Normas ABNT

Normas ABNT

(Parte 1 de 2)

Fazer um trabalho acadêmico exige muito de qualquer pesquisador ou estudante. Além de todo esforço em torno do tema do trabalho, é fundamental ainda, adequá-lo às normas de apresentação. Afinal, de nada vai adiantar você empenhar todos os seus esforços no desenvolvimento do tema se na hora de apresentá-lo ele não estiver dentro dos padrões estabelecidos pela ABNT (Associação Brasileira de Normas Técnicas).

Esses padrões foram criados por Comissões de Estudo que são formadas por diferentes grupos com participação de universidades e laboratórios, além de produtores e consumidores. Eles serão cobrados em quaisquer apresentações de trabalhos acadêmicos e não cumpri-los representa falta grave que levará sua apresentação ao fracasso.

Neste tutorial, o Universia pretende mostrar as características fundamentais para montar corretamente a estrutura do trabalho acadêmico e usar corretamente as formatações necessárias de acordo com aquilo que a ABNT estabelece. Boa Leitura!

A capa é elemento obrigatório na apresentação de trabalhos acadêmicos. Embora algumas informações sejam de presença opcional, como o nome da instituição, por exemplo, há dados que são indispensáveis. Na capa da sua monografia é indispensável que conste seu nome, o título do trabalho e, quando houver, o subtítulo da obra. Além disso, se o trabalho for composto de vários volumes, isso precisa ser informado na capa. Para fechar a lista de informações obrigatórias, não se pode esquecer do nome da cidade em que a instituição se localiza e o ano em que a obra será entregue

A Folha de rosto é praticamente uma cópia da Capa. A diferença é que ela traz algumas informações obrigatórias que a capa não demanda. Há descrições mais detalhadas na folha de rosto. É o caso da natureza do trabalho. Trata-se de um texto breve em que conste o tipo da apresentação - que pode ser uma tese, dissertação ou trabalho de conclusão de curso -, além do objetivo da realização do mesmo - como obtenção de grau ou aprovação em disciplina determinada – nome da universidade e a área de concentração. Outros itens obrigatórios da Folha de Rosto são os nomes do orientador e, se houve, co-orientador do projeto.

Embora seja uma parte opcional no trabalho, a errata pode ser uma ferramenta valiosa para compensar algum escorregão que passou pelo processo de impressão. Ela deve ser posicionada logo depois da folha de rosto. Para localizar o erro é preciso usar uma referência em que se informe a página e a linha onde se encontre o erro. Em seguida expõe-se o texto da errata e imediatamente ao lado a correção.

Mais um item obrigatório, a Folha de Aprovação deve estar na seqüência da Folha de Rosto. É aqui que será feita a avaliação do trabalho por parte dos examinadores. Por isso, além do nome do autor, título e subtítulo – se necessário -, natureza, objetivo do trabalho, nome da universidade e área de concentração, é preciso constar o nome dos avaliadores, titulação e o nome das instituições das quais cada uma deles faz parte. A assinatura dos destes será posta nesta folha, juntamente com a data da aprovação, tão logo a avaliação esteja concluída.

Não são elementos obrigatórios, mas podem ser usados pelo autor caso queira dedicar o trabalho a alguém, fazer algum agradecimento a pessoas que contribuíram de maneira relevante com o trabalho ou adicionar alguma epígrafe antes do início do trabalho, o que pode também ser feito na própria folha inicial do texto.

Esta parte, obrigatória, é usada para que o autor faça uma breve síntese do trabalho. A ABNT aconselha que o Resumo tenha no máximo 500 palavras que devem ser distribuídas em frases concisas e objetivas que descrevam o trabalho, desde sua elaboração, objetivo, metodologia e conclusão. Recomenda-se que as frases estejam na terceira pessoa do singular e em voz ativa. Também aqui deve ser feita uma pequena lista de palavras (no mínimo três palavras) para indexação.

