Terapia Ocupacional

Terapia Ocupacional

(Parte 1 de 3)

Original: Inglês Distr.: Geral

Rumo a uma

Linguagem Comum para

Funcionalidade, Incapacidade e Saúde CIF

Organização Mundial de Saúde

Genebra 2002

Rumo a uma

Linguagem Comum para

Funcionalidade, Incapacidade e Saúde:

A Classificação Internacional de Funcionalidade, Incapacidade e Saúde

Introdução2
A CIF e a Família de Classificações da OMS3
A necessidade da CIF4
Como a OMS usará a CIF5
Como a CIF pode ser usada?6
O Modelo da CIF9
Conceitos de funcionalidade e incapacidade10
Os qualificadores1
Princípios básicos da CIF14
Os Domínios da CIF15
Conclusão18
A Rede Mundial da CIF19

A Classificação Internacional de Funcionalidade,Incapacidade e Saúde, conhecida mais comumente como CIF, oferece uma linguagem padrão e uma estrutura para a descrição da saúde e dos estados relacionados à saúde. Assim como a primeira versão publicada pela Organização Mundial da Saúde para fins de teste em 1980, a CIF é uma classificação com múltiplas finalidades planejada para uma ampla variedade de usos em diferentes áreas. A CIF é a classificação da saúde e dos domínios relacionados à saúde domínios que nos ajudam a descrever alterações ou mudanças na função e estrutura corporal, o que uma pessoa com uma condição de saúde pode fazer em um ambiente padrão (seu nível de capacidade), assim como o que ela realmente faz no seu ambiente real (seu nível de desempenho). Estes domínios são classificados a partir de perspectivas do corpo, individuais e sociais por meio de duas listas: uma lista de funções e estruturas corporais, e uma lista de domínios de atividade e participação. Na CIF, o termo funcionalidade refere-se a todas as funções corporais, atividades e participação, enquanto incapacidade é similarmente um termo guarda-chuva para deficiências, limitação de atividades ou restrições à participação. A CIF também relaciona os fatores ambientais que interagem com todos estes componentes.

tomada de decisões

A CIF é um modelo de estrutura da OMS para saúde e incapacidade. É a base conceitual para a definição, mensuração e formulações de políticas para saúde e incapacidade. É uma classificação universal para incapacidade e saúde para uso em saúde e áreas relacionadas à saúde. A CIF pode parecer uma simples classificação de saúde, no entanto ela pode ser usada para inúmeros propósitos. O mais importante uso é como uma ferramenta de planejamento e política para 2

A CIF é assim chamada porque tem seu foco especialmente sobre saúde e funcionalidade, mais que sobre a incapacidade. Previamente, a incapacidade começava onde a saúde terminava: uma vez que o indivíduo tinha uma incapacidade, ele estava em uma categoria separada. Queremos sair deste tipo de pensamento e fazer da CIF uma ferramenta para medir funcionalidade na sociedade, não importando as razões para as deficiências de um indivíduo. Assim, a CIF torna-se um instrumento muito mais versátil com uma área muito mais ampla de uso que uma classificação tradicional de saúde e incapacidade.

Esta é uma mudança radical. Partindo da ênfase sobre as incapacidades das pessoas, temos agora o foco sobre o seu nível de saúde.

A CIF coloca as noções de ‘saúde’ e ‘incapacidade’ sob uma nova luz, reconhecendo que todo ser humano pode experimentar uma perda ou diminuição na sua saúde e portanto, experimentar alguma incapacidade. Isto não é algo que acontece somente a uma minoria da humanidade. Deste modo, a CIF coloca em uma corrente principal (“mainstream”) a experiência de incapacidade e a reconhece como uma experiência humana universal. Mudando o foco da causa para o impacto, ela coloca todas as condições de saúde em pé de igualdade, permitindo que sejam comparadas, usando uma medida comum uma escala de saúde e incapacidade.

