Farmacologia do sistema hematopoiético

Farmacologia do sistema hematopoiético

(Parte 6 de 7)

metotrexato seja < 1 x 10-8 molar. Cada uma das doses de folinato de cálcio pode ser aumentada se a concentração plasmática de metotrexato estiver excessivamente alta.

Advertências Informar ao médico a ocorrência de gravidez ou se está tentando engravidar antes de tomar folinato de cálcio. O folinato de cálcio pode ser tomado conjuntamente com alimentos ou em separado. Faça exatamente como indicado; tome o medicamento com espaços de tempo regulares tanto de dia como à noite.

Absorção: rápida por VO e IM

Início do efeito: em 30 min por VO (absorção diminui para doses acima de 25 mg); 10-20 min por IM; 5 min por IV

Duração: 3 a 6 h

Biotransformação: rapidamente convertido em 5-metiltetrahidrofolato (5MTHF) (ativo) pela mucosa intestinal e pelo fígado

Meia vida: 15 min (folinato) e 6,2 h (5MTHF)

Farmacocinética

Eliminação: principalmente na urina (80% a 90%) e pela bile (5% a 8%)

Reações Adversas

Reações alérgicas raras como exantema, urticária, prurido e respiração sibilante.

Nome genérico sulfato ferroso

Apresentação Comprimidos de 300 mg que devem ser armazenados em frascos herméticos pois oxidam-se facilmente em contato com o ar Gotas com 125 mg/mL (25 mg de ferro elementar/mL)

Via de administração VO

Classe Terapêutica Sal de Ferro

Contra indicação Hemocromatose, anemia hemolítica, hipersensibilidade a sais de ferro

Posologia Deficiência de ferro (doses expressas em ferro elementar)

• Crianças: anemia severa: 4 a 6 mg de ferro/Kg/dia divididos em 3 doses; anemia leve a moderada: 3 mg de ferro/Kg/dia divididos em 1 ou 2 dose

• Adultos: 300 mg 2 vezes ao dia até 300 mg 4 vezes ao dia ou 250 mg (forma de liberação controlada) 1 a 2 vezes por dia Profilaxia (doses expressas em ferro elementar)

• Crianças: 1 a 2 mg de ferro/Kg/dia até o máximo de 15 mg/dia

• Adultos: 300 mg/dia

Parâmetros de Monitorização

Hemoglobina, hematócrito, contagem de reticulócitos, ferritina sérica

Informação ao paciente

As fezes podem apresentar-se com a coloração enegrecida; tomar entre as refeições para maior absorção; pode ser ingerido com alimento se ocorrer desconforto gastrintestinal; não ingerir com leite ou antiácidos; deixe longe do alcance das crianças

Início da resposta hematológica: a forma e coloração das células vermelhas mudam dentro de 3 a 10 dias

Pico de reticulocitose: ocorre em 5 a 10 dias, e o valor de hemoglobina aumenta dentro de 2 a 4 semanas

Absorção: o ferro é absorvido no duodeno e no jejuno superior; em pacientes que possuem armazenamento sérico de ferro normal, 10% de uma dose oral é absorvida; já em pacientes com deficiência no armazenamento ocorre um aumento de 20 a 30%. Alimentos e acloridria diminuem a absorção.

Farmacocinética

Eliminação: o ferro é amplamente ligado a transferrina sérica e excretado pela urina; fezes; suor; queda de pele, cabelos e unhas; mucosa intestinal e menstruação.

Reações Adversas

Irritação gastrintestinal, dor epigástrica, náusea, fezes escurecidas, vômito, cãibra no estômago e constipação. Antídoto para overdose: deferoxamina que pode ser administrada IV (80 mg/Kg em 24 h) ou IM (40-90 mg/Kg a cada 8 h)

Nome genérico sacarato de óxido de ferro Apresentação Ampola com 10 mg/5 ml

Via de administração IV

Classe Terapêutica Sais de ferro.

Uso Anemias ferropênicas graves, nefropatas recebendo eritropoetina, pós hemorragias, pós ressecção gástrica, pós parto, pós cirurgia e na impossibilidade de utilizar-se a ferroterapia por via oral como em diarréias crônicas, retocolite ulcerativa, anemia hipocrômica essencial, anemias alimentares e por parasitas.

Contra indicação Não deve ser utilizado em condições de hemocromatose e hemosiderose. Nas talassemias e doença inflamatória crônica tal como artrite reumatóide para o qual o ferro é contra indicado. Deve-se ter cautela quando for administrar em pacientes etilistas, pois estes apresentam reserva aumentada deste íon.

Posologia Para evitar possíveis efeitos colaterais, como o de caráter anafilactóide, recomenda-se utilizar dose de teste de 0,5 ml no primeiro dia; no segundo dia 2,5 ml; terceiro dia 5,0 ml; quarto dia 10,0 ml. Em seguida 10 ml duas vezes por semana até atingir a dose calculada.

Reações Adversas

Cefaléia, mal estar, febre, linfadenopatia generalizada, artralgias, exacerbação de artrite reumatóide, reação anafilática.

Nome genérico hidroxicobalamina (vitamina B12) Apresentação Ampola de 2 mL com 5.0 e 15.0 mcg

Via de administração

Injetável IM somente, pode requerer coadministração de ácido fólico

Classe Terapêutica

Vitamina hidrossolúvel. Possui as mesmas propriedades da cianocobalamina, porém possui ação mais prolongada. Alguns pacientes criam anticorpos ao complexo hidroxicobalamina e transcobalamina I, portanto prefere-se a cianocobalamina para o tratamento de anemia perniciosa.

Uso Tratamento da anemia perniciosa, deficiência de vitamina B12 , aumento da necessidades de vitamina B12 como na gravidez, tirotoxicose, hemorragia, doenças hepáticas e renais

Mecanismo de ação / Efeito

A hidroxicobalamina é uma coenzima para várias funções metabólicas como no metabolismo de carbohidratos, gorduras e síntese proteíca, utilizada na replicação celular e hematopoiese

Contra indicação Hipersensibilidade a hidroxicobalamina, cobalto, pacientes com atrofia de nervo óptico hereditária

Posologia Deficiência

(Parte 6 de 7)

Comentários