(Parte 5 de 5)

Os resíduos do Grupo A, B, C e E são coletados pela empresa que é licenciada pela FEEMA - Fundação Estadual de Engenharia do Meio Ambiente - onde são armazenados temporariamente para posterior tratamento. Se for o caso.

GRUPO

TIPO DE RESIDUO

TRATAMENTO

EQUIPAMENTO

LICENÇA

CUSTO

(R$/ Kg)

EMPRESA

Grupo A

(Risco Biológico)

Curativos, peças anatômicas, bolsas de sangue, vísceras, seringas, agulhas, bisturis, luvas, etc

Descontaminação

por autoclave

Forno

15/7

R$ 3,00 / KG

COLEFAR

Grupo B

(Risco Químico)

Restos de medicamentos,

embalagens vazias que

estiveram diretamente em contato com medicamentos, medicamentos vencidos, Lâmpadas fluorescentes, etc

Aterro de resíduos

perigosos, classe I Reciclagem - recuperação do mercúrio

Forno

15/7

R$ 3,00 / KG

COLEFAR

Grupo C

(REJEITO RADIOATIVO)

Resíduos contaminados com radionuclídeos, reveladores e Fixadores de Raio X

Célula de decaimento

Grupo E

(Risco Biológico)

Ampolas de Medicamentos e contaminados,

Seringa, agulha, ponta do

Equipo, scalp, cateter intravenoso,

Incineração em forno rotativo

Forno

15/7

R$ 3,00 / KG

COLEFAR

CONTINUAÇÃO MANEJO DE RSS TRATAMENTO EXTERNO PELA EMPRESA CONTRATADA

SITUAÇAO

(Atividade, Definição)

PROCEDIMENTO

PRINCIPIOS DO

SISTEMA EM

SITUAÇAO DE ROTINA

Classe A – armazenamento no contenedor A e transferência ao veículo de coleta da PTR.

Classe B – Armazenamento no contenedor B e transferência ao veículo de coleta da SILVA E SILVA LTDA.

Classe D - RECICLÁVEIS – armazenamento no contenedor DRECICLÁVEIS e transferência ao veículo de coleta DO DMLU.

Classe D - NÃO RECICLÁVEIS – armazenamento no contenedor DNÃO

RECICLÁVEIS e transferência ao veículo de coleta DO DMLU.

Em todos os casos o Auxiliar de Serviços Gerais.

acompanha o carregamento dos respectivos veículos pelo operador da empresa contratada/conveniada.

PRINCIPIOS DO

SISTEMA EM

SITUAÇAO

SITUAÇAO

(Sobrecarga, falta de recurso, acidente)

PROCEDIMENTO/CONTRAMEDIDA

EMERGENCIAL

Acidente –

Classe A - Acionar a Diretor do PAM e Classe B - Acionar a Empresa contratada e Gerencia de Emergência Ambiental

Classe C- Isolar a área imediatamente e acionar a Diretor do PAM

Classe D – Proceder a coleta e destinação a local apropriado.

Coleta e destinação

Atraso ou ausência do veículo coletor na data/hora definidas

Classe A – armazenamento no contenedor A e transferência ao veículo de coleta da PTR ou outra empresa contratada emergencialmente.

Classe B – Armazenamento no contenedor B e transferência ao veículo de coleta da SILVA E SILVA LTDA ou outra empresa contratada emergencialmente.

Classe D - RECICLÁVEIS – armazenamento no contenedor DRECICLÁVEIS e transferência ao veículo de coleta DO DMLU ou

outra empresa contratada emergencialmente.

Classe D - NÃO RECICLÁVEIS – armazenamento no contenedor DNÃO RECICLÁVEIS e transferência ao veículo de coleta DO DMLU ou outra empresa contratada emergencialmente.

Em todos os casos o Auxiliar de Serviços Gerais.

acompanha o carregamento dos respectivos veículos pelo operador da empresa contratada/conveniada ou da empresa contratada emergencialmente Neste último caso, o funcionário responsável deverá checar as condições do veículo, a habilitação do condutor e a validade das licenças da nova empresa.

