Atendimento multidisciplinar

Atendimento multidisciplinar

ATENDIMENTO MULTIDISCIPLINAR

INTRODUÇÃO

A sala de atendimento multidisciplinar é um espaço onde alunos e pais poderão receber atendimentos necessários à resolução de problemas existentes no âmbito escolar, seja de ordem pedagógica ou psico-social. Sua implementação contribuirá para o aperfeiçoamento da educação e das relações interpessoais que se pratica nas escolas a ela implantada. É a conscientização dos propósitos de interação efetiva das diferentes instâncias educacionais, o aprofundamento e disponibilização e orientação de vários profissionais em diversas áreas. A sua implementação supõe o envolvimento do corpo docente, discente e dos pais da unidade escolar. A sistematização das práticas educativas aliadas ao acompanhamento multidisciplinar foi o ponto de partida para elaborarmos esse projeto que visa acompanhar pedagogicamente às escolas a qual esse projeto for implantado, para retroalimentar as práticas educacionais, a partir de um processo de avaliação diagnóstica, intervenção e encaminhamento a vários profissionais de diversas áreas, entre eles Psicólogos, assistentes sociais, psicopedagogos, terapeutas ocupacionais e outros, através de parceria com as faculdades e universidades públicas e particulares. Certamente, a implantação deste projeto possibilitará, de fato, melhoria nas relações interpessoais e processos educacionais. Possibilitando atender o aluno individualmente ou em grupo com atividades voltadas para o desenvolvimento da afetividade e da inteligência emocional e dificuldades de aprendizagem.

1 JUSTIFICATIVA

A Educação atual investe na aprendizagem de forma a estimular apenas a parte cognitiva do cérebro, deixando de lado a sensibilidade e o desenvolvimento da intuição e criatividade. Essa educação desenvolve apenas parte da capacidade do indivíduo em detrimento do desenvolvimento integral do homem. Segundo Paulo Freire, “a educação implica uma busca por um sujeito que é o homem e que ele deve ser sujeito de sua própria educação, não pode ser objeto dela”. E diz mais: “ninguém pode buscar na exclusividade, na individualidade”. Esta busca deve ser feita com outros seres que procuram ser mais e em comunhão com outras consciências. Sendo importante também que os Princípios Educacionais sejam significativos e coerentes com a realidade e a identidade da sua clientela. Os desatinos, agressividade, violência, desequilíbrio afetivo, a procura das drogas gera a desarmonia do mundo atual. As dificuldades, distúrbios e problemas de aprendizagens verificados neste novo contexto já não pede os mesmos tratamentos tradicionais, precisando se fazer uma discussão critica de desses modelos de atendimentos tradicionais. Hoje, numa visão contemporânea e globalizada a função da Escola é não só de passar a educação formal, mas é urgente fortalecer sua função social e afetiva de: estimular a capacidade vital do educando, seu entusiasmo, sua criatividade, sua capacidade para resolver conflitos, seu sentido autêntico e verdadeiro, sua auto-estima, a confiança em si mesmo e sua expressão afetiva.

Vários autores afirmam a necessidade da participação e conjugação da Escola com a Sociedade. Derrubar o muro das escolas e integrá-las não só com a comunidade onde estão inseridas, mas com o espaço vivificante do mundo, um espaço que valorize o sentido real da existência humana em prol da construção de um mundo mais justo e coerente com as vivências naturais do homem. Torna-se necessário valorizar o indivíduo que aprende não só no aspecto cognitivo, mas também nos aspectos afetivos. O autor Daniel Goleman confirma hoje com a teoria da Inteligência Emocional essa necessidade tão urgente da integração. Acreditando que todos somos responsáveis por uma parcela dessa desarmonia, nos empenhamos em desenvolver e oferecer em parceria um trabalho nas unidades escolares onde pudesse sensibilizar os jovens e até educadores para o nosso compromisso com a vida.

