Benito Mussolini

Benito Mussolini

(Parte 1 de 4)

O ESTADO CORPORATIVO Benito Mussolini

Nélson Jahr Garcia

O pai severo, o professor rigoroso ou o patrão exigente, mais ou menos dia, acabam sendo chamados de "fascistas". É uma expressão que já se tornou lugar comum para designar aqueles que procuram impor alguma forma de autoridade. Grande parte das pessoas, porém, desconhece o significado exato do termo, sua história e influência. Por essa razão estamos colocando à disposição o livro "O Estado Corporativo" de Benito Mussolini, para permitir acesso ao ideário fundamental do Fascismo italiano Mussolini era o principal líder do movimento, foi ditador na Itália de 1922 a 1943. A proposta de sua propaganda, bastante persuasiva na época, era fazer a Itália voltar ao esplendor do antigo império romano. Dai ter recuperado símbolos antigos como a saudação romana, com braços estendidos e mãos espalmadas. Os soldados passaram a marchar com passos largos e pernas estendidas. Os estandartes eram ornados com águias douradas. O símbolo principal era o Fascio, instrumento de tortura e decapitação utilizado pelo antigo exército romano, daí o nome do regime. O leitor observará uma grande semelhança entre o modelo fascista e o regime implantado no Brasil após 1930, não há coincidência, foi cópia mesmo. Aliás o modelo de concentração do poder no âmbito do Estado, suas instituições e corporações está presente até hoje; apesar de tanto termos lutado, o fascismo continua vivo entre nós. O texto é de 1938, por isso a grafia é antiga. Além disso, foi traduzido e impresso em Firenze, na Itália, o que faz com que certas palavras pareçam estranhas. Mas é legível, claro e facilmente compreensível; como toda peça de propaganda, foi escrito para ser popular

TABUA DE MATERIAS (Indice)

O Estado Corporativo file:///C|/site/LivrosGrátis/oestadocorporativo.htm (1 of 67) [05/04/2001 18:09:20]

Discursos sobre o Estado Corporativo.

Discursos sobre o Estado Corporativo (14 de decembro 1933-XII). Discurso sobre a Lei das Corporações (proferido a 12 de janeiro de 1934-XII). Discurso aos operarios de Milão(16 de outubro de 1934-XII). Discurso pronunciado na posse dos vinte dous conselhos das Corporações (10 de novembro de 1934-XIII)

Na Assembléa nacional das corporações (discurso pronunciado a 23 março de 1926.XIV). Na Assembléa nacional das corporações (discurso pronunciado a 15 de maio de 1937-XV).

Apendice:

"Codigo do trabalho" e suas realisações. A organização sindical italiana. Valor e função da corporação. Texto da lei sobre as corporações. As vinte e duas corporações e seus conselhos. Bibliografia essencial.

(14 de dezembro 1933, A. XII).

Este discurso pronunciado em Roma, na assembléa Geral do Conselho Nacional das Corporações, a 14 de novembro de 1933, marca o inicio da fase resolutiva, já radicalmente inovadora da politica corporativa do Fascismo. Este discurso determina clara e definitivamente o conceito fascista de Corporação; apresenta e resolve os problemas fundame .aes concernentes ao caráter corporativo do Estado, ás funções legislativas de Corporação e aos fatores ethicos do Corporativismo fascista. Na sessão anterior, S. E. o Chefe do Governo, havia lido a seguinte declaração, reservando-se de ilustral-a no dia seguinte: O Conselho Nacional das Corporações, define as Corporações como o instrumento que sob a égide do Estado, realiza a disciplina integral, organica e unitaria das forças produtoras, em vista do desenvolvimento da riquêsa, da força politica e do bem estar, do povo italiano; "declara que o numero das Corporações para os grandes ramos da produção deve ser o maior possivel, adaptado ás necessidades reais da economia nacional; "estabelece que o estado maior das Corporações, deve compreender os representantes das administrações do Estado, do partido do capital, do trabalho e da técnica; "designa como funções especificas das Corporações, as conciliativas e consultivas, com obrigação nos problemas de maior importancia e, atravês do Conselho Nacional, a creação de leis que regulem a atívidade economica da Nação; "reserva ao Grande Conselho do Fascismo, a faculdade de decidir os problemas que no sentido politico constitucional se determinem em consequencia da constituição efectiva e do

O Estado Corporativo file:///C|/site/LivrosGrátis/oestadocorporativo.htm (2 of 67) [05/04/2001 18:09:20]

O seguinte discurso constitue a ilustração da referida declaração: assinála um ponto de partida
O aplauso com que hontem á noite recebestes a leitura das minhas declarações, fez-me perguntar
No entanto, poderá interessar-vos saber, qual foi o pensamento que dirigiu o meu espirito, ao
Antes de tudo, porem, quero elogiar esta assembléa e comprazer-me pelas discussões que nella se
Só os pobres de espirito podem admirar-se de que tenham surgido divergencias e que tenham
Harmonia é harmonia; cacofonia é outra cousa. Por outro lado, discutindo-se um problema tão
Certamente, lembrareis, que em 16 de Outubro do anno X, na praça Veneza, perante milhares de
Pergunta grave a qual não se podia responder imediatamente.
Para responder é necessario refletir muito e documentar-se bem.
Hoje respondo : a crise penetrou de tal forma no sistema, que se tornou uma crise do sistema.
Já não é um traumatismo, é uma molestia constitucional. Hoje podemos afirmar, que o modo de
Quero delinear-vos a traços largos, o que foi a historia do capitalismo no seculo passado, que
O capitalismo vice-versa é um modo especifico da produção industriàl. Na sua expressão mais
Na historia do capitalismo, eu distinguiria tres periodos: o periodo dinamico, o periodo
O periodo dinamico, é o que vae de 1830 a 1870. Coincide com a introdução do tear mecanico e
O capitalismo tem ainda tanta vida e tanta força que as pode superar brilhantemente: É esta a época
A seleção neste primeiro periodo de vida do capitalismo é um fato. Houve tambem guerras, mas

funcionamento pratico das corporações fundamental no desenvolvimento do Estado Corporativo, e tem o valor historico de uma base essencial, para a compreensão do pensamento e da acção fascista. esta manhã se valia a pena fazer um discurso, para ilustrar um documento, que entrou dirétamente nas vossas inteligencias, interpretou as vossas convições e tocou a vossa sensibilidade revolucionaria. formular as declarações de hontem á noite. desenvolveram. aparecido algumas nuvens. Tudo isto, é inevitavel; quero dizer, necessario. delicado como o atual, é perfeitamente logico e inevitavel, que cada um traga para aqui, não só a sua preparação doutrinaria, e o seu estado de espirito, mas tambem o seu temperamento pessoal. chefes fascistas, vindos a Roma para o Decenal, fiz esta pergunta: esta crise que nos oprime á quatro annos (já entramos no quinto, à um mez) uma crise no sistema ou do sistema? produção capitalista foi superado, e com ele, a theoria do liberalismo economico que o explicou e o elogiou. poderia ser definido o seculo do capitalismo. Antes de tudo porem, o que é o capitalismo ? Não se deve confundir capitalismo com burguezia, A burguezia é outra cousa; é um modo de sêr que pode ser grande e pequeno, heroico e filisteu. perfeita, é um sistema de produzir em massa para o grande consumo, fortemente financiado mediante a emissão do capital anonimo, nacional e internacional. O capitalismo é portanto industrial e não teve no dominio agricola, manifestações de grande alcance. estacionario e o periodo da decadencia. com o aparecimento da locomotiva. Surge a fabrica. Ela é a manifestação tipica do capitalismo industrial; é a época das grandes possibilidades, durante a qual a lei da concurrencia livre e a luta de todos contra todos, pode imperar livremente. Ha vitimas e feridos, que a Cruz Vermelha se encarregará de recolher. Ha tambem neste periodo crises, mas são crises ciclicas, não são longas e universaes. em que Luiz Felipe grita: Enriquecei-vos. Desenvolve-se o urbanismo. Berlim que contava 100 mil habitantes no começo do seculo, atinge a cifra de um milhão; Paris de 560 mil na época da Revolução francêsa, passou a ter milhão de habitantes. O mesmo pode-se dizer de Londres e das cidades mais importantes da America. O Estado Corporativo file:///C|/site/LivrosGrátis/oestadocorporativo.htm (3 of 67) [05/04/2001 18:09:20]

