Manual de Normas Técnicas e Rotinas de Enfermagem para Centros de Saúde

Manual de Normas Técnicas e Rotinas de Enfermagem para Centros de Saúde

(Parte 7 de 14)

• problemas metabólicos;

• anemias.

Obser vação

Algumas drogas podem modificar a pressão arterial, aumentando-a ou dimin uindo-a.

Pressão diferencial A pressão diferencial representa um fator importante em certas doenças, pois varia diretamente com a quantidade de sangue bombeado durante a sístole, podendo ser convergente, quando os valores entre a pressão sistólica (máxima) e diastólica (mínima) são muito próximos, por exemplo, 100x80 mmHg ou divergente, quando os valores entre a pressão sistólica e diastólica são muito afastados, por exemplo , 120x10mmHg.

Para não esquecer • Não verificar o pulso com mão fria.

• Não fazer muita pressão sobre a artéria.

• Não verificar o pulso após o usuário fazer exercício ou esforço físico, exceto em caso de emergência. • Em caso de dúvida, repetir a contagem.

Definição É a pressão exercida pelo sangue contra as paredes das artérias. A pressão exercida depende da força de contração do coração, da

VALORES NORMAIS IdadeNº de batimentos Recém-nascido130 a 140 bpm Até 1 ano110 a 140 bpm De 2 a 5 anos102 a 112 bpm De 5 a 10 anos90 a 110 bpm De 10 a 20 anos70 a 90 bpm De 20 a 60 anos70 a 80 bpm Mais de 60 anos60 a 70 bpm

Hiper tensão É o aumento da pressão arterial a valores bem acima do normal.

Hipotensão É a diminuição da pressão arterial a valores bem abaixo do normal.

Material necessário • esfigmomanômetro;

• estetoscópio.

Execução da técnica • lavar as mãos;

• deixar o usuário em repouso por 5 a 10 minutos;

• explicar-lhe o que será feito;

• sentá-lo com o braço apoiado sobre uma superfície firme, preferencialmente o braço direito; • deixar o braço descoberto, levantando a manga da blusa sem fazer compressão ou retirando-a, caso necessário; • colocar o manguito e ajustá-lo 3 cm acima da dobra do cotovelo, sem que fique muito apertado ou frouxo, colocando os canais de transmissão (as duas borrachas) sobre a artéria braquial; • achar a pulsação da artéria braquial;

• palpar o pulso radial;

• adaptar as olivas do estetoscópio nos ouvidos;

• fechar a válvula de ar próxima à pêra, até que o manômetro indique aproximadamente 200 mmHg; • colocar a parte achatada do estetoscópio (diafragma) sobre a artéria braquial do usuário, comprimindo-a suavemente; • manter o manômetro ao nível dos olhos;

• abrir vagarosamente a válvula de ar e observar: - logo que se ouçam os primeiros ruídos arteriais, verifica-se o valor da pressão arterial no manômetro;este é o valor da pressão sistólica (máxima);

- continua-se abrindo a válvula, até que os ruídos arteriais desapareçam por completo;tem-se, então, a pressão diastólica (mínima); • esvaziar o manguito e repetir o processo para maior segurança ou confirmação, por duas vezes, sempre que forem obtidos valores abaixo ou acima do normal; • retirar todo o ar do manguito e removê-lo do braço do usuário;

• no caso de dúvida, solicitar a outro profissional que verifique a pressão arterial; • anotar os valores da pressão arterial no prontuário, por exemplo, P.A.=120x80 mmHg.

Para não esquecer • As olivas do estetoscópio devem ser limpas com um algodão embebido em álcool, diariamente, e sempre que outra pessoa for usar o estetoscópio. • Posicionar as olivas para frente, ao colocá-las no orifício auricular.

Definição É a troca de gases entre o organismo e o meio ambiente e consiste na absorção de oxigênio (O2 ) - inspiração, e eliminação de gás carbônico

(CO 2 ) - expiração.

Causas que podem alterar a respiração • exercícios;

• digestão;

• emoções;

• idade;

• repouso;

• banho frio ou quente;

• doenças respiratórias e outras;

• febre.

Execução da técnica • verificar a respiração com o usuário em posição confortável, de preferência deitado e em repouso; • colocar os dedos sobre a artéria radial, como se fosse contar o pulso, pois a respiração está sujeita a controle voluntário; • observar o movimento respiratório (inspiração e expiração) no tórax do usuário, durante 1 minuto; • em caso de dúvida, faz-se nova contagem;

• anotar o resultado.

Obser v ação

A contagem do movimento deve ser feita logo após término da contagem do pulso, sem que o usuário perceba.

Modificações da respiração • eupnéia:respiração normal;

• apnéia:ausência de respiração;

• dispnéia:dificuldade de respirar;

• taquipnéia:aumento anormal da respiração;

• bradipnéia:diminuição anormal da freqüência respiratória;

• ortopnéia:respiração facilitada na posição sentada.

VALORES NORMAIS Grupo etárioNº de movimentos Recém-nascidos45 a 45 m/m Lactentes25 a 35 m/m Pré-escolar20 a 25 m/m Escolar18 a 20 m/m Adultos16 a 20 m/m Velhos14 a 18 m/m

5 Medidas antr opométricas

É a aferição das dimensões do corpo humano:peso, estatura e perímetros .

Definição É a avaliação da massa do indivíduo.

Objetivo Acompanhar o desenvolvimento físico.

(Parte 7 de 14)

Comentários