(Parte 1 de 8)

Autor: Alexandre Jacob

Apostila de Php

1. PHP02
1.1 Como surgiu02
1.2 O que pode ser feito02
2. Características do PHP03
2.1 Custo03
2.2 Código fonte aberto04
2.3 Licença05
2.4 Adequação06
3. Estudo comparativo entre ASP e PHP07
4. Banco de dados MySQL ou PostgreSQL09
5. Instalação09
5.1 Windows09
5.2 Linux1
6. Exemplo prático13
6.1 Criando as tabelas14
6.2 Área administrativa18
6.2.1 Página inicial (index.php)18
6.2.2 Página com as opções (opcoes.php)20
6.2.3 Cadastro de Clientes (cadclientes.php)21
6.2.4 Gerenciamento de clientes (gerlientes.php)25
6.2.5 Alteração dos dados do cliente(altclientes.php)28
6.2.6 Exclusão do cliente (excluirclientes.php)32
7. Considerações finais3
7.1 Conclusão3

3 PHP

1.1 Como surgiu

A linguagem PHP foi concebida durante o outono de 1994 por

Rasmus Lerdorf. As primeiras versões não foram disponibilizadas, tendo sido utilizadas em sua home-page apenas para que ele pudesse ter informações sobre as visitas que estavam sendo feitas. A primeira versão utilizada por outras pessoas foi disponibilizada em 1995, e ficou conhecida como Personal Home Page Tools (ferramentas para página pessoal). Era composta por um sistema bastante simples que interpretava algumas macros e alguns utilitários que rodavam por trás das home-pages: um livro de visitas, um contador e algumas outras coisas. Em meados de 1995 o interpretador foi reescrito, e ganhou o nome de PHP/FI, o FI veio de um outro pacote escrito por Rasmus que interpretava dados de formulários HTML (Form Interpreter). Ele combinou os scripts do pacote Personal Home Page Tools com o FI e adicionou suporte a mSQL, nascendo assim o PHP/FI, que cresceu bastante, e as pessoas passaram a contribuir com o projeto. Estima-se que em 1996 PHP/FI estava sendo usado por cerca de 15.0 sites pelo mundo, e em meados de 1997 esse número subiu para mais de 50.0.

Nessa época houve uma mudança no desenvolvimento do PHP. Ele deixou de ser um projeto de Rasmus com contribuições de outras pessoas para ter uma equipe de desenvolvimento mais organizada. O interpretador foi reescrito por Zeev Suraski e Andi Gutmans, e esse novo interpretador foi a base para a versão 3. Atualmente o uso do PHP4 vem crescendo numa velocidade incrível, e já está sendo desenvolvida a versão 5 do PHP.

4 1.2 O que pode ser feito

Basicamente, qualquer coisa que pode ser feita por algum programa CGI pode ser feita também com PHP, como coletar dados de um formulário, gerar páginas dinamicamente ou enviar e receber cookies.

PHP também tem como uma das características mais importantes o suporte a um grande número de bancos de dados, como dBase, Interbase, mSQL, mySQL, Oracle, Sybase, PostgreSQL e vários outros.

Construir uma página baseada em um banco de dados torna-se uma tarefa extremamente simples com PHP.

Além disso, PHP tem suporte a outros serviços através de protocolos como IMAP, SNMP, NNTP, POP3 e, logicamente, HTTP. Ainda é possível abrir sockets e interagir com outros protocolos.

2. Características do PHP

Abaixo será descrito algumas vantagens da linguagem PHP:

2.1 Custo

PHP não custa nada, ele é um produto totalmente FREE. O conjunto Apache, PHP, MySQL executa perfeitamente bem em hardwares tão baratos que mal poderia se pensar em servidores ISS/ASP/SQL ?

Abaixo será mostrado uma tabela com uma pequena comparação de custos entre algumas linguagens.

Item ASP Cold Fusion JSP PHP Desenvolvimento US$ 0-480 US$ 395 US$ 0 US$ 0 Servidor US$ 620 US$ 1.295 US$ 0 – 595 US$ 0 Tabela - Comparação e custos

Como pode-se ver o PHP é o único que não tem custo nenhum tanto para desenvolvimento quanto para o servidor pois eles são totalmente gratuitos bastando apenas que se baixe da Internet.

2.2 Código fonte aberto

Eles causam uma certa dúvida sobre a qualidade e a viabilidade de um software sem nenhum custo. E para piorar o conceito, até bem pouco tempo atrás, acreditava-se que softwares que não tinham nenhum custo primeiramente chamados de freeware, shareware ou softwares gratuitos geralmente caíam em uma de 4 categorias: - Programas preenchendo pequenos nichos não-comerciais.

- Programas fazendo trabalhos sujos, de baixo nível.

- Programas para pessoas com "questões" sócio políticas esquisitas.

- Programas contendo “cavalos de tróia”.

De uma vez por todas é tempo de rever alguns estereótipos.

