Curso Integrado-Grandes Endemias MT

Curso Integrado-Grandes Endemias MT

(Parte 2 de 6)

Além disto, nessas discussões, foi possível identificar uma série de conseqüências deste modelo de capacitações, tais como:

a)Incapacidade para atingir os objetivos propostos; b)Paralelismo de ações e grande pulverização de recursos financeiros e humanos; c)Sobrecarga de trabalho aos treinandos; d)Perda de rendimento; e)Dissociação entre os conhecimentos adquiridos e a oferta de condições de trabalho para a sua aplicação;

Curso Integrado de Grandes Endemias – 12 f)Visão parcial do conteúdo, comprometendo sua aplicabilidade; g)Incapacidade de contribuir para a organização de serviços e melhora na resolutividade das ações de saúde; h)Perda de credibilidade do nível local em relação aos níveis responsáveis pelas capacitações (Regionais de Saúde e SES).

Curso Integrado de Grandes Endemias – 13

Proposta para um novo modelo de capacitações

Tendo estas discussões como orientadoras para se pensar um novo modelo de capacitações, descreveram-se então as características que este modelo deveria apresentar para contornar os problemas identificados.

Entre as mais importantes, foram destacadas as seguintes:

a)As capacitações deveriam fazer parte de um menu de capacitações presenciais integradas para as Equipes de atenção primária e da saúde da família, onde todas as categorias profissionais envolvidas fossem atingidas de forma integrada; b)Deveriam ser estabelecidos critérios claros para a definição e identificação das clientelas; c)Os instrutores deveriam ser cadastrados; d)Deveria haver um investimento explícito na capacitação pedagógica de instrutores e multiplicadores; e)Deveriam ser disponibilizados materiais didáticos adequados e de qualidade, voltados, sempre que possível, para a realidade local; f)Um banco de dados sobre os profissionais treinados deveria ser mantido e atualizado, sistematicamente; g)A educação continuada deveria ser institucionalizada e sistematizada, incluindo a disponibilização de metodologias e tecnologias que permitam a implementação do ensino a distância, disponibilização de contato com grupo de tutores, referências para as diferentes áreas, etc.; h)Além disso, o auto-didatismo deveria ser estimulado e viabilizado institucionalmente; i)Supervisão técnica em serviço, integrada e consonante com o processo de capacitação;

Curso Integrado de Grandes Endemias – 14 j)Definição de critérios de avaliação do curso e dos resultados no serviço, subsidiando o aprimoramento do projeto.

Desta forma, em um primeiro momento, por uma questão meramente operacional, foram identificadas seis grandes áreas da atenção primária à saúde, no âmbito do SUS, que deveriam ser alvos de capacitações.

1.Grandes endemias (incluindo: Tuberculose, Hanseníase, Dengue, Malária, Leishmaniose, Doença de Chagas, DST/AIDS);

2. Agravos crônico-degenerativos; 3. Agravos Imunopreveníveis; 4.Saúde da mulher; 5.Saúde da criança; 6.Saúde mental.

Esta divisão em seis grandes áreas é limitada, e se relaciona mais à ótica de quem oferta o serviço do que de quem será o alvo efetivo da capacitação (o profissional de saúde) ou o usuário final (a população). No entanto, enfatiza-se aqui, novamente, que esta divisão, apesar de ainda artificial e momentânea, foi necessária devido a aspectos operacionais de desenvolvimento da proposta inicial, e da própria estrutura organizacional da Secretaria de Estado de Saúde. Porém, acredita-se ser necessária uma integração ainda mais abrangente, tornando imperceptível este recorte inicial durante o processo.

A etapa inicial deste processo foi a construção do menu de capacitações presenciais integradas, entendendo que este menu é apenas um dos componentes do modelo de capacitação proposto, o qual incorporará outras estratégias, tais como: diferentes metodologias de ensino a distância, disponibilização de tutores, estímulo ao autodidatismo, supervisão técnica articulada ao processo de capacitações, acompanhamento de egressos, entre outras.

