1. Introdução •Principio do Processo

•Classificação dos Processos

•Potencialidades do Processo

2Fundição Sob Pressão em Câmara Quente

• Características Gerais. •Sistemas de Injeção.

• Materiais Utilizados.

• Seqüência Operacional.

3. Fundição Sob Pressão em Câmara Fria

• Características Gerais. •Sistemas de Injeção.

•Classificação das Máquinas.

•Ciclo do Processo.

•Parâmetros de Injeção.

•Aspectos Construtivos: Pistão e Câmara de Injeção.

•Moldes (Matrizes): Aspectos Construtivos e Operacionais, materiais utilizados.

Aula 1: Processos de Fundição Sob Pressão

Disciplina: Processos de Fabricação Parte 2: Fundição Professor: Guilherme O. Verran Dr. Eng. Metalúrgica

Fundição sob Pressão

Princípio do Processo

Processo que utiliza um molde metálico estacionário (MATRIZ) no qual o metal líquido é introduzido usando altas pressões.

Classificação dos Processos

Classificados em função do tipo de equipamento utilizado

Câmara Quente

Câmara Fria

Processos de Fabricação –Parte 2: Fundição Aula 1: Processos de Fundição Sob Pressão

Potencialidades do Processo -O processo permite obter: •Peçascom seçõesmuito finas (<0,2mm).

•Reprodução de detalhes finos.

•Elevada precisão dimensional •Excelente acabamento superficial

Peças Complexas

Peças “NET SHAPE”

• Altas Produtividades. •Adequado para automação.

Processos de Fabricação –Parte 2: FundiçãoAula 1: Processos de Fundição Sob Pressão

Fundição Sob Pressão em Câmara Quente

Pistão

Bocal Pescoço de gansoCilindro hidráulico

Forno

Semi-molde ejetor

Semi-molde fixo

•O sistema de injeção encontra-se mergulhado no metal líquido e o arranjo permite o enchimento do molde em curto tempo com baixa perda de temperatura do metal.

•Utilizado para ligas com baixos pontos de fusão: Mg –Zn–Sn-Pb

•Peças de até 23Kg

•Ligas de Al em dispositivos sem êmbolo à base de ar comprimido.

Características Gerais Processos de Fabricação –Parte 2: Fundição Aula 1: Processos de Fundição Sob Pressão

Sistemas de Injeção do Tipo Câmara Quente

•à base de êmbolo. •por imersão à base de ar comprimido.

•à base de ar comprimido com válvula submergida.

•para ligas de Mg.

Parâmetros de Processamento: •Pressão de Injeção = 50 a 130 Kg/cm2.

•A quantidade de metal varia de acordo com o tamanho do colo de cisne (pescoço de ganso).

•Produtividade = 50 a 500 tiros/hora.

•Máquina Especiais de Alta Produção = 2000 a 5000 tiros/h.

Processos de Fabricação –Parte 2: FundiçãoAula 1: Processos de Fundição Sob Pressão

Fundição Sob Pressão em Câmara Quente

Materiais Utilizados no Equipamento:

•COLO DE CISNEFerro Fundido Cinzento ou Nodular -Aço

•A escolha do material depende do tipo de metal, da pressão de operação e do custo.

•CAMISA e BICOAço H13 –Aço Ligado Nitretadoou Aço Inox

•Peças sujeitas ao calor, atrito e pressão mecânica. •Uma camisa pode durar até 2000h de trabalho.

•PISTÃO Ferro Fundido Cinzento

Processos de Fabricação –Parte 2: Fundição Aula 1: Processos de Fundição Sob Pressão

Dispositivo de Injeção a Base de Ar Comprimido:

•Oenchimento da câmara de pressão é obtido pela descida da câmaraaté que o metal possa penetrar no interior da mesma através de um furo ou tubo, que fica fechado durante a injeção. Depois é fixada a tubulação de injeção contra a boca de entrada do molde e ficando fechada a boca de entrada do metal injeta-se este, por meio de pressão de ar comprimido, no molde.

•O sistema não possui êmbolo. •Pressão de injeção máxima = 50Kg/cm2.

•Pode ser utilizado para ligas de Al. •Empregado para peças maiores.

