Programa de oleo no futuro

Programa de oleo no futuro

(Parte 1 de 2)

nonoFUTURO dede

Programa Estadual de Coleta, Reciclagem e Beneficiamento do Óleo de Cozinha

Prefeituras Municipais Participação

GOVERNO DO ESTADO DE SANTA CATARINA Luiz Henrique da Silveira Governador

Leonel Pavan Vice-Governador

Onofre Santo Agostini Secretário

Juliano Ranzolin Diretor de Saneamento e Meio Ambiente

Equipe Técnica

Catiusia Gabriel Cláudio Caneschi Daniel Casarin Ribeiro Márcia Soncini Maria de Lurdes Capponi Patrícia Moojen

Alexandre B. Wisintainer Márcio Rodrigues

Projeto gráfico ilustração

nonoFUTURO dede

Programa Estadual de Coleta, Reciclagem e Beneficiamento do Óleo de Cozinha

Esta cartilha foi elaborada pelos técnicos da Diretoria de Saneamento e Meio Ambiente, da Assessoria de Comunicação e do Setor de Informática da Secretaria de Estado do Desenvolvimento Econômico Sustentável (SDS).

É uma contribuição da SDS ao Programa “De Óleo no Futuro”, que tem como objetivo principal a proteção aos recursos naturais, a partir de ações de conscientização e da promoção de práticas ambientalmente corretas de destinação do óleo vegetal utilizado em cozinhas domésticas e industriais.

Serve de apoio aos diretores e professores das escolas, das redes estadual e municipal de ensino em Santa Catarina, para a implementação da primeira etapa do Programa, que se dará justamente nas escolas.

Esta é uma iniciativa simples mas que, com a colaboração de todos, renderá muitos frutos no futuro, promovendo a preservação do meio ambiente e resultando no bem estar da comunidade como um todo.

Contamos com a sua participação!

ONOFRE SANTO AGOSTINI Secretário de Estado do Desenvolvimento Econômico Sustentável

nonoFUTURO dede

Programa Estadual de Coleta, Reciclagem e Beneficiamento do Óleo de Cozinha

1. O Programa

2. Por que participar

3. Como participar

4. Atribuições da escola

5. Atribuições do professor

6. Atribuições dos alunos 7. Contrapartida do Programa

O Programa “De Óleo no Futuro” é uma iniciativa de Estado do da Secretaria Desenvolvimento Econômico Sustentável. Está em consonância com a Lei Estadual nº 14.330, de 18 de janeiro de 2008.

Surgiu com a intenção de reunir uma série de iniciativas isoladas relativas à coleta do óleo utilizado em cozinhas domésticas um e/ou industriais, unificando-as, no sentido de ter controle desse transporte até o seu beneficiamento. resíduo, desde a coleta, passando pelo

Pretende envolver, de certa forma, toda a sociedade catarinense,

1. O PROGRAMA

2. POR QUE PARTICIPAR tendo cada participante a sua responsabilidade.

A seguir serão relacionados alguns dos problemas causados pelo destino incorreto do óleo vegetal utilizado na cozinha, servindo para sensibilizar e conscientizar a comunidade a participar do Programa De Óleo Futuro. no

Um litro de óleo despejado nos rios polui até um milhão de litros de água;

O óleo contamina o solo e o lençol freático, impermeabilizando-o causando as enchentes nos períodos chuvosos;

Quando o óleo chega ao oceano, em contato com a água gás metano, grande causador do efeito estufa e um dos responsáveis pelo aquecimento global; salgada, libera

Quando despejado no ralo pode provocar o entupimento rede de esgoto, aumentando em até 45% o custo do tratamento do esgoto. das tubulações da

No momento em que o Programa De Óleo no

abrangência das Secretarias de Estado do
Desenvolvimento Regional (SDR’s) as
escolas da rede estadual estarão automatica-
mente participando do mesmo, de acordo com

Futuro for lançado nos municípios de as diretrizes estabelecidas e entendimentos entre a Gerência de Educação da SDR e as Diretorias das escolas.

Quanto às escolas da rede municipal, a participação no programa ocorrerá após a manifestação de interesse por parte da Prefeitura.

Os representantes das escolas estaduais, através da Gerência de Educação, e das escolas municipais, através das Secretarias Municipais de Educação, serão convidados a comporem a Comissão de Coordenação Regional do Programa, repassando posteriormente as orientações básicas aos seus representados.

Todos os participantes deverão cooperar na divulgação e conscientização da comunidade envolvida no Programa.

3. COMO PARTICIPAR

4. ATRIBUIÇÕES DA ESCOLA

A seguir listamos algumas das atribuições do(s) responsável(is) local(is), que, direta ou indiretamente, implementarão o Programa na escola.

Definir e identificar um local apropriado para a colocação das bombonas;

Estipular horários para o recebimento do óleo;

Definir uma pessoa para receber e anotar a quantidade recebida, na planilha do Programa;

Quando do recebimento, colocar a garrafa contendo óleo, devidamente fechada, na bombona e não despejar o óleo nela;

Quando a bombona estiver cheia, chamar o responsável da SDR;

(Parte 1 de 2)

Comentários