CONTINUAÇÃO MANEJO DE RSS TRATAMENTO EXTERNO PELA EMPRESA CONTRATADA

GRUPO

TIPO DE RESIDUO

TRATAMENTO

DISPOSIÇAO FINAL

MEDIA MENSAL

(Kg/mês)

CUSTO

(R$/Kg)

EMPRESA

Grupo A

(Risco Biológico)

Curativos, peças anatômicas, bolsas de sangue, vísceras, seringas, agulhas, bisturis, luvas, etc

Descontaminação

por autoclave

Forno

1 Kg

R$ 3,00

COLEFAR

Grupo B

(Risco Químico)

Restos de medicamentos,

embalagens vazias que estiveram diretamente em contato com medicamentos, medicamentos vencidos, lâmpadas fluorescentes, etc

Aterro de resíduos

perigosos, classe I Reciclagem - recuperação do mercúrio

Forno

0,5 Kg

R$ 3,00

COLEFAR

Grupo C

(REJEITO RADIOATIVO)

Resíduos contaminados com

radionuclídeos.

Célula de decaimento

Grupo D

(RESÍDUO COMUM),

Papel, papelão, latas,

plásticos, embalagens de medicamento e soro que não estiveram em contato direto com medicamentos

Galpão de triagem e os

rejeitos para aterro sanitário

Prefeitura

Grupo E

(Risco Biológico)

Ampolas de Medicamentos e contaminados,

Seringa, agulha, ponta do Equipo, scalp, cateter intravenoso,

Incineração em forno rotativo

Forno

0,5 Kg

R$ 3,00

COLEFAR

PESSOAL DIRETAMENTE RELACIONADO COM O MANEJO DOS RESIDUOS

ATIVIDADE

N.º DE FUNCIONARIOS

DO ESTABELECIMENTO

TERCEIRIZADOS

TOTAL

MANHA

TARDE

NOITE

MANHA

TARDE

NOITE

Coleta interna

01

01

-

02

Tratamento interno

01

01

-

02

Coleta externa

-

01

-

1

02

Tratamento externo

-

-

-

-

Disposição final

-

-

-

1

01

Tratamento por decaimento

dos rejetos radioativos

-

-

-

-

DESTINAÇÃO FINAL

Atualmente, a coleta, o tratamento e a disposição final dos resíduos biológicos do Centro Atenção estão a cargo da Empresa Colefar Ltda, com sede na R: Governador Milton Campos, 110 – Tupi – Belo Horizonte/Minas Gerais. A Empresa está Inscrita no Cadastro de Pessoa Jurídica sob nº 04.962.103/0001-93 e possui Licença de Operação para transporte dos resíduos sob nº 249, tendo como responsável técnico o Engenheiro Químico Sérgio Araújo. Para o tratamento e destinação, possui a Licença de Operação nº 15/7.

Os resíduos do Grupo A, B e E são coletados pela empresa Colefar Ltda que é credenciada pela FEAM, para execução desse serviço e esses resíduos serão encaminhados para destruição térmica (Incineração). Os fluidos corpóreos provenientes dos procedimentos médicos e de enfermagem, depois da execução dos procedimentos, são despejados na pia da área de lavagem.

Os resíduos do grupo D também são coletados pela limpeza urbana da cidade e encaminhados para aterros controlados.

AVALIAÇAO PRELIMINAR DE RISCOS ASSOCIADOS AO RSS

Local

RISCOS FISICOS

RISCOS BIOLOGICOS

RISCOS QUIMICOS

RISCOS ERGONOMICOS

RISCOS DE ACIDENTES

Recepção

X

X

Sala de Espera

X

X

Triagem

X

Consultório

X

X

Sala de Enfermagem/Farmácia/

Administração

X

X

X

X

X

Cozinha ou Copa

X

X

X

Setores administrativos

X

Serviço de Higienização

X

X

X

X

X

MAPEAMENTO DOS RISCOS ASSOCIADOS AO RSS

LOCAL

RISCOS

Físico

RISCOS

BIOLÓGICOS

RISCOS

QUÍMICOS

RISCOS

ERGONÔMICOS

RISCOS DE

ACIDENTES

Sala de Espera, Recepção, Sala de Administração

Levantamento e

transporte manual

de pesos, postura

inadequada.

