Processo de rotomoldagem

Processo de rotomoldagem

(Parte 2 de 3)

Nota: As máquinas com estação intermediária de cura extraforno ou estação de pre-resfriamento podem ter o ciclo de processo reduzido em até 27% do tempo de permanência no forno “tpf”, utilizando-se do calor acumulado nos moldes ao sair do forno para atuar como extensão do tempo de cura da peça.

TRM Resinas Termoplásticas Indústria e Comércio Ltda.

Resinas Micronizadas | Compostos | Masterbatch | Colormatch | ROTMOL | TEXMOL | REVMOL | Hot Transfer

TRM Resinas Termoplásticas Indústria e Comércio LtdaCopyright © 2007

Rua Max Mangels Sênior, 303 – Planalto – CEP 09895-510 – São Bernardo do Campo – SP – Brasil

Folha: 7 de 12

4. Estação de Descarga

Após a conclusão do ciclo de resfriamento desloca-se o molde para a estação de descarga para desmoldagem da peça e preparação do molde para o próximo ciclo de moldagem.

A desmoldagem torna-se mais fácil exigindo menor esforço com a peça na temperatura entre 40°C e 60°C.

A etapa de preparação do molde consiste na limpeza de resíduos de material, impurezas, etc., verificação de possíveis amassamentos na região de fechamento do molde, limpeza dos respiros com troca dos filtros e aplicação de desmoldante.

Na cavidade do molde, a periodicidade da aplicação de desmoldante depende da eficácia do mesmo, da temperatura de processo, da qualidade do molde, etc.

Em média, a periodicidade de aplicação de desmoldante varia de 5 a 20 ciclos de moldagem.

Entre cada ciclo de moldagem deve-se aplicar um desmoldante de manutenção com o objetivo de promover uma limpeza leve do molde e ao mesmo tempo garantir estabilidade no processo de moldagem.

Com a perda de eficiência da camada do desmoldante, a peça tende a ficar presa no molde alterando suas dimensões finais.

TRM Resinas Termoplásticas Indústria e Comércio Ltda.

Resinas Micronizadas | Compostos | Masterbatch | Colormatch | ROTMOL | TEXMOL | REVMOL | Hot Transfer

TRM Resinas Termoplásticas Indústria e Comércio LtdaCopyright © 2007

Rua Max Mangels Sênior, 303 – Planalto – CEP 09895-510 – São Bernardo do Campo – SP – Brasil

Folha: 8 de 12

Vantagens da Moldagem Rotacional

Dentre outras, temos:

1. .Os moldes apresentam menores custos em comparação com moldes para outros processos de moldagem;

2. .Produz peças sem emendas, livres de tensões, totalmente fechadas ou com aberturas em um único ciclo;

3. Possibilitam a moldagem de peças com paredes uniformes (sem redução de espessura nas extremidades);

4. Possibilitam produzir peças com grande variedade de texturas superficiais, acabamentos e cores; 5. Possibilitam produzir peças com multicamadas com diferentes materiais;

6. Apresentam flexibilidade para produção desde peças pequenas e intrincadas até peças complexas de grande porte;

7. Possibilitam aplicação de insertos metálicos antes ou depois da moldagem;

8. Apresentam resultados econômicos nas produções de pequenos ou grandes lotes e no desenvolvimento de protótipos;

9. Possibilitam a moldagem de pequenas reentrâncias com nenhum ângulo de saída.

Desenho do Produto

As peças desenvolvidas para serem moldadas pelo processo rotacional devem respeitar alguns conceitos técnicos específicos que diferem dos demais processos de moldagem.

Por trabalhar com baixa pressão interna, algumas áreas críticas de peças com geometrias complexas tornam-se mais difíceis de serem preenchidas, exigindo para isto, resinas micronizadas com características específicas para rotomoldagem, porém quando possível deve-se adequar a geometria da peça evitando moldar cantos vivos.

Em regras gerais, a rotomoldagem possibilita a moldagem de peças com formas livres, com poucas limitações geométricas.

Partes sólidas moldadas por injeção, tais como alças, olhais, pinos, flanges, etc, denominadas préformas produzidas com resinas compatíveis com o material a ser rotomoldado podem ser montadas em alojamentos específicos dos moldes antes do carregamento da resina micronizada, possibilitando moldar peças com partes sólidas e partes ocas sem emendas ou processos de montagem posteriores.

TRM Resinas Termoplásticas Indústria e Comércio Ltda.

Resinas Micronizadas | Compostos | Masterbatch | Colormatch | ROTMOL | TEXMOL | REVMOL | Hot Transfer

TRM Resinas Termoplásticas Indústria e Comércio LtdaCopyright © 2007

Rua Max Mangels Sênior, 303 – Planalto – CEP 09895-510 – São Bernardo do Campo – SP – Brasil

Folha: 9 de 12

Moldes

Os moldes para rotomoldagem na maioria dos casos são fabricados em duas partes, podendo ser em alumínio fundido com 6 m de espessura, chapa de aço carbono ou inoxidável, cobre ou por eletrodeposição de níquel (para peças pequenas moldadas em plastisol) todos com 2 m de espessura de parede.

A qualidade da peça rotomoldada depende diretamente da qualidade do molde, da resina e da máquina.

A maioria dos moldes apresenta respiros que controlam a pressão interna durante o processo de aquecimento e resfriamento evitando deformações na peça.

Para rotomoldagem de peças com poliéster líquido (termofixo) que curam em temperaturas baixas, podem ser usados moldes produzidos em resina epóxi reforçado com fibra de vidro.

TRM Resinas Termoplásticas Indústria e Comércio Ltda.

Resinas Micronizadas | Compostos | Masterbatch | Colormatch | ROTMOL | TEXMOL | REVMOL | Hot Transfer

TRM Resinas Termoplásticas Indústria e Comércio LtdaCopyright © 2007

Rua Max Mangels Sênior, 303 – Planalto – CEP 09895-510 – São Bernardo do Campo – SP – Brasil

Produtos

TRM Resinas Termoplásticas Indústria e Comércio Ltda.

Resinas Micronizadas | Compostos | Masterbatch | Colormatch | ROTMOL | TEXMOL | REVMOL | Hot Transfer

TRM Resinas Termoplásticas Indústria e Comércio LtdaCopyright © 2007

Rua Max Mangels Sênior, 303 – Planalto – CEP 09895-510 – São Bernardo do Campo – SP – Brasil

Avanços na Rotomoldagem

Até recentemente o processo foi considerado altamente empírico confiando-se no método de tentativa e erro e na experiência do operador para julgar quando a peça poderia ser removida do forno e quando foi resfriada suficientemente para ser removida do molde. No entanto, com novas tecnologias permite-se monitorar a temperatura e a pressão internas do molde, eliminando-se muito das conjeturas do processo.

(Parte 2 de 3)

Comentários