Estas guerras, ousaria dizer, estimulam de certo modo a economia das Nações; assim é que, apenas
Ao que se passou na America, não lhe daremos o glorioso titulo de heroico. Esta palavra deve ser
São portanto quarenta annos, durante os quaes, o Estado sem intrometer-se, observa, e os teoricos
A. economia, por conseguinte, em todas as suas manifestações fica unicamente limitada pelo
Este periodo entretanto, muda depois de 1870. Já não existe a luta pela vida, a concurrencia livre, a
Os economistas, ainda não as definiram, mas o contribuinte, acha que é perfeitamente inutil
Em 1905, dez annos antes da grande guerra, contavam-se na Alemanha, 62 carteis
Em 1877, apareceu na França a Oficina industrial de metalurgia de Longwey, em 1888 uma
Os fabricantes de trilhos de caminhos de ferro, organizaram-se internacionalmente, em 1904. 0
Em 1901 surgiu o cartel do salitre dos ingleses e chilenos. Tenho aqui a lista completa dos "trusts"
Pode dizer-se que não existe setór da vida economica dos paises da Europa e da America, onde não

estas não podem ser comparadas com a guerra mundial que vivemos. Duraram pouco tempo como por exemplo, a guerra italiana de 1848-1849, durou quatro mêses no primeiro anno e só quatro dias no segundo; a de 1859, durou poucas semanas como tambem a de 1866. Nem mais longas são as guerras da Prussia. A de 1864, contra os Ducados da Dinamarca, durou poucos dias e a de 1866, contra a Austria, consequencia da primeira, acaba em Sadowa depois de poucos dias de luta. Emfim a guerra de 1870, que se tornou celebre pela tragedia de Sedan, não durou mais de dous invernos. oito annos depois de 1878, a França ergue-se novamente e pode organizar a Exposição universal, acontecimento que deu tanto que pensar a Bismark. reservada aos acontecimentos de ordem exclusivamente militar; é verdade, que a conquista do Far West foi ardua e sangrenta, teve seus perigos e suas vitimas como uma grande conquista. Este periodo dinamico do capitalismo, deveria ser compreendido entre o aparecimento da maquina a vapor e a abertura do Canal de Suez. do liberalismo dizem: Estado, tendes apenas um unico dever: que no setor, da economia, nem sequer seja notada a vossa presença. Governareis tanto melhor, quanto menos vos preocupardes com os problemas de ordem economico.. Codigo Penal e pelo Codigo comercial. seleção do mais forte. Notam-se os primeiros sintomas do cansaço e da decadencia do mundo capitalista. Começa a era dos carteis, dos sindicatos dos consorcios, dos "trusts". Naturalmente, não me deterei para demonstrar-vos a diferença que distingue estas quatro instituições; não são diferenças importantes pois são as mesmas que existem, entre os impostos e as taxas. discutir, porque, imposto ou taxa, ele é obrigado a pagar. Não é verdade, o que disse um economista italiano da economia liberal, que "a economia do trust", dos carteis, dos consorcios e dos sindicatos, é economia de guerra. Não é, porque o primeiro cartel de carvão da Alemanha, apareceu em Dortmund, em 1879. metalurgicos.Em 1904, havia um cartel de potassa; um de assucar em 1903, e dez da industria do vidro. Naquela época na Alemanha, havia um total de 500 a 700 carteis, pertencentes ao governo da industria e do comercio. Companhia de exploração de petroleo, em 1881 todas as Companhias de Seguro estavam reunidas. O cartel do ferro na Austria data de 1873; junto aos carteis nacionaes desenvolvem-se os carteis internacionaes. O sindicato das fabricas de garrafas data de 1907. O Sindicato das fabricas de vidro e espelhos, em que trabalhavam francêses, inglêses, austriacos e italianos, existe desde 1909. Sindicato do zinco aparece em 1899. Não quero mais entretel-os, com a leitura enfadonha de todos os sindicatos quimicos, textis, de navegações e de outros que se formaram nesse periodo bistorico. nacionaes e internacionaes, cuja leitura prefiro evitar. se tenham formado essas forças que caracterizam o capitalismo.

O Estado Corporativo file:///C|/site/LivrosGrátis/oestadocorporativo.htm (4 of 67) [05/04/2001 18:09:20]

Tendo-se limitado as margens, a empreza capitalista acha que é preferivel chegar a um acôrdo,
A liberdade de comercio já não é senão um aspéto mais vasto da doutrina do liberalismo
As dimensões consideraveis da emprêsa excedem as possibilidades do homem; antes era o espirito
O que até então era fisiologia, se transforma em patologia, tudo se torna anormal. Como em todos
Com a sinceridade brutal, caracteristica do nosso habito fascista, acrescentamos que tambem na
Nesta fase o supercapitalismo inspira-se e justifica-se com esta utopia: a utopia do consumo
Queria o supercapitalismo que todos os homens nascessem do mesmo comprimento, para que se
Isto não é um capricho, é algo que está na logica das cousas, pois só assim, o supercapitalismo
Quando a onda capitalista deixa de ser um fáto economico? Quando a sua propria grandeza, faz
É justamente este o momento em que a onda capitalista, achando-se em dificuldades, atira-se nos
E todos quantos não o conheciam procuram-n'o ansiosamente.
Chegamos a tal ponto, que se em todas as Nações da Europa o Estado adormecesse durante 24
Já não existe um só campo economico em que o Estado não tenha que intervir.
Se por mera hipothese, quizessemos ceder a este capitalismo da ultima hora cairíamos
É esta a crise do sistema capitalista considerada na sua significação universal. Existe, porem uma
Crise européa, tipicamente européa.
A Europa já não é o continente que dirige a civilização humana. Esta é a constatação dramatica que
Houve uma época em que a Europa dominava politica espiritual e economicamente o mundo

Qual é a consequencia? O fim da concurrencia livre. aliar-se, do que lutar, para dividir os mercados e repartir os lucros. A propria lei da oferta e da procura já não é um dogma porque pode agir atravês dos carteis e dos trusts sobre a oferta e a procura: emfim essa economia capitalista coalisada, " trustisada" dirige-se ao Estado. É o que lhe pede? A proteção aduaneira. economico, e é ferido mortalmente. De fáto, o primeiro pais que levantou as barreiras quasi insuperaveis foi a America. Hoje a propria Inglaterra de alguns annos para cá, renegou tudo o que parecia tradicional na sua vida politica, economica e moral; e declarou-se favoravel a um protecionismo cada vês maior. Sobrevêm a guerra, e em consequencia dela a empreza capitalista se inflaciona. A ordem do engrandecimento da emprêsa passa do milhão ao bilião. As chamadas construções verticaes, vistas de longe, dão uma impressão algo monstruosa e babelica. que dominava a materia, agora é a materia que dobra e subjuga o espirito. os acontecimentos historicos da vida, ha sempre um personagem que os caracteriza, da mesma forma nesta situação, destacam-se dous personagens: O sueco Kreuger, fabricante de fosforos e o especulador americano Insull. Italia houve manifestações desse genero, apesar de não terem atingido certas alturas. ilimitado. O ideal do supercapitalismo seria a "estandardisação» do genero humano do berço ao tumulo. pudessem fazer berços estandardizados; queria que as crianças desejassem os mesmos brinquedos, que todos os homens se vestissem do mesmo modo, que todos lessem o mesmo livro, que todos gostassem dos mesmos filmes, e que enfim todos desejassem a assim chamada maquina utilitaria. pode realisar seus planos. com que ela seja um fáto social. braços do Estado; é o momento em que se torna cada vês mais necessaria a intervenção do Estado. horas, esta parentese seria suficiente para determinar uni desastre. imediatamente no capitalismo do Estado, que não é nada mais do que o socialismo do Estado decaido e chegariamos de uma maneira ou de outra, á funcionalização da economia nacional. crise especifica que nos diz respeito pela nossa qualidade de italianos e de europeus. os homens que tem o dever de pensar, devem fazer a si proprios e aos outros. inteiro.

O Estado Corporativo file:///C|/site/LivrosGrátis/oestadocorporativo.htm (5 of 67) [05/04/2001 18:09:20]

Entretanto, do outro lado do Atlantico, desenvolve-se a grande emprêsa industrial e capitalista. No
Aqui o problema é politico Falemos de politica, porque, esta assembléa é essencialmente politica.
Este acôrdo politico da Europa não póde verificar-se, sem que primeiro sejam reparadas grandes
Chegámos a um ponto extremamente grave desta situação: a Sociedade das Nações perdeu tudo o
Entretanto, o mesmo que a inventou, não faz parte dela.
Estão ausentes a Russia, os Estados Unidos, o Japão e a Alemanha.
Esta Sociedade das Nações basea-se num dos principios que enunciados são perfeitos, mas
Quaes outros fátos diplomaticos existem, que possam repôr em contáto os Estados?
Locarno? Locarno é outra cousa. Locarno não tem nada que ver com o desarmamento: dali não se
Houve nestes ultimos tempos um grande silencio correspeito ao Pato dos Quatro. Ninguem fala,,
É por isto, que nós não pensamos em retomar iniciativas ou precipitar os acontecimentos de uma
Perguntemos agora: é a Italia uma nação capitalista?
Fizestes alguma vez esta pergunta? Se capitalismo quer dizer conjunto de usos e costumes, de
Si examinarmos porêm, a situação sob o ponto de vista estadistico, isto, é, considerando a
Até a data de 21 de abril de 1931, os lavradores que cultivam terrenos proprios são em numero de
Os parceiros e os colonos são 1.63 1.0, os demais lavradores assalariados, braceiros jornaleiros
Os industriaes são 523.0, os negociantes 841.0, os artezãos dependentes e patrões 742.0, os
Os grandes proprietarios não são numerosos, apenas 201.0, os estudantes 1.945.0, e as
Ha ainda uma cifra de 1.295.0, que diz respeito a outras condições não profissionaes e que pode
Este quadro, demonstra que a economia de Nação italiana, é varia complexa e não pode ser