Atualmente o mundo se encontra no meio de um turbilhão de mudanças no negócio de software. Hoje, muitos dos mais importantes (se não a maioria) dos softwares de consumidor são distribuídos sem custo: clientes de correio eletrônico, navegador da Web, jogos e até conjuntos completos de serviços de escritórios estão sendo distribuídos tão rapidamente quanto seus criadores podem criar versões de Web ou configurar servidores de FTP.

O software para consumidor é visto cada vez mais, como um líder perdido, a flor que atrai a abelha polinizadora em outras palavras, uma maneira de vender mais hardware de servidor, sistemas operacionais, conectividade, anúncios publicitário, utensílios opcionais ou ações da bolsa. Portanto, o preço de varejo total de um software não é mais uma medida confiável de sua qualidade, nem do nível de excentricidade do usuário.

Quanto ao servidor, produtos de código-fonte aberto tornaram-se mais fortes, não se competem com os melhores materiais comerciais, como também, em muitos casos, há uma sensação de que eles tenham vencido a competição.

2.3 Licença

A liberdade de código-fonte aberto e software gratuito é garantida por um grupo de esquemas de licença, sendo o mais famoso a GPL (GNU General Public License) ou "copyleft". O PHP costumava ser liberado tanto sob a licença de GPL como por sua própria licença, com cada usuário livre para escolher entre eles. Entretanto, recentemente isso mudou: agora o programa como um todo é distribuído sob sua licença extremamente "laissez-faire" do PHP4; ao passo que Zend como um produto independente é distribuído sob a Q Public License (essa cláusula aplica-se comente se você separar a Zend do PHP e tentar vendê-lo).

A maioria das pessoas obtém o PHP via downloads gratuitos, mas talvez você possa ter pago por ele, seja como parte da distribuição do Linux, de um livro técnico ou de algum outro produto. Nesse caso, podese pensar sobre essa afirmação de que o PHP não custa nada. Eis o "x" da questão: embora nenhuma taxa seja necessária para a maioria dos softwares de código-fonte aberto, você pode cobrar a entrega deste software em um formato mais conveniente como colocá-lo em um disco e despachar o disco para o cliente. Pode-se também cobrar qualquer coisa que o mercado esteja disposto a pagar por querer realizar certos serviços ou aceitar os riscos que a equipe de desenvolvimento não quer correr. Por exemplo, pode-se cobrar para garantir que cada cópia do software que você distribui esteja livre de vírus ou com uma qualidade razoável, assumindo o risco de ser processado caso um grupo de clientes obtem o CD-ROMs ruins com vírus que apagam a unidade de disco rígido.

Normalmente, usuários de software de código-fonte aberto podem escolher livremente a melhor equação entre custo/benefício para cada situação particular: nenhum custo e nenhuma garantia, ou algo caro mas com bom suporte, ou um meio termo. Mas até agora não foi feita nenhuma tentativa organizada de vender serviço ao suporte para o PHP. (embora isso venha a ser uma valor agregado no caso do Zend).

2.4 Adequação

Somente a pessoa envolvida ao projeto poderá decidir se o PHP será a linguagem de sua escolha, seja um desenvolvedor de sites pessoais e comerciais em larga ou pequena escala. O PHP é flexível, rápido e simples em seus requisitos, no entanto poderoso nos resultados.

Antes de decidir se irá utilizar o PHP em larga escala para desenvolvedores de projetos comerciais, deve-se considerar as respostas para as questões seguintes:

Pode-se afirmar com absoluta certeza que irá utilizar sempre o mesmo servidor da Web em nível de software e hardware ? Se não for, deve-se pesquisar algumas plataformas neutra e disponível para múltiplos servidores de Web: PHP.

Terá sempre e exatamente a mesma equipe de desenvolvimento inteiramente composta por desenvolvedores em ASP (ou Cold Fusion)? Ou irá esperar alguém disponível quando precisar de desenvolvedores ou de alguém que use uma linguagem fácil de aprender e sintaticamente similar ao C e ao Perl ? Se a pessoa envolvida tem razões para acreditar que os desenvolvedores em Asp ou Cold Fusion podem sumir de face da Terra, estas ferramentas não devem ser utilizadadas, use o PHP.

Memória e tempo de leitura no servidor são importantes? Sendo assim, não deve-se usar uma partição de HD exprimida com softwares que requerem muito da sua preciosa memória, use o PHP.

3. Estudo comparativo entre ASP e PHP Abaixo segue um resumo das duas tecnologias:

Recurso ASP PHP

Uso com múltiplos Servidores Web

Não. (somente com o IIS) (23% do mercado)

Sim. (Apache, NetscapeTM, IIS)

Uso com múltiplas plataformas

Não. Somente Microsoft Windows

Sim (Windows, Linux, Unix)

Tags customizáveis Não. Sim

Componentes reutilizáveis multiplataformas

Não. Sim

Padrão aberto para a indústria Não. Sim

(Parte 1 de 8)

Comentários