Prof. Marcos Cesar Ruy .

Ensaio de Tração Convencional

É o ensaio que não se baseia nos valores instantâneos da seção do corpo de prova quando da aplicação de uma carga.

A tensão de tração real é o quociente entre a carga em qualquer instante e a área da secção transversal do corpo de prova no mesmo instante.

Tensão: é a resistência interna de um corpo a uma força externa (Q) aplicada sobre ele por unidade de área (S).

Deformação: é a variação de uma dimensão qualquer de um corpo por unidade da mesma dimensão, quando esse corpo é submetido a um esforço qualquer.

Curva Tensão x Deformação

Curvas tensão x deformação (aços carbono)

Escoamento: é uma transição heterogênea e localizada, caracterizada por um aumento relativamente grande da deformação com variação pequena da tensão.

Escoamento de um material dúctil

Quando não for possível determinar o limite de escoamento com precisão suficiente adota-se por convenção o limite n de escoamento:

Qn é a carga em que se observa uma deformação de n% do material (n=0,2%. no caso mais geral, n=0,5% para o cobre e n=0,1% ligas metálicas muito duras com pequena zona plástica.

Região Plástica: é a região posterior ao escoamento onde o ensaio prossegue até ser atingida uma tensão máxima (r) denominada limite de resistência. Esta tensão é anterior ao fenônemo de estricção do material.

Região de Ruptura: é caracterizada pelo fenômeno de estricção que é uma diminuição da seção transversal do corpo de prova. É nessa região que ocorre a ruptura do corpo de prova. Nesta região a deformação torna-se não uniforme e a força deixa de agir unicamente na direção normal à seção transversal do corpo de prova.

Resiliência: é a capacidade de um material absorver energia quando deformado elasticamente, isto é, dentro da zona elástica, e liberá-la quando descarregado. É a energia de deformação por unidade de volume necessária para tensionar o metal de origem até a tensão do limite de proporcionalidade.

(E é o módulo de elasticidade do material (módulo de Young)

Resiliência Hiperelástica (resiliência dentro da zona plástica): é a energia acumulada, por unidade de volume, no descarregamento de um ponto situado na região plástica.

Tenacidade: é a capacidade de um metal absorver energia na zona plástica. É a quantidade de energia absorvida por unidade de volume no ensaio de tração até a fratura

Pode também ser definida como a quantidade de energia por unidade de volume que o material pode absorver sem causar a sua ruptura.

Resiliência x Tenacidade

Coeficiente de Poisson: é o coeficiente que mede a rigidez do material na direção perpendicular à direção da carga de tração uniaxial aplicada. No ensaio de tração é o quociente entre a deformação lateral (’) e a deformação na direção da tensão ().

Ensaio de Tração Real

É o ensaio que se baseia nos valores instântaneos da secção do corpo de prova quando da aplicação de uma carga.

A tensão de tração real é o quociente entre a carga em qualquer instante e a área da secção transversal do corpo de prova no mesmo instante.

A deformação real () é baseada na mudança do comprimento com relação ao comprimento base de instantâneo

O volume do material permanece aproximadamente constante no ensaio, então, SoLo = SIL.

Concluí-se que:

Ensaio Real x Convencional

Comentários