Processos de Fabricação –Parte 2: FundiçãoAula 1: Processos de Fundição Sob Pressão
SeqüênciaOperacional:

Fechamento do Molde

Fixação da Tubulação de Injeção

Injeção

Retrocesso do Êmbolo

Separação do Bico de Injeção

Abertura do Molde

Extração dos Machos

Extração das Peças

Processos de Fabricação –Parte 2: Fundição Aula 1: Processos de Fundição Sob Pressão

Fundição Sob Pressão em Câmara Fria

•O sistema de injeção não fica mergulhado no metal líquido.

•Cada vez mais utilizado em função das exigências crescentes quanto a qualidade das peças injetadas.

•Utilizado para ligas com maiores pontos de fusão: Cu –Al -Mg –Zn

Processos de Fabricação –Parte 2: FundiçãoAula 1: Processos de Fundição Sob Pressão

Características Gerais

Sistema de Alimentação da Máquina com Metal Líquido: •Manual com uma colher.

•Por forno basculante e canal de alimentação.

•Mediante um cadinho hermeticamente fechado e no qual atua uma pressão pneumática sobre o banho.

•Por meio de uma bomba eletromagnética.

•Por um braço mecânico (ou robô) com um dosador.

Sistema de Injeção: •Produtividade: 2 a 5 injeções/minuto.

•Acionamento do pistão por pressão de óleo ou água.

•Pressão de injeção na faixa de 560 a 3000 kg//cm2.

•Velocidade de injeção na faixa de 0,1 a 7,0 m/s.

Processos de Fabricação –Parte 2: Fundição Aula 1: Processos de Fundição Sob Pressão

Classificação das Máquinas de Acordo com os Princípios Construtivos

Máquina de Câmara Fria Horizontal

Máquina de Câmara Fria Vertical

Deslocamento do Embolo de pressão para cima.

Deslocamento do Embolo de pressão para baixo.

Processos de Fabricação –Parte 2: FundiçãoAula 1: Processos de Fundição Sob Pressão

Seqüência de Trabalho em um Máquina de Câmara Fria:

•Fechamento do Molde. •Introdução do metal na câmara de pressão.

•Injeção do metal.

•Abertura do molde.

•Extração dos machos

•Expulsão ou extração da peça fundida.

•Retrocesso do êmbolo de pressão.

Processos de Fabricação –Parte 2: Fundição Aula 1: Processos de Fundição Sob Pressão

Preenchimento da câmara com concha manual

Cavidade do molde

Pistão

Câmara de injeção

Injeção do alumínio para a cavidade do molde.

Extração do produto

Ciclo do Processo de Fundição sob Pressão em Máquina de Câmara Fria Horizontal

Processos de Fabricação –Parte 2: FundiçãoAula 1: Processos de Fundição Sob Pressão

Ciclo do Processo de Fundição sob Pressão em Máquina de Câmara Fria Vertical

Pistão de injeção

Alumínio líquido

Pinos extratores

Injeção

Contra pistão

Preenchimento da cavidade do molde

Ejeção do material residual ( massalote ).

Tiro do produto

Extração do produto

Varões extratores

Processos de Fabricação –Parte 2: Fundição Aula 1: Processos de Fundição Sob Pressão

Parâmetros de Processamento:

Ligas de Alumínio •Temperatura da Matriz ≅2500C

•Vida Útil da Matriz de 100.0 a 150.0 ciclos.

Produção: Exemplos

•Conjuntos de até 5,0 Kg•30 a 60 ciclos/h em Máquina Automática

•Conjuntos de até 1,2 Kg•40 a 120 ciclos/h em Máquina Semi-automática.

Processos de Fabricação –Parte 2: FundiçãoAula 1: Processos de Fundição Sob Pressão

Parâmetros de Injeção: Estágios da Injeção

A injeção pode ser separada em três estágios distintos:

Primeiro estágio: o pistão avança com velocidade lenta Segundo estágio: na qualmetal preenche a cavidade do molde.

Terceiro estágio:é a fase de compactação do metal na cavidade, chamada de Recalque.

