(Parte 1 de 5)

Webmaster

Este curso tem como objetivo introduzir ao Webmaster conceitos técnicos para que ele possa, de uma maneira geral, aperfeiçoar seus conhecimentos no ambiente w. No curso teremos explicações sobre o funcionamento do servidor httpd, dicas para administrar o site e apresentação das mais novas tecnologias existentes no mercado.

O novo papel do Webmaster

Em algumas épocas da história, certos tipos de ocupação eram consideradas extremamente importantes. Já foi assim com os médicos, escribas, telegrafistas, pilotos de avião e várias outras.

Antigamente, um indivíduo que soubesse HTML, um pouco de programação, experiência em NT ou

Unix poderia assumir o papel de Webmaster. O w era apenas um sistema de informação não-linear, e o Webmaster era a pessoa que entendia como colocar informação nesse sistema. Há cinco anos atrás, não existia nem o nome dessa profissão.

Hoje em dia, essas atribuições mudaram. Ser um genuíno Webmaster requer experiência em várias áreas, desde computação até em economia. A maioria dos Webmasters hoje não passa seu dia fazendo HTML, eles estão fazendo tudo para melhorar seu site.

Analisando friamente, um site nada mais é do que um computador executando um programa, mas com alguns requisitos específicos. Qualquer pessoa que se intitule Webmaster deve saber:

• Sobre o funcionamento do sistema operacional do computador que opera, afinal, esse sistema tem que estar funcionando perfeitamente para tudo dar certo.

• Sobre os protocolos de rede, principalmente TCP/IP (principalmente se você trabalha num provedor). Afinal, o web funciona na rede.

• Sobre segurança. Você precisa saber como proteger seu sistema, como detectar invasões e recuperar seus dados, caso isso ocorra. Para isso, e para que seu site funcione ininterruptamente, deve haver um forte esquema de contenção, que deve ter como pontos fortes a disciplina, a confiabilidade, a disponibilidade e facilidade de execução desses procedimentos.

• Sobre HTML. Principalmente os truques e as últimas novidades da linguagem. Não vale saber como usa o editor de HTML; você deve saber a linguagem.

• Sobre programação. Conteúdo dinâmico é feito em Java e Javascript, e CGI’s são extremamente necessários.

• Sobre conexão com Banco de Dados. Hoje em dia o serviço web está intimamente ligado com o banco de dados.

• Sobre o servidor. Você deve saber como fazer download, compilar (quando necessário), configurar, executar e administrar o servidor.

OK, já fiz tudo isso. Agora eu sou um Webmaster ?

Ainda não. Agora você tem todos os elementos necessários, mas seu site está sem nenhum conteúdo.

Você precisa aprender a criá-lo. Comece aprendendo a escrever. Demora muito para aprender a escrever direito, e você precisa treinar bastante antes de colocar conteúdo no ar. Normalmente você vai colocar textos de outras pessoas no ar, e apesar de ser “divertido” ver outras pessoas cometendo erros, você não pode se dar esse luxo, além de ter que escrever bem.

Mais ainda, o web é um ambiente visual, então você vai achar interessante ter noções de design.

ContabilidadeE até Psicologia. E se mantivesse informado das novidades em seu próprio campo.

Bons designers nascem bons, mas um curso rápido vai te ajudar a não cometer muitos erros, e ajuda a contratar um bom design. Bom conhecimento de softwares de áudio e vídeo também são desejáveis. E por último, seria interessante que o Webmaster também tivesse noções de Marketing, Direito, Pronto, agora você pode começar.

O cliente

Do outro lado de toda conexão w, existe um cliente. Isso pode ser dito explicitamente, se você vende produtos, ou implicitamente, se você usa a divulgação da informação como parte da sua estratégia. Seu site tem que ser desenhado para atender seus clientes, atendendo suas necessidades e encorajando que eles voltem no futuro. Em suma fazendo da experiência de navegar no seu site uma coisa marcante.

Mas manter os seus clientes felizes não é um trabalho trivial. Um dos pontos importantes é que o

Webmaster esteja preparado para receber as mensagens mais estranhas, de clientes confusos que não sabem nem por onde começar. Esses clientes são os que precisam de mais ajuda, a partir daí os sites começam a fazer diferença.

O Webmaster na verdade está cercado por clientes. Tem o pessoal que navega, tem o chefe, o pessoal de vendas, e qualquer outra pessoa no seu local de trabalho que espera alguma forma de retorno no w. Enquanto o pessoal externo quer informações e produtos, o pessoal interno está de olho no retorno do investimento, nos dados demográficos, nos clientes externos. Não conseguir agradar os clientes externos é mortal para um site; não conseguir agradar os internos no mínimo vai te deixar com fama de chato.

O cuidado com o cliente interno é uma coisa difícil de aprender e executar. Aprender como preparar apresentações, mantendo um nível mais alto para seus gerentes, mais detalhado para os técnicos. Aprender também a falar um pouco a linguagem das outras áreas, enfim, estar por dentro da empresa. Infelizmente, a maioria de nós não tem tempo de aprender tudo que precisamos. Se a meta é se tornar o melhor Webmaster possível (e não apenas um Webmaster comum), uma sugestão é a de reunir um time de pessoas que juntas reunam todas essas habilidades. Desta maneira, cada um pode colocar suas especialidades em prática, usando como ponto de apoio as habilidades dos outros.

