Manual do Atendimento Pré-Hospitalar CAPÍTULO 2

Manual do Atendimento Pré-Hospitalar CAPÍTULO 2

(Parte 6 de 8)

●Ímpares - frontal, occipital, etmóide e esfenóide.

É composta basicamente de vários ossos fundidos e o único osso móvel da cabeça, a mandíbula responsável pela mastigação. Localizam-se na face as cavidades onde se abrigam os órgãos dos sentidos do paladar, do olfato e da visão (esta em conjunto com o crânio). As cavidades nas quais se abrigam os olhos são chamadas de órbitas e são formadas por partes de vários ossos do crânio e da face. O nariz é formado pelos ossos nasais e na sua maior parte por tecido cartilaginoso. Os dentes se implantam nas maxilas e na mandíbula. As fraturas dos ossos da face podem levar a hemorragias severas e obstrução das vias aéreas.

●Pares: nasais, lacrimais, cornetos, zigomáticos, palatinos, maxilas.

●lmpares: vômer e mandíbula.

Fig 2.32 – Crânio Fig 2.3 – Ossos da face

Anatomia e Fisiologia

Eixo principal de sustentação do corpo humano. É composto de 3 ossos chamados de vértebras. Está dividida em cinco regiões.

Composto de sete vértebras; localizada no pescoço. Suas fraturas são tão importantes que a imobilização da coluna cervical é abordada junto com as vias aéreas no A do A, B, C, D e E.

Composto de doze vértebras; na parte superior do tronco. Em cada vértebra torácica se insere um par de costelas.

Composto de 5 vértebras; na parte inferior do tronco. São sede das tão freqüentes dores nas costas conhecidas como lombalgias referidas pelos leigos como “dores nos rins”.

Composto de cinco vértebras fundidas formam o osso sacro; está firmemente unida aos ossos ilíacos através das articulações sacroilíacas e faz parte da pelve óssea.

Composto de quatro vértebras fundidas formam o cóccix; é o final da coluna vertebral. Podem ser fraturadas em quedas na posição sentada.

Fig 2.34 – Coluna Vertebral Fig 2.35A – Anatomia da vértebra

Manual do Atendimento Pré-Hospitalar – SIATE /CBPR

Cada vértebra é denominada de acordo com a região a que pertence. Por exemplo: primeira vértebra cervical ou Cl, terceira vértebra torácica ou T3, segunda vértebra lombar ou L2.

A parte anterior de cada vértebra é chamada de corpo vertebral e a parte posterior de arco vertebral.

Entre cada corpo vertebral de vértebras adjacentes há uma placa de tecido chamada de disco intervertebral e cada vértebra é unida às adjacentes por vários ligamentos firmes; uma musculatura potente rodeia a coluna vertebral. As articulações intervertebrais têm uma mobilidade limitada: maior na coluna cervical e lombar, mínima na torácica e praticamente ausente nos de mais segmentos. No interior da coluna vertebral há um túnel chamado de canal vertebral onde se situa a medula espinhal e seus revestimentos. De cada espaço intervertebral sai uma raiz nervosa que dá origem aos nervos periféricos espinhais.

A caixa torácica é feita por 12 pares de costelas que se originam das vértebras torácicas posteriormente e se articulam com o osso esterno anteriormente. Os primeiros 7 pares de costelas se articulam com o esterno diretamente através de uma ponte de cartilagens e são chamadas de costelas verdadeiras. Os seguintes 3 pares de costelas se articulam com uma estrutura cartilaginosa comum que se articula com o esterno e são chamadas de costelas falsas. Os últimos 2 pares são chamados de flutuantes por não se articularem com o esterno. O osso esterno é dividido em três partes: o manúbrio (porção superior), o corpo (atrás do qual está o mediastino) e o apêndice xifóide (sentido onde as margens costais se encontram no epigástrio).

Fig 2.35B – Anatomia da vértebra

Anatomia e Fisiologia

8.2.2. Esqueleto Apendicular

Dividido em um par de membros superiores e um par de membros inferiores que se unem ao esqueleto axial através da cintura escapular e cintura pélvica respectivamente.

8.2.2.1. Membros superiores

A porção proximal do membro superior chama-se cintura escapular e promove a ligação do superior com o esqueleto axial.