Nossa proposta vem respaldar as necessidades vigentes das Escolas, que hoje buscam em atividades inovadoras, no resgate do aluno com dificuldades de aprendizagem, na inclusão da família na escola e na inclusão de alunos das necessidades educacionais especiais (NEE). Hoje, faz-se necessário um novo modelo de educação, pautado em “um paradigma construtivista – compreende o conhecimento como processo de construção, transformação - interacionista, porque reconhece o sujeito e objeto como organismo vivo ativos, aberto e em constante intercâmbio entre o meio ambiente, com base nos quais um modifica o outro e os sujeitos se modificam entre si, - sociocultural, porque compreende que o “ser” se faz na relação, que o conhecimento é produzido na interação com o mundo físico e social com base no contato do indivíduo com a sua realidade, - transcendente, porque significa a tentativa de ir mais além, ultrapassar-se, superar-se, compreende-se como parte integrante do universo, como seres interdependentes e inseparáveis de um todo cósmico” (Ma. Cândida 1998:25) Necessitamos alterar nossa prática para ensinar a pessoa a pensar, possibilitar ao aluno em seu processo de desenvolvimento, a tomada de consciência do seu caminho de aprendizagem; proporcionar uma formação dinâmica, ativa, realizadora e reveladora do definir.

2. OBJETIVOS

• Criar espaço para troca de experiências, estudos e produção do conhecimento;

• Atendimento para alunos e orientação familiar por profissionais de diversas áreas;

• Organizar grupos de estudo refletindo sobre diversos temas;

• Atuar na prevenção e intervenção das dificuldades de aprendizagem;

• Trabalhar as relações interpessoais no âmbito da Unidade Escolar;

• Orientar pais através de vivências dinâmicas e palestras abordando diversos temas;

• Encaminhar alunos para atendimento multidisciplinar;

3. PROBLEMA Á SUPERAR

• Questões individuais dos estudantes, nas dificuldades de aprendizagens, conflitos internos envolvendo a própria esfera familiar, incluindo a falta de afeto na vida do aluno, a violência social, conturbações socioeconômicas, crise de valores, influência da mídia, etc;

• Conflito entre professor X aluno, Aluno X aluno, em sala de aula e fora dela, ameaçando a qualidade do ensino, que nos faz questionar a finalidade da educação;

• Condutas consideradas inadequadas dentro e fora da sala de aula, com base em critérios compreendidos pelos alunos, tais como: aluno se indispõe a cooperar com professores, tratamento de descaso nas tarefas solicitadas, assume atitudes dispersivas durante as explicações, distração e falta de sentido para com os estudos.

• Falta de um bom relacionamento com os diversos profissionais que atuam na escola (não interagem socialmente), e nos diversos contextos do espaço escolar: patrimônio, ambiente, etc:

• Falta de motivação, baixo ritmo de aprendizagem e baixos níveis de retenção, muitas vezes despercebidos ou desconsiderados devido ao modo silencioso instalado em sala de aula.

4. SOLUÇÃO PROPOSTA

Atendimento multidisciplinar, com atenção diferenciada, mais intensa, auxiliando os alunos a desenvolver determinados recursos internos, que ampliem suas possibilidades para a vida dentro e fora da escola, englobando estratégias para avançar em sua capacidade de conviver de um modo harmônico em meio às relações dinâmicas e induzindo novas formas de estimular o desenvolvimento educacional. Alterar os ambientes e as estratégias e experiências de aprendizagens, ensinando os alunos a resolver conflitos e resgatando um caminho promissor para sondar suas causas e compreendê-la adequadamente estabelecendo soluções apropriadas. Cabe a escola desenvolver formas de gestão que englobem estratégias de intervenção, que efetivamente considere os valores e não se restrinja a limites comportamentais e conseqüências de suas observâncias, aplicada a sansões de má conduta.

