Provas do vestibular

Provas do vestibular

(Parte 1 de 5)

VESTIBULAR 2008

1o DIA - 16 / 12 / 2007 LÍNGUA PORTUGUESA, MATEMÁTICA, FÍSICA E LÍNGUA INGLESA.

1. Este Caderno contém 4 questões, sendo 40 questões de múltipla escolha (numeradas em algarismos arábicos), 04 questões discursivas (numeradas em algarismos romanos) e uma REDAÇÃO que deve ser passada a limpo na FOLHA de REDAÇÃO. Confira a numeração das questões e o número de páginas, antes de responder a prova. Em caso de falhas na impressão ou falta de alguma questão, solicite imediata substituição do Caderno.

2. Cada questão de múltipla escolha contém apenas uma alternativa correta.

3. Preencha, na folha de respostas (Folha de Leitura Óptica), o espaço correspondente à alternativa escolhida, utilizando caneta esferográfica de tinta azul ou preta.

4. Não é permitida a utilização de nenhum material de consulta que não seja o fornecido pela COMPROV. 5. Durante a prova o candidato não deverá levantar-se ou comunicar-se com outros candidatos.

6. A duração da prova é de quatro horas, já incluído o tempo destinado ao preenchimento da Folha de Leitura Óptica. 7. O candidato será avisado de que o tempo de prova estará chegando ao final, quando faltarem 30 minutos.

8. A desobediência a qualquer uma das determinações constantes nas presentes instruções ou na folha de respostas poderá implicar na anulação da prova do candidato.

2a ETAPA

VESTIBULAR —2008 COMPROV

Leia o Texto 1 e responda às questões 01 e 02: TEXTO 1

murchou. E aquelas toalhinhas brancas nas cadeiras e na mesa, que devia distrair a gente cortando bolotinhas

Esta era uma casa de verdade. Entrava-se no jardinzinho com flor, que até dava vontade de arrancar as sempre-vivas todas, e, subida a escadinha, havia uma sala com dois retratos grandes na parede. Um homem e uma mulher que era a velha. Cadeiras, numa cadeira grande cabendo muita gente nela. Na mesinha do meio um vaso com uma flor cor-de-rosa que nunca

O resto da casa assombrou desse mesmo jeito o despatriado. Depois apareceram mais duas moças muito lindas, que sempre viveram de saia azul-marinho e blusa branca. Olharam duras pra ele. Aqueles quatro olhos negros desceram lá do alto e tuque! Deram um cocre na alma de Paulino. Ele ficou tonto, sem movimento, grudado no chão.

Daí foi uma discussão terrível. Não sei o que a velha falou, e uma das normalistas respondeu atravessado. A velha asperejou com ela falando no “meu neto”. A outra respondeu gritando e uma tormenta de “meu neto” e “seu neto” relampagueou alto sobre a cabeça de Paulino. A história foi piorando. Quando não teve mais agudos pras três vozes subirem, a velha virou um bofete na filha da frente, e a outra fugindo, escapou de levar com a colher bem no coco.

A invenção de Paulino não podia ajuntar mais terrores. E o engraçado é que o terror pela primeira vez despertou mais a inteligência dele. O conceito de futuro que fazia pouco atingira até o dia seguinte, se alongou, se alongou até demais, e Paulino percebeu que entre raivas e maus-tratos havia de passar agora o dia seguinte inteiro e o outro dia seguinte e o outro, e nunca mais haviam de parar os dias seguintes assim. É lógico: sem ter a soma dos números, mais de três mil anos de dias seguintes sofridos, se ajuntaram no susto do piá. (ANDRADE, Mario de. Piá não sofre? Sofre. Os melhores contos de Mário de Andrade. 8 ed. São Paulo: Global. 2000. p.42)

01 - Em relação a recursos expressivos e aspectos morfo-semânticos neste texto, julgue certas (C) ou erradas (E) as análises a seguir:

I) A expressão “a gente” (L. 4) e o termo “despatriado” (L. 5) evidenciam focos narrativos diferentes. I) No 3º parágrafo, o narrador incorpora o discurso da agressividade sem deixar clara a fronteira entre o seu enunciado e o enunciado dos personagens.

I) A descrição da rejeição das tias à presença de Paulino é destacada pelo autor no plano da percepção visual. IV) O emprego do termo “engraçado” (L. 12) é aceitável, no contexto, se compreendido como um recurso de ironia. V) Os termos “atravessado” (L. 8) e “alto” (L. 9) estão empregados como advérbios e denotam apreciação de falas dos personagens.

Estão certas as análises a) I, I e IV. b) I , I e V. c) I, I e II. d) I, I, IV e V. e) I, I, II e IV.