E composta pelas escápulas e clavículas. As clavículas de suporte ao membro superior; sua porção medial se insere firmemente ao esterno e sua porção lateral se articula com o crânio da escápula. A escápula é um osso volumoso rodeado por uma forte musculatura que o mantém fixo ao dorso; se articula com a clavícula e possui uma cavidade, a fossa glenóide, onde se aloja a cabeça do úmero formando a articulação glenoumeral (articulação do ombro).

O úmero é o osso do braço. Se articula no cotovelo com os dois ossos do antebraço, o radio e a ulna. O punho é a região onde se articulam os ossos do antebraço e da mão. A mão é dividida em três partes: carpo, composto por 8 ossos, metacarpo composto por 5 ossos e dedos ou quirodáctilos compostos por 14 ossos (falanges).

A porção proximal dos membros inferiores é chamada de cintura pélvica (quadril ou pelve óssea). O quadril é formado pela junção dos ossos ilíacos, Ísquios e púbicos. Além das articulações sacro ilíacas posteriormente o quadril apresenta anteriormente a sínfise pública, que é a junção dos dois ossos púbicos. 0 quadril é uma estrutura rígida e estável protegida por ligamentos fortes; para ser fraturado requer traumatismo de grande energia.

Fig 2.36 – Caixa toráxica

Fig 2.37 – Articulação glenoumeral Fig 2.38 – Ossos da mão e punho

Manual do Atendimento Pré-Hospitalar – SIATE /CBPR

A cavidade onde a cabeça femoral se articula com o quadril é chamada de acetábulo.

O fêmur situa-se na coxa e é a maior osso do corpo humano; articula-se superiormente com o quadril e inferiormente com os ossos da perna, a tíbia e fíbula, formando a joelho. Anteriormente à articuIação do joelho há um osso chamado de patela que se situa dentro do tendão de inserção do quadríceps femoral e que protege a articuIação do joelho contra traumatismos. Os ossos da perna se articulam com o pé na região chamada de tornozelo, local freqüente de Iesões.

O pé é dividido em três partes: o tarso composto par 7 ossos, a metatarso par 5 ossos e as pododáctiIos (artelhos) par 15 ossos.

8.3. Articulações

Articulação é o conjunto de partes moles e duras que servem como meio de união entre dois ou mais ossos próximos. As articulações são mais simples na cabeça, mais complicadas no tronco e de maior complexidade ao nível dos membros.

Na cabeça, com exceção da mandíbula que se articula com o osso temporal, os outros ossos mantêm relações de contigüidade uns com os outros, sem que haja movimentação de qualquer deles.

No tronco, os movimentos são encontrados entre quase todos os ossos que o constituem, mas são pouco acentuados, enquanto os membros apresentam movimentos de grande amplitude.

As articulações podem ser classificadas quando a dinâmica, em três classes: móveis, semimóveis e imóveis.

As móveis são as diartroses ou junturas sinoviais, as semimóveis são as anfiartroses e as imóveis são as sinartroses.

Fig 2.39 – Ossos do quadril Fig 2.40 – Fêmur

Fig 2.41 – Membro inferior

Anatomia e Fisiologia

As diartroses ou junturas sinoviais são aquelas que apresentam uma membrana serosa chamada sinovial (que secreta um liquido viscoso, a qual forra interiormente esse tipo de articulação, que é envolvida por uma cápsula sinovial, a qual e formada por um tecido fibroso e por ligamentos que auxiliam na estabilidade desta articulação.

Considerando os planos e eixos anatômicos do corpo humano podem definir os movimentos fundamentais dos planos anatômicos sobre os eixos anatômicos.

Tabela 2.2 Tabela de planos, eixos e movimentos fundamentais

Plano Eixo Movimento

Sagital (antero posterior)Latero-lateralFlexão e extensão

Frontal (lateral)Antero-posteriorAdução e abdução Horizontal (transverso) Longitudinal Rotação

8.3.1. Principais Articulações do Corpo Humano 8.3.1.1. Articulação da Coluna Vertebral

A coluna vertebral, constituída pela superposição de 24 ossos isolados (as vértebras), afora o sacro e o cóccix, funciona como uma haste flexível mediante a articulação dos corpos vertebrais entre si e dos processos articulares de uma com os das vértebras vizinhas).

(Parte 6 de 8)

Comentários