Educação Profissional Básica para Agentes Indígenas de Saúde Módulo Promovendo a Saúde e Prevenindo Doenças Endêmicas

Educação Profissional Básica para Agentes Indígenas de Saúde Módulo Promovendo a...

(Parte 2 de 4)

• como a tuberculose passa de uma pessoa para outra? • quais os sinais e sintomas da pessoa com tuberculose?

5 - Participe da palestra sobre tuberculose.

6 - “Kauê Ajuricaba, de 30 anos, está com tosse e catarro há mais de um mês. Vem emagrecendo, sente falta de ar, um pouco de febre e não tem vontade de comer, nem de trabalhar. Hoje o agente de saúde visitou a sua casa...” Termine a história, dramatizando o atendimento de Kauê.

7 - Discuta a seguinte questão: • como se pode descobrir a doença tuberculose.

8 - Observe no microscópio lâminas com o bacilo da tuberculose e manuseie os exames de RX de tórax.

9 - Analise e discuta a seguinte situação:

“O resultado do exame de escarro de Kauê foi positivo. Em sua casa mora a família composta de uma esposa e quatro filhos. O sogro de Kauê morreu magro, com muita tosse e escarrando sangue”. Qual a conduta do agente de saúde em relação à esposa e filhos de Kauê, parentes e com as outras pessoas da aldeia?

1 - Oriente os alunos no trabalho individual.

2 - Divida os alunos em três grupos para a montagem do painel e para a elaboração da história da tuberculose, apoiando as atividades.

3 - Coordene as apresentações com todo o grupo, lembrando a relação entre a tuberculose e a relação intercultural. Retome o item 1 da seqüência 1 para sistematizar a atividade.

4 - Acompanhe os trabalhos em grupos e a sistematização das respostas em papel madeira. Oriente os alunos a retomarem o desenho do corpo humano, identificando a porta de entrada, o caminho e a porta de saída do ar. Destaque o caminho do bacilo e sua instalação no pulmão, as alterações que provoca (sinais e sintomas) e a saída do bacilo do organismo. Compare com o modo de transmissão da IRA.

5 - Prepare a palestra enfatizando: etiologia, cadeia de transmissão e quadro clínico. Mencione as formas de tuberculose extrapulmonar.

6 - Oriente a atividade, dividindo a turma em dois grupos. Reforce o conceito de sintomático respiratório, duração dos sintomas e o encaminhamento para investigação diagnóstica. Destaque o papel do AIS junto à equipe de saúde.

7 - Lembre o diagnóstico clínico, laboratorial (BK no escarro e PPD) e radiológico (RX de tórax). Se possível, apresente para os alunos o material utilizado no diagnóstico.

8 - Trabalhe com pequenos grupos. Prepare a atividade com os equipamentos e materiais necessários e oriente o grupo na observação.

9 - Oriente os trabalhos em grupos. Destaque as medidas de busca ativa de sintomáticos respiratórios e de controle de comunicantes (vacinação e aplicação de PPD), enfatizando as ações do AIS. Chame a atenção para a dificuldade de diagnóstico em crianças.

Formação Inicial para Agentes Indígenas de Saúde - Módulo Promovendo a Saúde e Prevenindo Doenças Endêmicas13

Continuação

Atividades do alunoOrientações para o instrutor

10 - Participe da palestra ou leia o texto sobre a importância do controle dos comunicantes.

1 - Participe do Jogo da Pescaria.

12 - Kauê Ajuricaba retornou do serviço de saúde com medicação para fazer o tratamento na aldeia. Qual a conduta que o agente de saúde deve ter para o acompanhamento do tratamento de Kauê?

13 - Participe da dramatização sobre a continuidade da história de Kauê: • Primeira situação: Kauê segue o tratamento...

• Segunda situação: Kauê abandona o tratamento...

14 - Participe da plenária sobre o tratamento da tuberculose.

10 - Prepare a palestra ou oriente a leitura, esclarecendo dúvidas.

