Índices Financeiros

Índices Financeiros

Me. AlMe. Alíírio Nogueirario Nogueira w.jotamarketing.blospot.comw.jotamarketing.blospot.com

Podemos dizer que a análise financeira de uma empresa consiste num exame minucioso dos dados financeiros disponíveis sobre a empresa, bem como das condições endógenas e exógenas, que afetam financeiramente a empresa.

Atividades envolvidas

Atividades envolvidas

Coletar–obtenção das D.F. e outras informações.

Conferir–consiste em uma pré-análise para verificar se as informações estão completas, se são compreensíveis e confiáveis.

Preparação–fase de reclassificação das DF para adequá-las aos padrões internos da instituição que vai efetuar a análise.

Atividades envolvidas

Processamento–processamento das informações e emissão dos relatórios no formato interno da instituição. Normalmente, esse processo de emissão de relatórios é cálculo de indicadores éfeito por meio de processamento eletrônico de dados.

Atividades envolvidas

Análise–fase de análise das informações disponíveis, principalmente os relatórios e indicadores jáobtidos. Esta fase exige muito da capacidade de observação, do conhecimento e da experiência do analista.

Conclusão–esta éuma das fases mais importantes da análise. Consiste em identificar, ordenar, destacar e escrever sobre os principais pontos e recomendações acerca da empresa.

Éimportante destacar que a Análise Financeira não pode ser limitada apenas aos indicadores de natureza financeira, pois háuma série de fatores que, mesmo não podendo ser chamados de financeiros, causam impacto na saúde financeira da empresa. Para se conhecer uma empresa, algumas questões devem ser elucidadas como:

Consideração

Por exemplo:

O que faz a empresa? Que padrão de tecnologia apresenta? Que tipo de público consome seus produtos? Quem são seus principais concorrentes? Quais são seus pontos fortes e fracos? Os administradores são bem capacitados?

Análise financeira e áreas afins

A Análise financeira de empresas mantém relação com várias outras disciplinas afins, como: contabilidade, administração financeira, economia, direito e estatística, entre outras.

Avaliação do Desempenho Empresarial

Parte I

Estudo de tendências

Por intermédio da análise vertical/horizontal podem-se conhecer pormenores das demonstrações financeiras que escapam àanálise genérica através de índices.

Análise Vertical

A análise vertical mede proporções entre os valores e a BASE, possibilitando observar as contas de maior valor e de maior importância na análise. Permite ainda que se faça a análise da Estrutura de Capitalde forma fácil.

permite visão global de toda situação financeira.

Base para o Cálculo BASE para:

ATIVOTOTAL DO ATIVO = 100%
PASSIVOTOTAL DO PASSIVO = 100%
D.R.EVENDAS LÍQ. ouRECEITA

Exemplo:

Análise Vertical

“O percentual de cada conta mostra sua real importância no conjunto” Matarazzo(1998, p.249) uma das utilidades da análise vertical éa montagem da Estrutura de Capital de qualquer empresa.

para isto, toma-se os resultados de análise vertical de cada um dos grupos do Ativo e Passivo colocando-os em dois quadros que indicam Fontes (Passivo) e Aplicações (Ativo) dos recursos.

Estrutura de Capital

Exemplo: ATIVO PASSIVO

Recursos próprios financiam todos os ativos de longo prazo e ainda hásobra para o Capital de Giro.

Tipos de Estrutura de Capital:

Recursos de terceiros de longo prazo complementam o financiamento de ativo de longo prazo e sobra parte para Capital de Giro.

Recursos próprios e de terceiros de longo prazo são insuficientes para financiar os ativos de longo prazo

Exercício 01

RECEITA BRUTA2.227.90,0
Vendas2.227.90,0
(-) DEDUÇÕES-
Impostos sobre receitas-
RECEITA LÍQUIDA2.227.90,0
(-) CUSTO DE VENDAS(1.527.60,0)
Custo das mercadorias vendidas(1.527.60,0)
LUCRO BRUTO70.30,0
(-) DESPESAS OPERACIONAIS(472.0,0)

Devoluções de vendas Abatimento sobre vendas

Despesas administrativas(472.0,0)
Despesas financeiras -
Receitas financeiras-

Despesa de vendas (+/-) Outras Rec./Desp. Operacionais

LUCRO OPERACIONAL228.30,0
LUCRO ANTES CSL228.30,0

+ RECEITAS NÃO OPERACIONAIS (-) Provisão para CSLL

LUCRO ANTES IR228.30,0

(-) Provisão para o imposto de renda

LUCRO DEPOIS IR228.30,0
(-) PARTICIPAÇÕES-

Empregados Administradores

LUCRO LÍQUIDO DO EXERCÍCIO228.30,0

Análise Horizontal comparação que se faz entre valores de uma mesma conta ou grupo de contas, em diferentes exercícios sociais.

processo de análise temporal, desenvolvido por meio de números-índices.