Acondicionamento

inadequado, inexistência

de identificação nos

recipientes.

Consultório

Acidentes punctórios ou

de contato,

Microorganismos

Levantamento e

transporte manual

de pesos, problemas posturais

Iluminação inadequada,

Acondicionamento inadequado, inexistência ou incorreção na identificação dos recipientes e sacos coletores.

Sala de Enfermagem / Farmácia

Acidentes punctórios ou

de contato,

Microorganismos

Contato ou inalação c/

substâncias químicos

Levantamento e

transporte manual

de pesos, problemas posturais

Cortes, punção

Iluminação inadequada,

Materiais perfuro cortantes,

Acondicionamento inadequado, inexistência ou incorreção na identificação dos recipientes e sacos coletores.

MAPEAMENTO DOS RISCOS ASSOCIADOS AO RSS

LOCAL

RISCOS

FÍSICO

RISCOS

BIOLÓGICOS

RISCOS

QUÍMICOS

RISCOS

ERGONÔMICOS

RISCOS DE

ACIDENTES

Sala de Enfermagem e farmácia

Ruídos

Acidentes punctórios ou

de contato,

Microorganismos

Contato ou inalação c/

substâncias químicas de

contraste (ex. iodo), medicamentos (ampolas)

Levantamento e

transporte manual

de pesos, problemas posturais

Cortes, punção,

Sanitários

Microorganismos

Contato ou inalação c/

substâncias químicos e produtos de eliminação fisiológica

Levantamento e

transporte manual

de pesos, postura

inadequada.

Acondicionamento inadequado, inexistência

ou incorreção na identificação dos recipientes e sacos coletores.

Cozinha ou Copa Refeitório Funcionários

Contato c/ sobras alimentares de pacientes de isolamento

Levantamento e

transporte manual

de pesos, postura

inadequada

Queimaduras, cortes

MAPEAMENTO DOS RISCOS ASSOCIADOS AO RSS

LOCAL

RISCOS

FÍSICO

RISCOS

BIOLÓGICOS

RISCOS

QUÍMICOS

RISCOS

ERGONÔMICOS

RISCOS DE

ACIDENTES

Serviço de Higienização

Contato ou inalação c/

produtos químicos

Levantamento e

transporte manual

de pesos, postura

inadequada

Cortes, punção iluminação inadequada, Materiais perfurocortantes, acondicionamento inadequado, inexistência ou incorreção na identificação dos recipientes e sacos coletores.

Almoxarifado ou Estoque de Medicação

(Farmácia /sala de Enfermagem)

Levantamento e

transporte manual

de pesos, postura

inadequada.

Acondicionamento

inadequado, inexistência

de identificação nos

recipientes.

Área de armazenamento

interno de resíduos

Acidentes punctórios ou

de contato,

Microorganismos

Contato ou inalação c/

substâncias químicos

Levantamento e

transporte manual

de pesos, problemas posturais

Cortes, punção iluminação inadequada, Materiais perfurocortantes, acondicionamento inadequado, inexistência ou incorreção na identificação dos recipientes e sacos coletores.

CONTROLE DE RISCOS

PROCESSO

SEGREGAÇÃO, ACONDICIONAMENTO, COLETA INTERNA, TRANSPORTE E TRANSBORDO PARA O ABRIGO EXTERNO

ONDE

O QUE

QUEM

COMO

QUANDO

AÇAO

TODO O ESTABALECIMENTO

RISCO BIOLÓGICO

Contaminação

por agentes biológicos

Médico, Enfermeiro, Farmacêutico, Tec. e Auxiliares de Enfermagem, Serviços Gerais

Lesão por corte e

perfuração causada por resíduo perfuro cortante.

Contato com materiais

contaminados com

fluidos orgânicos

Horário de coleta interna, transporte e transbordo para abrigo externo.

Na segregação e

acondicionamento.

Cursos de capacitação.

Utilização dos EPl's necessários.

Segregação correta. Acondicionamento

em recipientes específicos para cada tipo de resíduo.

Identificação correta dos

recipientes e sacos coletores.

Ajuste dos equipamentos às necessidades dos

funcionários.

