Cuidados com o RN

Cuidados com o RN

Recém – nascido pré-termo: IG < 37 semanas;

  • Recém – nascido pré-termo: IG < 37 semanas;

  • Classificação:

  • Prematuridade limítrofe – IG entre 35 e 36 semanas, peso entre 2.200 e 2.800 g e com estatura entre 45 e 46 cm;

  • Prematuridade moderada – IG entre 30 e 34 semanas, peso entre 1.600 e 2.300 g e altura entre 39 e 44 cm;

  • Prematuridade extrema – IG < 30 semanas, peso < 1.500 g;

Prematuridade extrema:

  • Prematuridade extrema:

  • Recém-nascidos de muito baixo peso (RNMBP) – peso menor que 1.500 g;

  • Recém-nascidos de muitíssimo baixo peso (RNMMBP) – peso menor que 1.000 g.

Pequeno e magro, com pele fina, transparente e avermelhada;

  • Pequeno e magro, com pele fina, transparente e avermelhada;

  • Rede capilar superficial, escassez de tecido adiposo, vérnix caseoso e lanugem em grande quantidade;

  • Cabeça grande em relação ao corpo, fontanelas pequenas e suturas pouco salientes, ossos do crânio moles;

  • Face miúda e enrugada, olhos proeminentes, língua protusa, pavilhão auricular pequeno, cartilagem macia e pregueável;

  • Tórax pouco desenvolvido, escassa musculatura intercostal, ausência de tumefação mamária;

Abdome plano ou distendido, coto umbilical espesso, membros com discreto edema;

  • Abdome plano ou distendido, coto umbilical espesso, membros com discreto edema;

  • Sexo masculino – bolsa escrotal com poucas rugas, testículos fora da bolsa;

  • Sexo feminino – clitóris extrofiado, lábios maiores pouco desenvolvidos.

O prematuro é inativo, imóvel, a atitude das extremidades é de extensão e elas permanecem na posição que são colocadas.

  • O prematuro é inativo, imóvel, a atitude das extremidades é de extensão e elas permanecem na posição que são colocadas.

  • Termorregulação:

  • Ausência de gordura marrom;

  • Atividade muscular reduzida;

  • Falta de sudorese;

  • Perda de calor maior que no RN a termo.

Sistema respiratório:

  • Sistema respiratório:

  • Estrutura imatura;

  • Desenvolvimento incompleto dos alvéolos;

  • Deficiência do surfactante;

  • Sujeito à desconforto respiratório.

  • Sistema cardiovascular:

  • Persistência da circulação fetal;

  • Necessita de tensão elevada de oxigênio no sangue.

Sistema renal:

  • Sistema renal:

  • Retenção de líquidos e edema;

  • Desidratação – capacidade de concentrar a urina e reter água.

  • Sistema digestivo:

  • Sucção, deglutição ausente ou fraca;

  • Esvaziamento gástrico lento;

  • Motilidade intestinal reduzida.

Sistema imunológico:

  • Sistema imunológico:

  • Não recebe as imunoglobulinas da mãe;

  • Susceptível às infecções.

  • Atividade hepática:

  • Reserva reduzida de glicogênio, de gordura, vitaminas e minerais;

  • Susceptível à hipoglicemia e hipocalcemia.

Uso de técnicas assépticas e anti-sépticas em todos os cuidados – lavar as mãos antes e após tocar no RN;

  • Uso de técnicas assépticas e anti-sépticas em todos os cuidados – lavar as mãos antes e após tocar no RN;

  • Observação constante quanto ao funcionamento da incubadora, berço aquecido e à oxigenação em uso;

  • Verificar batimentos cardíacos, freqüência respiratória, temperatura, coloração da pele;

  • Realizar higienização da pele;

  • Registrar eliminações e ingestão de líquidos;

  • Fazer o controle do peso;

  • Realizar curativo do coto umbilical e sinais de infecção.

