Sistema Cardiovascular

Sistema Cardiovascular

Sistema Circulatório

Coração

  • 2 bombas distintas:

  • Bombeia sangue para pulmão

  • Bombeia sangue para o corpo

  • Função: Circulação do sangue para o corpo.

  • 4 Cavidades: 2 átrios e 2 ventrículos

Excitação e Contração

  • Contração por deslizamento de Actina e Miosina.

  • Fibras interconectadas (sincício)

  • 2 sincícios musculares:

  • Cardíaco – parede 2 átrios

  • Cardíaco - parede 2 ventrículos.

  • Função: Contração muscular das partes do coração com coordenação.

Contração rítmica (72 batimentos/min) controlada por:

  • 1) Nodo sinoatrial = parede do átrio direito, próximo entrada das veias cava, controla a freqüência dos batimentos (marcapasso).

  • 2) Nodo Atrioventricular = Septo atrial perto da união com ventrículo.

3) Fibras de Purkinje = Contração rápida (5x mais que fibra cardíaca), Condutora do impulso cardíaco, Direção do nodo AV para todo o ventrículo.

  • 3) Fibras de Purkinje = Contração rápida (5x mais que fibra cardíaca), Condutora do impulso cardíaco, Direção do nodo AV para todo o ventrículo.

  • Retardo de Repolarização:

  • Entrada de Cálcio junto com Sódio

  • Fibras do nodo AV são delgadas e conduzem com lentidão.

  • Importante para contração do átrio antes do ventrículo.

Bloqueio da condução por lesão

  • Destruição do sistema de Purkinje e substituição por tecido fibroso.

  • Obstrução dos vasos coronariano: parte de condução é bloqueado.

  • Bloqueio da condução AV para Purkinje (bloqueio atrioventricular) comum na velhice; sinais não vão para os ventrículos

  • Fibrilação Ventricular: sinal cardíaco circula sem interrupção , Parte dos ventrículo estão contraídos o tempo todo, Morte em poucos segundos.

Tipos de pontes:

  • Artérias mamarias

  • Veias safenas

  • Artéria radial

Eletrocardiograma

  • Instrumento de avaliação capacidade transmissão impulso cardíaco.

  • Captação de fração pequena de corrente elétrica gerada pelo potencial de ação do músculo quando percorre os líquidos do coração.

Observação

  • Pequena deflexão: Letra P (impulso pelos átrios)

  • Deflexões: Letras Q; R; S (impulso pelos ventrículos)

  • Deflexões: Letras T (retorno potencial de membrana)

  • Anomalias modificam o padrão normal.

Ciclo Cardíaco

  • Inicia-se na sístole (ventricular)

  • Sístole (contração) = pico da onda R

  • Diástole (relaxamento)

  • 1 bulha cardíaca = fechamento das valvas AV (no início da onda R)

  • Bulha = Ocorre pelo movimento sanguíneo nas valvas fechadas, provocando movimento turbilhonar.

1. Sístole

  • 1. Sístole

  • 1 fase = contração isovolumétrica

  • 2 fase = Ejeção

  • 2. Diástole

  • 1 fase = relaxamento isovolumétrico

    • 2 Bulha = fechamento das valvas semilunares
    • 2 fase = Enchimento ventricular

Volume Diastólico final

  • Volume Diastólico final

  • Volume total de sangue no final da diástole ( = 110 – 120 ml)

  • Volume Sistólico final

  • Volume total de sangue remanescente nos ventrículos após a sístole ( = 50ml)

  • Débito Sistólico final

  • Volume total de sangue ejetado durante o ciclo cardíaco (ventrículo para aorta) (= 70ml)

Regulação do bombeamento cardíaco

  • Mecanismo intrínseco (Frank-Starling)

  • A ejeção do volume sanguíneo é em função do sangue que chega e causa o estiramento das miofibrilas.

  • Pode funcionar sem quaisquer influência nervosa

  • Impede o represamento do sangue

  • Mecanismo extrínseco

  • SNA = SN simpático e Parassimpático

Débito Cardíaco

  • Quantidade de sangue bombeada pelo coração ( 5 litros/min repouso).

  • Capacidade de aumento com exercícios físicos.

  • Distribuição desigual do sangue para diversos órgãos.

