Uso Racional de Medicamento

Uso Racional de Medicamento

ENSINO PARA O USO RACIONAL DE MEDICAMENTOS

  • A Estratégia Brasileira para o Uso Racional de Medicamentos

  • Clarice Alegre Petramale

  • Anvisa: Agência Nacional de Vigilância Sanitária

Conteúdo desta apresentação

  • Evolução das Exigências Sanitárias para o Registro de Medicamentos

  • Desafios na área de Medicamentos

  • Propostas em Andamento

  • Algumas estatísticas mundiais sobre EA a Medicamentos

  • Fatores que propiciam a Ocorrência de EA a Medicamentos

  • Ensino para o Uso Racional de Medicamentos

  • Progressão da estratégia URM no Brasil

Registro de Medicamentos no Brasil: evolução e desafios

Exigências Sanitárias para Registro de Medicamentos

  • Anterior a 1976: somente Licença Sanitária (local)

  • 1976: Autorização de Funcionamento (federal)

  • 1994: Ensaios Clínicos para produtos novos

  • 1995: Inspeção de Boas Práticas de Fabricação

  • 1999: Inspeção de Boas Práticas de Fabricação anual

  • 1999: Notificação de lotes pilotos + Equivalência farmacêutica + Bioequivalência para Genéricos

  • 2003: Bioequivalência e Disponibilidade para Similares

ANVISA Medicamentos: Desafios

  • Similares X Genéricos

  • Fitoterápicos

  • Homeopáticos

  • Medicamentos inespecíficos

  • Associações Irracionais

  • Registro de medicamentos novos

  • Bulas

  • Apresentação Hospitalar

  • Propaganda de Medicamentos

ANVISA: Propostas em Andamento

  • Biodisponibilidade + Bioequivalência para Similares

  • Revisão de Associações Medicamentosas

  • Registro de “tipo 1” Medicamentos Inespecíficos

  • Registro para homeopáticos e fitoterápicos

  • Farmácias de Manipulação: controle de produção

  • Harmonização de Bulas: nacionais e internacionais

  • Bulas para consumidor e profissional de saúde

  • Monitoramento de Propaganda

  • Ensino para o Uso Racional de Medicamentos

O Uso Racional de Medicamentos é preocupação mundial!

Algumas estatísticas mundiais sobre EA relacionados a Medicamentos- EAD

  • Em 1994, nos EUA, 48.000-98.000 pacientes hospitalizados morreram por causas atribuíveis a eventos adversos.

  • São a 8a causa de morte nos EUA, depois do IAM, câncer e AVC (Bonn, 1998).

  • Eventos adversos a drogas são o tipo mais freqüente de evento adverso não cirúrgico (20%)

Algumas estatísticas mundiais sobre EA relacionados a Medicamentos- EAD

  • Em 1993, 7.000 americanos morreram por erro de medicação, contra 6.000 por acidentes de trabalho

  • Em cada 100 admissões, há 6,5 eventos adversos a drogas comprovados e 5,5 eventos potenciais. 40 a 70% dos EA são evitáveis.

Algumas estatísticas mundiais sobre EADs

  • 18% dos EAD comprovados ocorrem por prescrição médica ou administração inadequadas

  • (Leape et al, 1991)

  • Erros de prescrição causam 56% dos EAD evitáveis

  • (Bates et al, 1995)

  • A maioria dos erros de prescrição são de dosagem

  • (Leape et al, 1995)

Fatores que propiciam a Ocorrência de EADs

  • Interação de fármacos: 3 ou mais fármacos

  • Prescrição de medicamentos novos

  • A falta de uma disciplina de terapêutica clínica nas escolas médicas/odontologia/farmácia/enfermagem

  • Ausência de Farmacêutico clínico em áreas críticas

  • Prescrição manual/ilegível/incompleta

  • Falta de esclarecimentos dos pacientes sobre a prescrição

  • Atitude passiva dos pacientes

  • Ausência de prescrição de medidas não medicamentosas( estilo de vida)

  • Baixa Qualidade do processo produtivo, de distribuição e de armazenamento de Medicamentos

Estratégias para a o Uso Racional de Medicamentos

  • Ensino de Terapêutica Clínica nas escolas de medicina, farmácia, odontologia

  • Seleção e aquisição de medicamentos com base em evidências clínicas e na qualidade dos fornecedores

  • Farmácia Hospitalar

  • Farmácia Clínica ( em áreas críticas)

  • Auditoria de prescrição

  • Prescrição eletrônica

  • Farmacovigilância

A Prescrição de Medicamentos na vida real!

  • Onde o profissional de saúde aprende a prescrever?

    • No ambulatório; na enfermaria; no PS
  • Quem o ensina a prescrever?

    • O médico de plantão; o preceptor; o residente
  • Quando o médico aprende a fazer uma prescrição de forma sistematizada, levando em conta os preceitos de segurança, eficiência e custo?