Dominava-o politicamente, através das suas instituições politicas. Espiritualmente através de tudo quanto a Europa produziu com o seu espirito no decurso dos seculos. Economicamente porque era o unico continente solido na industria. extremo oriente, aparece o Japão que depois de ter-se posto em contáto com a Europa, durante a guerra de 1905, avança a grandes passos para o ocidente. A Europa pode ainda tentar de retomar o leme da civilização universal, se encontrar um "minimum" de unidade politica. É preciso portanto, seguir as que tem sido constantemente, nossas diretrizes. injustiças. que podia dar-lhe uma expressão politica e um alcance historico. considerados depois, e anatomisados resultam absurdos. pode passar. mas todos pensam nele. situação que deverá logica ou fatalmente melhorar. progressos tecnicos, comum a todas as Nações, pode dizer-se que também a Italia é uma nação capitalista. importancia das diversas categorias economicas da população, obteremos então os dados necessarios do problema, que nos permitem dizer que a Italia não é uma nação capitalista no sentido corrente da palavra. 2.943.0, e os arrendatarios são 858.0. do campo, são 2.475.0. O total da população que está ligada diréta e imediatamente á agricultura é de 7.900.0. operarios 4.283.0, os creados e os trabalhadores 849.0; as forças armadas do Estado 541.0, compreendendo tambem as forças de Policia. Os que pertencem ás profissões livres e ás artes, são em numero de 553.0; os funcionarios publicos e privados 905 .0; total deste grupo e do outro, 17.0.0. mulheres ocupadas em seus afazeres domesticos, são cerca de 1.224.0. ser interpretada de varios modos. O Estado Corporativo file:///C|/site/LivrosGrátis/oestadocorporativo.htm (6 of 67) [05/04/2001 18:09:20]

Na declaração que fiz hontem á noite, defini a corporação como a entendemos e a desejamos crear,
Estes tres elementos dependem um do outro: a força politica cria a riquêsa e a riquêsa por sua vês
Desejaria chamar a vossa atenção sobre o objetivo, que visamos como fim principal: o bem estar
Ha em todas as sociedades nacionaes uma miseria inevitavel. Ha muita gente que vive á margem
Agora sempre que o Governo deve tomar medidas de uma certa importancia, consulta os
O nosso Estado não é um Estado absoluto e ainda menos absolutista que se mantem afastado dos
O nosso Estado é um Estado' organico, humano, intimamente ligado á realidade da vida.
A propria burocracia não é hoje e tanto menos será amanhã um diafragma, entre a obra do Estado e
Mas o ponto que despertou maior interesse nesta assembléa, é o que trata dos poderes legislativos,
Alguem precorrendo os tempos, já falou da abolição da atual Camara dos Deputados.
Por outro lado, não dispondo nestes mêses de tempo suficiente para crear as novas instituições

classificada em um unico tipo, mesmo porque, as industrias que figuram com a cifra colossal de 523.0, pertencem na maior parte á media ou pequena industria. A pequena industria vae de um minimo de 50 operarios a um maximo de 500, ao passo que, a media industria conta de 500 a 5000 ou 6000 operarios; acima deste numero está a grande industria e algumas vêses desemboca-se no supercapitalismo. A Italia a meu vêr, deve permanecer uma Nação de economia mixta, com uma agricultura florescente, que é a base de tudo, tanto assim que até esse pequeno despertar das industrias que se verificou nestes ultimos tempos, é devido, na opinião geral dos espertos, ás melhoradas colheitas da agricultura destes ultimos anos: com una industria media e pequena, com bancos que não se entreguem á especulação, com um comercio, que cumpra com o seu dever fundamental, que é o de proporcionar rapida e racionalmente as mercadorias aos consumidores. e indiquei quaes eram seus objectivos. Disse que a corporação surgiu em vista do desenvolvimento da riquêsa, da força politica e do bem estar do povo italiano. revigora a ação politica. do povo italiano. É necessario que num determinado momento, estas instituições que creamos, sejam experimentadas e reconhecidas pelas massas, como outros tantos instrumentos que concorrem para o melhoramento do seu nivel de vida. É necessario que num dado momento, o operario, o trabalhador da terra, possa dizer a si mesmo e aos seus: hoje graças ás instituições que a Revolução fascista creou, estamos realmente bem. da sociedade: ocupam-se dela, instituições especiaes. Entretanto o que aflige o nosso espirito é a miseria dos homens sãos e fisicamente capazes, que procuram ansiosamente e em vão trabalho. Devemos portanto querer que os operarios italianos que nos interessam por serem operarios italianos e fascistas, notem que não creamos instituições somente para dar forma ás nossas teorias doutrinarias, mas creamos instituições que devem dar num certo momento, resultados positivos, concretos, praticos e tangiveis. Não me delongo sobre os deveres eonciliativos que a corporação poderá desenvolver e não vejo nenhum inconveniente, na pratica da função consultiva. interessados. Si amanhã esta consulta se tornar obrigatoria, para determinadas questões, não vejo nisso mal nenhum, porque tudo o que aproxima o cidadão ao Estado, tudo o que faz entrar o cidadão dentro da engrenagem do Estado, é util aos fins sociaes e nacionaes do Fascismo. homens e armado somente de leis inflexiveis, como aliás devem ser as leis. os interesses e necessidades efetivas e concretas do povo italiano. Estou plenamente certo de que, a admiravel burocracia italiana, como tem feito sempre até hoje, trabalhará com as Corporações, sempre que fôr necessario, para a melhor solução dos problemas. que se pretende conceder ao Conselho Nacional das Corporações. Expliquemo-nos. A Camara dos Deputados, deve ser dissolvida por ter terminado a sua Legislatura. corporativas, a nova Camara será eleita com o mesmo processo de 1929.

O Estado Corporativo file:///C|/site/LivrosGrátis/oestadocorporativo.htm (7 of 67) [05/04/2001 18:09:20]

Seja como fôr, saiba que não enxugaremos suas lagrimas. É perfeitamente concebivel que o
Os deputados fascistas estiveram quasi todos na altura da sua fé e devemos reconhecer que o seu
Tudo isto porem se verificará, num espaço de tempo mais ou menos longo; o importante é
Quando com a Milicia, força armada do Partido e da Revolução e com a instituição do Grande
Hoje foi enterrado o liberalismo economico.
A Corporação opera no terreno economico, como o Grande Conselho e a Milicia operaram no
O corporativismo é uma economia disciplinada e portanto, controlada, pois não se pode pensar em
O corporativismo supera o socialismo e supera o liberalismo cria uma nova síntese. Ha um fáto
Todos os partidos socialistas da Europa estão em farrapos.
Não falo sómente da Italia e da Alemanha, mas tambem de outros paises.
Evidentemente, não direi que estes dous fenomenos, dependem um do outro, considerados sob um
Damos hoje um outro passo decisivo, no caminho da Revolução.
Justamente como afirmou o camarada Tassinari, uma revolução para ser grande, para dar um
Examinando profundamente, vereis que a Revolução francêsa foi uma revolução eminentemente
Ao contrario, qualquer um pode julgar ter feito uma revolução. A Revolução é uma cousa muito

Chegará porem, o momento em que a Camara deverá decidir seu proprio destino. Haverá por aí algum fascista que esta hipotese faça chorar? Conselho Nacional das Corporações, substitua "in toto» a atúal Camara dos Deputados: ela nunca foi de meu agrado. Emfim, a Camara dos Deputados é anacronica até no seu titulo: é uma instituição que já existia quando entramos e que é alheia á nossa mentalidade e nossa paixão de fascistas. A Camara pressupõe um mundo que já demolimos; pressupõe a existencia de diferentes partidos politicos e frequentemente de bom grado, o ataque propositado ao espirito de trabalho. Desde o dia em que suprimimos esta pluralidade de partidos, a Carnara dos Deputados perdeu o motivo principal da sua existencia. sangue era forte e são, para não envelhecer num ambiente, onde tudo lembra o passado. estabelecer o principio, porque é deste que se deduzem as consequencias fataes. Quando a 13 de janeiro de 1923, se creou o Grande Conselho Fascista, os homens superficiaes talvês pensaram: creou-se uma instituição. Não, nesse dia foi enterrado o liberalismo politico. Conselho, orgão supremo da Revolução, suprimimos o liberalismo teorico e pratico, foi então que entramos definitivamente no caminho da Revolução. terreno politico! uma disciplina sem o devido controle. sintomatico, um fáto sobre o qual não se refletiu bastante; a decadencia do capitalismo, coincide com a decadencia do socialismo! ponto de vista estritamente logico; é evidente que existe entre eles uma simultaneidade de ordem historica. Aqui está porque, a economia da corporação, surge num momento historico determinado, isto é, quando os dois fenomenos concomitantes, capitalismo e socialismo, deram tudo o que podiam dar. De um e do outro herdamos tudo quanto tinham de vital. Repelimos a teoria do homem economico, a teoria liberal e protestamos sempre que ouvimos dizer que o trabalho é mercadoria. O homem economico não existe; existe o homem integral que é politico, que é economico, que é religioso, que é santo, que é guerreiro. cunho profundo á vida historica de um povo, deve ser social. social, porque destruiu tudo quanto subsistia da Idade Media, desde as peagens ás corveés; foi uma revolução social porque provocou uma alteração consideravel em tudo o que diz respeito á distribuição de terras na França, creando milhões de proprietarios que foram e constituem hoje uma das forças mais solidas daquele Pais. O Estado Corporativo file:///C|/site/LivrosGrátis/oestadocorporativo.htm (8 of 67) [05/04/2001 18:09:20]

Causa riso ao lêr que, em 1876, a subida da esquerda ao poder, foi considerada como uma
Façamos por ultimo esta pergunta: O corporativismo pode ser aplicado em outros paizes ?
Um partido unico, que permita a ação da disciplina politica juntamente com a ação da disciplina
Isto porem, não basta. É necessario alem do partido unico, un Estado totalitario, isto é, um Estado
Mas ainda não basta. Terceira, ultima e mais importante condição: é preciso viver um periodo de
Eis porque, passo a passo, daremos força e consistencia a todas as nossas realisações, e

seria; não é uma conspiração de palacio, nem uma mudança de governo, nem a ascenção de um partido que suplanta outro partido. revolução. Devemos formular esta pergunta porque a fazem em todos os paises, aqueles que estudam e se esforçam para nos compreender. Dada a crise geral do capitalismo, não ha duvida que por toda a parte, se impõe soluções de tipo corporativo; mas para aplicar o corporativismo pleno, completo, integral, revolucionario, ocorrem tres condições economica, que esteja acima dos interesses em jogo, e que seja um vinculo que una a todos na mesma fé. que absorve para transformar e fortalecer todas as energias, todos os interesses, todas as esperanças de um povo. altissima tensão ideal, como o que atualmente vivemos. transformaremos em fáto toda a nossa doutrina. Como negar que O fosso periodo fascista é um periodo de alta tensão ideal? ninguem pode negal-o. É este o tempo em que as armas são coroadas pela vitôria. Renovam-se as instituições, redime-se a terra, fundam-se as cidades.