Boas equipes não são ótimas desde o começo. Há uma evolução natural, que acontece com os desafios, sucessos e fracassos. Eles aprendem a se comunicar, a esquecer os erros alheios e a se fortalecer. O pessoal de informática são os que mais demoram a se adaptar (pois tem mania de trabalhar sozinhos), mas quando aprendem a confiar nos parceiros, a satisfação do trabalho em grupo é muito grande.

Outra coisa que provavelmente não irá funcionar são os cursos de graduação para computação com especialização em Webmaster. Um curso que dura 4 ou 5 anos, sendo que a tecnologia é totalmente modificada em 8 ou 10 meses é uma coisa que não funciona. Há apenas 1 ano falávamos de como seriam os frames; daqui há um ano, Style Sheet será coisa do passado. Não se pode demorar 4 anos para aprender uma coisa que muda totalmente em 2.

E finalmente uma palavra sobre o título Webmaster. Muita gente hoje que fez 3 ou 4 HTML’s na vida se intitula Webmaster, diluindo assim a força da palavra. Existe uma grande tendência de unir todos os serviços numa única palavra, assim, o designer, o gerente de conteúdo, o gerente do site, etc., todos se auto intitulam Webmaster. No final, então, o nome não importa: a dedicação é que faz a diferença.

Quais os passos para o desenvolvimento de um novo projeto ?

A maioria dos profissionais do ramo de Webmaster tem seu próprio método para a implementação de um novo projeto ou site. Aqui, tentamos relacionar os tópicos mais importantes, recomendados por alguns profissionais da área.

1. Definição do Conceito.

O primeiro passo importante é definir o novos conceitos do produto. Procure trazer todo mundo que de alguma maneira está envolvido com o assunto (designers, pesquisadores, programadores, gerentes, etc.) para algumas reuniões, de modo que as idéias e sugestões da equipe sejam debatidas, discutidas, anotadas. Inicialmente não devemos nos ater à realidade do assunto, mas deixar as idéias voarem e tomarem forma.

2. Pesquisa.

Uma vez que o conceito inicial foi definido, você deve “perder” tempo para reunir toda a informação a respeito desse conceito. É essencial que você pesquise também na própria Internet a respeito do assunto, para saber se alguém já fez alguma coisa semelhante. Se for necessário, divida essa tarefa com a equipe. A Internet tem várias maneiras de ser pesquisada, e normalmente leva tempo e muitos links inválidos para chegar à informação que você precisa. No final desse processo, você deve ter informação suficiente para cobrir todos os pontos do conceito. Lembre-se: Um site sem conteúdo não é nada.

3. Organização.

Depois de ter reunido toda a informação, você tem que criar a estrutura na qual essa informação será apresentada. Essa parte é muito importante, e grandes sites, com muitas informações são prejudicados por uma estruturação deficiente. A informação tem que estar em local de fácil acesso. Coloque-se no lugar do cliente, e veja se a estrutura está cumprindo seu papel. Mais uma vez, aceite sugestões.

4. Padrão das páginas.

Depois dos passos 2 e 3, é hora de definir os links, as funções de Search, os Fóruns, o conteúdo e navegação de cada página. As cores, desenhos, etc., ficam para o próximo passo. Não subestime o poder de navegação do site, e tente fazer as páginas de uma maneira que “uma leve a outra”. O padrão das páginas é parte integrante da informação nela contida. Não deixe páginas “perdidas”, sem seqüência, e sempre dê opção para links de Search ou de contato por email em todas as páginas.

5. Design.

Nessa etapa, o visual do site é definido. Ele deve ser bem estudado, e o designer deve ter liberdade para criar, sem imposições, mas deve estar consciente do objetivo do site. Cores, imagens, ícones, setas, bullets, tudo deve ser implementado. Não é necessário criar tudo do zero: Existe muita coisa disponível na própria Internet. Sites de qualidade geralmente fazem suas próprias imagens.

6. Criação do HTML.

Depois das informações na estrutura correta, e do design dos elementos pronto, é hora de montar as páginas. Não esqueça de colocar tags para browsers que não suportam frames, tags de imagens alternativas, e conferir se todos os links estão funcionando.

7. Programação.

Depois do HTML implementado, o programador começa a trabalhar nas tarefas operacionais automáticas, nos formulários, programas de cadastramento, etc. Se existir muito trabalho de programação ou o site for muito interativo, considere em envolver o programador antes do final, para já adiantar os pontos mais simples.

Que posso fazer para tornar meu site mais movimentado ?

Uma das coisas que mais satisfaz um Webmaster é ver seu site tornar-se popular. Mesmo com planejamento e cuidado da execução do site, isso não acontece. Existem muitos sites que são muito interessantes na rede, e se você não tiver alguma coisa que diferencie seu site dos outros, você corre o risco de ter pouca gente interessada no que você tem a mostrar. Abaixo temos algumas dicas interessantes para tornar seu site mais “quente”.