O resumo em língua estrangeira tem exatamente a mesma configuração do Resumo da Língua Vernácula e também é obrigatório. Deve estar numa página separada. Em inglês ABSTRACT, em espanhol RESUMEN, em francês RÈSUMÉ. Da mesma forma, é necessária a lista de no mínimo três palavras (no idioma escolhido) para indexação.

Nenhuma dessas quatro listas é obrigatória de acordo com a ABNT. Mas se você decidir usá-las, deve fazer da seguinte forma:

Ilustrações

A Lista de ilustrações deve ter os itens ordenados da forma como aparecem no trabalho com o respectivo nome e a página em que se localiza. No caso de haver vários tipos diferentes de ilustrações (quadros, mapas, gráficos, etc), é aconselhável que se use uma listagem para cada tipo para organizar melhor;

Tabelas A Lista de tabelas segue esquema idêntico ao de ilustrações;

Abreviaturas

A Lista de abreviaturas e siglas deve ser feita respeitando a ordem alfabética das mesmas conforme uso no trabalho. Elas devem ter a expressões correspondentes escritas imediatamente ao lado;

Símbolos

A Lista de símbolos deve apresentar todos os símbolos apresentados no trabalho na ordem em que eles aparecem no texto com o respectivo significado ao lado.

Trata-se de peça obrigatória no trabalho acadêmico e deve ser disposto de maneira que as partes da monografia apareçam descritas com o nome idêntico àquele que está contido no texto com o número exato da página.

A introdução é a parte em que o autor vai mostrar o que o trabalho vai abordar, o propósito da pesquisa, os limites da abordagem, e todas as informações relevantes para nortear o leitor.

O desenvolvimento é a maior parte do trabalho de monografia. É aqui que será feita, de maneira ordenada e detalhada da maneira mais ampla e relevante possível, a exibição do assunto do trabalho e do método empregado. Esta parte poderá ser dividida em seções e subseções.

Este espaço deve ser usado para as conclusões finais do trabalho a partir de suas teses iniciais e objetivos.

As referências podem aparecer em diferentes partes do trabalho: no rodapé, no fim do texto ou de um determinado capítulo, em lista de referências ou antes de resumos e resenhas, por exemplo. Toda referência é alinhada à esquerda e a referência que diz respeito à mesma obra é separada pelo espaço simples. Para separar uma referência da outra, usa-se espaço duplo. No rodapé, as referências são alinhadas à esquerda a partir da segunda linha da referência de maneira a ficar abaixo da primeira letra da primeira linha de maneira que destaque o expoente e sem espaço entre elas.

Aborda livro, manual, guia, catálogo, enciclopédia, dicionário, teses e dissertações, entre outros. Aqui os itens obrigatórios são: autor, título, edição, local, editora e data de publicação.

Há possibilidade de acrescentar mais itens.

Aborda livro, manual, guia, catálogo, enciclopédia, dicionário, teses e dissertações em meios eletrônicos como CD-ROM, sites etc. Aqui, além do autor, título, edição, local, editora e data de publicação, é obrigatória a descrição física do meio eletrônico.

Quando se tratar de um site, deve-se escrever a expressão “Disponível em:” seguida do endereço eletrônico da página grafado entre os sinais < >. Além disso, deve-se colocar na seqüência a expressão “Acesso em:” seguido da data de acesso ao dado. A ABNT não recomenda a publicação de material que fique disponível por um período curto na Internet.

No caso de utilização de trechos de artigos, matérias jornalísticas ou seções, é preciso, obrigatoriamente, citar o título da publicação, local, edição, data de início e término da publicação.

Caso necessário, pode-se colocar outras informações para ajudar na identificação.

Ao usar trechos de matéria jornalística de revista, é preciso citar o autor ou autores, título da parte, artigo ou matéria, título da publicação, local de publicação, numeração correspondente ao volume e ano, fascículo ou número, paginação inicial e final e data ou intervalo de publicação.

Ao usar trechos de matéria jornalística de jornais, é preciso citar o autor ou autores, título, nome do jornal, local de publicação, data da publicação seção, caderno ou parte do jornal e a paginação equivalente. Se não houver caderno ou parte, cite a página em que a matéria está e a data.