Uso de EPI adequado.

Atendimento às normas

técnicas de controle e

biossegurança

RISCO

ERGONÔMICO

Lesões causadas por:

Esforço físico intenso, postura inadequada levantamento de peso excessivo, quedas

Médico, Enfermeiro, Psicólogo, Assistente Social Pedagogo, Farmacêutico, Tec. e Auxiliares de Enfermagem, Técnico em Pedagogia, Serviços Gerais

Levantamento e

transporte manual de pesos

Horário de coleta interna, transporte e transbordo para abrigo externo.

Cursos de capacitação.

Utilização de coletores

apropriados para o

transporte.

Ajuste dos equipamentos às necessidades dos

funcionários.

Uso de EPI adequado.

Atendimento às normas

técnicas de controle e

biossegurança

RISCO DE

ACIDENTES

Lesões causadas por

Materiais perfurocortantes

Médico, Enfermeiro, Farmacêutico, Tec. e Auxiliares de Enfermagem,

Serviços Gerais

Segregação incorreta , acondicionamento

inadequado, manuseio

incorreto.

Horário de coleta interna transporte e transbordo para abrigo externo.

Cursos de capacitação.

Utilização de coletores

apropriados para o

transporte.

Ajuste dos equipamentos às necessidades dos

funcionários.

Uso de EPI adequado.

Atendimento às normas

técnicas de controle e

biossegurança

Sala de Enfermagem / Farmácia, , Serviço de Higienização,

Sanitários,

RISCO

QUÍMICO

Intoxicação,

contaminação ou lesão

causados por produtos

e/ou substâncias químicas

tóxicas

Enfermeiros, Farmacêutico, Tec e Auxiliares de Enfermafgem,

Serviços Gerais

Contato com materiais

contaminados por

resíduos de produtos ou substâncias químicas perigosas

Horário de coleta interna, transporte e transbordo para abrigo externo.

Na segregação e

acondicionamento.

Cursos de capacitação.

Utilização dos EPI' s

necessários.

Segregação incorreta.

Acondicionamento em

recipientes específicos para cada tipo de resíduo.

Identificação correta dos

recipientes.

Uso de EPI adequado

CONTROLE DE RISCOS – EPI e EPC

LOCAL

RISCO

EPl's

NECESSÁRIOS

SITUAÇÃO

EPl's

EPC

NECESSARIOS

SITUAÇAO EPC

OBSERVAÇÕES

Sala de Espera, Recepção, Sala de administração

Microorganismos

Levantamento e

Transporte manual de

Pesos, postura inadequada.

Acondicionamento

Inadequado,

Inexistência de identificação nos recipientes e sacos coletores.

Calça, jaleco,

Avental impermeável, gorro, calçado de

segurança, óculos de

proteção de

policarbonato, luvas

com reforço nas

palmas e dedos,

máscara respiratória

Calça, jaleco,

Avental impermeável, gorro, calçado de

segurança, óculos de

proteção de

policarbonato, luvas

com reforço nas

palmas e dedos,

máscara respiratória

Extintor de incêndio,

sinalização

Extintor de incêndio,

sinalização,

Melhorar

Sinalização.

Consultório

Microorganismos

Levantamento e

Transporte manual de

Pesos, postura inadequada.

Acondicionamento

Inadequado,

Inexistência de identificação nos recipientes e sacos coletores.

Calça, jaleco,

Máscara respiratória

Calça, jaleco,

Máscara respiratória

Extintor de incêndio,

sinalização

Extintor de incêndio,

sinalização,

Melhorar

Sinalização.

Sala de Enfermagem / Farmácia

Microorganismos

Compostos e substâncias Químicas em geral,

Levantamento e

Transporte manual de

Pesos, postura inadequada.

Iluminação inadequada,

Materiais perfurocortantes

Acondicionamento

Inadequado, Inexistência de identificação nos recipientes e sacos coletores.

