(Parte 1 de 3)

CÓDIGO 95042 - JUNHO/08 - REVISÃO Nº 0112/95 - PÁGINA 01 DE 05

FIG. 2 - CARACTERÍSTICAS VISUAIS DA CHAMA NEUTRA

2.2.2 CHAMA OxIDANTE

É uma chama obtida por uma mistura com excesso de oxigênio e caracteriza-se por ser uma chama mais quente que a chama neutra. É indicada para a brasagem de latão.

FIG. 3 - CARACTERÍSTICAS VISUAIS DA CHAMA OxIDANTE

2.2.3 CHAMA REDUTORA OU CARBURANTE

Trata-se de uma chama com excesso de acetileno, menos quente que a chama neutra. É recomendada para a brasagem de alumínio e suas ligas e para a brasagem de passadores de aço cobreado com tubos de aço ou passadores de aço cobreado com tubos de cobre e vice-versa.

FIG. 4 - CARACTERÍSTICAS VISUAIS DA CHAMA REDUTORA

2.3 AÇÃO DE CAPILARIDADE

Este é o fenômeno pelo qual o material de adição penetra na junção a ser brasada, pela atração das moléculas do material base.

Após o aquecimento adequado, o material de adição se funde e tende sempre a fluir para o ponto mais quente da junta aquecida, porém, isto só ocorre quando:

- A superfície a ser brasada está limpa

- A folga entre as partes a serem brasadas está correta

1 - INTRODUÇÃO

A brasagem de tubos é uma etapa que faz parte do procedimento de instalação de compressores em novos produtos ou do procedimento de troca de compressores quando da manutenção de um sistema de refrigeração. A boa qualidade das brasagens é de fundamental importância para evitar eventuais reprocessos devidos a vazamentos e/ou entupimentos nos pontos de brasagem.

2 - BRASAGEM OXIACETILÊNICA

2.1 NATUREZA DA CHAMA

A fonte de calor neste processo é de origem química, formada por dois gases:

- Oxigênio: gás que ativa a combustão (comburente)

- Acetileno: gás combustível

A mistura oxiacetilênica é obtida pela combinação de dois gases (oxigênio e acetileno) através de um maçarico onde, após ignição, se obtém a chama.

A temperatura máxima de uma chama oxiacetilênica é de aproximadamente 3100oC, nas proximidades da extremidade do dardo, como mostra a figura 1.

FIG. 1 - TEMPERATURAS DE COMBUSTÃO NAS DIFERENTES ZONAS DA CHAMA.

2.2 REGULAGEM DA CHAMA

No processo de brasagem oxiacetilênica existem três (3) tipos básicos de chama:

2.2.1 CHAMA NEUTRA

É obtida através da mistura de volumes iguais de oxigênio e acetileno e caracteriza-se por ser uma chama destruidora dos óxidos metálicos que podem formar-se no decorrer da brasagem. Deve ser usada para brasagem de passadores de cobre com tubos de cobre.

CÓDIGO 95042 - JUNHO/08 - REVISÃO Nº 0112/95 - PÁGINA 02 DE 05

- A área das partes a serem brasadas está suficientemente aquecida para fundir o material de adição.

2.4 FOLGA E INTRODUÇÃO DOS TUBOS

A folga entre os tubos a serem brasados, bem como o comprimento mínimo a ser introduzido para garantir uma brasagem perfeita, devem ser conforme mostrado na figura 5.

Na figura 6, pode ser visto um exemplo das temperaturas medidas sobre uma peça quando se varia a distância da ponta do dardo até a mesma, usando-se uma chama constante do tipo carburante.

FIG. 5 - FOLGA E INTRODUÇÃO DOS TUBOS

2.5 LIMPEZA DA TUBULAÇÃO A SER BRASADA

Os tubos a serem brasados devem estar livres de óleo, graxa, oxidação, tinta ou qualquer outra substância que possa prejudicar a ligação dos materiais. Cuidado especial deve ser tomado quando for necessário utilizar fluxo para facilitar a brasagem. Recomenda-se utilizar os fluxos em forma de pó e na menor quantidade possível pois os mesmos, bem como os fluxos pastosos, podem constituirse em fontes de contaminação do sistema de refrigeração com conseqüências indesejáveis, tal como o entupimento do tubo capilar. Este risco é maior em sistemas que utilizam o R 134a uma vez que o fluxo, ou outros agentes alcalinos, pode reagir com o óleo éster e gerar a formação de sais que se depositam no capilar. O fluxo de brasagem tem a seguinte finalidade:

- Limpar as superfícies a serem brasadas

- Desoxidar as superfícies a serem brasadas

- Facilitar a penetração do material de adição

2.6 PREAQUECIMENTO

Para uma maior e melhor homogeneidade na brasagem com maçarico, deve-se garantir o preaquecimento em toda a superfície e profundidade de inserção da peça. No caso de uma superfície plana, o preaquecimento deve ser realizado com movimentos circulares dirigindo a chama sobre toda a área a ser brasada.

FIG. 6 - TEMPERATURA X DISTÂNCIA DO DARDO ATÉ A PEÇA

Na refrigeração, onde é comum a brasagem em tubulações, o preaquecimento com maçarico convencional torna-se inadequado do ponto de vista de qualidade e produtividade. Neste caso recomenda-se utilizar o tipo de maçarico mostrado na figura 7. Além de uma maior produtividade, a utilização deste tipo de maçarico proporciona as seguintes vantagens:

• Preaquecimento mais rápido e uniforme

• Menor movimentação com o maçarico durante a brasagem

• Maior fluidez e portanto maior penetração do material de adição.

(cm)

FIG. 7 - MAÇARICO PARA BRASAGEM EM TUBULAÇÕES

IMPORTANTE: A brasagem de compressores com passadores de cobre requer um cuidado adicional bem como um procedimento específico no tocante ao preaquecimento. Informações adicionais constam no item 3.2.2.

CÓDIGO 95042 - JUNHO/08 - REVISÃO Nº 0112/95 - PÁGINA 03 DE 05

3.1.2.5 Assim que o material de adição fundir, movimente o maçarico do ponto A ao ponto B e vice versa, até que a solda penetre entre os tubos (Fig. 9).

(Parte 1 de 3)

Comentários