Processos de Fabricação –Parte 2: Fundição Aula 1: Processos de Fundição Sob Pressão

Parâmetros de Injeção: Estágios

•Primeiro estágio: o pistão avança com velocidade lentapara expulsão do ar e gases da câmara de injeção.

A primeira fase termina quando todo Volume Hidráulico da câmara estáocupada pelo metal líquido e pode ser calculado para facilitar na definição dos paramentos de Injeção.

Processos de Fabricação –Parte 2: FundiçãoAula 1: Processos de Fundição Sob Pressão

Segundo estágio: no qualmetal preenche a cavidade do molde.

Éo curso restante do pistão. Preenche a cavidade do molde com maior velocidadeimediatamente após o término da primeira fase de Injeção.

O curso de Injeção écalculado sempre a partir da posição inicial do pistão que deve facear o orifício de alimentação da câmara .

Éimportante que o pistão tenha sempre o mesmo comprimento pois sua variação provocarávariações no comportamento do alumínio durante o preenchimento da cavidade.

Pistão menor que o padronizado

A segunda fase iniciará antes que todo o alumínio ocupe o volume hidráulico da câmara

INJEÇÃO DE AR junto com o alumínio para dentro da cavidade do molde,

Pistão maior que o padronizado

Penetração antecipada o alumínio para dentro da cavidade antes do inicio da segunda fase

Peças com JUNTAS FRIAS.

Processos de Fabricação –Parte 2: Fundição Aula 1: Processos de Fundição Sob Pressão

Segundo estágio: Influência do comprimento do pistão sobre o regime de injeção e os prováveis defeitos.

Pistão maior que o padronizado Juntas Frias

Pistão menor que o padronizado Porosidades

Uma vez definida a câmara de injeção para um molde, em uma determinada máquina, o diâmetro do pistão e comprimento da haste automaticamentesão definidose a partir destas definições éque são determinadas os parâmetros das máquinas.

Processos de Fabricação –Parte 2: FundiçãoAula 1: Processos de Fundição Sob Pressão

Éo responsável pela compactação final do material injetado imediatamente após a segunda fase de Injeção, compensando a contração de solidificação do alumínio, diminuindo a ocorrência de porosidades

Terceiro estágio: Recalque.

Éutilizada em peças de paredes grossas e que sejam alimentadas por canais generosos para permitir a transmissão de pressão sem que solidifique antes o alumínio dentro da cavidade

Determina: •Força de Injeção da Máquina.

•Pressão Específica Final de Injeção

•Responsável pela sanidade(estanqueidade) da peça, uma vez que durante a solidificação o metal contrai, necessitando assim de uma massa adicional que será transferida por pressão ainda no estado semi-sólido (pastoso).

Processos de Fabricação –Parte 2: Fundição Aula 1: Processos de Fundição Sob Pressão

Parâmetros de Injeção:

Força de Injeção Éobtida através da pressão hidráulica da rede ou multiplicada da Injetora, dividida pela área do êmbolo de injeção.

Pressão Específica de Injeção

Resultante da Força de Injeção da Máquinadividido pela Área do Pistão de injeção. Ou seja, éa força aplicada a cada cm2de metal injetado.

A pressão específica (Pe) pode ser regulada na máquina, dependendo do tipo de peça, este valor pode ser estipulado pelo projetista.

Peçasstandard 200 –400 kgf/cm2 Peças técnicas 400 –600 kgf/cm2 Peças estanques 600 –1000 kgf/cm2

Processos de Fabricação –Parte 2: FundiçãoAula 1: Processos de Fundição Sob Pressão

Parâmetros de Injeção:

Força de Fechamento

Os diversos tipos de máquinas injetoras que são produzidas, geralmente são identificadas pela capacidade da Força de Fechamento.

-Máquina de 630 T= a capacidade desta manter as placas fechadas e travadas até630.0 kgf de Injeção, que é determinada pela Pressão Específica ( Pe ) multiplicada pela área projetada do molde.