Buscamos aqui, compreender as metodologias que vem dando sentido à práxis pedagógica. Muitos professores e administradores estão encontrando maneiras criativas de atuar na instituição escolar buscando maneira de trabalhar a relação aluno/escola e família/escola e assim incorporar os serviços como parte de programas escolares.

Nossa proposta visa articular ações estratégicas para estimular a aprendizagem cooperativa, contrapondo a aprendizagem tradicional que favorece o individualismo. Neste sentido, iremos experimentar novas abordagens para o acompanhamento de alunos e pais através dos seguintes serviços:

Sala Multidisciplinar- composta como sala de acolhida e sala ambiente, em que profissionais (estudantes universitário) de várias áreas estarão atuando dando suporte social, psicológico, pedagógico, fonaudiologia, psicopedagógico e terapias ocupacionais.

Aluno articulador-o aluno articulador substituirá o que chamamos aluno líder, este vai trabalhar como interlocutor mediador da turma e proporcionar serviços que venham melhorar as relações interpessoais entre aluno/aluno, aluno/professor.

Serviços voluntários - são serviços para a própria escola e para o próprio aluno, estes se beneficiam oferecendo importantes contribuições na instituição escolar, aprendendo sobre a cidadania responsável, ampliando os estudos as situações da vida real, exercendo a iniciativa individual, experimentando uma transição positiva para a vida adulta, aumentando a competência social e estimulando a autoconfiança. Os professores que implementam alguma forma de aprendizagem através de serviço estimularão os alunos a refletirem regularmente sobre suas experiências. A aprendizagem através de serviço estimula a ética de proteção e de comunidade dentro de uma escola. Também estabelece parcerias positivas entre escola e suas comunidades. Os alunos aprendem que educação é mais que assimilação de informações: é um meio de melhorara vida dos outros. Exemplo: um aluno que cometeu uma determinada indisciplina, ele seria solicitado a cumprir, como retratação, um trabalho voluntário na escola.

Acolhimento à família

Realizar um trabalho interativo, juntamente com os profissionais, refletindo questões interpessoais, sociais e éticas que permeiam as condutas humanas na perspectiva das relações pais/alunos, pais/escola, fortalecendo as relações educacionais e envolvimento como parte integrante de uma comunidade escolar. Assim, inserir a família na escola

5. RESULTADOS ESPERADOS

Seria de alcançar na gestão escolar, níveis de excelência na qualidade de relacionamento entre escola X aluno X família, acreditando que para problemas com novas demandas sociais, é necessário novas estratégias, para:

• Ampliar sua expressão e conjugar ações originais e apropriadas, promovendo uma política de prevenção e intervenção, reinventando seu caráter afetivo, criativo e desafiador;

• Facilitar uma compreensão que permita uma visão mais ampla e integrada do conhecimento à vida do aluno. Suficiente para formar cidadãos conscientes de sua participação na sociedade;

• Superação de metas e condutas para atingir através da busca pela experimentação e pela constatação baseada na concepção da globalização, num processo mais interno que externo;

• Proporcionar às áreas de conhecimento maior integração, com o objetivo de resolver a apropriação do conhecimento e a ação social, agindo como autores capazes de contribuir para seu aprofundamento e para a utilização desse conhecimento para a realidade, assim superar os grandes desafios que provavelmente os aguardam no convívio com a sociedade;

• Utilizar um acolhimento diferenciado na recepção do aluno e família, onde estaremos disponibilizado um tratamento especial e acolhedor ao recebê-los com novas atitudes diante de cada problema e situação de desconforto tanto para o aluno, como para a escola, quanto para a família. Através de jogos, dinâmica, música, filmes, vídeos, livros de auto-ajuda e profissionais que possam está disponíveis para trabalhar na reflexão e situações de crise e conflitos;

• Mediar às problemáticas de forma inovadora e criativa e assim criar um ambiente alegre e amoroso para convergir e impactar com o ambiente agressivo e ruidoso que normalmente leva o estudante à coordenação e até muitas vezes ser suspenso, ficando fora da escola durante alguns dias, excluído e alimentando ainda mais posturas de rejeição e desprezo para com a pessoa do aluno.