(proferido a 12 de janeiro de 1934-XII).

Veiu mais tarde a lei de 3 de abril de 1926, seguida pelo regulamento de 10 de julho de 1926, e o
A primeira lei sobre a Corporação é de março de 1930. Esta lei primeiramente examinada pelo
Os discursos pronunciados serviram para esclarecer melhor o projéto que examinastes. O discurso
desta épocaverdadeiramente paradoxal da civilização contemporanea, que nos faz assistir a

Si o assunto não fosse inexgotavel, eu teria de bom grado renunciado á palavra, mesmo porque a lei que deve ser submetida á vossa aprovação, teve uma elaboração lenta e profunda; não. nasceu improvisadamente. Os seus antecedentes podem encontrar-se, na reunião dos Fascios de Combate, realisada ha quinze annos em Milão e que poderia chamar-se a proto-historia do Regimen. Depois da Marcha sobre Roma, as primeiras tentativas no campo corporativo, foram a reunião no Palacio Chigi e o páto do Palacio Vidoni. Codigo do Trabalho de 21 de abril 1927. Comité corporativo central, depois discutida pelo Conselho Nacional das Corporações, recebeu sua confirmação depois de longas e detalhadas discussões no Grande Conselho; foi revista pelo Conselho dos Ministros e apresentada com um relatorio do Ministro das Corporações. A apresentação foi completada por uma exposição solida e fervida de fé, do vosso relator e camarada, o quadrumviro De Vecchi. de senador Bevione, esclareceu alguns aspetos caracteristicos da crise que ainda atravessamos. Rigorosamente dialético foi o discurso do senador Schanzer. O senador Cavazzoni salientou o paradoxo fenomenos como os seguintes: o trigo que se transforma em combustivel para as locomotivas, os sacos de café que se atiram ao mar, e a destruição de riquêsas, que milhões de necessitados poderiam

O Estado Corporativo file:///C|/site/LivrosGrátis/oestadocorporativo.htm (9 of 67) [05/04/2001 18:09:20]

Interessante foi o discurso do senador Cogliolo, que na sua brilhante estréa, acentuou a importancia
Nós creamos um Regimen, onde aqueles que se chamavam trabalhadores inteletúaes e os que
Esta lei não é somente o resultado de uma doutrina: não se deve despresar muito a doutrina, porque
Quaes são as premissas desta lei? Suas premissas fundamentaes são as seguintes: Não existe o fáto
É esta divisão do trabalho, que na segunda metade do seculo passado fazia dizer a um economista
Tudo isto naturalmente tinha sua compensação com o carvão, o algodão, as maquinas etc..
Pode-se supôr que nesta primeira fase do capitalismo (que outra vês defini dinamica e heroica) o

aproveitar. da adesão ao Regimen e da formação das massas dos assim chamados inteletúaes: fenomeno tipicamente italiano e unico na historia, si é verdade que Platão, - como sabeis melhor do que eu - a quem não faltava a sabedoria, tanto que logo ao nascer, as abelhas depositaram mel nos seus labios, excluiu da sua Republica os poetas e congeneres, considerando-os perigosos para o desenvolvimento pacifico da cidade. tiravam os meios de vida da sua profissão da sua arte, vivem agora no Regimen, trazendo-lhe uma contribuição insubstituivel: a contribuição da inteligencia. O senador Marozzi expôs alguns aspetos da Corporação, aplicada á agricultura. Finalmente o senador Corbino, fisico de fama universal como todos bem sabeis, formulou algumas perguntas de grande importancia que nos levam a considerar que o melhor caminho a seguir quando se trabalha no terreno da economia, é o da circunspecção. esta ilumina a experiencia e a experiencia confirma a doutrina. Não só a doutrina, mas doze anos de experiencia viva, vivida, pratica, quotidiana, durante os quaes todos os problemas economicos da vida nacional, problemas sempre prismaticos e complexos, me foram apresentados; tive que enfrental-os e muitas vêses resolvel-os. economico de interesse exclusivamente particular e individual. Desde o dia em que o homem se resignou ou se adatou a viver com seus semelhantes, nenhum dos seus átos, se inicia, se desenvolve, se conclue nele, sem que tenha repercussões que vão para lá da sua pessôa. É necessario tambem colocar na historia, o fenomeno denominado capitalismo, esse forma determinada da economia que se chama economia capitalista. A economia capitalista é um fáto do seculo passado e do atúal. Os antigos não a conheciam! O livro de Salvioli é completo e definitivo neste assunto. Nem sequer na Idade Media era conhecida! Estamos numa fase de artes industriaes mais ou menos vasta. Q nem diz capitalismo, diz maquina; quem diz maquina diz fabrica. O capitalismo está pois ligado ao surgir da maquina; desenvolve-se principalmente, quando é possivel transportar a energia á distancia e quando em condições completamente diversas daquelas em que vivemos atúalmente, é possivel praticar uma divisão racional e universal do trabalho. inglês, Stanley Jevons, que: " as planicies da America do Norte e da Russia são os nossos campos de trigo; Chicago e Odessa nosso celeiros; o Canadá e os Paizes Balticos, nossas florestas; a Australia cria para nós, seu gado; a America, seus bois; o Perú, manda-nos suas pratas; a California e a Australia seu ouro; os chinezes cultivamnos o chá e os indios o café; assucar e especiarias chegam aos nossos portos; a França e a Espanha são nossos vinhedos e o Mediterraneo o nosso pomar". fáto economico fosse principalmente de naturêsa individual e particular. Os teoricos nesse momento, excluiam do modo mais absoluto a intervenção do Estado nos assuntos da economia, e pediam-lhe apenas de manter-se alheio, e de proporcionar á Nação a segurança e a ordem publica. É tambem neste periodo que o fenomeno capitalista industrial, dá lugar entre seus dirigentes a um aspéto familiar, que onde se conservou, tem sido de grande utilidade; existem as dinastias dos grandes industriaes que transmitem de pae a filho não só a fabrica, mas tambem um sentimento de orgulho e de dignidade. Mas isto dura pouco, e já Fried no seu livro, Fim do capitalismo ainda que limitando as suas observações ao terreno alemão, é levado a constatar que entre 1870 e 1890, estas grandes dinastias de industriaes decaem, fragmentam-se, disperçam-se, tornam-se insuficientes. É este o periodo em que aparece a

O Estado Corporativo file:///C|/site/LivrosGrátis/oestadocorporativo.htm (10 of 67) [05/04/2001 18:09:20]

O senador Bevione falou da "Sofondit", mas creio que muitos não sabem com precisão, o que se
Neste periodo, quando a industria apesar do seu prestigio e da sua força, não pode colocar seu
A intervenção do Estado não é mais temida, é solicitada. O Estado deve intervenir? Não ha duvida.
As formas de intervenção do Estado, nestes ultimos tempos são varias e diversas.
Ha uma intervenção desorganica, empírica, que se efetua caso por caso. Esta foi aplicada em todos
Ha uma outra fórma de intervenção, a comunista, pela qual eu não sinto a menor simpatia, nem em
Este comunismo segundo algumas das suas manifestações de exagerado americanismo (os
A experiencia americana deve ser considerada com muita atenção. Tambem nos Estados Unidos a
Mas, quem póde efetivamente pensar que a multiplicação do papel moeda, aumenta a riquêsa de
Entretanto, não tivemos a experiencia dos "bonus» francêses e do marco alemão, depois da guerra?
Quarta experiencia: a fascista. Si a economia liberal é a economia dos individuos em estado de