Exemplo:

Processos de Fabricação –Parte 2: Fundição Aula 1: Processos de Fundição Sob Pressão

Parâmetros de Injeção:

Velocidade de Injeção a) Velocidade de Primeira Fase de Injeção

Éa velocidade de aproximação do pistão. Écontrolada por uma válvula controladora de fluxo. Nesta fase de Injeção, o pistão avança lentamente não permitindo que o metal líquido sofra qualquer turbulência evitando que bolhas de gases e ar venham a ser aprisionadas e injetadas para dentro da cavidade do molde b) Velocidade de Segunda Fase de Injeção

Éa velocidade com que o metal líquido preenche a cavidade do molde. Éfunção da espessura e complexidade do produtoa ser injetado.

Peças com paredes finas Peças muito complexas

Maiores velocidades de injeção para compensar a rápida troca de calor entre a superfície do molde e o metal líquido

Processos de Fabricação –Parte 2: FundiçãoAula 1: Processos de Fundição Sob Pressão

Aspectos Construtivos: Pistão e Câmara de Injeção

O tamanho da Câmara e do Pistão determina o volume de metal para o tiro

Cada Ferramental tem câmara e pistão próprios.

Materiais

Câmara: Aço H13 Aço Ligado Nitretado

Pistão: Liga de Cobre c/ Berílio (5%) Aço Ligado Nitretado

Sistema de Refrigeração: A temperatura do pistão deve oscilar entre 50-700C . Refrigeração com água.

Lubrificação:Cuidar com a quantidade e tipo de lubrificante, para evitar contaminação do metal e redução da vida útil do pistão e da câmara.

Processos de Fabricação –Parte 2: Fundição Aula 1: Processos de Fundição Sob Pressão

Moldes para Fundição Sob Pressão

Características Iniciais

Elevado custo de Fabricação.

Maior vida útil possível.

Necessidade de estabilidade e precisão dimensional.

Materiais Aços Cromo-Molibdênio •Alta resistência àchoque térmico

•Boa taxa de extração de calor •Alta resistência ao desgaste e àabrasão

Aços para Trabalho a Quente

Processos de Fabricação –Parte 2: FundiçãoAula 1: Processos de Fundição Sob Pressão

Materiais

Combinação de aços P20 com oH13

Normalmente temperados enitretadosem áreas de contato com o metal líquido e regiões de atrito.

A seleção depende do material e do número de peças a serem produzidas.

Materiais mais utilizados

Processos de Fabricação –Parte 2: Fundição Aula 1: Processos de Fundição Sob Pressão

Aços para Matrizes

Liga das Peças

Zinco

Alumínio e Magnésio

Cobre

P20P20H11 / H13

H11H13
H11H13
H11

H21/ H20/ H22

Obs.: para suporte dos moldes pode-se usar os aços 1020 ou 1045.

Processos de Fabricação –Parte 2: FundiçãoAula 1: Processos de Fundição Sob Pressão

Aços para Machos e Ejetores

Liga das Peças

Zinco

Alumínio e Magnésio

Cobre

MATERIAL H11/ H13/ H12 (nitretados)

H11/ H13/ H12 (nitretados) H21/ H20/ H22

Processos de Fabricação –Parte 2: Fundição Aula 1: Processos de Fundição Sob Pressão

Aspectos Construtivos/Operacionais: Matrizes

•As matrizes podem ser refrigeradas com águaem locais de pontos quentes, machos ou seções espessas das peças.

•A temperatura de entrada da água de refrigeração não deve ser inferior a 300C.

•Overflows:são construídos para saídas de ar e óxidos. São ligados às peças por uma seção bem fina (0,5-1,5mm de espessura).

•Sistema de Canais TIPO PRESSURIZADO

Necessidade de altas velocidades de enchimento.

•Extratores: pinos ou buchas (sempre que possível localizados sobre os canais de entrada).

•Agentes Separadores: aplicados a cada ciclo, sob a forma líquida ou pasta, por spray ou pincel.

Processos de Fabricação –Parte 2: FundiçãoAula 1: Processos de Fundição Sob Pressão

Aspectos Construtivos/Operacionais: Matrizes

Tolerâncias para peças pequenas: 0,076 a 0,127 m.

•Variações ocorrem em função: •tamanho e desenho da peça

•fundibilidade da liga

•Na prática normal as dimensões sofrem alterações devido o desgaste do molde e do mecanismo de fechamento

Processos de Fabricação –Parte 2: Fundição Aula 1: Processos de Fundição Sob Pressão

Comentários