Calça, jaleco, avental

impermeável, gorro,

óculos de proteção

de policarbonato,

calçados de segurança, luvas com reforço nas

palmas e dedos,

máscara respiratória

Calça, jaleco, avental

impermeável, gorro,

óculos de proteção

de policarbonato,

calçados de segurança, luvas com reforço nas

palmas e dedos,

máscara respiratória

Extintor de incêndio,

sinalização, exaustor, porta corta fogo,

Extintor de incêndio,

sinalização, exaustor,

Extintor de incêndio,

sinalização, exaustor, porta corta fogo,

Extintor de incêndio,

sinalização, exaustor

Porta corta fogo,

Melhorar sinalização

Os EPI’s são Utilizados pelo

Pessoal de coleta,

transporte de resíduos E limpeza

CONTROLE DE RISCOS – EPI e EPC

LOCAL

RISCO

EPl's

NECESSÁRIOS

SITUAÇÃO

EPl's

EPC

NECESSARIOS

SITUAÇAO EPC

OBSERVAÇÕES

Sanitários

Microorganismo

Levantamento e

Transporte manual de

Pesos, postura inadequada.

Acondicionamento

Inadequado,

Inexistência de identificação nos recipientes e sacos coletores.

Calça, jaleco, avental

impermeável, gorro,

óculos de proteção

de policarbonato,

calçados de segurança, luvas com reforço nas

palmas e dedos,

máscara respiratória

Calça, jaleco, avental

impermeável, gorro,

óculos de proteção

de policarbonato,

calçados de segurança, luvas com reforço nas

palmas e dedos,

máscara respiratória

Extintor de incêndio,

sinalização

Extintor de incêndio,

sinalização,

Melhorar

Sinalização.

Os EPI’s são Utilizados pelo

Pessoal de coleta,

transporte de resíduos E limpeza

CONTROLE DE RISCOS – EPI e EPC

LOCAL

RISCO

EPl's

NECESSÁRIOS

SITUAÇÃO

EPl's

EPC

NECESSARIOS

SITUAÇAO EPC

OBSERVAÇÕES

Cozinha ou Copa

Microorganismos

Levantamento e

Transporte manual de

Pesos, postura inadequada.

Contato c/ sobras alimentares de pacientes.

Acondicionamento

Inadequado,

Inexistência de identificação nos recipientes e sacos coletores.

Calça, jaleco, avental

impermeável, gorro,

calçado de segurança, luvas, óculos de proteção de policarbonato

Calça, jaleco, avental

impermeável, gorro,

calçado de segurança, luvas, óculos de proteção de policarbonato

Extintor de incêndio,

sinalização

Extintor de incêndio,

sinalização,

Melhorar

Sinalização.

Os EPI’s são Utilizados pelo

Pessoal de coleta,

transporte de resíduos E limpeza

Serviço de Higienização

Microorganismo

Levantamento e

Transporte manual de

Pesos, Cortes, punção, queimaduras, postura inadequada.

Acondicionamento

Inadequado, Inexistência de identificação nos recipientes e sacos coletor

Calça, jaleco, avental

impermeável, gorro,

óculos de proteção

de policarbonato,

calçados de segurança, luvas com reforço nas

palmas e dedos,

máscara respiratória

botas impermeáveis

de cano longo.

Calça, jaleco, avental

impermeável, gorro,

óculos de proteção

de policarbonato,

calçados de segurança, luvas com reforço nas

palmas e dedos,

máscara respiratória

botas impermeáveis

de cano longo.

Extintor de incêndio,

sinalização, chuveiro de emergência,

Extintor de incêndio, sinalização, chuveiro de emergência

Chuveiro, melhorar sinalização

Os EPI’s são Utilizados pelo

Pessoal de coleta,

transporte de resíduos E limpeza

CONTROLE DE RISCOS – EPI e EPC

LOCAL

RISCO

EPl's

NECESSÁRIOS

SITUAÇÃO

EPl's

EPC

NECESSARIOS

SITUAÇAO EPC

OBSERVAÇÕES

Almoxarifado e Estoque de Medicação

Levantamento e

Transporte manual de

Pesos, postura inadequada.

Contato ou inalação c/

substâncias químicos

Calça, jaleco, avental

impermeável, gorro,

calçado de segurança, luvas, óculos de proteção de policarbonato

Calça, jaleco, avental

impermeável, , calçado de segurança, óculos de proteção.