sociedade anonima. Não se deve crêr que a sociedade anonima, seja uma invenção diabolica ou um produto da maldade humana. Não devemos intrometer com frequencia os deuses e os diabos nos nossos sucessos. A sociedade anonima surge, quando o capitalismo pelas suas desmedidas proporções não pode mais se basear na riqueza familiar ou de pequenos grupos, mas deve dirigir-se ao capital anonimo, com a emissão de ações e obrigações. É neste momento que a firma substitue o nome. Só os que estão ao par desta especie de misteriofia financeira sabem ler entre linhas "velame de li versi strani". esconde debaixo dessa palavra de sabôr vagamente ostrogodo. A "Sofondit» não é uma emprêsa industrial: é um sanatorio onde estão em observação e em tratamento os organismos mais ou menos deteriorados. Espero que não sereis tão indiscretos a ponto de perguntar quem é que paga a pensão para estas estadias mais ou menos prolongadas. capital, recorre ao banco Quando uma emprêsa faz apelo ao capital de todos, o seu carater privado desaparece, convertendo-se em um fáto publico ou se vos agradar mais, social. Este fenomeno que já se manifestou antes da guerra, com uma profunda transformação de toda a constituição capitalista, - podeis examinal-o lendo o livro de Francisco Vito : Os sindicatos industriaes e os carteis acelera o seu ritmo antes, durante e depois da guerra. Como? os paises nestes últimos tempos até mesmo onde, içavam a bandeira do liberalismo economico. relação ao espaço, senador Corbino! Não creio que o comunismo aplicado na Alemanha tivesse dado resultados diferentes dos que se verificaram na Russia! No entanto é evidente que o povo alemão não quiz saber déle. extremos se tocam) não é mais do que uma fórma de socialismo de Estado, e de burocratisação da economia. Creio que nenhum de vós ha de querer burocratisar, isto é, congelar o que é a realidade de vida economica da Nação; realidade complicada variavel, vinculada aos acontecimentos mundiaes, de tal naturêsa que quando induz ao erro, esses erros têm consequencias imprevistas. intervenção do Estado, nas questões economicas é diréta: algumas vêses assume fórmas perentorias. Estes codigos são nada mais do que, contratos coletivos, que o Presidente obriga uns e outros a aceitar. Antes de dar um juizo sobre esta experiencia, é preciso esperar Quizera apenas anticipar minha opinião: as manobras monetarias não podem conduzir a um aumento efetivo e duradouro dos preços. Si nos quizessemos enganar o genero humano, poderiamos fazer o que antes se chamava "tosatura da moeda" Porem, a opinião de todos os que obedecem a um empirismo de ordem economico, social é clara: a inflação é o caminho que conduz á catástrofe. um povo? Já alguem fez a comparação: seria o mesmo que acreditar que a população aumentou de um milhão de homens, pela simples razão de ter sido reproduzida um milhão de vêses, a fotografia de um individuo. liberdade mais ou menos absoluta, a economia corporativa fascista é a economia dos individuos, e

O Estado Corporativo file:///C|/site/LivrosGrátis/oestadocorporativo.htm (1 of 67) [05/04/2001 18:09:20]

A economia corporativa respeita o principio da propriedade privada. A propriedade privada
A economia corporativa respeita a iniciativa individual. No Codigo do Trabalho, está declarado
Os principios corporativos estabelecem a ordem tambem na economia. Si ha um fenomeno que
Não é sómente a economia industrial que deve sêr disciplinada, mas tambem a economia agricola
Como deve realizar-se esta disciplina? Com a auto-disciplina das categorias interessadas.
Só quando estas categorias não tenham conseguido chegar a um acôrdo e a um equilibrio, o Estado
Neste ponto alguem poderia ser levado a perguntar-me."E se a crise acabasse?" Respondo:
Esta lei senhores senadores, já se enraizou na consciencia do povo italiano. Este admiravel povo
Momento de executal-a. Uma vês aprovada a lei, procederemos á constituição das Corporações. O
É necessario tambem, levar em conta o custo do funcionamento desta instituição, porque o juizo
Só então, será decidido o destino da Camara dos Deputados.
Como depreendeis de tudo quanto vos disse, nós procedemos com grande calma. Não precipitamos

tambem dos grupos associados e do Estado Quaes são seus caracteres ? Quaes são os caracteres da economia corporativa? completa a personalidade humana : é um direito, e si é um direito, é tambem um dever. Tanto, que pensamos, que a propriedade deve sêr compreendida como função social: por conseguinte não propriedade passiva, e sim propriedade ativa, que não se limita a gosar os frútos da riquêsa, mas desenvolve-os, aumenta-os, multiplica-os. que só quando a economia individual é deficiente, inexistente ou insuficiente, é que intervem o Estado. Um exemplo evidente disto, verifica-se no Agro Pontino, onde só o Estado conseguiu sanear essas terras. deve sêr ordenado e destinado a certos e determinados fins, é sem duvida o fenomeno economico, que interessa todos os cidadãos. (nos momentos faceis tambem alguns agricultores se desorientaram), a economia comercial, a bancaria e o a do artezianismo. poderá intervir, com plenos direitos, pois o Estado representa o outro termo do binómio: o consumidor. A massa anonima na sua qualidade de consumidora, não formando parte de organisações especiaes, deve sêr tutelada pelo orgão que representa a coletividade dos cidadãos. "Principalmente então!" Não se devem alimentar ilusões sobre o rapido percurso desta crise. Os seus vestigios serão duradouros. No entanto, mesmo si por acaso amanhã houvesse um resurgimento economico geral, e se si voltasse ás condições economicas de 1914, que já fizemos referencia, principalmente então seria necessaria a disciplina, porque os homens com a sua facilidade de esquecer, seriam levados a repetir as mesmas tolices e as mesmas loucuras. italiano, laborioso, incançavel, economisador acaba de demonstral-o, dando a esta lei nove biliões de votos, valendo uma lira cada um. Este povo demonstrou juntamente com as vossas discussões, que esta lei, não é uma ameaça mas uma garantia, não é um perigo, mas uma salvação suprema. Grande Conselho examinou o texto da lei nas suas reuniões e definiu os caracteres e a composição das corporações. Constituidas estas, velaremos pelo seu funcionamento, que deverá ser rapido, não entravado pela burocracia. que se póde formular sobre uma nova instituição deve levar em conta o rendimento desta em relação com o seu custo. Não se deve portanto temer um aumento da burocracia. Por outro lado, não se pode conceber uma organisação humana sem um minimo de burocracia. Quando tivermos visto, seguido, acompanhado o funcionamento pratico e efetivo das Corporações, chegaremos á terceira fase, a da reforma constitucional os acontecimentos: estamos seguros de nós, porque, como Revolução Fascista, temos ainda o seculo inteiro deante de nós.

O Estado Corporativo file:///C|/site/LivrosGrátis/oestadocorporativo.htm (12 of 67) [05/04/2001 18:09:20]

DISCURSO AOS OPERARIOS DE MILÃO (16 de outubro de 1934, A. XII).

Com esta formidavel reunião de povo, encerra-se o ciclo das minhas três jornadas milanêsas.
Começaram os ruraes. Suas valiosas dadívas, serviram para aliviar as necessidades de numerosas
Hoje o coração desta cidade, sempre - jovem e galharda, que está ligada indissoluvelmente á minha
Sois neste momento, protagonistas de um acontecimento que a Historia política de amanhã
Neste momento, milhões e milhões de italianos vos cercam; e para alem dos mares e dos montes,
Peço-vos alguns minutos de atenção. Poucos minutos, mas que provavelmente darão motivo a
A recepção de Milão não me surpreendeu: comoveu-me. Não vos admireis desta afirmação, porque
Ha cinco anos nestes mesmos dias, desmoronavam-se com imenso fragor as colúnas de um templo,
O que ficava debaixo destes escombros? Não só a ruma de poucos ou de muitos individuos, mas
Os que se deleitam em olhar para o passado falaram de crise. Não se trata de uma crise no sentido
Perante este declinio provado e irrevogavel, ha duas soluções para enfrentar o fenomeno da
A primeira, consistiria em estadualizar toda a economia da Nação. É uma solução que repelimos,
A segunda solução, é a que se impõe pela logica e pelo desenvolvimento dos acontecimentos. É a
O Fascismo estabelece a verdadeira e profunda igualdade de todos os individuos, em face do
Dirigindo-me ás multidões da populosa e esforçada Bari, afirmei que o objetivo do Regimen, no
Agora, confirmo deante de vós este compromisso, e podeis estar certos de que será integralmente
Que significa esta justiça social mais elevada? Significa trabalho assegurado, salario equitativo,

familias, de diversas regiões da Italia. Realço perante a Nação, esta meravilhosa prova de civismo e de solidariedade nacional, demonstrada pelos laboriosos ruraes da provincia de Milão. vida, diminue o seu forte pulsar. denominará - " o discurso aos operarios de Milão. muita gente está de ouvido atento. longas meditações. no dia em que o coração não vibrasse, esse dia significaria o fim. que parecia desafiar os seculos. Aniquilaram-se numerosas fortunas e muitos não souberam sobreviver ás consequencias deste desastre. tambem o fracasso de um periodo da historia contemporanea, que se póde chamar, da economia liberal capitalista. tradicional, historico da palavra, mas da passagem de uma para outra fase de civilisação. Não se trata já da economia que se baseia no lucro individual, mas da economia que se preocupa do interesse colectivo. produção. porque ,entre outras cousas não pretendemos multiplicar por dez, o numero já imponente dos empregados do Estado. solução corporativo é a solução da auto-disciplina da produção, confiada aos produtóres. Quando digo produtóres, não incluo sómente os industriaes ou empregadores, mas refiro-me tambem aos operarios. trabalho e da Nação. A diferença está na escala e na amplitude das responsabilidades individuaes. dominio economico, é a realisação de uma justiça social mais elevada e equitativa, para o povo italiano. cumprido. casa decente, e possibilidade de desenvolver-se e de alcançar o melhoramento progressivo e continuo. Mas não basta: significa tambem que os operarios, os trabalhadores, devem conhecer mais

