A Psicopedagogia com um novo olhar

A Psicopedagogia com um novo olhar

LEVANTAMENTO GERAL DAS TURMAS

Quais turmas precisam de tratamento direcionado?

 

A importância do psicopedagogo frente às dificuldades de aprendizagem

A psicopedagogia não lida diretamente com o problema, lida com as pessoas envolvidas. Lida com as crianças, com os familiares e com os professores, levando em conta aspectos sociais, culturais, econômicos e psicológicos.

O psicopedagogo atinge seus objetivos quando, tem a compreensão das necessidades de aprendizagem de determinado aluno, abre espaço para que a escola viabilize recursos para atender às necessidades de aprendizagem. Desta forma o psicopedagogo institucional passa a tornar uma ferramenta poderosa no auxílio da aprendizagem.

A intervenção psicopedagógica si propõe a incluir os pais no processo, através de reuniões, possibilitando o acompanhamento do trabalho junto aos professores. Sendo assim os pais ocupam um novo espaço no contexto do trabalho, opinando e participando, e isto é de suma importância.

A psicopedagogia frente às dificuldades dos alunos procura pesquisar as dificuldades de aprendizagem na escola e identificar a importância do educador nesse processo mostrando os principais conceitos de dificuldades de aprendizagem e também o entendimento do papel do psicopedagogo na educação no atual momento histórico.

De posse desses referenciais concluímos que a importância da educação é confirmada e sem dúvidas, é o desafio do educador do século XXI. Por que desafio? Primeiro, porque entre o educador e o educando existem barreiras, dificuldades, problemas que precisam ser resolvidos. Segundo, porque da mesma forma que não existe lugar para as certezas absolutas, não existem respostas prontas. Cada situação exige reflexão específica e resposta específica. É nesta perspectiva, que a Psicopedagogia contribui significativamente com todos os envolvidos no processo de aprendizagem, pois exerce seu trabalho de forma multidisciplinar numa visão sistêmica. Por isso a proposta é que devemos exercer uma prática docente em parceria, em equipe, onde todos deverão ter “olhar” e sua “escuta” para o sujeito da aprendizagem. Não há como refletirmos sobre este trabalho e buscarmos continuamente agregar valores a nossa formação, ressignificar conteúdos e adotarmos novas posturas avaliativas, se não conhecermos o ser que si educa e a grande responsabilidade que é de participarmos da sua formação com grandes êxitos.

Percebemos, que os problemas de dificuldades de aprendizagem ora estão no professor, ora estão no aluno, ora estão na família ou no ambiente no qual se insere o aluno. Tanto a escola quanto a família estão distante como se não fizessem parte da mesma relação.

Comentários