Manual de Normatização UFERSA

Manual de Normatização UFERSA

(Parte 1 de 7)

2 edição

Magda Cristina de Sousa

Keina Cristina Santos Sousa e Silva Paulo Sérgio Lima e Silva

Magda Cristina de Sousa

Keina Cristina Santos Sousa e Silva Paulo Sérgio Lima e Silva

2 edição

U58mUniversidade Federal Rural do Semi-Árido.

Manual para normatização de trabalhos de conclusão de cursos da UFERSA / Universidade Federal Rural do Semi- Árido. Organizado por Magda Cristina de Sousa, Keina Cristina Santos Sousa e Paulo Sérgio Lima e Silva. -- 2.ed. – Mossoró, 2008. 43f.

1. Metodologia científica. 2.Normatização. 3.ABNT.

I. Silva, Paulo Sérgio Lima eI.Título.

I.Sousa, Magda Cristina de. I. Sousa, Keina Cristina Santos.

Bibliotecária: Keina Cristina Santos Sousa e Silva CRB15 120

3 APRESENTAÇÃO

graduação (TCC) da Universidade Federal Rural do Semi-Árido (UFERSA)

Este manual tem por finalidade padronizar os trabalhos de conclusão de cursos de

Os itens de padronização foram baseados nas NBRs 6023, 6024, 6027, 6028, 10520, 14724 da Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT). Ao mesmo tempo em que uniformizam os TCC, as normas orientam aos docentes e discentes, contribuindo para sua formação acadêmica. Além disso, a padronização contribui para fortalecer a imagem da instituição junto às comunidades acadêmicas.

A primeira edição do manual (2005) representou uma aproximação do que deveria ser feito para o aperfeiçoamento da padronização na produção TCCs da Instituição. Nesta segunda edição o manual sofreu modificações conforme as atualizações da ABNT para atender de maneira mais conveniente a comunidade acadêmica da UFERSA. Portanto, críticas e sugestões que venham aperfeiçoar o que já foi feito serão sempre bem recebidas.

Mossoró, fevereiro de 2008. Os autores

4 SUMÁRIO

1 INTRODUÇÃO06
2 ESTÁGIO SUPERVISIONADO07
3 RECOMENDAÇÕES PARA PUBLICAÇÕES ESPECÍFICAS08
MONOGRAFIA

3.1ESTÁGIO SUPERVISIONADO EM PESQUISA: 08

3.1.1 Elementos pré –textuais
3.1.1.1 Capa
3.1.1.2 Folha de rosto
3.1.1.3 Ficha catalográfica
3.1.1.4 Folha de aprovação
3.1.1.5 Dedicatória
3.1.1.6 Agradecimento
3.1.1.7 Epígrafe
3.1.1.8 Resumo
3.1.1.9 Listas
3.1.1.10 Sumário
3.1.2 Elementos textuais
3.1.2.1 Introdução
3.1.2.2 Revisão de literatura ou referencial
3.1.2.3 Material e métodos (ou Metodologia)
3.1.2.4 Resultados e discursão
3.1.2.5 Conclusão
3.1.3 Elementos pós-textuais
3.1.3.1 Referências
3.1.3.2 Apêndice
3.1.3.3 Anexo
3.2 ESTÁGIO SUPERVISIONADO EM EXTENSÃO: RELATÓRIO2
3.2.1 Elementos Pré –textuais2
3.2.1.1 Capa2
3.2.1.2 Folha de rosto23
3.2.1.3 Ficha catalográfica24
3.2.1.4 Folha de aprovação25
3.2.1.5 Agradecimentos25
3.2.1.6 Resumo26
3.2.1.7 Listas26
3.2.1.8 Sumário27
3.2.2 Elementos textuais27
3.2.2.1 Introdução27
3.2.2.2 Justificativa27
3.2.2.3 Fundamentação teórica27
3.2.2.4 Metodologia28
3.2.2.5 Estrutura do trabalho28
3.2.2.7 Conclusão ou considerações finais28
3.2.1.8 Sugestões29
3.2.3 Elementos pós-textual29
3.2.3.1 Referências29
3.2.3.2 Apêndice29
3.2.3.3 Anexo29
4 CITAÇÕES E SISTEMAS DE CHAMADA30
4.1 CITAÇÕES30
4.2 TIPOS DE CITAÇÕES30
4.3 SISTEMAS DE CHAMADA32
4.3.1 Forma de apresentação do sistema alfabético32
5 NOÇÕES DE REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS36
5.1 DEFINIÇÃO36
5.2 LOCALIZAÇÃO36
5.3 FONTES DE INFORMAÇÃO36
5.4 ESPECÍFICAÇÕES E ORDEM DOS ELEMENTOS36
5.4.1 Documentos impressos37
5.4.2 Documentos on-line40
5.4.3 Documentos eletrônicos40
5.4.4 Outros tipos de documentos41