O Estado Corporativo file:///C|/site/LivrosGrátis/oestadocorporativo.htm (13 of 67) [05/04/2001 18:09:20]

As massas dos operarios italianos, de 1929 até hoje, aproximaram-se da Revolução fascista.
Mas como se póde ser hostil a um movimento que abraça a maior parte do povo italiano, e exalta a
Ou porventura deveriam ter adotádo uma atitúde de indiferença? Mas os indiferentes, nunca
Restava sómente, a terceira atitude representada pela adesão explicita, clara e leal, ao espirito e ás
Si o seculo passado foi o seculo do poder do capital, o atual é o seculo do poder e da gloria do
A sciencia moderna conseguiu multiplicar as possibilidades da riquêsa; esta sciencia controlada
Para esta grande creação, que permitiu á Italia de colocar-se na vanguarda de todos os paises do
Os dois fátos estão intimamente ligados entre si: eis porque, vou examinar agora, e rapidamente, o
Comecemos pelo Leste; é evidente que não ha grandes possibilidades de melhorar as nossas
Entretanto, nós que nos sentimos e somos fortes, podemos oferecer ainda uma vês a possibilidade
Não ha duvida, de que, de um ano para cá, as nossas relações com a França, melhoraram

profundamente o processo da produção, e tomar parte ativa na sua organisação. Poderiam ter tomado outra atitude? Por acaso, a atitude da hostilidade ou da reserva? sua inexgotável paixão de grandeza? fizeram nem farão a historia. instituições da Revolução fascista; esta foi adotáda pela massa dos operarios. trabalho. pela vontade do Estado,. deve resolver o outro problema, que é o da distribuição da riquêsa, de modo que, não se verifique mais o fáto ilogico, paradoxal e ao mesmo tempo cruel, da miseria no meio da abundancia. Para esta grande creacão, é necessario a união de todas as energias e de todas as vontades. mundo, é tambem necessario que sob o ponto de vista internacional, a Italia seja deixada em paz. nosso horizonte politico, limitando-me aos paises limitrofes, com os quaes é preciso adotár uma atitude que não pode ser de indiferença, sim de hostilidade ou de amizade relações com a nossa vizinha do além Monte Nevoso e do além Adriatico, enquanto na imprensa continuarem a ferver as polemicas que tão profundamente ferem a nossa sensibilidade. A primeira condição de uma politica amistosa e que não se limite aos protocolos diplomaticos, mas que atinja um pouco o coração do povo, é que não se ponha em duvida o valor do Exercito Italiano que lútou por todos; que deixou pedaços de carne nas trincheiras do Carso, da Macedonia e de Bligny; que sacrificou mais de seicentos mil homens para a Vitória comum, vitória que começou a ser comum, sómente em junho, nas margens do Piave. de uma aliança para a qual, existem condições preestabelecidas. Nós defendemos e defenderemos a independencia da Republica austriaca, independencia que foi consagrada com o sangue de um Chanceler, que era pequeno de estatura, mas grande de animo e de coração. Os que afirmam que a Italia tem intenções agressivas e que pretendem impôr uma especie de protetorado áquela Republica, não estão ao par dos fátos, ou então, mentem conscientemente. Isto, oferece-me a oportunidade de afirmar que não é concebivel o desenvolvimento da historia européa sem a Alemanha, mas que é necessario que algumas correntes e circulos alemães, não deêm a impressão de que a Alemanha quer alheiar-se á marcha da historia européa. As nossas relações com a Suissa são ótimas e assim permanecerão não só nos proximos dez anos, mas durante um periodo que se póde prevêr muito mais longo. Desejamos sómente que seja mantida e fortalecida a italianidade do Canton Ticino, e isto não só para o nosso interesse, mas principalmente para o interesse presente e futuro da Republica Suissa. cousideravelmente. Peço venia, para abrir um pequeno parentese: a vossa atitude deante desta exposição é tão inteligente que demonstra e prova, que enquanto os processos de trabalho da diplomacia devem ser reservados, pode-se perfeitamente, falar dirétamente ao povo, quando se quer assinalar as diretrizes de politica externa, de um grande Pais como a Italia. A atmosfera melhorou, e si realizarmos os accordos que vivamente desejamos, será muito util e vantajoso para os dois paises e para o interesse geral da

O Estado Corporativo file:///C|/site/LivrosGrátis/oestadocorporativo.htm (14 of 67) [05/04/2001 18:09:20]

A melhoria das relações entre os povos da Europa é neste momento tanto mais util, desde que a
Estando assim as cousas, não vos deveis admirar sí hoje insistimos resolutamente sobre a
O futuro não póde ser estabelecido como um itinerario ou um horario. Não se devem fazer
No que diz respeito ao futuro certo ou incerto, algo ha que permanece corno uma base de granito
Si reinar a paz verdadeira e fecunda, que não pode deixar de existir senão pela justiça, poderemos

Europa. Veremos tudo isto, lá para os fins de outubro e principios de novembro. conferencia do desarmamento fracassou. Sem duvida, Henderson, como o bom inglês é tenaz, mas não conseguirá de modo algum, fazer resuscitar o Lazaro desarmador que ficou profundamente esmagado e sepultado, sob o peso enorme dos couraçados e dos canhões. preparação integral e militar do povo italiano. É este o outro aspéto do sistéma corporativo. Para que o espirito da multidão dos trabalhadores, seja elevado como é necessario sêr, proclamámos o postulado da mais alta justiça social para o povo italiano, porque o povo que não encontra no seu proprio pais, condições de vida dignas deste momento europeu, italiano e fascista, é um povo que não poderá dar o rendimento necessario, na hora em que se exige a sua cooperação. hipótécas, a prazos demasiadamente longos. Já dissemos isto outras vêses, e agora o confirmamos, porque, estamos convencidos, de que o Fascismo será o modelo da civilisação européa e italiana deste seculo. que não se pode abalar nem demolir: esta base é a nossa paixão, nossa fé e a nossa vontade. ornar os canos das nossas armas, com uni ramo de oliveira. Mas se isto não se verificar, podeis estar certos, de que nós homens temperados no clima do Littorio, coroaremos nossas baionetas, com o louro da vitória.

(10 de novembro de 1934-XIII).

Esta imponente assembléa, a mais imponente talvês, da historia da Italia - constitue de per si, um
Creio superfluo, unir outro discurso, aos três já pronunciados, bastante claros, senão
Esta assembléa, imponente pelo numero daqueles que nela participam tem um carater e objetivos,
É uma assembléa revolucionaria, que opera com método e com entusiasmo para determinar nas
Estou certo de que, cada um dos que têm o previlegio de passar esta hora no Capitolio, está
Constituidas as vinte e duas Corporações, elas iniciam desde hoje, a sua vida efetiva e ativa, em

acontecimento pelo local onde se reune, pela época em que foi convocada, pelo estilo que a distingue. dogmaticamente definitivos, de 14 de novembro, de 1o. de janeiro e de 6 de outubro do ano XII. Serão suficientes apenas, algumas declarações sumarias. sem precedentes. instituições, nas leis e nos costumes, as transformações politicas e sociaes que se tornaram necessarias á vida de um povo. profundamente convencido do dever historico desta assembléa, que representa a Nação, em todas as suas expressões. cada setór da vida italiana, e todas em conjunto, em relação aos problemas de ordem geral, isto é, aos problemas politicos, nesta assembléa que tambem hoje, começa a viver e que substituirá a seu tempo,

O Estado Corporativo file:///C|/site/LivrosGrátis/oestadocorporativo.htm (15 of 67) [05/04/2001 18:09:20]

Será necessario repetir ainda uma vês, que as Corporações não são um fim de si mesmas, mas
Quaes são os objetivos? No interior uma organisação que diminua gradual e inflexivelmente as
Neste seculo não se póde admitir a inevitavel miséria material, só podemos aceitar a triste
O seculo passado proclamou a igualdade dos cidadãos perante a lei - e foi uma conquista de
Perante o estrangeiro, a Corporação tem o objetivo de aumentar progressivamente a potencia
É justo afirmar o valor internacional da nossa organisação, porque é no terreno internacional que se
Hoje, 10 de novembro do ano XIII a grande maquina começa a funcionar. Não se deve esperar
É necessario preparar-nos para uma fase experimental mais ou menos longa, e será preciso no que
Tendo-se reconhecido que a crise é do sistêma - e isto é confirmado pelo que se tem observado - é
Seria prematuro dizer, quaes desenvolvimentos poderá ter a organisação corporativa na Italia e
Mas desde que o corporativismo fascista representa o lado "social" da Revolução, ele emprega
Muitas esperanças nesta época de confusão universal, de miseria aguda e de forte tensão politica,
Estas esperanças, não devem ser e nem serão frustradas. Pode-se com toda a certêsa, contar com a