Atentar para cuidados especiais para alimentação:

  • Atentar para cuidados especiais para alimentação:

  • Usar a via e quantidade corretas determinadas pelo médico;

  • Verificar se há resíduos gástrico;

  • Atentar para sucção e deglutição;

  • Colocar o RN em posição laterizada e com cabeceira elevada após a alimentação;

  • Realizar mudança de decúbito a cada 2 horas;

  • Atentar para os locais de punção e as infusões venosas.

Desconforto respiratório:

  • Desconforto respiratório:

  • Alteração respiratória – anóxia, hipóxia, asfixia – determina redução de oxigênio nos tecidos corporais;

  • Insuficiência circulatória aguda:

  • Hipoperfusão periférica, central e visceral.

Convulsão:

  • Convulsão:

  • Contrações musculares, mais ou menos difusas, devido à asfixia perinatal, hipoglicemia ou hipocalcemia.

  • Vômito:

  • Hipertensão intracraniana, infecções e erros alimentares.

Hemorragia:

  • Hemorragia:

  • Deficiência de vitamina K e imaturidade hepática.

  • Icterícia:

  • Coloração amarelada da pele, mucosas e secreções em decorrência de pigmentos biliares no sangue e nos tecidos.

Eritroblastose fetal:

  • Eritroblastose fetal:

  • Incompatibilidade entre o fator Rh materno e fetal provocando hemólise fetal.

  • Infecções:

  • Imaturidade do sistema imunológico e agravos maternos e ambientais.

Aparelho para recém-nascidos prematuros ou que apresentem uma necessidade de um ambiente que ofereça temperatura e umidade adequados para seu desenvolvimento.

  • Aparelho para recém-nascidos prematuros ou que apresentem uma necessidade de um ambiente que ofereça temperatura e umidade adequados para seu desenvolvimento.

  • A incubadora permite:

  • Circulação de oxigênio úmido;

  • Manutenção da temperatura interior ;

  • Mudança de decúbito;

  • Realizar procedimentos com o RN no interior;

  • Acesso das mãos pelas portinholas laterais, evitando perda de calor do interior;

Cuidados com a incubadora:

  • Cuidados com a incubadora:

  • Deve-se realizar limpeza diária com água e sabão;

  • Deve-se realizar limpeza terminal a cada 3 meses ou óbito / alta;

  • Deve-se realizar desinfecção a cada 07 dias ou de acordo com a rotina do setor;

  • Deve-se lavar as mãos antes e após contato com o RN dentro da incubadora;

  • Não se deve colocar nada dentro ou em cima da incubadora.

Processo terapêutico baseado na ação da luz artificial sobre o corpo do RN.

  • Processo terapêutico baseado na ação da luz artificial sobre o corpo do RN.

  • Indicado em casos de icterícia.

  • Antes de iniciar o tratamento:

  • Certificar-se do número de lâmpadas presentes;

  • Certificar-se do número de horas de uso das lâmpadas – 200 horas;

  • Posicionar o aparelho junto ao berço aquecido ou incubadora, mantendo de 40 a 60 cm de distância da lâmpada à pele do RN;

Em caso de berço aquecido, evitar correntes de ar;

  • Em caso de berço aquecido, evitar correntes de ar;

  • Proteger os olhos do bebê – confeccionar óculos para proteção dos olhos;

  • Deixar o bebê apenas de fralda.

  • Cuidados com o RN em uso de fototerapia:

  • Verificar a cada 4 horas a temperatura do RN;

  • Observar quantidade e aspecto das eliminações intestinais e urinárias;

  • Realizar mudança de decúbito a cada 2 horas;

Observar a pele do RN, buscando precocemente sinais de queimaduras;

  • Observar a pele do RN, buscando precocemente sinais de queimaduras;

  • Promover a hidratação conforme prescrição médica;

  • Manter a proteção ocular durante todo o tempo de exposição à fototerapia;

  • Trocar a proteção ocular sempre que necessário, tendo o cuidado de ao colocar a proteção ocular deixar os olhos do RN fechados;

  • Retirar o RN da exposição somente durante o banho, troca de fraldas e alimentação até o término do tratamento.

Comentários