1 - Prepare uma caixa (papelão ou madeira) com areia. Fixe na areia peixinhos de cartolina em diferentes cores. Cada peixinho deve ter uma pergunta relativa à tuberculose. Os alunos devem se organizar para pescar o peixinho e responder às perguntas. Sugestões de perguntas: Por onde o bacilo da tuberculose entra no corpo? Fale dois sintomas da pessoa com tuberculose. Quando uma pessoa pode ser um sintomático respiratório? Quais os exames utilizados para o diagnóstico de tuberculose? O que é um contactante ou comunicante?

12 - Organize a discussão em pequenos grupos, estimulando o relato de experiências no acompanhamento dos pacientes em tratamento de tuberculose.

13 - Divida os alunos em dois grupos, cada grupo dramatiza uma situação. Coordene as atividades sugerindo questões para serem trabalhadas: • como é o tratamento, quanto tempo dura, quais os medicamentos utilizados, o que pode ocorrer (efeitos colaterais medicamentosos); • possíveis causas do abandono, o que pode ocorrer. Enfatize o tempo de uso do medicamento e os riscos do abandono do tratamento. Explore as possibilidades de evolução clínica da tuberculose em cada alternativa. Sugestão: Apresente as dramatizações para a comunidade.

14 - Coordene a atividade ressaltando os seguintes aspectos: • duração mínima do tratamento (seis meses);

• importância da ingestão diária do medicamento, de preferência pela manhã; • tratamento supervisionado;

• importância da manutenção de uma boa alimentação; • importância de não ingerir bebidas alcoólicas durante o tratamento; • negativação do BK após 15 dias de tratamento; • manutenção do acompanhamento médico até o final do tratamento; • reações adversas e conseqüências do abandono de tratamento;

Atividades do alunoOrientações para o instrutor Continuação

15 - Responda à seguinte questão:

• Como o agente de saúde pode participar da prevenção e controle da tuberculose na comunidade?

16 - Escreva um texto ou uma música sobre o que você aprendeu sobre a tuberculose.

• protocolos técnicos de conduta.

Destaque a recomendação para população indígena de quimioprofilaxia para todos os contactantes de casos pulmonares com baciloscopia positiva, reatores fortes ao PPD, com radiografia de tórax normal, afastada qualquer possibilidade de tuberculosedoença, independente de idade ou estado vacinal.

15 - Oriente a discussão e sistematização em plenária, enfatizando o papel do AIS nos seguintes aspectos: • vacinação BCG nas crianças;

• busca ativa de casos de tuberculose;

• notificação dos casos;

• acompanhamento sistemático dos pacientes em tratamento e dos comunicantes; • ações educativas na comunidade;

Oriente para a utilização do mapa da comunidade (Módulo Introdutório) na localização e acompanhamento dos casos.

16 - Oriente a redação, solicite a apresentação voluntária da produção dos alunos.

Formação Inicial para Agentes Indígenas de Saúde - Módulo Promovendo a Saúde e Prevenindo Doenças Endêmicas15

Atividades do alunoOrientações para o instrutor

Concentração: Promovendo a saúde e intervindo no processo saúde-doença Seqüência de atividades 4

1 - Dramatize ou faça uma música sobre o que você conhece da malária.

2 - Apresente a dramatização ou a música em plenária.

3 - Discuta as seguintes questões: • Como se pega a malária?

• Como a malária passa de uma pessoa para a outra?

• Quais os sinais e sintomas de uma pessoa com malária?

4 - Participe da palestra sobre Malária.

5 - Leia o texto interativo: Malária - Parte I

em sua casa e

6 - “Peri Ajuricaba, 7 anos, filho de Kauê Ajuricaba, gosta de banhar na beira do rio quando o sol está baixando. Há três dias que ele não se banha, pois está sentindo febre alta, calafrios, suores e dores pelo corpo. Hoje o agente de saúde foi visitá-lo Termine a história dramatizando o atendimento de Peri.

7 - Discuta a seguinte questão: • Como se pode descobrir a doença malária?

8 - Acompanhe as atividades de coleta de sangue, confecção de lâmina e observação de lâminas positivas para malária.