uma outra instituição que pertence a uma fáse historica já passada. instrumentos destinados a alcançar determinados objetivos ? Este é já um postulado comum. distancias entre as maiores possibilidades e as menores ou nulas da vida. É o que se chama uma mais alta "justiça social". fatalidade da miseria fisiologica. Não pode pois durar o absurdo das carestias artificialmente provocadas. Elas demonstram a clamorosa insuficiencia do sistêma. alcance formidavel! - o seculo fascista não só conserva, como reforça este principio, juntando-lhe um outro tambem fundamental, que é o da igualdade dos homens perante o trabalho, compreendido como dever e como direito, como prazer creador que deve dilatar, amplificar enobrecer a existencia, em lugar de humilhal-a. Esta igualdade fundamental não exclue, aliás exige a diferenciação nitida das hierarquias sob o ponto de vista das funções, do merito e das responsabilidades. global da Nação, em vista da sua expansão no mundo. medirá o valor das raças e das nações, quando a Europa, daqui ha algum tempo apesar do nosso firme desejo de colaboração e de paz, chegar novamente a uma outra encruzilhada de seu destino. milagres imediatos. Antes não se deve de modo algum, esperar milagres, principalmente si continuar a desordem politica, economica e moral, de que padece grande parte do mundo. O milagre não pertence á economia. Mas uma vontade, uma organisação, um método pertence á politica, da qual, a economia é um elemento e uma força. se refere aos resultados, contar não só com a eficacia das cousas mas tambem com as indispensaveis retificações da mentalidade dos homens e com a seleção destes, mediante a prova. É o que pela obra do Fascismo está acontecendo na Italia. necessario caminhar decididamente para a creação de um novo sistêma: o nosso: a economia disciplinada, fortalecida, harmonisada, em vista principalmente de uma utilidade coletiva dos proprios produtores: empreendedores, tecnicos, operarios, através das Corporações creadas pelo Estado, o qual representa o todo, isto é, a outra face do fenomeno: o mundo do consumo. algures, sob o ponto de vista da creação e da distribuição dos bens;onosso é um ponto de partida e não de chegada. categoricamente todos os homens do Regimen - em toda a parte e onde quer que eles estejam enquadrados - para garantir o seu desenvolvimento e a sua fecunda duração. acompanham não só na Italia como no estrangeiro, o surgir das Corporações. bôa vontade e com a fé dos homens, e mais ainda, com a logica dos principios, que, desde o ano de 1919, guiam luminosamente para o futuro, a triunfante Revolução dos Camisas Pretas.

O Estado Corporativo file:///C|/site/LivrosGrátis/oestadocorporativo.htm (16 of 67) [05/04/2001 18:09:21]

NA ASSEMBLÉA NACIONAL DAS CORPORAÇÕES (discurso pronunciado a 23 março de 1926, A. XIV).

Solênes são as circunstancias, nas quaes a Assembléa das Corporações se reune pela segunda vês,
No quinto mês do assedio, que ficará gravado na historia da Europa como uni ferrete de infamia,
Marchar direito, era este o nosso estrito dever: é o que fizemos, e o que principalmente, fizeram, os
O assedio economico, que pela primeira vês foi decretado contra a Italia, porque se contava
Nenhuma Nação do mundo, pode realisar no seu territorio, o ideal da autonomia economica no
Comecemos o inventario pelo lado mais negativo: o dos combustiveis liquidos. Estão adeantadas

sobre esta colina, que outr'ora encheu o universo de seu nome: estamos em tempo de guerra, isto é, mio periodo mais duro e decisivo da vida de um povo. Ha um outro acontecimento que aumenta a solenidade e a importancia desta hora: O assedio que cincoenta e dois paises decidiram contra a Italia, que um só Estado quiz e impoz; que alguns votaram, mas obedecendo á voz da sua consciencia não aplicaram; que três Estados: Austria, Hungria e Albania repeliram por dever de amisade e sobretudo por repugnar-lhes o vergonhoso procedimento que colocava no mesmo plano a Italia, mãe da civilisação e a Abyssinìa, mistura de raças verdadeira e irremediavelmente barbaras. assim como, os auxilios materiaes e moraes subministrados à Abyssinia, ficarão como uma pagina de deshonra, a Italia está em condições de repetir que o assedio nunca chegará a vergal-a. Só os ignorantes podem pensar o contrario. soldados e os Camisas Pretas, que destroçaram a insolencia abyssinia, esmagando suas forças armadas. Nossas bandeiras receberam o beijo da vitória e o territorio que os nossos soldados conquistaram, está consagrado á patria. Enviemos pois, desta colina para as plagas africanas, a saudação da Revolução, ás falanges vitoriosas da Italia Fascista segundo uma frase pronunciada na reunião locarnista de Paris, de 10 de março, com "a modestia do nosso potencial industrial", provocou uma serie de problemas que se resumem nesta proposição: a autonomia politica, isto é, a possibilidade de uma politica exterior independente, que não pode ser concebida sem uma capacidade correspondente de autonomia economica. Eis a lição que nenhum de nós esquecerá! Os que pensam que uma vês terminado o assedio, voltaremos á situação de 17 de novembro, estão enganados. O dia 18 de novembro de 1935, é a data que marca o inicio de uma nova fase da historia italiana. Este dia, traz consigo algo de definitivo, queria dizer de irreparavel. A nova fase da historia italiana será dominada por este postulado: realizar no espaço de tempo mais breve possivel, o maximo de autonomia, na vida economica da Nação. sentido absoluto, isto é, a 100 %; se isto fosse possivel, provavelmente não seria util. Mas todas as Nações, procuram libertar-se o mais que possivel da servidão economica estrangeira. Ha um setor no qual devemos procurar realisar esta autonomia: o setor da defesa nacional. Faltando esta autonomia, fica comprometida toda e qualquer possibilidade de defesa. A politica estará á mercê das prepotencias estrangeiras, embora sejam elas unicamente economicas. A guerra economica, a guerra invisivel - inaugurada por Genebra contra a Italia - terminaria por dobrar um povo mesmo si ele fosse composto de heroes. A tentativa destes ultimos mêses a este respeito, é uma advertencia. Para ver si, e dentro de que limites, a Italia póde realisar sua autonomia economica no dominio da defesa nacional, é preciso proceder o inventario de seus recursos e estabelecer o que a tecnica - e ciencia podem fornecer-lhe. Por isto, creamos o Conselho Nacional de - Pesquisas Cientificas, dando-lhe todas as facilitações necessarias. Acrescentamos que, em caso de guerra se sacrifica, em parte ou totalmente o consumo civil. O Estado Corporativo file:///C|/site/LivrosGrátis/oestadocorporativo.htm (17 of 67) [05/04/2001 18:09:21]

Passemos agora aos mineraes. remos ferro suficiente para satisfazer nossas necessidades de paz e
Assim, a questão das materias primas, já não deve ser encarada nos termos em que a encarou o
Toda a economia italiana deve ser orientada para esta necessidade suprema; dela depende o futuro
Eu chego agora a um ponto muito importante de meu discurso; que eu chamarei "plano regulador"

as pesquisas de petrolio no territorio nacional, mas até agora sem resultados apreciaveis. Para satisfazer a necessidade dos combustiveis liquidos contamos, principalmente em tempo de guerra - com a hidrogenação dos lignites, com o alcool derivado de produtos agricolas, com a distilação de rocas betuminosas. A riquêsa italiana de lignites, ultrapassa 200 milhões de toneladas. Quanto aos combustiveis, solidos não poderemos prescindir - no estado átual da técnica - de algumas qualidades de carvão destinadas para consumos especiaes; para os demais, empregaremos os carvões nacionaes, de Livorno, Sardenha, e Aosta. A Emprêsa de Carvão Nacional, já realisou notaveis progressos. A produção aumentou consideravelmente e satisfez os consumidores. Com o sensivel aumento dos nossos recursos, com a eletrificação das estradas de ferro, e com o controle da combustão, será possivel substituir dentro de um certo tempo, 40 ou 50 % do carvão estrangeiro. de guerra. As bacias da Ilha d'Elba, parecem inexgotaveis avalia-se a bacia de Cogne, em muitas dezenas de milhões de toneladas de um mineral, que depois do sueco é o mais puro da Europa. Ha um unico inconveniente: a altura de 2800 metros em que se encontra; disse inconveniente, não impedimento. Outras minas de ferro foram postas em atividade, nas zonas de Nurra e de Valdaspra. Agregando ao mineral de ferro as pintas, podemos estar tranquilos. Os mineraes que a Italia possue em grande quantidade, alem dos mencionados, são os seguintes : o bauxite e leucite, destinados á fabricação do aluminio, do zinco, do chumbo, do mercurio, do enxofre, do manganês. Encontra-se o estanho e o niquel, na Sardenha e em Piemonte. Não temos cobre em quantidade digna de relevo. Passando a outras materias primas, não ternos ainda, mas teremos dentro de pouco tempo, a celulose; não temos borracha. Em 1936, será incrementada a cultura do algodão. Não possuimos sementes oleaginosas. A espera que a lã sintetica seja produzida em escala industrial, a lã natural não basta para o consumo. Entretanto a deficiencia de algumas materias primas textis, não nos preocupa; é este o campo, em que a ciencia, a técnica e o genio dos italianos, podem operar com larguêsa e onde já operam de fáto. A giesta por exemplo, que cresce expontaneamente por toda a parte, era conhecida por muitos italianos, porque Leopardi lhe dedicou uma das poesias mais patéticas; hoje é uma fibra textil que póde ser explorada industrialmente. Os 4 milhões de italianos, poderão ter sempre, os indumentos necessarios para se cobrirem. A composição do tecido, é átualmente, uma questão absolutamente secundaria. liberalismo renunciatario, resignado a uma eterna inferioridade da Italia; esta inferioridade, resumia-se nesta frase, que foi por muito tempo empregada: "a Italia é pobre em materias primas" Devemos dizer o contrario: a Italia não possue certas materias primas e aí está, uma das razões fundamentaes de suas reivindicações coioniaes; ha entretanto, algumas especies que ela possue em quantidade suficiente, e outras ha, que ela é muito rica. Esta é a representação exáta da realidade das cousas e justifica a convicção de que a Italia, pode conquistar - e deve fazel-o - sua autonomia economica até o nivel correspondente a um maximo de utilidade em tempo de paz e sobretudo em tempo de guerra. do povo italiano. da economia italiana, no proximo futuro fascista. Este plano é dominado por uma premissa: o fáto inelutável de que a nação italiana, será chamada para a prova da guerra. Quando? Como? Ninguem pode dizel-o, mas a roda do destino gira com rapidez. Se assim não fosse, como se deveria explicar a politica colossal dos armamentos instituida em todas as nações? Esta dramaticä eventualidade, deve guiar a nossa acção. No periodo atual da historia, o fáto denominado guerra, é ao mesmo tempo que a doutrina do Fascismo, um elemento determinante da posição do Estado em relação com a economia da Nação. Como já disse, em Milão em outubro de 1934, o Regimen Fascista não pretende estadualizar ou peior,

