Fundamentos de Design

Fundamentos de Design

(Parte 2 de 2)

Esse anglicanismo foi adotado, no final do século X (no Brasil), na tentativa de universalizar as profissões ligadas ao projeto. Até certo ponto isso tem ocorrido e a maioria das universidades preferem o termo "designer" a"desenhista industrial". Mas como o termo "projeto" já existia e é um sinônimo, muito próximo, do termo "design". Até hoje os termos "design" e "designer" tem causado confusão entre não designers.

A Profissão No Brasil atualmente a profissão de Designer não é regulamentada, o que significa que não existe uma autarquia, um conselho como CREA ou a OAB para fiscalizar, embora esta profissão se encontre no Catálogo Nacional De Profissões do Min. do Trabalho. Eu passo a ver neste momento a regulamentação da profissão de outra forma, pois se existe catalogado dados sobre a mesma, porque será que não existe um órgão para representá-la diante de um Conselho Legislativo. É de se imaginar os pós e contras, afinal será que uma mudança não acarretaria benefícios para alguns profissionais e prejuízos a outros? Pense nisso!

Existem organizações de caráter não governamental, mas sim cultural e representativo, mas que não monitoram legalmente as áreas do Design. O que existe são Associações de Designers que figuram hipoteticamente uma fiscalização mais seletiva.

Apesar de a legislação permitir que qualquer cidadão exerça a atividade, normalmente isto é feito por profissionais formados em cursos superiores de Desenho Industrial ou escolas técnicas de Design.

¹ Creative Commons Attribution-Share Alike 3.0

Unportedhttp://creativecommons.org/licenses/by-sa/3.0

Copyright 2009 Antônio Picoral - Todos Direitos Reservado

Estudo - Edição e Aplicação Bibliográfica feita por: Antônio Picoral Caiña, tomando como referência as disposições normativas de licenciamento Creative Commons, onde todo crédito é dado ao acervo encontrado sobre o tema no site: http://www.wikipedia.pt.com segundo seus próprios autores citados nas referências bibliográficas, bem como outros que por ventura colaboraram para disponibilizarem a título de estudo e consulta um banco de dados embasados direta e indiretamente na Temática. Logo a obra acima, reitero segue os critérios estabelecidos pela Licença Creative Commons Share Alike 3.0

(Parte 2 de 2)

Comentários