Curso Básico de Vigilância Epidemiológica

Curso Básico de Vigilância Epidemiológica

(Parte 1 de 5)

Secretaria de Vigilância em Saúde

Curso Básico de Vigilância Epidemiológica

Histórico do Combate às Doenças Transmissíveis no Brasil

Módulo I - Unidade I

Brasília, agosto de 2003

2000. MinistØrio da Saœde. Fundaçªo Nacional de Saœde

1a Ediçªo - 2001 É permitida a reproduçªo parcial ou total desta obra, desde que citada a fonte.

Editor: Assessoria de Comunicaçªo e Educaçªo em Saœde-NED/ASCOM/FUNASA Setor de Autarquias Sul, Quadra 4, Bl. N, Sala 515 70.058-902 Brasília/DF

Distribuiçªo e Informaçªo: Coordenaçªo Geral de Vigilância Epidemiológica - Centro Nacional de Epidemiologia / Fundaçªo Nacional de Saœde SAS - Setor de Autarquias Sul, Quadra 4 - Bloco N, 6o andar Telefone: (0XX - 61) 314-6554 / 226-7075 - FAX: 61 - 226-7075 70058-902 - Brasília/DF.

Tiragem: 1.0 Impresso no Brasil/ Printed in Brazil

Curso BÆsico de Vigilância Epidemiológica - CBVE - Nível Superior. 1 ed. Brasília: Fundaçªo Nacional de Saœde. 2001.

TTTTTreinamento BÆsico de Vigilância Epidemiológica - TBreinamento BÆsico de Vigilância Epidemiológica - TBreinamento BÆsico de Vigilância Epidemiológica - TBreinamento BÆsico de Vigilância Epidemiológica - TBreinamento BÆsico de Vigilância Epidemiológica - TBVE -VE - .....................VE - .....................VE - .....................VE - .....................
Histórico do Combate às Doenças THistórico do Combate às Doenças THistórico do Combate às Doenças THistórico do Combate às Doenças THistórico do Combate às Doenças Transmissíveis no Brasilransmissíveis no Brasil ......................ransmissíveis no Brasil ......................ransmissíveis no Brasil ......................ransmissíveis no Brasil ......................
Construçªo do Sistema Único de SaœdeConstruçªo do Sistema Único de Saœde .............................................Construçªo do Sistema Único de Saœde .............................................Construçªo do Sistema Único de Saœde .............................................Construçªo do Sistema Único de Saœde .............................................
Organizaçªo Atual do Sistema de Vigilância EpidemiológicaOrganizaçªo Atual do Sistema de Vigilância Epidemiológica .................Organizaçªo Atual do Sistema de Vigilância Epidemiológica .................Organizaçªo Atual do Sistema de Vigilância Epidemiológica .................Organizaçªo Atual do Sistema de Vigilância Epidemiológica .................
Bibliografia ConsultadaBibliografia Consultada ................................................................Bibliografia Consultada ................................................................Bibliografia Consultada ................................................................Bibliografia Consultada ................................................................

Apresentaçªo .............................................................................Apresentaçªo .............................................................................Apresentaçªo .............................................................................Apresentaçªo .............................................................................Apresentaçªo .............................................................................

SumÆrio

O Curso BÆsico em Vigilância Epidemiológica CBVE foi apresentado em sua primeira versªo no ano de 1983. Considerado o primeiro material didÆtico com a finalidade específica de capacitar os profissionais de saœde que atuavam no Sistema de Vigilância Epidemiológica SVE, teve ampla receptividade, foi avaliado e posteriormente utilizado em todo o território nacional, tendo contribuído para a implantaçªo e implementaçªo do Sistema Nacional de Vigilância Epidemiológica, instituído em 1975.

Hoje coloca-se um novo desafio: a implantaçªo, implementaçªo e descentralizaçªo das açıes de vigilância e controle de doenças, integradas ao Sistema Único de Saœde, que traz em sua concepçªo um modelo articulado com outros setores sociais pœblicos e privados, bem como com a sociedade civil. O processo de capacitaçªo dos profissionais de saœde necessariamente tem que dar conta da complexidade do modelo de saœde, da complexidade da dinâmica social, do avanço tecnológico. O CBVE cônscio da dimensªo desta tarefa bem como da diversidade de prÆticas existentes na saœde coletiva e da gama de profissionais envolvidos nesta tarefa, busca circunscrever seu objeto à Vigilância Epidemiológica e aos profissionais de nível universitÆrio. Tem como:

Objetivo Geral

Capacitar os profissionais universitÆrios que trabalham nos níveis municipal, estadual e federal sobre os princípios bÆsicos do Sistema Nacional de Vigilância Epidemiológica SNVE, visando a implementaçªo qualitativa da Vigilância Epidemiológica nos municípios.

Objetivos Específicos

•Inserir o treinando no contexto das políticas sociais, com Œnfase na estrutura do Sistema Nacional de Vigilância, fluxo, funcionamento dos sistemas de informaçªo, bem como o papel e a responsabilidade dos diferentes níveis.

•Atualizar, do ponto de vista conceitual e organizacional, as questıes relativas à vigilância epidemiológica.