Extintor de incêndio,

sinalização

Extintor de incêndio,

sinalização,

Melhorar

Sinalização.

MATRIZ DE PRIORIZAÇAO COM BASE NO RISCO: SEVERIDADE X PROBABILIDADE

DETERMINAÇAO DO INDICE DE SEVERIDADE X PROBABILIDADE

PROBABILIDADE DE OCORRENCIA

MINIMA

BAIXA

MEDIA

ALTA

CATEGORIA

DE RISCO

DESPREZIVEL

1

2

3

4

LIMITROFE

2

4

6

8

CRITICA

3

6

9

12

CATASTROFICA

4

8

12

16

(Fonte: Noma MIL – STD 882 USA)

PRIORIZAÇÃO DE AÇÕES COM BASE NOS RISCOS IDENTIFICADOS

LOCAL

RISCO

CATEGORIA

DE RISCO

PROB DE

OCORRÊNCIA

Área de armazenamento

interno de resíduos

Microorganismos

Limítrofe

Mínima

Compostos e substâncias químicas em geral.

Limítrofe

Mínima

Levantamento e transporte manual de pesos, postura inadequada.

Desprezível

Mínima

Iluminação e acondicionamento Inadequados, inexistência ou incorreção na identificação

dos recipientes coletores.

Desprezível

Mínima

Materiais perfurocortantes.

Limítrofe

Mínima

Área de armazenamento

externo de resíduos

(Usina de reciclável)

Microorganismos

Limítrofe

Mínima

Compostos e substâncias químicas em geral.

Limítrofe

Mínima

Levantamento e transporte manual de pesos, postura inadequada.

Desprezível

Mínima

Iluminação e acondicionamento

inadequados, inexistência ou incorreção na identificação dos recipientes coletores

Desprezível

Mínima

Materiais perfurocortantes

Limítrofe

Mínima

PRIORIZAÇÃO DE AÇÕES COM BASE NOS RISCOS IDENTIFICADOS

LOCAL

RISCO

CATEGORIA

DE RISCO

PROB DE

OCORRÊNCIA

Sala de Enfermagem / Farmácia / Administração

Microorganismos

Limítrofe

Mínima

Compostos e substâncias químicas em geral.

Limítrofe

Mínima

Levantamento e transporte manual de pesos, postura inadequada.

Desprezível

Mínima

Iluminação e acondicionamento Inadequados, inexistência ou incorreção na identificação

dos recipientes coletores.

Desprezível

Mínima

Materiais perfurocortantes.

Limítrofe

Mínima

Sala de Espera,

Recepção, Consultório

Microorganismos

Limítrofe

Mínima

Levantamento e transporte

manual de pesos, postura

inadequada.

Desprezível

Mínima

Acondicionamento

inadequado, inexistência de

identificação nos recipientes e

sacos coletores.

Desprezível

Mínima

Sanitários

Microorganismos

Limítrofe

Mínima

Levantamento e transporte

manual de pesos, postura

inadequada.

Desprezível

Mínima

Acondicionamento inadequado, inexistência de identificação nos recipientes e sacos coletores.

Desprezível

Mínima

PRIORIZAÇÃO DE AÇÕES COM BASE NOS RISCOS IDENTIFICADOS

LOCAL

RISCO

CATEGORIA

DE RISCO

PROB DE

OCORRÊNCIA

Cozinha ou Copa

Microorganismos

Limítrofe

Mínima

Levantamento e transporte

manual de pesos, postura

inadequada.

Desprezível

Mínima

Acondicionamento inadequado, inexistência de identificação nos recipientes e sacos coletores.

Desprezível

Mínima

PRIORIZAÇÃO DE AÇÕES COM BASE NOS RISCOS IDENTIFICADOS

LOCAL

RISCO

CATEGORIA

DE RISCO

PROB DE

OCORRÊNCIA

Serviço de Higienização

Microorganismos

Limítrofe

Mínima

Compostos e substâncias químicas em geral.

Limítrofe

Mínima

Levantamento e transporte manual de pesos, postura inadequada.

Desprezível

Mínima

Iluminação e acondicionamento Inadequados, inexistência ou incorreção na identificação

dos recipientes coletores.