9 - O resultado da lâmina de Peri Ajuricaba foi positivo para malária vivax. Qual a conduta que o agente de saúde deve tomar com a família do Peri e com a sua comunidade?

1 - Divida os alunos em dois grupos e coordene a atividade.

2 - Faça comentários e sistematize as idéias principais que surgiram nas apresentações. Explore o papel do mosquito na transmissão da doença, lembrando a relação entre a doença e a relação intercultural. Retome a atividade 1 da seqüência 1 para apoiar a atividade.

3 - Acompanhe os trabalhos em grupos e a sistematização das respostas. Oriente os alunos a retomarem o desenho do corpo humano e auxilie na identificação a porta de entrada (pela pele, pela picada do mosquito anofelino), o caminho que o agente infeccioso percorre (circulação sangüínea) e a porta de saída (pelo sangue). Ressalte o ciclo do vetor e as formas de transmissão por via hematogênica.

4 - Prepare a palestra enfatizando a história da malária; etiologia, cadeia de transmissão, ciclo do plasmodium, período de incubação e de transmissibilidade e quadro clínico.

5 - Oriente a atividade em pequenos grupos, esclarecendo dúvidas.

6 - Oriente a atividade em grupos, reforçando os conceitos de período de incubação, quadro clínico e diagnóstico laboratorial. Destaque o papel do AIS junto à equipe de saúde.

7 - Lembre o diagnóstico clínico e laboratorial (gota espessa). Se possível, apresente para os alunos o material utilizado no diagnóstico laboratorial.

8 - Prepare a atividade no laboratório com os equipamentos e materiais necessários, organizando as atividades em pequenos grupos. Enfatize os aspectos de acondicionamento e transporte do material.

9 - Oriente a discussão em grupos, destacando as medidas de proteção individual e coletiva: investigação de suspeitos febris, busca ativa, importância do controle de vetores e eliminação de criadouros.

Atividades do alunoOrientações para o instrutor

10 - Oriente a leitura em pequenos grupos, esclarecendo dúvidas. Enfatize a importância do diagnóstico clínico e laboratorial, tratamento e controle da doença.

1 - Estimule o grupo a expressar as suas dúvidas.

Utilize texto de apoio, incluindo a padronização de tratamentos, contra-indicações e restrições.

12 - Prepare 20 cartões do tamanho de uma carta de baralho. Em cada cartão desenhe um mosquito (anofelino) no verso. No outro lado do cartão, escreva uma pergunta sobre malária. Arrume os cartões num monte. Os participantes devem bater nos cartões com um “mata-moscas” e responder à pergunta da carta.

13 - Organize a discussão em pequenos grupos, estimulando o relato de experiências no acompanhamento do tratamento de pacientes com malária.

14 - Coordene a atividade ressaltando os seguintes aspectos: • duração do tratamento (7-14 dias);

• importância da ingestão diária da medicação, de preferência após as refeições; • esquema terapêutico específico para gestantes; • não ingestão de bebidas alcoólicas e evitar alimentos gordurosos durante o tratamento; • protocolos técnicos de conduta;

• referenciar os casos com complicação.

15 - Organize a discussão em pequenos grupos, destacando o papel do AIS junto à equipe de saúde, nos aspectos: • vigilância epidemiológica;

• vigilância entomológica;

• controle de vetores pela aplicação de inseticidas e uso de mosquiteiros; • saneamento ambiental, com aterro e drenagem de água represada para a redução de focos criadores de anofelinos; • ações educativas na comunidade;

• diagnóstico imediato e tratamento precoce.

Oriente para a utilização do mapa da comunidade elaborado no Módulo Introdutório para a busca ativa e acompanhamento dos casos.

16 - Oriente a redação, solicite a apresentação voluntária da produção dos alunos.

Continuação 10 - Leia o texto interativo: Malária - Parte I.

1 - Participe do debate sobre o tratamento da malária.

12 - Participe do jogo “Mata Mosquito”.

13 - Peri Ajuricaba iniciou o tratamento para malária.

Qual a conduta do agente de saúde em relação ao tratamento de Peri?