6 1 INTRODUÇÃO

Este manual tem por escopo colaborar com docentes e discentes da Universidade

Federal Rural do Semi-Árido – UFERSA, na elaboração e publicação de trabalhos acadêmicos exigidos, principalmente no final do curso.

O Conselho Federal de Educação tornou o estágio supervisionado obrigatório, a ser cumprido pelos alunos de final de curso, com uma carga horária mínima de 360 horas.

O estágio supervisionado obrigatório na UFERSA compreende: estágio supervisionado em pesquisa e estágio supervisionado em extensão.

A partir dessa orientação se buscou elaborar um manual que normatizasse a forma de comunicação e que contemplasse essas duas modalidades de estágios considerando a peculiaridade e o alcance dos mesmos.

O desafio imposto era fazer compreender que o estágio em extensão se caracteriza por uma inserção do aluno em instituições devidamente recomendadas pela Pró-reitoria de Extensão e Cultura, para atuar na realidade empírica, com o objetivo de treinar esse aluno para na prática aliar os conhecimentos teóricos recebidos ao longo da formação acadêmica, numa atuação concatenada.

Já para o estágio supervisionado em pesquisa, o aluno tem a oportunidade de ser treinado para a pesquisa, possibilitando assim um direcionamento mais específico àqueles que pretendem avançar nos estudos para a pós-graduação.

Tanto no caso do estágio supervisionado em pesquisa, quanto em extensão, necessário se faz a comunicação do conhecimento apreendido ou gerado a partir de suas atuações e isso é que dá a caracterização científica de ambos. Utilização de métodos e técnicas, estar voltado para a realidade empírica e a forma de comunicar o conhecimento obtido.

A comunicação do conhecimento obtido, no caso do estágio supervisionado em pesquisa, se fará por meio de um documento monográfico. Enquanto a comunicação do estágio supervisionado em extensão será apresentada em forma de relatório.

7 2 ESTÁGIO SUPERVISIONADO

O estágio supervisionado compreende um período de estudos práticos, onde o aluno exercita o aprendizado teórico adquirido ao longo da formação universitária para vivenciar situações e intervir em tempo real de forma concatenada, na realidade empírica.

Estagiar é tarefa do aluno, supervisionar é de competência da Instituição que será representada pelo professor.

Quanto à participação das instituições públicas e privadas, estas não são responsáveis pelo processo de elaboração de projetos, monografias e relatórios, cabendo de forma exclusiva a instituição, através de órgãos competentes, e ao professor, a elaboração e acompanhamento das normas que regem o estágio e conseqüente prestação de conta.

O estágio deve representar papel fundamental na formação do aluno, já que tem por objetivo propiciar ao mesmo a complementação do ensino e da aprendizagem de forma planejada, a fim de se constituir em instrumentos de integração, em termos de treinamento prático, aperfeiçoando a relação técnico-cultural, científica e humana.

França et al. (1999) ressalta que a monografia para o estágio supervisionado em pesquisa deve ter por característica fundamental a abordagem de um tema único (monos = um só; graphein = escrever).