mas a CIF classifica saúde

A FAMÍLIA DE CLASSIFICAÇÕES INTERNATIONAIS DA OMS A CIF pertence à família de classificações internacionais da OMS, cujo membro mais conhecido é a CID-10 (a Classificação Estatística Internacional de Doenças e Problemas Relacionados à Saúde). A CID-10 fornece aos usuários uma estrutura etiológica para a classificação, através de diagnósticos, de doenças, distúrbios e outras condições de saúde. Em contraste, a CIF classifica funcionalidade e incapacidade associadas com estados de saúde. Portanto, CID- 10 e CIF são complementares, e os usuários são encorajados a usá-las em conjunto para criar um quadro mais amplo e significativo da experiência de saúde dos indivíduos e populações. A informação sobre mortalidade (fornecida pela CID-10) e a informação sobre a saúde e evoluções relacionadas à saúde (fornecida pela CIF) podem ser combinadas em medidas-resumo de saúde da população. Em suma, a CID-10 é principalmente usada para classificar causas de morte,

Família de Classificações Internacionais da OMS 3

nível de país para informar o desenvolvimento de políticas

A NECESSIDADE DA CIF Estudos mostram que o diagnóstico sozinho não prevê a necessidade de serviços, tempo de hospitalização, nível de cuidados ou resultados funcionais. A presença de uma doença ou distúrbio também não é um bom preditor para o recebimento de benefícios por incapacidade, desempenho para trabalho, potencial para retorno ao trabalho, ou mesmo de integração social. Isto significa que se usarmos uma classificação médica de diagnósticos sozinha, não teremos a informação necessária para propósitos de gerenciamento e planejamento de saúde. O que nos falta são dados sobre níveis de funcionalidade e incapacidade. A CIF possibilita coletar estes dados vitais de um modo consistente e comparável internacionalmente. Para propósitos básicos de saúde pública, incluindo determinar a saúde geral das populações, a prevalência e a incidência de condições não-fatais, e para medir necessidades de cuidados de saúde e o desempenho e efetividade dos sistemas de cuidados de saúde, precisamos de dados confiáveis e comparáveis sobre a saúde de indivíduos e populações. A CIF fornece a estrutura e o sistema de classificação para estes propósitos. Há algum tempo vem ocorrendo uma mudança de foco que sai do cuidado agudo centrado nos hospitais para serviços de longo termo baseados na comunidade para condições crônicas. As agências de assistência social têm observado um aumento acentuado na demanda de benefícios por incapacidade. Estas tendências sublinharam a necessidade de estatísticas válidas e confiáveis sobre incapacidade. A CIF fornece a base para identificar tipos e níveis de incapacidade que constituem as fundações para os dados de incapacidade no 4

Intervenções e Procedimentos

Razões para Consulta

Nomenclatura Internacional de Doenças

CID-10

Classificação Estatística Internacional de Doenças e Problemas relacionados à Saúde

Classificação Internacional de Funcionalidade, Incapacidade e Saúde

Adaptações para Cuidados Primários de Saúde

Adaptações para Especialidades

Existe também um maior reconhecimento entre os planejadores sociais e agências de serviços de que reduções na incidência e gravidade de incapacidade em uma população podem ser obtidas tanto pela ênfase na capacidade funcional da pessoa como pela melhora do desempenho através da modificação do ambiente físico e social. Para analisar o impacto destas diferentes intervenções, precisamos de um meio para classificar domínios de áreas da vida, bem como os fatores ambientais que melhoram o desempenho. A CIF nos permite registrar esta informação.

COMO A OMS USARÁ A CIF? A OMS deve fornecer instrumentos que os Estados Membros possam usar para melhorar suas políticas de saúde, atingir melhora na saúde da população e assegurar que os seus sistemas de saúde sejam custo-efetivos e justos, tanto quanto possível. Fornecemos ferramentas que são baseadas na ciência e que representam os valores nucleares básicos nos quais a Organização fundamenta seu trabalho: eqüidade, inclusão e o objetivo de todos de atingir uma vida onde cada pessoa possa explorar suas oportunidades no mais alto grau possível.

todos se beneficiam

Em 2001, os 191 Estados membros da Organização Mundial da Saúde concordaram em adotar a CIF como a base para a padronização científica mundial de dados sobre saúde e incapacidade. A CIF contribui diretamente para os esforços da OMS para estabelecer uma estrutura ampla de mensuração de saúde da população. Gostaríamos de ir além das velhas e tradicionais medidas de mortalidade e morbidade incluindo medidas de domínios funcionais da saúde. A OMS usa uma medida multidimensional de saúde como base para avaliação de desempenho de sistemas de saúde. O objetivo de um sistema de saúde é medido com base na CIF. Deste modo, a OMS pode ajudar os Estados Membros a melhorar o desempenho dos seus sistemas de saúde. Com o melhor funcionamento destes sistemas, os níveis de saúde na população são elevados e

A CIF é um exemplo-chave deste tipo de ferramenta. A CIF é um instrumento científico para informação consistente e comparável internacionalmente sobre a experiência de saúde e incapacidade. Como tal, ela também fornece a base para a abordagem geral sobre a saúde para a OMS.