Análise Horizontal

“A evolução de cada conta mostra os caminhos trilhados pela empresa e as possíveis tendências” Matarazzo (1998, p.251)

Análise através de Índices

Índice relação entre contas ou grupo de contas das

Demonstrações Financeiras, que visa evidenciar determinado aspecto da situação econômica ou financeira de uma empresa.

fornecer uma visão ampla da situação econômica ou financeira da empresa.

Característica fundamental

Quantos índices são necessários para uma boa análise? depende exclusivamente da profundidade que se deseja da análise.

(empresas industriais e comerciais mínimo de 4 máximo, 1).

Aspectos revelados pelos índices a) situação financeira: índices de estrutura de capital; índices de liquidez.

b) situação econômica índice de rentabilidade

Descrição dos Índices mostram as grandes linhas de decisões financeiras, em termos de obtenção e aplicação de recursos.

Estrutura de capitais

Participação de Capitais de Terceiros(Endividamento)

Fórmula: Capitais de Terceirosx 100 Patrimônio Líquido

Indica: quanto a empresa tomou de capitais de terceiros para cada $100 de capital próprio investido.

Interpretação: quanto menor, melhor.

Composição do Endividamento

Fórmula: Passivo Circulantex 100

Capital de Terceiros

Indica: qual o percentual de obrigações de curto prazo em relação às obrigações totais.

Interpretação: quanto menor, melhor mostra o desdobramento do endiv. de curto e longo prazo

Imobilização do Patr. Líquido

Fórmula: Ativo Permanentex 100 Patrimônio Líquido

Indica: quanto a empresa aplicou no Ativo Permanente para cada $100 de P. Líquido.

Interpretação: quanto menor, melhor parcela do Patrimônio Líquido investida no Ativo Circulante.

Portanto: C C P = P L –A P + R L P

C C P = Capital Circulante Próprio

P L= Patrimônio Líquido
A P= Ativo Permanente

CCP –Capital Circulante Próprio

Imobilização dos recursos não Correntes

Fórmula: Ativo Permanentex 100 P. Líq. + Exig. L.P.

Indica: que percentual de recursos não circulante a empresa aplicou no At. Perm.

Interpretação: quanto menor, melhor parcela de recursos não circulantes destinadas ao Ativo Circulante.

C C L = C C P + E L P Obs.O CCLrepresenta a folga financeira a curto prazo.

CCL –Capital Circulante Líquido

mostram a base da situação financeira

da empresa.

Descrição dos Índices Índices de liquidez

Índice de Liquidez Geral

Fórmula: AC + RLP PC + ELP

Indica: quanto a empresa possuíno At. Cir. e Real. a L. P. para cada $ 1,0 de dívida total.

Interpretação: quanto maior, melhor deve ser analisado com muito cuidado. éimportante examinar esse quociente em conjunto com o índice de liquidez corrente mostra a saúde financeira de longo prazo

Índice de Liquidez Corrente

Fórmula: Ativo Circulante

Passivo Circulante

Indica: quanto a empresa possuíno At. Circ. para cada $ 1,0 de Passivo Circulante.

Interpretação: quanto maior, melhor.

Favorável quando superior a 1; Índices < 1 revelam a curto prazo insuficiência de fundos para o pagamento das obrigações.

mostra a capacidade de pagam. da empresa no curto prazo

O Capital Circulante Líquido pode ser encontrado também através da diferença entre Ativo Circulante e Passivo Circulante.

Desta forma, pode-se demonstrar matematicamente que o que ultrapassar de 1, no índice de liquidez, deve-se ao Capital Circulante Líquido.

CCL –Capital Circulante Líquido

Liquidez Seca

Fórmula: At.Cir. -Estoques

Pass. Circulante

Indica: quanto a empresa possuíno Ativo Líquido para cada $ 1,0 de P. Circulante.

Interpretação: quanto maior, melhor disponibilidade para honrar compromissos a curto prazo

PADRÕES DE LIQUIDEZ Padrão

Liquidez Corrente AC/PC

Liquidez Seca (AC-EST)/PC

1,02,50
0,751,50
1,02,50

Liquidez Geral (AC + RLP)/(PC+ELP)

Índices de Rentabilidade

Os índices deste grupo mostram qual a rentabilidade dos capitais investidos, isto é, qual o grau de êxito econômico da empresa.

