, que acontecem tanto para o produto que está sendo retirado do interior da jazida para a superfície com para o produto que permanece no interior da rocha.

Como se sabe, a depender da composição e das condições de P e T, uma acumulação de petróleo pode se apresentar totalmente líquida, totalmente gasosa ou ainda com uma parte líquida e uma parte gasosa em equilíbrio.

A composição elementar média do petróleo é estabelecida da seguinte forma:

Elemento Percentagem em Peso (%)

Carbono 83,9 a 86,8

Hidrogênio 1,4 a 14,0

Enxofre 0,06 a 9,0

Tipos de hidrocarbonetos encontrados no petróleo No petróleo são encontrados os seguintes tipos de hidrocarbonetos:

Alcanos ou parafinas; Naftênicos ou cicloparafinas ou ciclanos;

Aromáticos

Temos ainda as olefinas ou alcenos que não são encontradas no petróleo, porém são produzidas a partir dos hidrocarbonetos naftênicos. As olefinas são hidrocarbonetos cujas ligações entre carbonos são realizadas através de ligações duplas em cadeias abertas, podendo ser normais ou ramificadas (Fórmula química geral CnH2n). São importantíssimos na indústria petroquímica, na produção dos diversos tipos de plásticos.

Os alcanos têm fórmula química geral CnH2n+2 e são conhecidos na indústria de petróleo como parafinas. São os principais constituintes do petróleo leve, encontrando-se nas frações de menor densidade. Quanto maior o número de átomos de carbono na cadeia, maior será a temperatura de ebulição.

Os ciclanos, de fórmula geral CnH2n, contêm um ou mais anéis saturados e são conhecidos na indústria de petróleo como compostos naftênicos, por se concentrarem na fração de petróleo denominada nafta. São classificados como cicloparafinas, de cadeia do tipo fechada e saturada, podendo também conter ramificações. As estruturas naftênicas que predominam no petróleo são os derivados do ciclopentano e do ciclohexano.

Em vários tipos de petróleo, podem-se encontrar compostos naftênicos com 1, 2 ou 3 ramificações parafínicas como constituintes principais. Em certos casos, podem-se ainda encontrar compostos naftênicos formados por dois ou mais anéis conjugados ou isolados.

Os cortes de petróleo referentes à nafta apresentam uma pequena proporção de compostos aromáticos de baixo peso molecular (benzeno, tolueno e xileno).

Os derivados intermediários (querosene e gasóleo) contêm compostos aromáticos com ramificações na forma de cadeias parafínicas substituintes.

Podem ser encontrados ainda compostos mistos, que apresentam núcleo aromáticos e naftênicos.

Eteno ou Etileno But-1-Eno

Comentários