(Parte 1 de 7)

Imaginologia.com.br - Radiologia e Diagnóstico por Imagem para médicos clínicos e cirurgiões. w.imaginologia.com.br

CURSO PROPEDÊUTICA DISCIPLINA - Radiologia

Coordenadora de Ensino: Profa. Marilene M. Paschoal

_ Prof. Marilene M Paschoal 2 Revisado em 31/08/09

¾ Telerradiografia tórax frontal e lateral ¾ Radiografia abdome simples

¾ Mamografia

¾ Exames especiais:

¾ Seriografia EED ¾ Clister duplo contraste

¾ Arteriografia - Flebografia - Linfografia

1 - DENSIDADE (de acordo com a densidade do Tecido Examinado) 9 RADIOGRAFIA CONVENCIONAL

9 Radiotransparente/ou/(hiperlucente)>>>> ar >>preto gordura >cinza escuro

9 Hipotransparente -> partes moles (H² O) -> cinza claro

AR radiotransparenteproduz cor preta
GORDURA radiotransparenteproduz cor cinza escuro
ÁGUA hipotransparenteproduz cor cinza claro
OSSO radiopacoproduz cor branca
METAL radiopacoproduz cor branca

9 Radiopaca -> osso, calcificações, meio de contraste -> branca TERMINOLOGIA UTILIZADA NO RX CONVENCIONAL PARA AS DIFERENTES DENSIDADES:

9 . TOMOGRAFIA COMPUTADORIZADA

9 Hipodensa (cinza escuro - preto) -> coef. atenuação (água) baixo ou negativo (ar e gordura). 9 Hiperdensa (brancas) -> coef. atenuação alto (calcificação). 9 Isodensa -> mesma densidade do tecido normal que o circunda.

_ Prof. Marilene M Paschoal 3 Revisado em 31/08/09

Como Tomografia Computadorizada usa meio de contraste podemos acrescentar as terminologias usadas após a injeção do meio de contraste endovenoso (iodado).

9 Hipercaptante – hipocaptante - não captante ou que realçam com meio de contraste. 9 Espontaneamente densa (sem contraste) >> coágulo recente e calcificações. 2 – CONTORNOS // FORMAS // MEDIDAS

¾ Regulares ¾ Irregulares (anfractuoso, bocelado)

¾ Triângular, etc

3 - LIMITES

Nota 1: Com relação aos órgãos tubulares que são preenchidos por meio de contraste como é o caso do tubo digestivo (contraste baritado); vasos, ureteres, árvore brônquica, cavidade uterina e trompas (contraste iodado). Acrescentamos na descrição radiológica:

. TRAJETO ¾ pérvio

¾ tortuoso (associado às dilatações)

¾ interrompido (“stop”) (associado às estenoses)

. CALIBRE ¾ estenosado -> contornos regulares (lisos) irregulares ¾ dilatado

. FALHA DE ENCHIMENTO (lesão crescendo para dentro da luz = vegetação)

¾ contornos . regulares irregulares

9 ULTRA-SONOGRAFIA

De acordo com transmissão sonora de cada tecido produzindo ou não ecos (ecos de baixa à alta intensidade).

9 Anecóico -> preto -> líquido (seroso, água) -> sem eco; produz reforço posterior, isto é, sombra branca.

9 Hipoecóicos ou Hipoecogênico cinza escuro produz ecos de moderada a baixa intensidade

Ecogênico ou Hiperecóico ouHiperecogênico cinza claro à branco produz ecos de grande intensidade.

_ Prof. Marilene M Paschoal 4 Revisado em 31/08/09

Obs.: Cálculos, calcificações, gases, ossos são ecogênicos com grande redução do som que os atravessa, produzindo faixa posterior preta chamada sombra acústica, que não permite a visualização de imagens abaixo dessas estruturas.

Nota: Além disso com relação à DENSIDADE em todos estes métodos ainda podemos dizer que a imagem é homogênea, heterogênea ou mista.

- COMPRESSÃO EXTRÍNSECA PRODUZ ¾ afilamento da luz do órgão

¾ estiramento ou alongamento

¾ marcas em unhada

úlcera

- IMAGEM DE ADIÇÃO divertículo (crescendo para fora da luz)

anfractuosos

contornos regulares

Nota 2: Com relação à injeção do meio de contraste nas artério ou flebografias, temos: ¾ Imagem avascular -> região não vascularizada, significa obstrução de um vaso.

¾ Lago de contraste -> acúmulo de contraste fora do vaso, significa ruptura deste vaso.

¾ Vasos neoformados ou neoformação vascular significam vasos tumorais.

I - TÓRAX 1) Tele radiografia de Tórax.

Perfil (lateral)

1.1) Incidências de rotina PA (frontal) Rotina para análise radiológica do tórax: 1º OBSERVAR OS FATORES TÉCNICOS

radiografia centrada: deve-se observar a distância entre a extremidade interna das clavículas e o processo espinhoso da vértebra adjacente. exposição aos Rx (Kv e mAs): deve-se observar somente as 4 – 6 primeiras vértebras torácicas, as demais ficam encobertas pela densidade de partes moles do mediastino. expansão pulmonar: deve-se contar entre 9 – 10 arcos costais posteriores descobertos pelo diafragma. “flou” cinético: verificar se o paciente se mexeu na hora do exame, a radiografia fica “tremida”. ortostática (se o paciente está de pé)

2º SEMIOLOGIA CLÍNICA Integridade das costelas, clavículas, coluna e partes moles;

Posição dos hemidiafragmas;

Bordas do mediastino: traquéia, bifurcação brônquica, coração;

Pleura: recessos pleurais laterais, anteriores e posteriores

(Parte 1 de 7)

Comentários