(Parte 2 de 13)

Arq2.Obj linkar

Arq3.Obj linkar MyProgram.Exe

Figura 2 : Ilustração do processo de criação de um programa em C.

Curso de Linguagem Computacional C/C++

Sistemas Industriais Inteligentes – DAS – CTC – UFSC 10

Primeiro, datilografe o seu programa com o auxílio de um processador de textos em modo

. Grave o programa em disco dando a ele um nome como sufixo .C . O programa gerado é chamado de código fonte.

Na seqüência, compile o fonte seguindo as instruções do seu compilador, o que criará um programa com o sufixo .OBJ em disco. O programa gerado é chamado de objeto.

Por fim, basta linkeditar o objeto seguindo as instruções do seu linkeditor o que criará um programa com sufixo .EXE em disco. O programa gerado é chamado de executável. A Figura 2 apresenta o processo de geração de um programa em C.

2.3 A Estrutura Básica de um Programa em C A forma geral de um programa em "C" é a seguinte:

< diretivas do pré-processador > < declarações globais >; main() {

< declarações locais >; /∗ comentário ∗/ < instruções >; } < outras funções >

Vamos começar por um programa bem simples em C. Você pode escrever este programa em um arquivo ASCII e salvá-lo com um nome terminando em “.C” . O programa serve para escrever na tela a frase “Bom Dia!!!!”.

/* Programa : Bom Dia! */ #include <stdio.h> void main() { printf(“Bom Dia!!!!”); }

Na primeira linha, os símbolos /* e */ servem para delimitar um comentário do programa.

É muito importante que os programas sejam comentados de forma organizada. Isto permite que outras pessoas possam facilmente entender o código fonte. Os comentários não são interpretados pelo compilador, servindo apenas para a documentação e esclarecimento do programador.

Depois, segue-se com uma diretiva para o pré-processador “#include <stdio.h>”.

Isto advém do fato de C ter um núcleo pequeno de funções básicas. Ao escrever esta linha de código, o pré-processador irá acrescentar ao programa todas as funcionalidades definidas na biblioteca “stdio” e irá linká-la posteriormente ao programa. Desta forma, você poderá usufruir todos os serviços disponíveis nesta biblioteca.

Por fim, temos a função “main()”. Esta função indica ao compilador em que instrução deve ser começada a execução do programa. Portanto, esta função deve ser única, aparecendo somente uma vez em cada programa. O programa termina quando for encerrada a execução da função main(). No caso deste programa exemplo, ela não recebe nenhum parâmetro e também não retorna parâmetro nenhum. Isto fica explícito através da palavra-chave void escrita na frente do programa. Se em vez de void tivéssemos escrito int, isto significaria que a função main() deveria retornar um valor do tipo inteiro ao final de sua execução. Como este é o valor retornado

Curso de Linguagem Computacional C/C++

Sistemas Industriais Inteligentes – DAS – CTC – UFSC 1 pela função main(), este também será o valor retornado pelo programa após a sua execução. As funções e as suas características serão apresentadas em detalhes nos próximos capítulos.

int main() { printf(“Bom Dia!!!!”); return 0; /* indica ao OS que não ocorreu nenhum erro durante a execução do programa */ }

Todo o corpo de uma função em C é inicializado e finalizado através das chaves { e } . Estas chaves definem o bloco de instruções a serem executados por esta função.

A primeira instrução dada dentro do programa é “ printf(“Bom Dia!!!!”);” . Printf é uma função definida em “stdio.h” para escrever dados na janela console.

Todas as instruções de programa têm que ser declaradas dentro de alguma função (na main() ou outra qualquer). Todas as instruções devem estar dentro das chaves que iniciam e terminam a função e são executadas na ordem em que as escrevemos.

As instruções C são sempre encerradas por um ponto-e-vírgula (;). O ponto-e-vírgula é parte da instrução e não um simples separador.

Esta instrução é uma chamada à função printf();, os parênteses nos certificam disso e o

Nota-se que a função é chamada escrevendo-se o nome desta e colocando-se os parâmetros desta dentro dos parênteses. A final de cada instrução em C, faz-se necessário o acréscimo de um ponto-vírgula “;”.

As variáveis em C podem estar dentro de uma função ou no início do arquivo fonte.

Variáveis declaradas no início do arquivo fonte são consideradas “globais”, isto é, são visíveis (i.e. acessíveis) para todas as funções do programa. Variáveis declaradas dentro de uma função são consideradas “locais”, isto é, visíveis somente pela função onde são declaradas.

"C" distingue nomes de variáveis e funções em maiúsculas de nomes em minúsculas. Você pode colocar espaços, caracteres de tabulação e pular linhas à vontade em seu programa, pois o compilador ignora estes caracteres. Em C não há um estilo obrigatório. Entretanto, procure manter os programas tão organizados quanto for possível, pois isto melhora muito a legibilidade do programa, facilitando o seu entendimento e manutenção.

2.4 Variáveis

As variáveis são o aspecto fundamental de qualquer linguagem de computador. Uma variável em C é um espaço de memória reservado para armazenar um certo tipo de dado e tendo um nome para referenciar o seu conteúdo.

O espaço de memória de uma variável pode ser compartilhado por diferentes valores segundo certas circunstâncias. Em outras palavras, uma variável é um espaço de memória que pode conter, a cada tempo, valores diferentes.

/* Programa : Exemplo de variáveis! */ #include <stdio.h>

int num;/* declaracao */
num = 2;/* atribui um valor */

void main() { printf(“Este é o número dois: %d”, num); /* acessa a variável */

Curso de Linguagem Computacional C/C++

Sistemas Industriais Inteligentes – DAS – CTC – UFSC 12

A primeira instrução, int num; é um exemplo de declaração de variável, isto é, apresenta um tipo, int, e um nome, num.

A segunda instrução, num = 2; atribui um valor à variável e este valor será acessado através de seu nome. Usamos o operador de atribuição (=) para este fim.

A terceira instrução chama a função printf() mandando o nome da variável como argumento. Esta lê o valor da variável e substitui na posição indicada por %d, compondo assim a frase apresentada na tela. O emprego da função printf() será apresentado em detalhe, posterior- mente.

Em C todas as variáveis devem ser declaradas. Se você tiver mais de uma variável do mesmo tipo, poderá declará-las de uma única vez separando seus nomes por vírgulas. int aviao, foguete, helicoptero;

2.5 Tipos de Dados

O tipo de uma variável informa a quantidade de memória, em bytes, que esta irá ocupar e a forma como o seu conteúdo será armazenado. Em C existem apenas 5 tipos básicos de variáveis, que são:

Identificador Categoria char Caracter int Inteiro float Real de ponto flutuante double Real de ponto flutuante de dupla precisão void Sem valor.

Com exceção de void, os tipos de dados básicos podem estar acompanhados por “modificadores” na declaração de variáveis. Os “modificadores” de tipos oferecidos em C são:

Modificadores Efeito signed Bit mais significante é usado como sinal unsigned Bit mais significante é parte do número (só +) long Estende precisão short Reduz precisão

Tipos de Dados Resultantes:

Tipo Tamanho Valores possíveis (signed) char 1 Byte -128 a +127 unsigned char 1 Byte 0 a 255 (short) (signed) int 2 Bytes -32.768 a +32.767 (short) unsigned int 2 Bytes 0 a 65.535 (signed) long int 4 Bytes -2.147.483.648 a +..647 unsigned long int 4 Bytes 0 a 4.294.967.295

Curso de Linguagem Computacional C/C++

(Parte 2 de 13)

Comentários