Desprezível

Mínima

Materiais perfurocortantes.

Limítrofe

Mínima

Almoxarifado ou Estoque de Medicação

Compostos e substâncias químicas em geral.

Limítrofe

Mínima

Levantamento e transporte

manual de pesos, postura

inadequada.

Desprezível

Mínima

Acondicionamento inadequado, inexistência de identificação nos recipientes e sacos coletores.

Desprezível

Mínima

PLANO DE AÇOES COM BASE NOS RISCOS IDENTIFICADOS

AÇAO

RESPONSAVEL

PRAZO PARA

IMPLEMENTAÇAO

PRIORIDADE

OBSERVAÇOES

Capacitação dos recursos

Humanos

(Todos os riscos)

Coordenação CAPS e Secretaria de Saúde

6 meses

1

Obrigatoriedade do uso de EPI´s

(RF, RB, RQ, RA)

Coordenação do CAPS

2 meses

2

Aquisição de EPIs para todos os Funcionários.

Adequação da Sinalização e mobiliário e aquisição de Equipamentos e

lay- out nas áreas necessárias

Direção Financeira e Administrativa

12 meses

3

PLANO DE AÇAOIMPLEMENTAÇÃO DO PGRSS

PLANO DE AÇAO

RECURSOS NECESSARIOS CAPACITAÇAO

RISCO ASSOCIADO

DESCRIÇAO DA FORMA DE

CAPACITAÇAO

COMO?

ONDE?

QUEM?

Riscos Físicos

Treinamento de recursos humanos através de curso de formação

Capacitação

continuada

Todos dos setores

Todos os

Funcionários

Riscos Biológicos

Treinamento de recursos Humanos através de curso de formação (biossegurança, gerenciamento de resíduos, técnicas de segurança em laboratórios)

Capacitação

Continuada

Melhor segregação

Tabulação de quantitativos

Todos dos setores

Funcionários

Envolvidos

Riscos Químicos

Treinamento de recursos humanos através de curso de formação (biossegurança, gerenciamento de resíduos, técnicas de segurança)

Controle de fluxos e

estoques

Todos dos setores

Funcionários

Envolvidos

Riscos de Acidentes

Treinamento de recursos humanos através de

curso de formação (normas técnicas de segurança)

Capacitação

continuada

Melhor segregaçãoTabulaçãode quantitativos

Todos dos setores

Todos funcionários

IMPLEMENTAÇÃO DO PROGRAMA DE GERENCIAMENTO DOS RESÍDUOSBIOLÓGICOS

O PGRB será implantado através de treinamentos e alteração de algumas rotinas na segregação e acondicionamento dos resíduos gerados.

A Coordenadoria de Vigilância Sanitária GRS de Manhumirim e a do Projeto, em conjunto, farão a avaliação da área de destino final com o intuito de conferir o cumprimento do plano e das instruções de trabalho.

Serão realizados treinamentos educativos periódicos, conforme orientação da coordenação do Projeto, quanto à importância da segregação e acondicionamentos corretos dos resíduos de saúde com todos os colaboradores.

Serão implantados Procedimentos Operacionais Padrão (POPS) nas unidades geradoras com a finalidade de padronizar as ações evitando erros nos descartes pelos responsáveis de laboratório.

Caberá aos Responsáveis pelo plantão de Enfermagem, a implementação das medidas propugnadas por este Plano, no seu âmbito de trabalho, bem como a realização do controle do volume de resíduos produzidos, de acordo com o tipo de trabalho executado em cada um destes.

Caberá à Comissão de Resíduos Sólidos de Serviços de Saúde realizar debates com a comunidade interna e da Universidade, visando o aprofundamento da gestão dos resíduos conforme as normas técnicas, bem como o desenvolvimento de propostas de mudanças das rotinas visando o aperfeiçoamento do sistema.

A Coordenadora do Centro de Saúde será os responsável na gestão local de seus ambientes de trabalho, devendo se assegurar da perfeita segregação e acondicionamento, bem como no correto envio para o local de armazenamento.

À Comissão de Resíduos Sólidos de Serviço de Saúde compete prestar assessoramento e colaborar na implementação e elaboração das normas de manejo dos resíduos.