Fórmula:Receita Op. Líquida

Giro do Ativo Ativo Total

Indica: quanto a empresa vendeu para

cada $1,0 de investimento total.

Interpretação: quanto maior, melhor

Giro do Ativo

O sucesso de uma empresa depende primeiramente, de um volume de vendas adequado, este por sua vez tem relação direta com o montante de investimentos. Não se pode dizer se uma empresa estávendendo pouco ou muito olhando-se apenas para o valor absoluto de vendas. Uma empresa que vende $ 10.0.0/mês tem vendas elevadas se o seu Ativo éde $ 5.0.0, mas suas vendas serão baixas se o Ativo for de $200.0.0.

Margem Líquida

Fórmula: Lucro Líquidox 100 Vendas Líq.

Indica: quanto a empresa obtém de lucro para cada $100 vendidos.

Interpretação: quanto maior, melhor

Rentabilidade do Ativo

Fórmula: Lucro Líquidox 100 Ativo

Indica: quanto a empresa obtém de lucro para cada $ 100 de investimento total.

Interpretação: quanto maior, melhor

Rentabilidade do Patrimônio Líquido

Fórmula: Lucro Líquidox100 Pat. Líquido

Indica: quanto a empresa obteve de lucro para cada $ 100 de Capital Próprio Investido.

Interpretação: quanto maior, melhor

Participação deCapital de Terceiros x 100Quanto a empresa tomou de ÍNDICE FÓRMULA INDICA INTERPRETAÇÃO

Capitais de TerceirosPatrimônio Líquidocapitais de terceiros para cada

Quanto menor, melhor (Endividamento)$100 de capital próprio

EndividamentoCapital de Terceirosa curto parazo em relação às

Composição doPassivo Circulante x 100Qual o percentual de obrigaçõesQuanto menor, melhor obrigações totais

Patrimônio LíquidoPatrimônio Líquidono Ativo Permanente para cada

Imobilização doAtivo Permanente x 100Quantos reais a empresa aplicou Quanto menor, melhor $100 de Patrimônio Líquido

Imobilização dosAtivo Permanente x 100Que percentual de Recursos NãoQuanto menor, melhor

Recursos não CorrentesPatrimônio Líquido + PELPCorrentes (PL e PELP) foi destinado ao Ativo Permanente

Liquidez GeralAtivo Circulante + Realizável a LPQuanto a empresa possui de Quanto maior , melhor

Passivo Circulante + Exigível a LPAC + ARLP para cada $ 1 de dívida total

Liquidez CorrenteAtivo CirculanteQuanto a empresa possui deQuanto maior , melhor

Passivo CirculanteAtivo Circulante para cada $ 1 de Passivo Circulante

Liquidez SecaAtivo Circulante - EstoqueQuanto a empresa possui deQuanto maior , melhor

Passivo CirculanteAtivo Líquido para cada $ 1 de Passivo Circulante

Líquidez ImediataDisponívelQuanto a empresa possui de Quanto maior , melhor

Passivo CirculanteDisponível para cada $ 1 de Passivo Circulante

Rentabilidade doLucro (ou Prej. ) Líquido% de lucro ou prej. Em relação aoQuanto maior , melhor Capital NominalCapital Nominalcapital registrado da empresa

Lucro Líquidox 100Quanto a empresa obtém de lucro Quanto maior , melhor

Vendas Líquidaspara cada $ 100 vendidos

Rentabilidade de AtivoLucro Líquidox 100Quanto a empresa obtém de lucro Quanto maior , melhor

Ativopara cada $ 100 investimento total

Rentabilidade doLucro Líquidox 100Quanto a empresa obtém de lucro Quanto maior , melhor

Patrimônio Líquido para cada $ 100 de capital investido, em média, no exemplo o u

Patrimônio Líquido Margem Líquda pelo significado intrínseco; pela comparação ao longo de vários exercícios; pela comparação com índices-padrão.

Como avaliar os índices descoberta de indicadores; definição do comportamento do indicador; tabulação de padrões; escolha dos indicadores e atribuição de pesos.

Processo de Avaliação

Confeccionar um relatório parcial de análise da Cia Big comentando conjuntamente os índices até agora expostos.

