Apostila: Perícia Ambiental

Apostila: Perícia Ambiental

(Parte 3 de 9)

Os principais poluentes atmosféricos são o monóxido de carbono (CO), gás carbônico

(CO2), dióxido de enxofre (SO2), dióxido de nitrogênio (NO2), material particulado

(MP), hidrocarbonetos (HC), sulfeto de hidrogênio (H2S), ozônio (O3), dioxinas e furanos, entre outros. Sabe-se ainda que esses poluentes podem ter maior ou menor impacto sobre a qualidade do ar, de acordo com sua concentração na atmosfera e condições metereológicas locais.

A poluição do ar provoca doenças respiratórias (asma, bronquite e enfisema pulmonar) e desconforto físico (irritação dos olhos, nariz e garganta, dor de cabeça, sensação de cansaço, tosse), agrava doenças as cardiorespiratórias e contribui para o desenvolvimento de câncer pulmonar. Estes problemas apresentam um alto custo social, uma vez que, eles provocam desgastes físicos e emocionais, gastos financeiros com o tratamento da saúde, perda de horas de trabalho e redução da produtividade.

Os principais problemas causados pela contaminação atmosférica são a degradação da qualidade do ar; a exposição humana e dos ecossistemas a substâncias tóxicas; os danos à saúde humana, aos ecossistemas e ao patrimônio público; a acidificação das águas e solos; a depleção do ozônio estratosférico e o aquecimento global e alterações climáticas.

Considerando que o homem é diretamente afetado por tudo que acontece no meio ambiente por fazer parte dele, podemos concluir que se o meio ambiente perece todos perecem. Cada pessoa é produto do meio e a sua vida depende da qualidade da água que bebe, dos alimentos que ingere, do espaço em que vive e do ar que respira. Surge então a necessidade de se preservar e cuidar do meio ambiente. Observa-se que essa responsabilidade do “cuidado” vai além do bairro, da cidade e mesmo do país em que se vive, ele deve ser a conjugação de esforços a nível internacional para se viver o presente e o futuro.

1.3 ENERGIA E MEIO AMBIENTE

A energia constitui o substrato básico do universo e de todos os processos de transformação, propagação e interação que nele ocorrem. Há uma diversidade de fontes de energia, inferidas da análise desses variados processos. Do ponto de vista cultural podemos falar em fontes naturais e fontes artificiais de energia.

As fontes naturais são aquelas em que a natureza é o agente produtor de energia. As fontes artificiais de energia são as que incluem a ação do homem, incluindo geradores, turbinas, reatores nucleares e baterias solares. Sob o ponto de vista do referencial humano podemos identificar dois estados básicos da energia: potencial e cinético. O primeiro significa energia armazenada disponível a qualquer instante, como a energia gravitacional das águas represadas. O aspecto cinético ou dinâmico está associada a massa em movimento.

Os estágios de desenvolvimento do homem desde o homem primitivo até o homem tecnológico de hoje em dia pode ser correlacionado estreitamente com a energia consumida, conforme mostrado a seguir.

• O homem primitivo sem o uso do fogo tinha apenas a energia dos alimentos que ele comia (2.0 kcal / dia);

• O homem caçador (100.0 anos atrás) tinha mais comida e também queimava madeira para obter calor e para cozinhar;

• O homem agrícola primitivo (Mesopotâmia, 5.0 a.C.) semeava e utilizava a energia animal;

• O homem agrícola avançado (Noroeste da Europa, em 1.400 d.C.) usava carvão para aquecimento, a força da água, a força do vento e o transporte animal;

• O homem industrial (Inglaterra, 1875) tinha a máquina a vapor e;

• O homem tecnológico (nos EUA, em 20) consumia 250.0 kcal / dia.

Começando com o consumo de energia muito baixo de 2.0 kcal por dia, que caracterizava o homem primitivo, o consumo de energia cresceu, em um milhão de anos, para quase 250.0 kcal por dia. Este enorme crescimento da energia per capita consumida só foi possível devido:

• Ao aumento do uso do carvão como fonte de calor e potência no século 19; • Ao uso de motores de explosão interna com petróleo e derivados e;

• Ao uso de eletricidade gerada em usinas hidrelétricas e termelétricas.

Por outro lado, existe ainda uma enorme diferença entre o consumo per capita dos países industrializados, onde moram 25% da população mundial, e dos países em desenvolvimento, onde vivem os restantes 75%. Os EUA, por exemplo, com 6% da população mundial, consomem 35% da energia mundial.

O consumo médio anual per capita no século X foi de 75.0 kcal/dia nos países industrializados e de apenas 9.450 kcal/dia nos países em desenvolvimento. Dentro de alguns países há diferenças enormes no consumo de energia entre os ricos e os pobres. A Figura 2 ilustra a evolução do homem no uso da energia.

A principal causa dos problemas ambientais relacionados ao uso da energia para alimentação, moradia e comércio, indústria e agricultura, e transporte, é o emprego de combustíveis fósseis (carvão, petróleo e gás), ou mesmo a lenha. O uso da hidroeletricidade e a energia nuclear também criam problemas. A Tabela 3 mostra as principais fontes de energia utilizada atualmente pelo homem.

Figura 2 – Consumo de energia do homem ao longo da história

Homem caçador

Homem agrícola prim itivo

Homem agrícola av an çado

Homem industrial

Ho mem te cn ológico

Tran sp orte Indústria e agricultura

Moradia e comércio Alim en tação

Tabela 3 – Fontes de energia, vantagens e desvantagens

ESGOTÁVEL

Petróleo

Resulta de reações químicas de fósseis, depositados no fundo do mar e no continente.

Produção de energia elétrica; matéria-prima da gasolina, do diesel e de produtos, como plástico, borracha sintética, ceras, tintas, gás e asfalto.

Domínio da tecnologia para sua exploração e refino; facilidade de transporte e distribuição.

Polui a atmosfera (gás carbônico, enxofre, particulados, óxidos de nitrogênio); colabora para o aumento da temperatura.

Nuclear

Reatores nucleares produzem energia térmica por fissão de átomos de urânio. Esta energia aciona um gerador elétrico.

Produção de energia elétrica; fabricação de bombas nucleares.

Não emite poluentes que contribuam para o efeito estufa.

Não há tecnologia para tratar lixo nuclear; a construção das usinas é demorada e cara; há riscos de contaminação radioativa.

Carvão Mineral

Resulta das transformações químicas de grandes florestas soterradas. Extraído de minas localizadas em bacias sedimentares.

Produção de energia elétrica; aquecimento; matéria-prima de fertilizantes.

Domínio da tecnologia para seu aproveitamento; facilidade de transporte e distribuição.

Polui a atmosfera (gás carbônico, enxofre, particulados, óxidos de nitrogênio); colabora para o aumento da temperatura.

Gás Natural

Ocorre na natureza associado, ou não, ao petróleo. A pressão nas reservas impulsiona o gás para a superfície, onde é coletado em tubulações.

Aquecimento; combustível para geração de eletricidade, veículos, caldeiras e fornos; matériaprima de derivados de petróleo.

Emissão baixa de poluentes; pode ser utilizado nas formas gasosa e líquida; existe um grande número de reservas

(Parte 3 de 9)

Comentários