(Parte 2 de 5)

2.1.7 Dedicatória

A folha de dedicatória é opcional; quando utilizada, é colocada após a folha de aprovação ou errata , se existir. Essa folha não segue normas específicas, ficando a forma e o conteúdo a cargo de cada estudante. Quanto ao conteúdo, este tem que ser redigido de forma simples e clara. No que diz respeito à forma, o texto pode ser digitado na parte inferior da folha, à direita, e não apresenta o título na folha.

2.1.8 Agradecimentos

Mesmo opcional, é conveniente que se agradeça às pessoas que contribuíram de alguma forma na elaboração e no desenvolvimento do trabalho, pois dificilmente alguém conseguirá fazê-lo sem nenhuma ajuda. Em geral, os agradecimentos são dispensados ao professor orientador, professores do curso, instituição de ensino, empresa ou entidade em que foi realizado o trabalho, aos amigos e familiares e a todas as pessoas que, direta ou indiretamente, contribuíram para o estudo.

Quanto à forma deve vir centralizada, justificada, com parágrafo em caso de vários agradecimentos. Quando a redação for pequena, colocar na parte inferior direita, com título explícito, centralizado.

A epígrafe é um elemento opcional, onde o estudante apresenta uma citação, seguida de indicação de autoria, relacionada com a matéria tratada no corpo do trabalho, deve vir na parte inferior à direita. Quando utilizada, deve ser colocada logo após a folha de agradecimentos.

2.1.10 Lista de siglas e abreviaturas

• O uso de siglas e abreviaturas num texto qualquer, é necessário indicar o que aquilo está representando logo da 1ª. vez em que a sigla é utilizada.

• Isto é, é necessário "introduzir" a sigla no texto antes de usá-la. Como resolver o problema?

• Exemplos de textos:

O SO Windows...

1. Veremos nesta seção o Sistema Operacional (SO)

difundidos

2. Veremos neste documento os Sistemas Operacionais (SOs) mais

Segundo Celso Pedro Luft: "Abreviatura é a escrita reduzida de uma palavra ou locução: Álg. (Álgebra), fut. ind. (futuro do indicativo)."

"SIGLA: escrita abreviada de uma locução substantiva ou nome composto,
Assim ABL (Academia Brasileira de Letras),"

Segundo o autor, a sigla é um caso especial da abreviatura. mediante a representação das iniciais (maiúsculas) dos elementos componentes.

O resumo requer a apresentação concisa dos pontos relevantes de um trabalho. Composto de uma seqüência de frases claras, afirmativas e não de enumeração de tópicos, deve ressaltar o objetivo, o método, os resultados e as conclusões do estudo. A primeira frase do resumo deve ser significativa, reportando-se e explicando ao tema principal do trabalho. Na seqüência, indica-se os procedimentos metodológicos adotados no trabalho. Por último, menciona-se a contribuição e os principais resultados conclusivos.

No resumo deve-se usar o verbo na voz ativa e na terceira pessoa do singular. O espaçamento é simples e sem entrada de parágrafo. Quando se tratar de resumos para trabalhos acadêmicos, a extensão varia entre 150 a 500 palavras. Para artigos de periódicos a extensão máxima é de 250 palavras. Logo após a apresentação do resumo, deixa-se uma linha em branco e colocam-se palavras-chave (normalmente três, no máximo cinco) representativas do conteúdo do trabalho, precedidas da expressão Palavras-chave:, separadas entre si por ponto e finalizadas também por ponto.

Deve ser elaborado com as mesmas características do resumo em português, obrigatório na Monografia, seguida das palavras-chave em inglês (Keywords:).

2.1.13 Listas de Ilustrações

A lista é a enumeração dos elementos selecionados do texto, como datas, ilustrações, exemplos, traduções etc., na ordem em que aparecem do documento. As ilustrações utilizadas no texto são sumariadas logo após o resumo. A lista de ilustrações é elaborada em conformidade com a ordem em que se apresentam no texto, com cada item designado por seu nome específico, sendo acompanhada com o respectivo número da página. De acordo com o conteúdo de cada trabalho poderão ser elaboradas listas de Figuras, Gráficos, Quadros, Tabelas e Abreviaturas e Siglas.