COMO A CIF PODE SER USADA? Devido a sua estrutura flexível, detalhamento e integralidade de suas classificações, e o fato de que cada domínio está operacionalmente definido, com inclusões e exclusões, espera-se que a CIF, assim como sua antecessora, 5 seja utilizada para uma variedade de usos, para responder a uma ampla faixa de questões envolvendo temas clínicos, de pesquisa e de desenvolvimento de políticas. (Para exemplos específicos dos usos da CIF na área de oferta de serviços e tipos de temas práticos que podem ser trabalhados, ver o quadro abaixo)

Aplicações da CIF / Oferta de Serviços

No nível individual • Para a avaliação de Indivíduos: Qual é o nível de funcionalidade da pessoa?

• Para o planejamento de tratamento individual: Que tratamentos ou intervenções podem maximizar a funcionalidade?

• Para a avaliação de tratamento e outras intervenções: Quais são os resultados do tratamento? Quanto foram úteis as intervenções?

• Para comunicação entre médicos, enfermeiros, fisioterapeutas, terapeutas ocupacionais e outros profissionais de saúde, profissionais do Serviço Social e agências comunitárias

• Para auto-avaliação entre usuários: Como eu descreveria minha capacidade em mobilidade ou comunicação?

No nível institucional… • Para propósitos educacionais e de treinamento

• Para planejamento de recursos e desenvolvimento: Que serviços de cuidados de saúde e outros serão necessários?

• Para melhora da qualidade: Como nós podemos servir melhor os nossos clientes? Que indicadores básicos para a garantia da qualidade são válidos e confiáveis?

• Para avaliação de gerenciamento e resultados: Quanto são úteis os serviços que estamos fornecendo?

• Para a oferta de serviços de saúde em modelos de cuidados gerenciados: Quanto são custo-efetivos os serviços que nós fornecemos? Como o serviço pode ser melhorado para melhores resultados a um custo menor?

No nível social…

• Para critérios de elegibilidade para a concessão de direitos do estado tais como benefícios da seguridade social, pensões por incapacidade, seguro e compensação de trabalhadores: Os critérios de elegibilidade para benefícios por incapacidade são baseados em evidências, apropriados aos objetivos sociais e justificáveis?

• Para o desenvolvimento de política social, incluindo revisões legislativas, modelo de legislação, regulações e diretrizes, bem como definições para legislação anti-discriminação:Os direitos garantidos melhorarão a funcionalidade no nível social? Podemos medir esta melhora e ajustar a nossa política e leis de acordo com isto?

• Para avaliação de necessidades: Quais são as necessidades de pessoas com vários níveis de incapacidade – deficiências, limitações de atividade e restrições à participação?

• Para avaliação ambiental de projeto arquitetônico universal, implementação de acessibilidade mandatória, identificação de facilitadores e barreiras ambientais, e mudanças na política social: Como podemos tornar o ambiente social e físico mais acessível para todas as pessoas, com e sem incapacidades? Podemos avaliar e medir esta melhora?

Entre outros tipos de usos da CIF incluem-se :

Desenvolvimento de Políticas …

Tanto nos setores da saúde como em outros setores que necessitam ter em conta o estado funcional das pessoas, tais como seguridade social, emprego, educação e transporte, existe um importante papel que a CIF pode assumir. Isto sem falar que o desenvolvimento de políticas nestes setores requer dados populacionais válidos e confiáveis sobre o estado funcional. Definições legislativas e regulatórias de incapacidade precisam ser consistentes e fundamentadas em um único modelo coerente de um processo de criação de incapacidade. Se for para a criação de critérios de elegibilidade para pensões por incapacidade, o desenvolvimento de regulações para o acesso a tecnologia assistiva ou a determinação de políticas de abrigo ou tranporte que acomodem indivíduos com incapacidade intelectual, sensorial ou de mobilidade, a CIF pode fornecer uma estrutura para uma política social ampla e coerente relacionada à incapacidade.

(Parte 1 de 3)

Comentários