Leitura e Interpretação de Desenho Técnico

Leitura e Interpretação de Desenho Técnico

(Parte 4 de 6)

Centro de Educação Tecnológica do Estado da Bahia Unidade de Camaçari

ESFERA – É um sólido geométrico limitado por uma superfície curva chamada superfície esférica. O raio da esfera é o segmento de reta que une o centro da esfera a qualquer um de seus pontos. Diâmetro da esfera é o segmento de reta que passa pelo centro da esfera unindo dois de sues pontos.

geométricos truncados

Quando um sólido geométrico é cortado por um plano, resultam novas figuras geométricas: os sólidos

EXERCÍCIOS: Desenhe no bloco os sólidos abaixo. (medida arbitraria)

Tronco de prisma

Tronco de cilindro

Tronco de pirâmide

Tronco de cone

Centro de Educação Tecnológica do Estado da Bahia Unidade de Camaçari

Normas são documentos surgidos do processo de normalização, que contém informações técnicas para uso de fabricantes e consumidores. São elaboradas a partir da experiência acumulada na indústria e no uso e a partir dos conhecimentos tecnológicos alcançados. As normas devem ser adotadas por todos que se envolvam com profissões em que o Desenho Técnico é uma das bases instrumentais, por terem como objetivo final a unificação de procedimentos de representação.

CALIGRAFIA TÉCNICA (NBR 8402)

Centro de Educação Tecnológica do Estado da Bahia Unidade de Camaçari

EXERCÍCIOS: Copiar as letras.

Centro de Educação Tecnológica do Estado da Bahia Unidade de Camaçari

NBR 10068 – FOLHA DE DESENHO LAY-OUT E DIMENSÕES, cujo objetivo e padronizar as dimensões das folhas utilizadas na execução de desenhos técnicos e definir seu lay-out com suas respectivas margens e legenda As folhas de desenho podem ser utilizadas tanto na horizontal como na vertical. Os tamanhos das folhas seguem os Formatos da serie “A”, e o desenho deve ser executado no menor formato possível, desde que não comprometa sua interpretação. Os formatos da serie ‘A” tem como base o formato A0 (841X1189), cujas dimensões guardam entre si a mesma relação que existe entre o lado de um quadrado e sua diagonal e que corresponde a um retângulo de área igual a 1m².

Formato s de papel

Obs.: As dimensões estão em milímetros.

Margem Formato Dimensões

Esquerda Outras Comprimento da Legenda Espessura das linhas das margens

A legenda ou carimbo (parte integrante das pranchas para desenho técnico) é a identificação do trabalho em execução. Devendo assim conter, todas as informações possíveis para a identificação do mesmo, como: número, origem, título, executor, endereço e tantos outros dados que se fizer necessário.È escrita na caligrafia técnica, vertical ou inclinadas e sempre deverá estar situada no canto inferior direito da folha.

Mesmo após as folhas dobradas conforme padrões técnicos, os comprimentos das mesmas deverão ser de

178mm nos formatos A4, A3 e A2 e de 175mm nos formatos A1 e A0, sendo as alturas variáveis conforme as necessidades. O nome da firma, o n.° do desenho e o título são escritos em caracteres maiores e em traços grossos. As letras devem ser do tipo bastão.

Centro de Educação Tecnológica do Estado da Bahia Unidade de Camaçari

Título: Turma: Curso: Data: Aluno Escala:

Professor:Nota:

NBR 13142 – DESENHO TÉCNICO – DOBRAMENTO DE CÓPIAS, que fixa a forma de dobramento de todos os formatos de folhas de desenho para facilitar a fixação em pastas, eles são dobrados ate as dimensões do formato A4. Os formatos de papel devem ser dobrados a fim de assumirem o formato A4, para arquivamento. O quadro das legendas, a ser previsto no canto inferior direito da folha, deve ficar visível após o dobramento.