Debito Cardíaco

  • É a intensidade com que o coração bombeia sangue.

  • Em adulto deitado é cerca de 5 litros/min.

  • Em adulto andando é cerca de 7 litros/min.

  • Em exercícios pode chegar até 20 a 25 litros/min.

Regulação do Débito Cardíaco

  • 1 – A eficácia do bombeamento do próprio coração.

  • 2 – Facilidade com que o sangue pode fluir pelo corpo e voltar ao coração.

Lei do Coração

  • A quantidade de sangue que é bombeada pelo coração é, normalmente, determinada pela quantidade de sangue que chega ao átrio direito, trazido pelas grandes veias.

Pressão Atrial Direita

  • A pressão, no sistema venoso, é determinada, em sua maior parte, pela pressão no atrio direito. Normalmente , próxima de zero.

Pressão Venosa Periférica

  • A pressão em veia periférica é determinada por cinco fatores principais:

  • 1 – a pressão atrial direita

  • 2 – resistência ao fluxo de sangue, desde a veia até o átrio direito.

  • 3 – a intensidade do fluxo sanguíneo ao longo dessa veia.

  • 4 – a pressão causada pelo próprio peso da coluna de sangue,.

  • 5- a bomba venosa

Pressão Sanguínea

  • Força que o sangue exerce contra as paredes do vaso (distensão do vaso)

  • Importante para o movimento sanguíneo.

  • Pressão arterial pulsátil (PA= débito cardíaco x resistência periférica total).

  • 1. Bombeamento de sangue em pequena quantidade por batimento cardíaco.

2. Pressão aumenta durante a sístole e diminui na diástole.

  • 2. Pressão aumenta durante a sístole e diminui na diástole.

    • A. A pressão máxima = sistólica 120 mmHg
    • B. A pressão mínima = diastólica 80 mmHg
    • C. Variam com a idade (aumento com idade)

D. Anormalidades da pressão de pulso:

  • D. Anormalidades da pressão de pulso:

  • Velhice = diminui distensibilidade ( pouca distensão sístole sem retração diástole imensa variação de pressão de pulso. (arteriosclerose) .

  • Insuficiência aórtica = válvula não se fecha cai muito , Alta pressão de pulso.

4. Controle pressão Arterial

  • A. Neural

  • Curto prazo da pressão

  • Reflexos nervosos (ex: barorreceptor).

  • B. Renal

  • Controle a longo prazo

  • 2 mecanismos: hemodinâmico = PA, filtração renal, excreção de sais = diminui quantidade de sangue.

C. Controle Hormonal

  • Curto e longo prazo

  • Ex: renina-angiotensina do rim =  pressão, secreção renina (produção angiotensina), vaso constrição  pressão.

Componentes do Sistema Tubular

  • Artérias alta ( ) de elastina

  • Arteríolas (musculatura lisa) – resistência periférica.

  • Capilares (somente endotélio) = sem fluxo contínuo

  • Vênulas

  • Veias

Artérias

  • Perdem tecido elástico com as ramificações

  • Transformam a ejeção pulsátil do sangue pelo coração em fluxo constante até atingir as arteríolas.

  • Conduzem sangue dos ventrículos as respectivas redes microcirculatórias

  • Amortecem as oscilações do fluxo sanguíneo gerado durante o ciclo cardíaco

  • Reservatórios de pressão, armazenando energia para a distribuição do sangue.

Pré-dilatação da lesão com Balão

Posicionamento

Modelo

OCTOPUS Estabilizador cardíaco Imobilizador de qualquer superfície do coração batendo

Arteríolas

  • Pequenos ramos finais do sistema arterial

  • Válvulas de controle no lançamento do sangue para os capilares

  • Forte parede muscular (fechamento ou dilatação).

Capilares

  • Efetuar trocas de líquidos, nutriente, eletrólitos, etc....

  • Paredes finas e permeáveis a pequenas substâncias moleculares.

Vênulas

  • Coletam sangue dos capilares

  • Anastomosam gerando as veias

Veias

  • Depósito de sangue em função da alta distenbilidade (baixa pressão)

  • Conduto para o transporte do sangue dos tecidos ao coração

  • 60% do total do sangue está nas veias

  • Presença de valvas

Comentários