Quando você citar uma lei dentro do seu trabalho é imprescindível que sejam identificados: a jurisdição, título, numeração, data e dados da publicação. Em Constituições e emendas, entre o nome da jurisdição e o título, coloque a palavra “Constituição” com o ano de promulgação entre parênteses.

Para usar informações retiradas de outras fontes, você precisa seguir orientações específicas para esse fim. Elas abordam transcrições textuais de parte de uma obra, citação direta ou indireta de texto da qual não se teve acesso aos originais, notas de referência e de rodapé.

Nas citações, quando chamadas com o sobrenome do autor, instituição ou nome da obra, use letras maiúsculas e minúsculas.

Somente quando a citação for feita entre parênteses você deve usar todo o texto em caixa alta.

É preciso que, ao citar diretamente uma fonte, você traga no texto as seguintes informações: página, volume, tomo ou seção em que foi feita a consulta, data, separada por vírgulas e precedido pelo termo que os caracteriza.

Se a citação feitas no corpo do texto que tiver até três linhas, precisam ser feitas dentro de aspas duplas.

Para citações com mais de três linhas no corpo do texto, use recuo de 4 centímetros em relação à margem esquerda. Nesse caso, não use aspas e trabalhe com tamanho de fonte menor em relação àquele utilizado no texto do trabalho.

Para supressões use: [...] Exemplo: Barbour (1971, p. 35) descreve: “O estudo da morfologia dos terrenos [...] ativos [...]”

Em casos de interpolações, acréscimos ou comentários: [ ] Exemplo: “não se mova [como se isso fosse possível], faça de conta que está morta.” (CLARAC, BONNIN, 1985, p. 72).

Para ênfase ou destaque, pode-se usar grifo, negrito ou itálico, a critério do autor.

Exemplo: “[...] desejo de criar uma literatura independente, diversa, de vez que, aparecendo o classicismo como manifestação de passado colonial [...]” (CANDIDO, 1993, v. 2, p. 12, grifo do autor).

Para as notas explicativas, use o esquema numérico. No caso das notas usadas para citar outra obra, trabalhe com o sistema autor-data. A partir da segunda linha da mesma nota, é preciso que o alinhamento siga o da primeira letra da primeira palavra. Não use espaço entre elas e trabalhe com fonte em tamanho reduzido em relação ao usado no texto.

O Glossário é opcional, mas seu uso é indicado para a relação de palavras de uso específico, como terminologias estritas de determinadas áreas. As palavras devem ser listadas em ordem alfabética acompanhadas das respectivas definições.

Apêndices são documentos complementares ao trabalho acadêmico, elaborados pelo autor. De uso opcional, apêndices são nomeados com letras maiúsculas em seqüência que respeite a ordem alfabética, seguidas de travessão e o título do mesmo.

Se houver mais apêndices do que letras no alfabeto, usa-se letras dobradas.

Anexos são textos ou documentos complementares ao trabalho acadêmico, não desenvolvidos pelo autor. Também opcional, anexos são nomeados com letras maiúsculas em sequência que respeite a ordem alfabética, seguidas de travessão e o título do mesmo.

Se houver mais anexos do que letras no alfabeto, usa-se letras dobradas.

Listagem de palavras ou frases organizadas por critérios variados cujo objetivo é localizar elementos dentro do trabalho. O índice não é um item obrigatório na monografia.

A ABNT estabelece também algumas diretrizes em relação ao formato da monografia. É preciso utilizar papel no formato A4 (21cm x 29,7 cm) e o texto deve ser digitado em papel na cor branca no anverso da página. Somente a Folha de Rosto terá conteúdo impresso nas duas páginas da folha. É indicado que o autor use fonte no tamanho 12 para o conteúdo regular da monografia. Para citações, notas de rodapé, legendas e paginação, recomenda-se o uso de fonte em tamanho menor e uniforme. Deverá ser respeitado recuo de 4 centímetros em relação à margem do papel para citações com mais de três linhas.

(Parte 1 de 2)

Comentários