VESTIBULAR —2008

01 COMPROV

02 - Julgue como verdadeiras (V) ou falsas (F) as considerações acerca dos aspectos morfossintáticos, semânticos e coesivos e sua relação com o registro lingüístico do fragmento: O conceito de futuro que fazia pouco atingira até o dia seguinte, se alongou, se alongou até demais, e Paulino percebeu que entre raivas e maus-tratos havia de passar agora o dia seguinte inteiro e o outro dia seguinte e o outro, e nunca mais haviam de parar os dias seguintes assim.

I)Trata-se de um período composto com orações dependentes sintática e semanticamente, e encadeadas pela justaposição.

I) A conjunção “e” encadeia segmentos de natureza sintática diversa, gerando um efeito cumulativo do sofrimento de Paulino.

I) A palavra “que”, por ter um referente nominal, introduz, em suas duas ocorrências, uma oração adjetiva.

obrigatoriedade das ações vividas pelo personagem

IV) As ocorrências da locução verbal constituída de haver + infinitivo são traços do registro formal e indicam a

V) As duas ocorrências de “até” indicam, respectivamente, limite de tempo e quantificação.

Estão corretas as análises a) I, I e IV. b) I e I. c) I, II e V. d) I, I, IV e V. e) I, IV e V.

Leia o Texto 2 e responda à questão 03:

TEXTO 2

Agressividade - O que é?

Contrariamente ao senso comum, pesquisas mostram que a agressividade constante, como aquela exibida por gangues de adolescentes, não é uma resposta válida contra um meio hostil, porém um mau hábito emocional aprendido desde a infância. Por ser brutalmente tratado durante os três primeiros anos de sua vida, o indivíduo passa a perceber apenas hostilidade à sua volta – mesmo quando não é esse o caso – e a reagir exclusivamente por meio da agressão – apesar de não ser esse o método mais eficiente para se conseguir amigos ou um emprego, por exemplo. Acompanhamentos indicaram que estudantes de primário percebidos como agressivos por seus colegas acabaram em carreiras criminosas, com uma constância surpreendente, independentemente de seu quociente de inteligência ou conhecimentos formais. Programas-pilotos estão sendo montados para ensinar a essas crianças técnicas como a discussão de alternativas, a negociação, a atenção ao que o outro está realmente dizendo, bem mais favoráveis à sobrevivência.

(Gilberto Dimenstein, Aprendiz do futuro, Ática, 2000, p.76, Série Discussão Aberta).

03 - Julgue as afirmações acerca de aspectos morfossintáticos e seu funcionamento no texto:

I) A introdução do texto, marcada pelo advérbio (L. 01), tem a função de negar o ponto de vista defendido pelo autor.

I) A presença de verbos no passado (L. 1 e 12) caracteriza um relato, o qual contribui com a idéia principal do texto.

I) O uso da conjunção adversativa “porém” (L. 4) reforça uma idéia negativa anunciada anteriormente.

negociação” (L.17) e “ a atençãodizendo” (L.17-18), de

IV) Os segmentos “a discussão de alternativas”, “a valor enumerativo, mantêm paralelismo formal, embora com extensão variada.

a) I, I e IV. b) I, I e IV. c) I, I e I

Estão corretas as afirmações: d) I e IV. e) I e IV.

VESTIBULAR —2008

02 COMPROV

Leia o Texto 3 e responda à questão 04. TEXTO 03 Basquete à meia noite

Os americanos decidiram usar a bola na guerra contra a violência juvenil.

Batizada de “Basquete à Meia-Noite”, a experiência é uma das responsáveis por inesperada informação transmitida pelo Ministério da Justiça. Pela primeira vez, em 10 anos, a criminalidade juvenil interrompeu sua veloz curva ascendente e caiu 5%. Os especialistas atribuem parte da explicação da queda a uma série de projetos educacionais lançados nos bairros contaminados pela violência. Entre eles, o basquete noturno.

O basquete é apenas uma isca. Para atrair as gangues, são feitos campeonatos pela madrugada, acompanhados por animadas torcidas – justamente o horário em que eles costumam se esmurrar, esfaquear ou disparar tiros.

Mas, para participar do campeonato, o jogador deve se submeter a programas de treinamento profissional e aprender com psicólogos como resolver conflitos civilizadamente.

Por ter algumas das melhores faculdades do mundo e, ao mesmo tempo, ser cenário de guerras de gangues, Nova York virou um laboratório educacional contra a violência.

Eles apostam na idéia de que a violência é um comportamento que se aprende; logo, cabe aos educadores inverter esse aprendizado por meio de artes, esportes, salas de aula ou treinamento profissional. (Gilberto Dimenstein, Aprendiz do futuro, Ática, p.7, Série Discussão Aberta)

04 - Considere as afirmações em torno do tema e do plano de organização do texto. I) O título aponta parcialmente para a solução do problema tratado no texto.

I) O enunciado “Pela primeira vez...5%” (L. 5-7) introduz um argumento que contradiz a afirmação anterior.

(Parte 1 de 5)

Comentários