O relatório deve ser elaborado de forma clara, objetiva e coerente, mostrando à capacidade do aluno em reunir dados pesquisados, e colocá-los numa seqüência logicamente estruturada e de forma concatenada.

Antes de iniciar o estágio supervisionado em pesquisa ou extensão o aluno deve planejar todas as atividades que pretende executar no tempo e no espaço, considerando todo o contexto que norteia a realidade que pretende atuar.

O projeto é o planejamento das atividades a serem desenvolvidas para atingir objetivos com clareza e eficiência. Ele faz a previsão e a provisão dos recursos necessários para atingir os objetivos traçados, de solucionar problema e estabelecer a ordem e a natureza das diversas tarefas a serem executadas dentro de um cronograma a ser observado.

8 3 RECOMENDAÇÕES PARA PUBLICAÇÕES ESPECÍFICAS

3.1 ESTÁGIO SUPERVISIONADO EM PESQUISA: MONOGRAFIA

Recomendamos para o estágio supervisionado em pesquisa, a monografia que se caracteriza por ser um estudo sobre um tema específico ou particular, com suficiente valor representativo e que obedece a rigoroso processo metodológico, observando-se os métodos, as técnicas de coleta de dados empregados, a realidade empírica e a forma de comunicar o conhecimento obtido.

Sua principal característica é a “abordagem de um tema único (monos = um só graphein = escrever)” (FRANÇA et al., 1999, p.25).

Os trabalhos monográficos ou monografias são elaborados a partir da constituição de um tema, nascido a partir de idéias sugeridas por problemas ou lacunas no conhecimento de alguma situação de real importância que merece ser objeto de investigação.

Ao ser definido o tema, a etapa seguinte será o levantamento bibliográfico, que visa situar o pesquisador no contexto espaço-temporal, onde a partir de uma revisão de literatura ou quadro referencial teórico, ele passa a ter conhecimento de outros trabalhos já publicados na área objeto da pesquisa.

Material e métodos ou Metodologia é a execução da pesquisa propriamente dita. É onde se descreve a metodologia utilizada para o desenvolvimento do trabalho de forma breve, porém clara e precisa dos métodos e técnicas operacionalizados no processo da investigação científica, bem como delineamento experimental ou confecção e aplicação de questionários e outros.

Os resultados devem ser apresentados de forma detalhada, propiciando ao leitor a percepção completa e objetiva dos resultados obtidos a partir da coleta de dados (seleção, codificação, tabulação) análise e interpretação dos resultados. Deve incluir ilustrações como tabelas, quadros, figuras, mapas e outros.

Discussão dos resultados é a parte onde se analisa o resultado alcançado pelo estudo, tendo como referencial o levantamento bibliográfico elaborado na revisão de literatura. É a discussão e demonstração “das novas verdades” a partir de verdades reveladas pela nova pesquisa.

Conclusão, síntese final do trabalho, constitui-se de uma resposta as hipóteses enunciadas na introdução. Aqui o autor manifesta seu ponto de vista sobre os resultados alcançados e sobre o alcance dos mesmos. Essa conclusão se prenderá única e exclusivamente aos dados da pesquisa, será apresentada de forma sumariada.

Referências consistem numa listagem alfabética das fontes referenciadas no texto, sejam elas originarias de documentação (primária e secundária) escrita ou verbal utilizadas no decorrer de toda a pesquisa.

Anexos ou apêndices trata-se de documentos complementares ou comprobatórios do texto, com dados esclarecedores, utilizados com o objetivo de não quebrar a seqüência logicamente estruturada do texto. A estrutura de uma monografia se constitui das seguintes partes:

3.1.1 Elementos preliminares ou pré-textuais

Apresentar logomarca da Instituição e o Nome da Universidade (no topo da página, centralizado, fonte: Times New Roman, tamanho 14, sem negrito);

(Parte 1 de 7)

Comentários