1. Atualize o conteúdo.

Mesmo que as informações do seu site não sejam atualizadas todo dia, procure mudar pelo menos sua home page regularmente. Seus clientes precisam de uma boa razão (de preferência na primeira tela) para voltarem. Mude alguma coisa, nem que seja a cor.

2. Cuide da primeira tela.

A primeira tela é a porta de entrada do seu site. Sempre mantenha alguma coisa engraçada, nova ou informativa na primeira tela. Uma lista das novas páginas de seu site, com os respectivos links para elas também é muito interessante.

3. Trabalhe com interação.

Procure colocar seus usuários em contato. Faça com que eles tenham no seu site um ponto de encontro. Isso pode ser feito com Fóruns. Não apenas ofereça o serviço de Fóruns puro e simples: Marque encontros, discussões, traga pessoas famosas para conversar. Isso vai envolver seus usuários.

4. Navegação.

Faça da navegação parte da narrativa. Quando você estiver num site, você deve ser capaz de acessar facilmente links de outra seção desse site, em poucos clicks. Barras de navegações em cima ou embaixo da página resolvem o problema.

5. Gráficos pequenos.

Se seu site utiliza muitas imagens, faça que a espera para carregá-las valha a pena. Muitos usuários ainda utilizam modems 14.400. Não esqueça de colocar textos alternativos para as imagens e perca tempo tentando reduzir o tamanho dos arquivos.

6. Nada é óbvio.

As pessoas que chegam pela primeira vez no seu site às vezes podem não ter idéia do tipo de serviço que você oferece. Mantenha sentenças descritivas, ou mesmo uma página com informações sobre seus objetivos. As pessoas que navegam na Web geralmente são de dois tipos: As que lêem tudo antes de clicar e as que clicam tudo antes de ler. Pense nisso quando montando suas páginas. ]

Crie maneiras do usuário escrever dando suas opiniões. E SIGA as sugestões. Afinal, você fez o site para eles.

Cuidando do seu servidor

A manutenção de um site é um trabalho constante e exigente. Um site exige manutenção constante e uma grande dose de perseverança para estar sempre em ordem. A seguir, apresentamos algumas dicas de como fazer isso.

1. Use um verificador de HTML.

É muito fácil errar na hora de escrever seu HTML. A maioria dos browsers ignora as tags que eles não entendem, e isso torna os Webmasters preguiçosos. Infelizmente, um HTML errado pode trazer problemas, principalmente com novos produtos que esperam uma codificação impecável. Antigamente, os acentos não precisavam ser terminados por ponto-e-vírgula, mas hoje precisam. E o mais importante, um HTML mal escrito é horrível de manter.

Esses problemas podem ser evitados com o uso de um verificador de HTML. É um pequeno programa que examina seu HTML e aponta os erros do seu texto. Alguns realmente bons são o CSE 3310, o W3C HTML Validation Service e o Weblint.

2.Respeite o copyright

OK, todo mundo copia imagens, textos, banners, e qualquer outra coisa que pareça interessante na Internet. Afinal, está tudo lá, e é só clicar com o mouse para obter o que você deseja.

Mas o material que está na rede demandou trabalho, e deve ser protegido como qualquer outra publicação. Isto não vai impedir as pessoas de usá-lo, mas vai lhe dar parâmetros legais para se proteger se você for prejudicado.

Por isso, coloque anúncios de copyright em suas páginas, daqueles simples, do tipo © 1997 Your Name. Redistribution Prohibited.

Nos EUA, a lei do copyright é muito clara, e pune qualquer pessoa que se apossar da produção de alguém sem permissão. A maneira mais educada de copiar algum texto ou imagem de alguém é pedindo ANTES de fazer a cópia, por email, por exemplo. Caso a pessoa não libere o uso do texto, NÃO use. Apesar da lei brasileira ainda estar engatinhando nesse tipo de assunto, nunca é bom facilitar. As leis americanas protegem esse tipo de material mesmo que não exista nenhum aviso de copyright. E eles punem esse tipo de cópia não-autorizada da mesma maneira que violação de correspondência.

2. Conheça seu site

Nunca se esqueça que seu site existe com um propósito. Um site não existe apenas por existir. Cada Webmaster tem que saber responder algumas questões básicas:

• Por que esse site existe ? • Quem são os meus clientes ?

• Como esse site se paga ?

• Qual a minha meta com ele ?

A primeira questão não é muito difícil. Normalmente você sabe se seu site se destina à venda de algum produto, à divulgação de informações, etc. Esse é o motivo pelo qual você colocou esse site no ar. Se você não sabe, nem se dê ao trabalho de se perguntar o resto.

Assumindo que você saiba a resposta, veja a segunda pergunta. Quem é seu público alvo ? Eles sabem como encontrar seu site, nos índices de busca ? Você está fazendo propaganda suficiente do seu site ? O cliente é a coisa mais importante de um site, e o fato do seu estar de acordo com as necessidades do seu é meio caminho andado.

(Parte 1 de 5)

Comentários