6. PROPOSTA ATENDE AOS CRITÉRIOS

Nossa proposta atende aos critérios, na medida em que busca parcerias com universidades, movimento hoje bastante facilitado pela ocorrência de demanda das universidades pública, e principalmente particulares, em estabelecer serviços à comunidade e a cumprir seus critérios de formações para os universitários. Há pouco tempo o ministro Cristovam Buarque em discurso, confirmou essa necessidade de participação mais efetiva das universidades para com a sociedade.

Os recursos do projeto da sala estar também realizável, na medida em que o PDE prevê estratégias de acordo com as exigências e necessidades da escola, para a melhoria da qualidade da educação.

7. FUNDAMENTAÇÃO TEORICA

Escolhemos alguns teóricos que fundamentam nossa perspectiva de trabalho inovador:

JUNG – QUATRO FUNÇÕES DE CONTATO DO INDÍVIDUO COM O

MUNDO

FORMAS DE ORGANIZAR

SentimentoIntuitivaPerceptiva concretaPensamento lógico

INDIVÍDUO

Jeito de ser; Forma de sentir pensar e relacionar.

ESTILOS COGNITIVO-AFETIVOS

Eloisa Fagali ATENÇÃO FOCADA

• Capacidade de perceber os detalhes das informações; • Percepção pontual e local • Captam a realidade de forma focada • Captam a informação por parte, ponto a ponto

ATENÇÃO PANORÂMICA EXPLORATÓRIA

• Dificuldades em focar a atenção; • Apreensão simultânea e exploratória • Captam a realidade como um todo; • Buscam descentrações entre fatos e associações simultâneas • Desvio de expectativa • Padrão • Sintética exploratória

INTELIGÊNCIAS MÚLTIPLAS

As inteligências múltiplas são vistas como processo de ensino capaz de melhorar a aprendizagem do aluno em qualquer disciplina. Pensar as

Inteligências Múltiplas e perceber o potencial e as competências que expressamos enquanto seres pensantes e produtores de cultura. Desta forma, precisamos pensar as dimensões que o aprender tem, e nos possibilite idéias e sugestões para desenvolver o saber, um saber com “sabor”, desenvolvendo estratégias criativas para estimular as Inteligências lingüísticas ou verbais.

LINHA DA INTELIGÊNCIA

GUILFORD

PROCESSOS QUE ACONTECEM SEMPRE QUE

GERAMOS UMA IDÉIA

• Memória – se depositam todas nossas experiência e referencias registrada.

• Pensamento – Idéia • Cognição – conteúdo da nossa idéia

• Produção – idéia global e sua execução prática • Avaliação – residem os estímulos para nossa auto-imagem e auto-estima • P. Convergente – p. direto, é a saída lógica(padrão) • P. Divergente – modo único e criativo de pensar INTELECTO

MEMÓRIA PENSAMENTO

COGNIÇÃO AVALIAÇÃO PRODUÇÃO CONVERGENTE DIVERGENTE

OS DESORGANIZADORES

• Buscam a exploração do material, da atividade ou da informação, com movimento caótico de “ir e vir”, sem buscar procedimentos em uma única direção; • Indivíduos criativos

OS ORGANIZADORES • Atende cada detalhe da informação e daatividade, sistematizando ações segundo ordem determinada;

• Indivíduos sistemático interpessoal, intrapessoal, visuo-espacial, sonora ou musical, cinestésicocorporal, naturalista e pessoais de seus alunos. Na visão das inteligências múltiplas olhar para o aluno que está na escola não só para encher-se de informações, mas para conquistar espaços interiores e exteriores.

