(Parte 1 de 2)

Meu bebê tem Doença Falciforme

O que fazer?

Agência Nacional de Vigilância Sanitária

2Guia Sobre Doenças Falciformes Manual do Paciente

Diretor Presidente Gonzalo Vecina Neto

Diretores Luiz Carlos Wandreley Lima

Luiz Felipe Moreira Lima Luiz Milton Veloso Costa Ricardo Oliva

Gerente-Geral de Sangue, outros Tecidos e Orgãos Beatriz Mac Dowell Soares

Sub-comitê de Hemoglobinopatia Sara T. O. Saad Isis Quezado Magalhães Marco Antônio Zago Rosana Vilela Clarisse Lobo

Design Gráfico Gerência de Comunicação Multimídia

Divulgação Unidade de Divulgação divulga@anvisa.gov.br

3Guia Sobre Doenças Falciformes Manual do Paciente

O que é Anemia Falciforme ?

A Doença Falciforme é uma doença hereditária do sangue, que afeta 1 em cada 1.0 cidadãos brasileiros.

Há vários tipos diferentes de Doença Falciforme, que variam quanto à gravidade, alguns causando muitos problemas e outros, quase nenhum.

Algumas complicações da Doença Falciforme podem afetar o bebê, tornando, então, necessário que você esteja consciente a respeito dos conceitos de alguns problemas que poderão ocorrer com seu filho, e como preveni-los.

Porquê meu bebê nasceu com Anemia Falciforme?

Para responder a essa pergunta, é necessário que você entenda um pouco sobre o processo de produção de glóbulos vermelhos e de hemoglobinas.

A hemoglobina é essencial para a saúde porque transporta o oxigênio do pulmão para todos os órgãos do corpo.

A hemoglobina normal é chamada de A e os indivíduos normais são considerados A, porque recebem uma parte do pai e outra da mãe.

Na Doença Falciforme a hemoglobina produzida é anormal e é chamada de S. Quando a pessoa recebe de um dos pais a hemoglobina A e de outro a hemoglobina S, ele é chamado de “traço falcêmico”, sendo representado por AS. O portador de traço falcêmico não é doente, sendo portanto assintomático e só é descoberto quando é realizado um estudo familiar.

Quando ambos os pais são portadores de Traço Falcêmico, alguns filhos podem ser doentes, portadores do Traço Falcêmico, ou ainda, podem ser normais.

Quando uma pessoa recebe de ambos, pai e mãe, a hemoglobina S, ela nasce com Doença Falciforme cuja representação mais comum é S.

Existem outras formas de apresentação da

Doença Falciforme, quando um dos pais é portador de Traço Falcêmico e o outro é portador de alguma hemoglobina variante. As mais comuns são Hemoglobina C, Hemoglobina D e Traço Talassêmico.

4Guia Sobre Doenças Falciformes Manual do Paciente

A hemoglobina S, dentro da hemácia, faz com que a mesma perca a sua maleabilidade, se torne rígida e “grude” na parede dos vasos do corpo, diminuindo a circulação do sangue naquela região. Com a diminuição da circulação aparecerão os sintomas da doença.

Quais são os sintomas mais comuns da Doença Falciforme?

A Doença Falciforme pode manifestar-se de forma diferente em cada indivíduo. Uns têm apenas alguns sintomas leves, já outros apresentam um ou mais sinais ou sintomas. Estes variam com a idade e, sobretudo, com os cuidados que se têm para preveni-los.

Os sintomas relativos à doença costumam surgir após os seis meses de idade. O quadro abaixo resume os sinais de alerta da doença, ou seja aqueles que indicam que você deve levar seu bebê à emergência, mesmo sem ter consulta marcada, e como eles podem ser reconhecidos.

ANEMIA: A HEMÁCIA DO PACIENTE FALCÊMICO É PRODUZIDA NORMALMENTE. NO ENTANTO, COMO É ALTERADA, ELA É DESTRUÍDA RAPIDAMENTE, O QUE LEVA AO APARECiMENTO DE ANEMIA. ESTA ANEMIA NÃO É CORRIGIDA COM VITAMINAS E FAZ PARTE DA DOENÇA, QUE VAI ACOMPANHAR O BEBÊ POR TODA A VIDA.

FEBRE ACIMA DE 38ºC TOSSE DIARRÉIA

INFECÇÃO: EM CRIANÇAS DE ATÉ 5 ANOS, A INFECÇÃO, QUE GERALMENTE SE APRESENTA COMO GRIPE, RESFRIADO OU FEBRE, CORRESPONDE A UM FATOR QUE PODE PROVOCAR DORES, ALÉM DE AGRAVAR A ANEMIA . É A PRINCIPAL CAUSA DE MORTE DO BEBÊ. POR ISSO, O BEBÊ COM ANEMIA FALCIFORME DEVE FAZER USO DE ANTIBIÓTICO, COM O OBJETIVO DE PREVENIR OS EPISÓDIOS INFECCIOSOS, A PARTIR DOS PRIMEIROS MESES DE IDADE, ATÉ OS 5 ANOS, ALÉM DE TAMBÉM RECEBER VACINAS ESPECIAIS, PARA PREVENIR ALGUMAS INFECÇÕES.

5Guia Sobre Doenças Falciformes Manual do Paciente

Meu filho vai crescer normalmente?

Crianças com Doença Falciforme podem crescer e se desenvolver mais lentamente que crianças normais. Elas são freqüentemente mais magras e entram na puberdade mais tarde do que o normal, por volta dos 17 anos. A função sexual, entretanto, é normal.

Geralmente, na idade adulta, sua estatura é normal, embora, na maioria das vezes, permaneçam magras.

Posso amamentar o meu bebê ?

Seu bebê deve ser alimentado como qualquer outro bebê.

Deve receber leite materno até os seis meses, pois este representa a principal fonte de nutrientes para o crescimento adequado. Após os seis meses, a alimentação deve ser semelhante à de qualquer criança, ou seja, rica em frutas, legumes, verduras e proteínas de origem animal.

E quanto à capacidade de aprendizado na escola?

Crianças com Doença Falciforme não apresentam qualquer deficiência no aprendizado. No entanto, algumas vezes, pode ser necessário um reforço no conteúdo escolar, para recuperar possíveis faltas às aulas devido a internações hospitalares ou crises de dor.

E a dentição do meu bebê?

O desenvolvimento dental na Doença Falciforme é normal. Os cuidados especiais estão indicados na prevenção da cárie dentária. Todos devem escovar os dentes após ingestão de qualquer tipo de alimento, principalmente os ricos em açúcar.

É importante ressaltar que o uso continuado de antibióticos, nos primeiros 5 anos de vida, não causa qualquer dano à dentição do seu bebê.

Devo seguir o calendário de vacinação normal?

Sim, você deve seguir o calendário de vacinação realizado pelos postos de saúde, bem como participar de todas as campanhas públicas de vacinação. Além disso, ele deve receber algumas vacinas especiais, como demonstrado na página seguinte.

Você deve trazer o cartão de vacinação a cada consulta do seu bebê.

6Guia Sobre Doenças Falciformes Manual do Paciente

Calendário vacinal da criança com anemia falciforme:

(Parte 1 de 2)

Comentários