•Instrumentalizar o aluno para atuar no SNVE. Operacionalizaçªo do Treinamento

Para o desenvolvimento do treinamento sªo utilizados um conjunto de módulos bÆsico fundamentais para a capacitaçªo de tØcnicos da Ærea de vigilância epidemiológica e que compreendem:

•Histórico do combate às doenças transmissíveis no Brasil.

•Sistema Nacional de Vigilância Epidemiológica

•Medidas de Saœde Coletiva e Epidemiologia Descritiva

•Elementos para a anÆlise em Vigilância Epidemiológica

Apresentaçªo

•Investigaçªo de Surtos •Operacionalizaçªo da Vigilância Epidemiológica

Em sua nova versªo, o CBVE/2000 teve como material de referŒncia tØcnica e pedagógica o material do TREINAMENTO B`SICO DE VIGILANCIA EPIDEMIOLÓGICA TBVE; da Secretaria de Estado da Saœde de Sªo Paulo, concebido em 1986 e reformulado em 1998 pela Centro de Vigilância Epidemiológica Prof. Alexandre Vranjac CVE SES-SP; inclusive incorporando na íntegra parte de seu material didÆtico.

Jarbas Barbosa da Silva JuniorJarbas Barbosa da Silva JuniorJarbas Barbosa da Silva JuniorJarbas Barbosa da Silva JuniorJarbas Barbosa da Silva Junior Diretor do CeDiretor do CeDiretor do CeDiretor do CeDiretor do Centro Nacional de Epidemiologiantro Nacional de Epidemiologiantro Nacional de Epidemiologiantro Nacional de Epidemiologiantro Nacional de Epidemiologia

O Sistema œnico de Saœde (SUS) passa por um processo acelerado de descentralizaçªo.

Os municípios, cada vez em maior nœmero, assumem a gestªo plena do sistema municipal de saœde. Isso implica que a maior parte das atividades da vigilância epidemiológica sªo por eles executadas.

Aos níveis regional e central cabem as funçıes de normatizaçªo, supervisªo, coordenaçªo e capacitaçªo, atuando de forma supletiva. Isto, aliado à alta rotatividade dos profissionais de saœde na esfera estadual e municipal, faz com que seja necessÆrio desenvolver um processo de educaçªo continuada.

O Treinamento BÆsico de Vigilância Epidemiológica (TBVE) por seu conteœdo e suas características metodológicas, constitui um instrumento adequado para capacitar tØcnica e operacionalmente os profissionais da vigilância epidemiológica, atendendo às necessidades dos diferentes níveis do Sistema de Vigilância Epidemiológica (SVE) e cria um espaço para que monitores e treinandos discutam a sua inserçªo nas políticas de saœde.

Esperamos que todos se beneficiem com esse trabalho.

DrDrDrDrDr. JosØ CÆssio de Moraes. JosØ CÆssio de Moraes. JosØ CÆssio de Moraes. JosØ CÆssio de Moraes. JosØ CÆssio de Moraes

Diretor TØcnico doDiretor TØcnico doDiretor TØcnico doDiretor TØcnico doDiretor TØcnico do Centro de Vigilância Epidemiológica PCentro de Vigilância Epidemiológica PCentro de Vigilância Epidemiológica PCentro de Vigilância Epidemiológica PCentro de Vigilância Epidemiológica Profrofrofrofrof. Alexandre Vranjac . Alexandre Vranjac . Alexandre Vranjac . Alexandre Vranjac . Alexandre Vranjac

Apresentaçªo

O Treinamento BÆsico em Vigilância Epidemiológica - TBVE - foi realizado pela primeira vez em setembro de 1986, fruto do trabalho de uma equipe interinstitucional e multi-profissional. De lÆ para cÆ a estimativa Ø de que mais de 4.0 treinandos foram capacitados, no Estado de Sªo Paulo e demais estados do país, a partir de suas bases.

O TBVE configura-se como um conjunto de módulos organizados e sistematizados a partir de um referencial que privilegia a epidemiologia enquanto Ærea de conhecimento e o mØtodo epidemiológico enquanto instrumental bÆsico para a investigaçªo em vigilância epidemiologica.

Entendendo a capacitaçªo como uma estratØgia pedagógica capaz de instrumentalizar para o trabalho e tambØm gerar uma atuaçªo crítica e emancipadora, quando apoiada em pressupostos e objetivos bem definidos o TBVE considera:

⇒Em relaçªo aos conceitos que norteiam o processo de ensino-aprendizagem:

•um processo cognitivo que envolve estruturas mentais complexas. Nªo sendo considerados somente como resposta a um estímulo;

•um processo onde o aluno deve ser visto como sujeito e nªo como objeto;

•um processo contínuo e crescente a partir de experiŒncias vivenciadas;

•ocorre com mais facilidade se forem consideradas as condiçıes internas dos alunos e criadas condiçıes externas e ambientais favorÆveis;

•quanto maior a interaçªo entre educador e educando, maior seu aproveitamento;

•requer conteœdos significativos em suas diversas ordens, opondo-se à aprendizagem de conteœdos irrelevantes;

•requer a estruturaçªo lógica de seus componentes, devendo estes estar relacionados entre si;

•deve enfocar nªo somente os produtos, mas tambØm e principalmente os processos;

(Parte 1 de 5)

Comentários