Curso Integrado de Grandes Endemias – 15

O menu das capacitações presenciais integradas:

Atenção primária na área das grandes endemias

Como referido, esta experiência piloto utilizou-se da área da atenção primária para as grandes endemias como o primeiro alvo desta estratégia. Além disto, optou-se pela construção inicial do menu de capacitações presenciais integradas desta área.

A construção deste modelo desenvolveu-se em seis etapas, a saber:

–Definição dos eixos de atuação das categorias profissionais. SEGUNDA ETAPA:

–Definição das categorias profissionais envolvidas em cada eixo de atuação.

–Definição do perfil e atribuições das categorias profissionais em cada eixo de atuação.

–Definição das capacitações necessárias para se atingir o perfil esperado de cada categoria profissional, em cada eixo de atuação.

–Elaboração do material instrucional. SEXTA ETAPA:

–Definição da grade de pré-requisitos para cada capacitação.

Curso Integrado de Grandes Endemias – 16

Primeira etapa:

Definição dos eixos de atuação das categorias profissionais

Foram identificados três grandes eixos de atuação das categorias profissionais relacionados à atenção primária, na área das grandes endemias (anexo I), a saber:

1.Atenção ao Paciente. 2.Epidemiologia e Gestão em Saúde. 3.Entomologia e Vigilância Ambiental.

Segunda etapa:

Definição das categorias profissionais envolvidas em cada eixo de atuação

Para cada um dos três grandes eixos de atuação das categorias profissionais relacionados à atenção primária na área das grandes endemias, foram identificadas as categorias profissionais vinculadas a eles.

Desta forma, foi identificada a seguinte lista de profissionais de saúde segundo eixo de atuação:

etneicaPoaoãçnetAo riemrefneeocidéM

)SCA(edúaSedoirátinumoCetnegA megamrefnEedrailixuA ocimíuqoiB oirótarobaLedrailixuAeocincéT laicoSetnetsissA edúaSmeoãtseGeaigoloimedipEl apicinumrotseG )roirepuslevín(aigoloimedipEmeocincéT

)oidémlevín(aigoloimedipEmeocincéT acitámrofnimeocincéT latneibmAaicnâligiVeaigolomotnEa igolomotnEedrailixuA

)ASA(latneibmAedúaSedetnegA latneibmAedúaSedepiuqEedrodanedrooC

Curso Integrado de Grandes Endemias – 17

Terceira etapa:

Definição do perfil e atribuições das categorias profissionais, em cada eixo de atuação

Em uma terceira etapa, foi discutido o perfil atual de cada uma das categorias profissionais identificados atuando em cada eixo. Além disso, foi estabelecido qual seria o perfil esperado destes profissionais (o que ele deveria ser capaz de fazer), para atuar de forma efetiva na atenção primária na área das grandes endemias. Dentro desta perspectiva, derivou-se uma lista de atribuições para as quais estes profissionais deveriam estar preparados e ter suas habilidades específicas desenvolvidas.

Perfil atualPerfil esperadoAtribuições

Apresentaremos, a seguir, um exemplo desta etapa, e a listagem completa destas atribuições encontra-se no Anexo.

Atribuições

EXEMPLO: Entomologia e Vigilância Ambiental (Guarda de endemias) Perfil atual:Perfil esperado: Guarda de endemiasAgente de Saúde Ambiental (ASA)

–Atuar no controle químico de vetores, com conhecimento sobre a ação e riscos das diferentes classes de inseticidas;

–Atuar na execução de outros métodos de controle de vetores, com conhecimento de seus usos e riscos;

–Identificar e tratar criadouros de vetores;

–Atuar como um agente notificador da vigilância sanitária e epidemiológica, com noções básicas nestas áreas;

–Atuar como um agente notificador da vigilância entomológica, com conhecimento sobre ecologia de vetores, principais habitats e características morfológicas;

(Parte 2 de 6)

Comentários