Deve existir quando houver no mínimo 05 tabelas, figuras...; estando em páginas separadas.

O sumário deve se observar: a) o palavra sumário aparece centralizada e com a mesa tipologia de fonte utilizada para as seções primárias; b) os elementos pré-textuais não devem aparecer no sumário; c) os indicativos das seções que compõem o sumário devem ser alinhados à esquerda; d) a paginação pode ser apresentada indicando somente o número da página que inicia a seção, como exemplo, pág. 18, ou os números das páginas em que se distribuiu o texto, por exemplo, pág. 18-23. Os títulos das seções primárias devem ser escritos no sumário em caixa alta, em negrito, fonte tamanho 12. Os subtítulos, nas seções secundárias, devem estar em minúsculo, fonte tamanho 12 e sem negrito. Não se deve colocar ponto no último número antes do título ou subtítulo.

2.2 Elementos Textuais

2.2.1 Introdução

Parte inicial do texto, onde deve constar a apresentação e delimitação do assunto tratado para situar o tema do trabalho.

2.2.2 Justificativa

O aluno deve demonstrar o interesse pessoal pelo assunto delimitado, a relevância para a comunidade científica e os benefícios esperados para a pesquisa que está sendo desenvolvida para a sociedade.

2.2.3 Revisão da literatura

Trata-se de um levantamento selecionado da literatura sobre o assunto que serviu de base à investigação do trabalho proposto. A revisão da literatura proporciona os antecedentes para a compreensão do conhecimento atual sobre um assunto e esclarece a importância do novo estudo.

Em algumas áreas, já existe a tendência de limitar a revisão apenas aos trabalhos mais importantes, que tenham relação direta com a pesquisa desenvolvida, priorizando as publicações mais recentes.

Quando não houver necessidade de um capitulo para revisão da literatura em função da extensão histórica do assunto, ela poderá ser incluída na introdução.

Nesse capitulo o autor especifica de maneira clara e sucinta a finalidade da pesquisa, com detalhamento dos aspectos que serão ou não abordados.

Os objetivos, se pertinentes, podem ser definidos como gerais ou específicos.

2.2.5 Materiais e Métodos

Referem-se à descrição completa dos procedimentos metodológicos que permitam viabilizar o alcance dos objetivos.

Neste capítulo devem ser apresentados dados sobre: tipo de pesquisa, local onde foi realizada a pesquisa, população/amostra estudada, tipo de amostragem, variáveis de estudo, material e equipamentos, se houverem, técnicas e métodos adotados para a coleta, processamento e análise de dados, se pertinentes, incluindo os de natureza estatística.

O método utilizado precisa ser descrito com precisão para que o leitor e outros pesquisadores possam compreender e interpretar os resultados bem como, reproduzir o estudo ou a utilização do mesmo.

Quando a pesquisa envolver seres humanos ou animais, parte deles ou dados deles coletados, é necessário a submissão do projeto ao comitê de Ética Interno em Pesquisa da Instituição. Nesse caso, deve ser informado o termo de Consentimento Livre e Esclarecido dos sujeitos, indivíduos ou grupos por si ou seus representantes legais. A redação do termo deve obedecer às recomendações da Resolução nº 196, de 10 de outubro de 1996, do Conselho Nacional de Saúde (ANEXO 1).

A análise estatística é uma das partes do projeto de pesquisa na qual são descritos os itens (hipóteses estatísticas, testes estatísticos, valor de alfa) utilizados para realizar a análise estatística. A análise estatística deve, idealmente (e obrigatoriamente), fazer parte de qualquer projeto de pesquisa desde o seu início. Seu papel principal é estabelecer, objetivamente, se os resultados obtidos têm significância estatística (diferença além da esperada pelo acaso), de acordo com limites preestabelecidos.