Aplicação

74%6%5%Imobilização dos Recursos Não Correntes

163%121%71%Imobilização do Patrimônio Líquido

49%5%81%Composição do Endividamento

Estrutura de capital

Liquidez

10%13%23%Rentabilidade do Patrimônio Liquido

3%4%8%Rentabilidade do Ativo

Rentabilidade

Quanto a sua estrutura de capitais observa-se um aumento em mais de uma vez e meia no seu endividamento ao longo dos três anos analisados. Entretanto essas dívidas adquiriram um perfil de longo prazo, pois no primeiro ano 4/5 delas venciam no curto prazo e no último, apenas metade, dando-lhe uma folga para honrá-las. Quanto ao grau de imobilização dos recursos próprios do primeiro para o último ano, mais que dobrou, absorvendo todo Pat. Líq. e ainda utilizando quase 2/3 de capitais de terceiros, deixando-a desprovida de Capital Circulante Próprio, a partir do segundo ano. Entretanto, a imobilização de recursos não correntes sofreu um discreto aumento permitindo àempresa aumentar seu Capital Circulante Líquido.

Relatório Parcial: Cia Big

No que tange àliquidez, a geral decresceu nos dois últimos anos pelo fato da empresa não dispor de CCP. A relativa tranqüilidade do primeiro ano deixou de existir, pois a longo prazo ela dependeráda geração de recursos para manter boa liquidez. Contudo, em decorrência do aumento do CCL, ocorreu uma melhora discreta na sua liquidez corrente, sinalizando que a curto prazo não apresentaráproblemas de liquidez. Contribuindo para esta constatação o fato da liquidez seca ter se mantido no mesmo patamar.

Relatório Parcial: Cia Big

Se do ponto de vista financeiro piorou a situação ao longo dos anos, com algumas exceções, do ponto de vista econômico a situação desandou. Observa-se, ao logo dos três anos, apreciável queda nas vendas em relação ao investimentos efetuados, queda de 1% a cada ano na margem de lucro líquido. O efeito conjunto dessas quedas reduziu mais da metade, a rentabilidade do Ativo, isto é, o poder de capitalização da empresa desceu a níveis muito baixos. Como reflexo disso, a rentabilidade do Pat. Líq. despencou 40% indicando que a empresa consegui remuneração modesta no último ano.

Relatório Parcial: Cia Big

Conclusões da Análise Vert. e Horiz.

O Ativo total da empresa cresceu 107% do ano 1 para 3 em termos reais. Esse crescimento deveu-se principalmente ao Ativo Permanente que teve expansão de 255%. Jáo Ativo Circulante apresentou crescimento de apenas 50%. Dessa forma, alterou-se a estrutura do Ativo da empresa.No ano 1, 72% dos recursos achavam-se investidos no Ativo Circulante, percentual que caiu para 52%, no ano 3. esse crescimento foi financiado basicamente por Capitais de Terceiros de Longo Prazo que passaram, de 12% do Passivo Total para 35%, em 3, constituindo-se no principal grupo de financiamento neste último ano.

Continuação -Análise Vert. e Horiz.

O Patrimônio Líquido, que fornecia 39% dos recursos no ano 1, caiu para 30% em 3, enquanto o Passivo Circulante caiu nesse mesmo período de 49% para 35%. Tendo o Passivo Circulante crescido menos que o Ativo Circulante, tendo a empresa financiado parte deste último com Exigível a Longo Prazo. Os Capitais de Terceiros tiveram crescimento superior ao do Ativo (141% contra 107% do Ativo), em virtude da diminuição do Patrimônio Líquido. Outro aspecto que se destaca éa alteração em “Fornecedores”. Essa era a principal fonte de recursos da empresa, em 1, representando 26% do Passivo. Nesse ano, “Fornecedores”financiava quase todo o Estoque. No ano 3, esse percentual caiu para 12%, cobrindo apenas metade dos estoques da empresa. Essa alteração foi desfavorável, pois “Fornecedores”, além de representar uma fonte estável de recursos é frequentemente mais barata. Essa troca foi por financiamentos bancários que representam uma fonte de risco maior devido a incerteza da renovação

Análise de Balanços através de índices sóadquire consistência e objetividade quando os índices são comparados com padrões.

Índices-padrão

Tipos de medidas de posição: Estatística na Análise de Balanços média; moda; mediana; quartis, decis, percentis.

Exemplo: Construção de padrões

Ramo da Empresa: Tinta e vernizes Nºde amostras: 30 empresas

Índices de Liquidez Corrente:

Encontrar os decise a mediana deste conjunto

Passos

Colocar os índices em ordem crescente.1ºPasso

Calcular os decis.2ºPasso

1ºdecil: 10% abaixo e 90% acima.

Para um conjunto de 30 elementos, o 1ºdecildeixa 3 elementos abaixo de si e 27 acima. Portanto o 1º deciléobtido através da média aritmética dos valores

Comentários