A importância do vivenciar no processo de aprendência

VIVÊNCIA DE APRENDIZAGEM NA EDUCAÇÃO ATUAL

“Aprender é uma propriedade emergente da auto-organização da vida” A Vivência–reflexiva no paradigma emergente seja uma experiência na educação, em que o Aprender a conhecer Aprender a viver juntos, Aprender a fazer e Aprender a ser, sejam plasmados pela corporeidade vivida – nosso corpo como instrumento de atuação no mundo vivido e experenciado pela afetividade e necessidade de renovar-se. O relatório da UNESCO destaca esses quatro pilares da educação necessários à humanidade para a educação do terceiro milênio, aprender a: CONHECER (cognitivo)

VIVER JUNTOS FAZER (afetividade) (ação)SER (espiritualidade)

Se o “movimento é a relação significativa entre situação e a ação e, sobretudo a concretização de uma presença dinâmica no mundo, que caracteriza e dimensiona a experiência pessoal” (Fonseca, Vitor – 1988).

As estruturas possíveis do indivíduo, o que ele pode realizar; são as estruturas que garantem a diferenciação progressiva das condutas, ou seja, sua determinação. Então é estabelecendo a relação significativa e inteligente entre situação-ação, que se reconhece a conduta humana, daí deriva a verdadeira vivência de aprendizagem:

CONTEXTO DIÁLOGO CRIATIVIDADE Gera processo de auto-organização

AUTO-APRENDIZAGEM O movimento nos três níveis: cognitivo (mental), afetivo (emocional) e motor (ação)formam uma tríade de resolução.

Pensamento EU Sentimento Movimento

Esse é o sujeito práxico... “Nenhum saber e nenhuma prática existe sem estar ancorada no corpo enquanto totalidade expressivo-cultural do homem e neste corpo se constrói o jogo lúdico e a materialização da felicidade humanizadora”. Paulo Freire Para transformar precisamos vivenciar.

BIBLIOGRAFIA

Antunes, Celso. Jogos para a Estimulação das Múltiplas Inteligências. Editora

Vozes, 1999

____________. A teoria das inteligências Libertadoras. Petrópolis, RJ: Vozes,

2000.

____________. Como desenvolver conteúdos explorando as inteligências

múltiplas. Petrópolis, RJ: Vozes, 2001. Fasc. 3

____________. O que é um projeto 12 dias/12 minutos?. Petrópolis, RJ: Vozes,

2001. Fasc. 1

____________. Como transformar informações em conhecimentos. Petrópolis,

RJ: Vozes, 2001. Fasc. 2

____________. Como identificar em você e em seus alunos as inteligências

múltiplas. Petrópolis, RJ: Vozes, 2001. Fasc. 4

____________. Jogos para a estimulação das múltiplas inteligências. 7ª ed.

Petrópolis, RJ: Vozes, 1998.

Armstrong, Thomas. Inteligências múltiplas na sala de aula. Porto Alegre:

ARTMED Editora, 2001.

Chen, Jie-Qi, et al. Utilizando as Competências das Crianças. Porto Alegre:

Artmed Editora, 2001. (Coleção Projeto Spectrum: A teoria das Inteligências

Múltiplas na Educação Infantil; v 1)

GARDNER, Howard (1999). Arte, Mente e Cérebro. Porto Alegre: Artes Médicas.

_______________. As Artes e o Desenvolvimento Humano. Porto

Alegre: Artes Médicas

______________. (199?). A Nova Ciência da Mente. São Paulo: Edusp.

Capra, Fritjof . O ponto de mutação - Editora Cultrix - São Paulo

___________. A teia da vida - Editora Cultrix - São Paulo

Moraes, Ma. Cândida - O Paradigma Educacional Emergente. Papirus -São

Paulo,

Assmann, Hugo . Reencantar a educação - Editora Vozes; Rio de Janeiro,1998

3º Prêmio Fundação Luís Eduardo Magalhães

Comentários