Centro de Educação Tecnológica do Estado da Bahia Unidade de Camaçari

Como o desenho técnico é utilizado para representação de máquinas, equipamentos, prédios e até unidades inteiras de processamento industrial, é fácil concluir que nem sempre será possível representar os objetos em suas verdadeiras grandezas. Assim, para viabilizar a execução dos desenhos, os objetos grandes precisam ser representados com suas dimensões reduzidas, enquanto os objetos, ou detalhes, muito pequenos necessitarão de uma representação ampliada. Para evitar distorções e manter a proporcionalidade entre o desenho e o tamanho real do objeto representado, foi normalizado que as reduções ou ampliações devem ser feitas respeitando uma razão constante entre as dimensões do desenho e as dimensões reais do objeto representado. A razão existente entre as dimensões do desenho e as dimensões reais do objeto é chamada de escala do desenho. É importante ressaltar que, sendo o desenho técnico uma linguagem gráfica, a ordem da razão nunca pode ser invertida, e a escala do desenho sempre será definida pela relação existente entre as dimensões lineares de um desenho com as respectivas dimensões reais do objeto desenhado.

Centro de Educação Tecnológica do Estado da Bahia Unidade de Camaçari

Para facilitar a interpretação da relação existente entre o tamanho do desenho e o tamanho real do objeto, pelo menos um dos lados da razão sempre terá valor unitário, que resulta nas seguintes possibilidades: A norma NBR 8196 da ABNT recomenda, para o Desenho Técnico, a utilização das seguintes escalas:

A indicação é feita na legenda dos desenhos utilizando a palavra ESCALA, seguida dos valores da razão correspondente. Quando, em uma mesma folha, houver desenhos com escalas diferentes daquela indicada na legenda, existirá abaixo dos respectivos desenhos a identificação das escalas utilizadas. Escala é a relação que existe entre as dimensões dos objetos reais e as de sua representação.

ESCALA NATURAL Se o desenho tem as mesmas dimensões que o objeto real, a escala é denominada NATURAL. A escala 1:1 significa que 1 cm normal do desenho é igual a 1 cm do objeto.

ESCALA DE REDUÇÃO – Se o desenho é representado graficamente numa dimensão menor que a do objeto, a escala é denominada escala de redução. A escala 1:2 significa que 1cm normal do desenho equivale a 2 cm do objeto

d > D - A figura é maior que o objeto; trata-se de uma Escala de Ampliação. Por questões de ordem prática prefere-se usar sempre para denominador a unidade e para numerador um valor inteiro. Ex.: 2:1, 5:1, 10:1, 20:1, 50:1, 100:1 etc. ...

Centro de Educação Tecnológica do Estado da Bahia Unidade de Camaçari

Centro de Educação Tecnológica do Estado da Bahia Unidade de Camaçari

EXERCÍCIO Utilizando o conhecimento de escala complete a tabela abaixo: DIMENSÃO DO DESENHO ESCALA DIMENSÃO REAL

40 m 8 m

320 m 5:1 m COTAGEM

NBR 10126 – Cotagem em desenho técnico

A cotagem de um desenho técnico deve ser executada de forma funcional e objetiva, possibilitando, na maioria das vezes, a utilização do desenho como meio para consecução de um fim (fabricação ou construção).As cotas devem fornecer uma perfeita idéia de todas as dimensões, não deixando dúvidas que justifiquem futuros cálculos.Os elementos fundamentais de uma cotagem são: linha de cota, linha de chamada, valor da cota e os limites da linha de cota.

Obs.: As linhas de cota e as linhas auxiliares devem ser representadas por um traço contínuo estreito.

São os números que indicam as medidas da peça. Observe, no desenho, as medidas básicas de uma peça. Elas estão indicadas pelas cotas 50, 12 e 25.

Os limites da linha de cota podem ser representados por setas ou traços oblíquos:

a) Na representação por setas, os seus lados devem formar um ângulo aproximado de 15° e podem ser abertas ou fechadas.

b) Alguns tipos de desenhos técnicos permitem a representação por traços oblíquos com relação a linha de cota, desenho de arquitetura por exemplo.

Nestes casos o ângulo deve ser de 45°.

Centro de Educação Tecnológica do Estado da Bahia Unidade de Camaçari

São linhas contíguas estreitas com setas ou traços oblíquos nas extremidades, como você vê a seguir. Veja, no próximo desenho, a linha de cota representada dentro das vistas frontal e lateral esquerda.

São linhas contíguas estreitas que limitam a linha de cota fora da vista ortográfica. A linha auxiliar deve ser prolongada ligeiramente além da respectiva linha de cota. Um pequeno espaço deve ser deixado entre a linha auxiliar e a linha de contorno do desenho.

A linha de cota é limitada pelo próprio desenho

(Parte 4 de 6)

Comentários