O Estado Corporativo file:///C|/site/LivrosGrátis/oestadocorporativo.htm (18 of 67) [05/04/2001 18:09:21]

Procedo por analise.
O setór fundamental da agricultura não é na sua estrutúra suscetível de mudanças consideraveis.
Passando á produção dos artezãos e dos industriaes, declaro que o artezianismo será favorecido;
A grande industria que trabalha diréta ou indirétamente para a defesa da Nação e que constituiu
A intervenção do Estado, será diréta ou indiréta, nessas grandes unidades industriaes? Assumirá a
Pelo seu caráter, seu volume, sua importancia decisiva em relação á guerra, estas industrias
Marchamos para uma época durante a qual, estas industrias não terão tempo, miem possibilidade
Ha tambem uma razão de ordem puramente moral que inspira nossas considerações: o Regimen

funcionalizar a economia da Nação; basta controlal-a e disciplinal-a por meio das Corporações, cuja atividade que eu tenho seguido, foi de grande rendimento e oferece a garantia de desenvolvimentos metodicos ulteriores. As Corporações são os orgãos do Estado, mas não são simplesmente orgàos burocraticos. Nenhuma inovação substancial nas formas tradicionaes da economia agricola italiana; elas correspondem ao objetivo de assegurar as necessidades alimenticias do povo italiano e de fornecer determinadas materias primas ás diversas industrias. A economia agricola, continua sendo pois, uma economia com base privada, disciplinada, e apoiada pelo Estado para que possa alcançar os meios de produção cada vês mais elevados e harmonisada através das Corporações, com o resto da economia nacional. Deve ser enfrentado o problema dos trabalhadores agricolas, adventicios ou braceiros, segundo as linhas traçadas pelo Fascismo. No que diz respeito á atividade comercial, deve-se distinguir dois aspétos : o exterior, que se converteu em função diréta ou indiréta do Estado e nada contingente como alguns poderiam crêr - e o aspéto interior que - uma vês obtida a auto-disciplina das categorias - não mudará a sua fisionomia. O dominio comercial será confiado á atividade individual, ou á dos grupos e cooperativas. No que se refere ao setor do credito - que é para a economia o mesmo que o sangue é para o organismo humano - as medidas recentes, o colocaram logicamente sob o diréto controle do Estado. Este setor é por mil razões, de competencia absoluta do Estado. principalmente na Italia não poderá ser substituido. Não o defendemos apenas em homenagem á tradição gloriosa, mas tambem pela sua utilidade atúal A pequena e a media industria continuarão a depender da iniciativa e da responsabilidade individual, harmonisada no sentido nacional e social, pela autodisciplina corporativa. seus capitaes por meio de subscripções de ações, e a outra industria que se désenvolveu até se converter em capitalista ou super-capitalista, determinando problemas que já não são de ordem economica mas social, estarão constituidas em grandes unidades, correspondentes ás que se denominam industrias-chaves, e assumirão um carater especial na orbita do Estado. Esta operação será facilitada na Italia, pelo fáto que o Estado, já, possue por intermedio do Instituto de Reconstrução Industrial, um grande numero e frequentemente a maior parte das ações, dos príncipaes grupos de industrias, que interessam a defesa Nacional. forma de gestão ou de controle? Em determinados ramos, poderá tratar-se de uma gestão diréta, em outros de uma gestão indiréta e em outros ainda, de um controle eficaz. Pode-se tambem pensar em empresas mixtas, nas quaes o Estado e os particulares formam o Capital e organizam a administração comum. É perfeitamente logico que, no Estado Fascista esses grupos de industrias cessem, mesmo de direito, de ter a fisionomia de empresas de caráter privado, que de fáto elas perderam inteiramente desde 1930-1931. transcendem dos limites da economia privada, para entrar no dominio da economia do Estado, ou da economia "para-estadual". A produção que eles fornecem tem uni unico comprador, o Estado. de trabalhar para o consumo privado, e terão que trabalhar exclusivamente ou quasi, para as forças armadas da Nação. O Estado Corporativo file:///C|/site/LivrosGrátis/oestadocorporativo.htm (19 of 67) [05/04/2001 18:09:21]

Esta transformação constitucional de um vasto e importante setor da nossa economia, se efetuará
Uma economia como a que acabo de traçar, deve poder garantir a tranquilidade, o bem estar, a
Realizar-se-á na economia fascista esta mais alta justiça social que constitue de ha muito tempo a
É esta a segunda vês, que se reune no Capitolio, a Assembléa Nacional das Corporações. Alguem
Naturalmente, perguntareis quando se verificará esta profunda e já madura transformação
Com as transformações economicas e com esta inovação politico constitucional, a Revolução
Camaradas,
Seguro dentro de suas fronteiras, graças ao vulto de seus armamentos, e ao espirito de seus

Fascista, não admite que individuos e sociedades se aproveitem de um acontecimento que impõe á Nação os mais graves sacrificios. O triste fenomeno dos enriquecidos com a guerra, não se verificará mais na Italia. sem precipitação, com calma, mas com firmeza fascista. Tracei-vos nas suas linhas geraes, qual será amanhã o aspéto da Nação sob o ponto de vista economico. Como podeis observar, a economia corporativa é multiforme e harmonica. O Fascismo nunca pensou em reduzil-a ao maximo denominador comum do Estado. Nunca sonhou em transformar em monopolio do Estado, toda a economia da Nação que as Corporações disciplinam e que o Estado limita mio setor que interesse sua defesa, isto é a existencia e a segurança da Patria. Nesta economia de aspétos necessariamente Varios, como é variada a economia de toda a Nação de alta civilisação, os trabalhadores, tornam-se com iguaes direitos e iguaes deveres, colaboradores da emprêsa, com o mesmo titulo dos fornecedores de capital e dos diretôres tecnicos. Na era fascista, o trabalho nas suas infinitas manifestações constitue o metro unico com o qual se mede a utilidade social dos individuos e dos grupos. elevação moral e material das numerosas massas que compõe a Nação e que demonstraram no momento atual, seu alto grau de consciencia nacional, e sua absoluta adesão ao Regimen. Deverão ser diminuidas, e isto será feito com sistema fascista, as distancias entre as diversas categorias de produtores, os quaes reconhecerão as hierarquias do mais alto dever e da mais dura responsabilidade. aspiração suprema das multidões na lúta aspera e quotidiana, contra as mais elementares necessidades da vida. por legitima curiosidade será levado a perguntar: o que acontecerá a esta Assembléa ? Qual será o lugar que ocupará na economia constitucional do Estado italiano? Já dei uma resposta a estas perguntas, e precisamente no meu discurso de 14 de novembro de 1933, ano XII, no qual anunciava que o Conselho Nacional das Corporações, podia muito bem substituir em tudo e por tudo a Camara dos Deputados. Confirmo hoje, o que disse. A Camara já heteroclita na sua composição porque uma parte de seus membros são tambem membros desta Assembléa, cederá seu lugar, á Assembléa Nacional das Corporações, que se constituirá em "Camara dos Fascios e das Corporações» e que será composta, a principio, pelo conjúnto de vinte e duas Corporações. As modalidades, segundo as quaes se formará a nova Assembléa representativa e legislativa, as regras do seu funcionamento, suas atribuições, suas prerrogativas, seu caráter, constituem problemas de ordem doutrinal e tecnico, que serão examinados pelo orgão supremo do Regimen: o Grande Conselho. Esta Assembléa será absolutamente " politica", porque quasi todos os problemas da economia, só podem ser resolvidos por meio de um plano politico. Por outro lado, as forças que se poderiam talvês, um tanto arbitrariamente chamar extra-economicas, serão representadas pelo Partido e pelas Associações reconhecidas. constitucional, e eu vos respondo, que não está muito longe esse dia, si bem que ele esteja ligado ao epilogo vitórioso da guerra africana e aos acontecimentos da politica européa. Fascista, realisa plenamente seus postulados fundamentaes, que foram aclamados ha dezessete anos na Praça de San Sepulcro em Milão. combatentes; dotado de instrumentos politicos e sociaes cada vês mais proporcionados ás condições de

O Estado Corporativo file:///C|/site/LivrosGrátis/oestadocorporativo.htm (20 of 67) [05/04/2001 18:09:21]

(Parte 1 de 4)

Comentários