14 - Participe da plenária sobre tratamento da malária.

15 - Responda à seguinte questão:

• Como o agente de saúde pode participar da prevenção da malária na comunidade?

16 - Escreva um texto ou uma música sobre o que você aprendeu sobre a malária.

Formação Inicial para Agentes Indígenas de Saúde - Módulo Promovendo a Saúde e Prevenindo Doenças Endêmicas17

Atividades do alunoOrientações para o instrutor

Concentração: Conhecendo e organizando o serviço de saúde Seqüência de atividades 5

1 - Retome os casos estudados de Kauê e Peri

Ajuricaba e faça os registros dos atendimentos realizados.

2 - Faça o exercício de preenchimento das fichas ou do livro de atendimentos, dos encaminhamentos, os registros de nascimentos, de óbitos e de gestantes.

3 - Participe do debate: “A importância da Informação em Saúde”.

4 - Visite os serviços de referência do Dsei.

5 - Participe da discussão sobre a visita aos serviços, identificando os pontos positivos e negativos encontrados e elabore sugestões.

1 - Forneça folhas de papel e oriente a atividade em pequenos grupos, relembrando as diversas etapas dos atendimentos de Kauê e Peri (visita domiciliar, atendimento no posto, encaminhamento, notificação da doença, registro de óbito).

2 - Oriente a atividade em pequenos grupos, esclarecendo dúvidas e acrescentando informações. Utilize, preferencialmente, os instrumentos de coleta de dados existentes no serviço. O exercício deve ser bem acompanhado em face das dificuldades de domínio da escrita.

3 - Coordene o debate, com a participação de um convidado da área de Vigilância Epidemiológica do Dsei, destacando a importância da geração de dados nas aldeias e do seu uso para a tomada de decisões. Enfatize os dados que podem ser coletados e registrados pelo AIS.

4 - Viabilize as visitas e apóie os alunos na elaboração dos roteiros, acompanhando a atividade. Em áreas onde o acesso a esses serviços seja difícil, substituir essa atividade por uma palestra ou vídeo.

5 - Oriente na sistematização da discussão.

Atividades do alunoOrientações para o instrutor

Promovendo a saúde e intervindo no processo saúde-doença Seqüência de atividades 6

Esta sequência será ministrada em regiões endêmicas de doença de chagas, dengue, febre amarela e leishmaniose visceral

1 - Faça um desenho dos mosquitos que você conhece que transmitem doenças para as pessoas (vetores).

2 - Responda às seguintes perguntas: • Onde os vetores vivem?

• Como as pessoas são picadas pelos vetores?

• Por que os vetores atacam as pessoas da comunidade?

• Como estas doenças se espalham na comunidade?

3 - Apresente em plenária o trabalho dos grupos.

4 - Participe da palestra ou leia textos sobre as doença provocadas por vetores.

5 - Participe do seminário sobre a cadeia de transmissão das doenças provocadas por vetores. Use o roteiro abaixo: • nome da doença e do agente infeccioso;

• ciclo do agente infeccioso no vetor;

• por onde o agente entra no corpo, qual o caminho que percorre, sinais e sintomas que provoca, por onde sai do corpo; • como a doença se transmite na comunidade.

Para preparar o seminário, consulte o material indicado pelo instrutor. Cada grupo deverá preparar uma apresentação criativa em plenária.

1 - Oriente a confecção individual dos desenhos.

Estimule os alunos a desenharem os vetores mais comuns nas comunidades e denominá-los na língua materna, montando um painel com todos os desenhos. Destaque as características de cada espécie de vetor. Se possível, oportunize a visualização dos mosquitos por meio de fotografias, cartazes e lâminas.

2 - Divida os alunos em pequenos grupos, levantando as experiências de vida e de trabalho. Ressalte as conseqüências do desequilíbrio ecológico decorrente da relação intercultural, alterando as condições naturais de sobrevivência destes vetores. Trabalhe com o grupo os hábitos de cada espécie dos vetores. Compare com o modo de transmissão da malária.

(Parte 2 de 4)

Comentários