IMPLANTAÇÃO DO PGRSS

  • Curso – Realização de Curso sobre RSS a responsáveis pelos laboratórios, ambulatórios e hospital veterinário

  • Elaboração de um programa de capacitação de pessoal

  • Elaboração de Procedimentos Operacionais Padrão para as áreas geradoras de RSS

  • Elaboração de Cartilha á toda os funcionários do Centro de Saúde e a seus usuários

  • Revisão anual ou quando necessária do Plano para consolidação da planilha diagnóstica.

ACOMPANHAMENTOS DA EFICÁCIA DO PLANO

Serão feitos controles com indicadores das situações e medidas a serem tomadas, mantedoras ou corretivas, devendo ser utilizados como indicadores: a quantificação de registros de acidente de trabalho; a produção resíduos, por categoria; a ocorrência de segregação; o acondicionamento e a destinação indevidos; bem como outras inconformidades técnicas e legais.

CONTROLE INTEGRADO DE INSETOS E ROEDORES

Será realizada desinsetização e desratização por firmas licenciadas nas unidades garantindo, assim, um constante controle de pragas nas mesmas, especificamente para as áreas de armazenamento de resíduos.

CAPACITAÇÃO DO PESSOAL ENVOLVIDO

O pessoal envolvido diretamente com os processos de coleta, transporte, tratamento, higienização e armazenamento, deve ser submetido a exame médico admissional, periódico, de retorno ao trabalho, de mudança de função e dimensional. Além disso, fica a cargo da instituição de saúde fiscalizar e capacitar o pessoal envolvido em todo o processo. A capacitação envolve os seguintes critérios:

1. Noções gerais sobre o ciclo da vida dos materiais;

2. Conhecimento da legislação em vigor;

3. Definições, tipo e classificação dos resíduos e potencial de risco do resíduo;

4. Sistema de gerenciamento adotado internamente no estabelecimento;

5. Formas de reduzir a geração de resíduos;

6. Conhecimento das responsabilidades e de tarefas;

7. Reconhecimento dos símbolos de identificação das classes de resíduos;

8. Conhecimento sobre a utilização dos veículos de coleta;

9. Orientações quanto ao uso de Equipamentos de Proteção Individual - EPIs;

10. Orientações sobre biossegurança e higiene pessoal;

11. Orientações especiais e treinamento em proteção radiológica quando houver rejeitos radioativos.

12. Providências a serem tomadas em caso de acidentes e de situações emergenciais

13. Visão básica do gerenciamento dos resíduos sólidos no município.

14. Noções básicas de controle de infecção.

ETAPA TERCEIRIZADA

COLETA EXTERNA

COLETA DO GRUPO

A(X)

B(X)

E(X)

LICENÇA

RESPONSA VEL

EMPRESA

CNPJ

DE

ENDEREÇO

NOME

REG

OPERAÇÂO

COLEFAR

04.962.103/0001-93

LOC N.° 15/07

Rua: Jose Pedro de Araújo, n°1.325, Bairro cinco, Contagem - MG

02301262

Sérgio Araújo

DADOS DO PROFISSIONAL RESP. PELA ELABORAÇÃO DO PGRSS

Autora: Drª Maira Alves Pimentel, Enfermeira RT da Policlínica Municipal.

Revisores do CAPS: Dr Carlos Alberto Xavier, Enfermeiro RT do CAPS; e Kátia Cordeiro Pereira, Auxiliar Administrativo.

Lajinha, 09 de dezembro de 2009.

Dr. Carlos Alberto Xavier

Enfermeiro

COREN –: MG: 79527

ANEXOS

1 - Documentação de controle de vetores;

2 - Treinamento dos funcionários do estabelecimento envolvido

ANEXO I

CONTROLE DE VETORES

DATA

TIPO DE VETOR

EMPRESA RESPONÁ VEL

ASSINATURA

.

ANEXO 2

TREINAMENTO

NOME

ASSINATURA

DATA

.

30

_______________________________________________________________________________________

Rua Henrique Berbert, 195, Campestre, Lajinha-MG – CEP 36980-000 – e-mail: caps@lajinha.com

(Parte 5 de 5)

Comentários