Existem muitos e diferentes testes estatísticos, que podem ser empregados de acordo com o tipo de variáveis estudadas, que dependem do tipo ou desenho do estudo, que por sua vez depende da pergunta(s) da pesquisa. Ou seja, a pergunta da pesquisa é que vai determinar todos estes itens.

É muito importante que o pesquisador conheça o real papel da análise estatística, que começa no planejamento do estudo, e que pode contribuir de maneira importante para a qualidade do seu estudo. Diversos testes estatísticos podem ser usados nessa análise, e sua escolha obedece a critérios metodológicos (pressupostos do teste). Como qualquer equação matemática, os testes ou pacotes estatísticos sempre darão uma resposta ou resultado, caso lhes sejam fornecidos dados (números, nos espaços em branco correspondentes). O fato de haver um resultado, não quer dizer que este tenha algum significado, isoladamente. Se o teste escolhido for inadequado para o estudo, teremos um resultado, mas sua interpretação não terá significado, ou o que é pior, poderá levar a conclusões ou à tomada de decisões completamente equivocadas. Este é um perigo real que corremos, ao usar os chamados "pacotes estatísticos", que oferecem uma ampla variedade de testes estatísticos, em formato amigável: basta inserir os dados (números, nos espaços em branco) e quase que imediatamente se obtém uma resposta ou resultado. Sem a escolha e interpretação adequada, que pode (e deve) ter a ajuda do estatístico, mas que depende principalmente de quem fez a pergunta da pesquisa (o pesquisador), qualquer resposta não terá necessariamente um sentido.

Inicie com a descrição de como os dados serão coletados, armazenados e tabulados. Depois a estatística descritiva que será utilizada e ou aplicativos (softwares). Em seguida crie quatro itens: a) variáveis a serem analisadas; b) hipóteses estatísticas; c) testes estatísticos; d) valor de alfa. A descrição de quaisquer análises interinas deve ser explicitado. Termine com a descrição de como os dados serão apresentados. A descrição desta forma permitirá saber como será planejada a análise dos dados. Deve ser descrito como serão abordados os problemas com dados perdidos, não utilizáveis e dados sem sentido. Especificar qualquer aplicativo (software) utilizado (nome, versão e fabricante).

2.2.6 Resultados

Devem ser apresentados de forma clara e objetiva, sem interpretações ou comentários pessoais. Para maior facilidade de compreensão, os resultados podem ser sintetizados com o auxílio de gráficos, tabelas figuras, fotografias etc.

Neste capítulo, deve-se discutir interpretar e analisar o significado dos resultados, tendo em vista demonstrar se estes foram ou não ao encontro dos objetivos propostos. Deve-se restringir-se aos dados obtidos e aos resultados alcançados. Enfatizar os novos e importantes aspectos observados e discutir as concordâncias e divergências com outras pesquisas já publicadas.

Parte final do texto, que apresenta as conclusões correspondentes aos objetivos propostos. Devem ser apresentadas de forma direta, lógica, clara e concisa, fundamentadas nos resultados e discussão e, coerente com o titulo, proposição e métodos. A conclusão não deve conter citação de autores.

2.3 Elementos pós-textuais

Os elementos pós-textuais complementam o trabalho e são apresentados na seguinte ordem:

2.3.1 Referências

Referência é o conjunto padronizado de elementos descritivos e essenciais retirados das obras consultadas e citadas no texto, exceto as que tenham sido apresentadas em notas de rodapé, de maneira que permita a identificação e localização de um documento ou parte dele, divulgado em diferentes suportes ou formatos (ABNT, 2005).

As referências devem ser organizadas em ordem alfabética, caso as citações no texto obedeçam ao sistema autor-data, ou conforme aparecem no texto, quando utilizado o sistema numérico de chamada.

(Parte 2 de 5)

Comentários