  • EM NENHUM MOMENTO DE SEU CURSO DE GRADUAÇÃO OU RESIDÊNCIA!

Ensino para o Uso Racional de Medicamentos

  • Baseado em Evidências Clínicas

  • Segurança, Efetividade e Custo

  • Consciência Crítica ( ensino , pesquisa e assistência)

  • Problematização: relação médico-paciente ou gestor-comunidade

  • Co-participação: o cliente faz parte do problema e da solução

Prescrição eletrônica e URM

  • “A prescrição eletrônica constitui o sistema em que o médico pode redigir a prescrição medicamentosa diretamente no computador e enviá-la, por via eletrônica, para a farmácia, evitando assim as indesejáveis dificuldades com letras ilegíveis ou prescrições ambíguas e incompletas. Aproximadamente 80% dos erros de medicação podem ser prevenidos através da prescrição eletrônica. (Bates, 1999).

Prescrição Eletrônica: Vantagens

    • Orienta quanto a dosagem, efeitos colaterais interações, através de tutoriais
    • Elimina o problema da legibilidade
    • Minimiza os erros de transcrição
    • Desenvolve espírito crítico para prescrição
    • Pode ser uma ferramenta de ensino

Prescrição Eletrônica: Obstáculos

  • Falta de habilidade para utilizar plenamente a informática em Serviços de Saúde

  • Pode ser utilizada com restrições em prescrição ambulatorial

  • As orientações não medicamentosa serão feitas individualmente

  • Tem investimento inicial alto para nosso meio, que se paga ao longo do tempo

O papel do Farmacêutico no URM

  • Farmácia Clínica: Farmacêutico compondo a equipe assistencial em áreas críticas

  • Comissões de Farmácia Hospitalar: seleção, padronização, sistema de compras, testes com produtos, exigências de qualidade

  • Processo de trabalho da Farmácia Hospitalar: dose unitária, fracionamento, produção, controle de qualidade de produtos...

  • Controle de erros de prescrição e preparação

  • Informatização: estatísticas gerenciais/ custo/consumo, prescrição eletrônica

  • CIM: Consulta sobre medicamentos a médicos, enfermeiros

Farmacêuticos em Hospitais e URM

  • A presença do farmacêutico clínico nas enfermarias, ambulatórios e UTIs intervindo na visita médica através de esclarecimento das prescrições, informações sobre o medicamento, recomendação de terapia alternativa e identificação de interações medicamentosas diminui significantemente o número de EAD (58% dos EAD evitáveis/economia de US$ 270.000,00 por ano, Leape 1999).

Quantos farmacêuticos trabalham em seu hospital?

  • Você acha que essa quantidade é adequada para cumprir todas as atividades do farmacêutico hospitalar?

Ensino para o Uso Racional de Medicamentos

  • “Curso Internacional sobre o Uso Racional de Medicamentos”, WHO, Departamento de Farmacologia da Faculdade de Medicina da Universidade de Gröningen, Holanda

  • “Enseñanza de Farmacoterapéutica Racional”, WHO, La Plata, Argentina, 1999 e 2000.

A ANVISA e o Ensino para o URM

  • I Curso Nacional sobre Ensino para o Uso Racional de Medicamentos, Petrópolis, RJ, Maio 2002

    • ANVISA- Projeto de Hospitais Sentinela/Ministério da Saúde
    • NAF- Escola de Saúde Pública- Fiocruz
    • OPAS
    • Escolas de Medicina e Hospitais Sentinela
    • Formou multiplicadores ( 40) de 20 universidades públicas
    • Intervenção semelhante nas regionais brasileiras

URM no Brasil

  • 8 Cursos para docentes multiplicadores

  • 440 docentes capacitados

  • Cursos para Residentes: FAMEMA/Marília, PUC/Campinas e Passo Fundo

  • Cursos para Graduação: UNESP/Botucatu, USP/Ribeirão Preto, PUC/Sorocaba, Federal de Rio Preto e Federal Fluminense

  • Curso virtual: UNESP/Botucatu

  • PSF: Marília e Botucatu

  • Projetos de Avaliação de impacto

  • Portal Bireme Anvisa Uso Racional de Medicamentos e Tecnologias

  • I Congresso Brasileiro URM 13 a 16 de outubro POA

Perspectivas de Aplicação do URM

  • Cursos URM na Graduação de Medicina, Odontologia e Farmácia

      • Residência Médica
      • Cursos para multiplicadores/ docentes e Avaliação Resultados
      • Gerenciamento racional de medicamentos e boas práticas de prescrição em hospitais sentinela
      • Capacitação de profissionais da rede básica e PSF
      • Capacitação de gestores do SUS
      • Estudos e pesquisas

Obrigada!

  • Contatos

  • Clarice Alegre Petramale: GVISS/Anvisa

  • clarice.petramale@anvisa.gov.br

  • Fone (61) 3448 1466/1282

Comentários