(Parte 5 de 9)

Cor Significado Explicação Amarela Atenção Condições normais em alteração

Vermelha Perigo;

Situação que exige intervenção imediata, como altas temperaturas ou pressões;

Carga ligada

Verde Segurança;

Circuito desligado;

Temperatura ou pressões normal; Carga pronta para ser acionada;

Branca ou azul Informação Qualquer significado não simbolizado pelas outras cores

As buzinas e sirenes são usadas apenas para sinalizar condições de emergência, como vazamentos de gases, ou ainda para informações em local onde a sinalização visual seja insuficiente.

MAURÍCIO FRANCO 2001

CEFETCAMPOS Comandos Elétricos

Proteção

Os dispositivos de proteção objetivam proteger os equipamentos e condutores de uma instalação dos danos de uma corrente de alto valor e de grande duração.

Fusíveis Símbolos

Os fusíveis são dispositivos de proteção contra curto-circuito (e contra sobre-carga caso não seja usado relé para este fim) de utilização única: após sua atuação devem ser descartados.

São compostos por: elemento fusível, corpo, terminais e dispositivo de indicação da atuação do fusível.

• Elemento fusível: é um fio ou fita de metal com constituição e dimensões calculadas para entrar em fusão (daí o nome fusível) quando atravessado por corrente elétrica de determinado valor.

• Corpo: São feitos de material isolante (porcelana no caso dos industriais, mas existem também de papelão de vidro e de plástico) . Serve para sustentar o elemento fusível e os terminais. No corpo há a indicação de sua corrente de atuação da tensão em que pode funcionar e do seu tipo se rápido ou retardado. Dentro do corpo dos fusíveis usados em instalações industriais existe uma espécie de areia que tem por função extinguir a chama proveniente da fusão do elemento fusível.

• Terminais: São feitos de metal com robustez bastante para que não sofrer com a corrente que flui pelo fusível . Fazem o contato do elemento fusível com o porta fusível. O porta fusível é um compartimento que fica fixo no circuito e serve de encaixe para o fusível.

• A indicação pode ser feita pela transparência do corpo, que permite ao operador ver o elemento partido, ou por um pequeno botão (em geral vermelho) que se solta do corpo em caso de atuação.

MAURÍCIO FRANCO 2001

CEFETCAMPOS Comandos Elétricos

Os fusíveis de acordo com seu formato e forma de conexão podem ser :

NH - Usados em circuito de alta potência e conectados por encaixe, com ferramenta própria (punho) para proteção do operador;

por rosca. O próprio suporte do fusível protege o operador contra choque elétrico

Diazed - Usados em circuitos baixa potência e conectados através do porta-fusível que se monta

Neozed – muito parecido com o diazed, só que menor, esse fusível é usado para a proteção de circuitos de comando.

Velocidade

O fusível interrompe o circuito quando houver correntes maiores que 160% da sua corrente nominal. O tempo de atuação diminui a medida em que aumenta o valor relativo da sobrecarga. Assim uma sobrecarga de 190% da corrente nominal será interrompida mais rapidamente que uma de 170%.

Correntes de até 120% do valor nominal não atuam o fusível. A velocidade de ação dos fusíveis varia conforme sua aplicação: • Rápidos: Estes tipos são os que têm atuação mais rápida..

• Retardados: Fusíveis para circuitos de motores elétricos e de capacitores normalmente são mais lentos pois há a necessidade de não se romper durante os picos de corrente existente durante alguns instantes após sua ligação. Na partida dos motores há corrente de até oito vezes o valor nominal, porém caso a corrente seja muito maior que oito vezes a normal o fusível passa a agir tão rápido quanto um de ação rápida.

A escolha do fusível se faz pela corrente, pela tensão e pelo tipo de circuito (se sujeito a grandes variações de corrente, ou não).

MAURÍCIO FRANCO 2001

CEFETCAMPOS Comandos Elétricos

Disjuntores

São também usados na proteção contra altas correntes com a vantagem de poderem ser religados várias vezes. O número de vezes é determinado pelo fabricante, mas é sempre da ordem de milhares.

Os grandes disjuntores são desligados através de relés que podem por sua vez atuar por diversas grandezas físicas como por exemplo tensão, corrente ou temperatura.

Como a potência comandada é muito grande os processos de ligar e desligar devem ser rápidos e precisos, e isso é conseguido, nos disjuntores de alta potência, por uma forte mola que é tensionada por um motor elétrico, e a energia mecânica acumulada na mola é descarregada no mecanismo de fechamento ou de abertura do disjuntor, fazendo com estes sejam muito rápidos.

Em circuitos de baixa potência o termo disjuntor normalmente se refere a uma chave com desligamento automático quando a corrente se eleva acima do valor nominal de funcionamento. O desligamento pode se dar pelo efeito térmico que é o mais lento, ou magnético que é o mais rápido

Símbolos

MAURÍCIO FRANCO 2001

CEFETCAMPOS Comandos Elétricos

Relés

Embora esta seja também a denominação de pequenas chaves magnéticas (de uso por exemplo em automóveis), quando se tratam de circuitos de comandos elétricos industriais os relés são dispositivos de proteção que através de seus contatos atuam o comando de chaves magnéticas de potência, sendo atuados por diversas variáveis físicas, conforme seu tipo.

Os relés apresentam algumas características comuns às chaves magnéticas e outras específicas.

Em comum apresentam terminais de energização e terminais de chaves ou contatos internos. Porém não basta energizar o relé para que este atue em suas chaves. A atuação de suas chaves depende de alguma grandeza física, conforme seu tipo.

• Relé de tempo ou temporizador

Retardado na energização – Esse tipo atua suas chaves um tempo após a ligação, ou energização do relé e as retorna ao repouso imediatamente após seu desligamento ou desenergização. Retardado na desenergização – Este atua as chaves imediatamente na ativação, porém estas chaves só retornam ao repouso um tempo após a desativação. Não foi usado o termo energização e sim ativação por que existe um tipo de temporizador na desenergização que constantemente energizado e na realidade sua ativação e desativação se fazem por intermédio da interligação e do desligamento respectivamente de dois terminais específicos.

No painel desse relé se encontra um botão pelo qual se seleciona o tempo de retardo. Gráficos de acionamento x tempo, das bobinas e dos contatos dos relés temporizados.

bobina tempo Contatos tempo bobina tempo Contatos tempo

Retardo na energização Retardo na desenergização

(Parte 5 de 9)

Comentários