Leishmaniose

Classificação Taxonômica

Reino: Protista

Filo: kinetoplastida

Família: Trypanosomatidae

Gênero: Leishmânia

Leishmanioses

  • Problema de saúde publica em 88 países, distribuídos em quatro continentes (Américas, Europa, África e Ásia), com registro anual de1 a 1,5 milhões de casos.

  • As três principais espécies no Brasil são: L. (V.) braziliensis, L.(V.) guyanensis e L.(L.) amazonensis e, mais recentemente, as espécies L. (V.) lainsoni, L. (V.) naiffi, L. (V.) lindenberg e L. (V.) shawi foram identificadas em estados das regioes Norte e Nordeste.

Formas Evolutivas

No Brasil:

Formas clínicas

  • L. Cutânea

  • L. mucocutânea

  • L. visceral

Efeitos da Infeção

Efeitos da Infecção

Distribuição no Brasil

Vetor e Hospedeiro

  • São insetos denominados flebotomíneos, pertencentes a Ordem Díptera, Família Psychodidae, Subfamilia Phlebotominae, Gênero Lutzomyia, conhecidos popularmente, dependendo da localização geográfica, como mosquito palha, tatuquira, birigui, entre outros .

  • Apresenta dois gêneros: Lutzomyia e Phlebotomes.

Hospedeiros

  • Em áreas urbanas, o cão é a principal fonte de infecção.

  • Em ambientes silvestres, os reservatórios são as raposas e os marsupiais.

  • Estes animais quando doentes apresentam unhas compridas e pêlos eriçados.

Vetor

Ciclo de vida

Drogas utilizadas para tratamento

  • Antimonias(Sb)

  • Pentamidina(PM)

  • Paromonicina

  • Metilfosina

  • Sitomaquine

  • Imiquinod

  • Alopurinol

Medidas de Precauções

  • Diminuição de contato inseto vetor e hospedeiro.

  • Poda de árvores.

  • Destina adequado de lixo orgânico.

  • Limpeza de animais domésticos

  • Atividade de educação a Saúde

Referências

Comentários