INFORMAÇÕES BÁSICAS PARA PROJETOS DE CONSTRUÇÕES RURAIS Instalações para suínos

INFORMAÇÕES BÁSICAS PARA PROJETOS DE CONSTRUÇÕES RURAIS Instalações para suínos

Deve conter dados econômicos e de produtividade que possam dar credibilidade ao projeto.

  • Deve conter dados econômicos e de produtividade que possam dar credibilidade ao projeto.

Amenizar as adversidades climáticas;

  • Amenizar as adversidades climáticas;

  • Otimizar a mão-de-obra;

  • Aumentar a renda da propriedade agrícola;

  • Permitir estocagem de alimentos abundantes na estação das águas.

Animais criados à solta, basicamente sem práticas de higiene ou uso de instalações;

  • Animais criados à solta, basicamente sem práticas de higiene ou uso de instalações;

  • Alimentação simples (apenas milho, por exemplo).

Certo controle de alimentação e higiene;

  • Certo controle de alimentação e higiene;

  • Instalações para fêmeas na fase de gestação e amamentação;

  • Instalações ligadas a piquetes gramados.

Animais em confinamento, podendo em alguma fase da vida, ter acesso a piquetes com gramíneas e leguminosas;

  • Animais em confinamento, podendo em alguma fase da vida, ter acesso a piquetes com gramíneas e leguminosas;

  • Ração balanceada;

  • Praticas sanitárias e instalações apropriadas;

  • Pode ter controle de ventilação, temperatura e umidade do ar.

Deve ser racional;

  • Deve ser racional;

  • Maior aproveitamento de mão-de-obra;

  • Movimentação de insumos ou produtos finais;

  • Bom destino final dos subprodutos.

  • Consequentemente maiores LUCROS.

Proximidade dos centros de consumo;

  • Proximidade dos centros de consumo;

  • Infra-estrutura (meios de comunicação, disponibilidade de insumos, energia elétrica, abastecimento de água, crédito, assistência técnica);

  • Clima (temperatura, umidade do ar, ventilação, radiação, etc.), preferir temperaturas médias e boa ventilação natural.

Boas condições de salubridade:

  • Boas condições de salubridade:

  • Drenagem do solo;

  • Insolação;

  • Espaço físico;

  • Topografia;

  • Vias de acesso apropriadas;

  • Controle de trânsito.

Para animais de mesma idade = 10, 20 ou 30 metros;

  • Para animais de mesma idade = 10, 20 ou 30 metros;

  • Para animais de idade diferente = 100 a 200 metros.

  • Esses cuidados evitam a transmissão de doenças entre galpões.

Análise de mercado:

  • Análise de mercado:

    • Volume da empresa;
    • Mercado consumidor;
    • Capital disponível;
    • Mão-de-obra.

Terreno (alto, bem drenado e de baixo custo);

  • Terreno (alto, bem drenado e de baixo custo);

  • Higiene;

  • Temperatura, umidade;

  • Energia (fontes alternativas);

  • Comunicação;

Vias de acesso;

  • Vias de acesso;

  • Infra-estrutura de apoio (controle de entrada, fábrica de rações armazéns, etc.);

  • Facilidade de escoamento da produção;

  • Entrada de matéria prima;

  • Facilidade de disposição de dejetos;

  • Distanciamento de ferrovias, rodovias e zonas residenciais.

Escolher o sistema de criação e detalhar o manejo.

  • Escolher o sistema de criação e detalhar o manejo.

  • As instalações devem se adequar ao manejo e não o contrário.

Conjunto de prédios que o criador deve possuir para racionalizar sua criação.

  • Conjunto de prédios que o criador deve possuir para racionalizar sua criação.

  • Devem atender a determinadas condições básicas quanto à higiene, orientação, funcionalidade e custo.

  • No sentido de aumentar a eficiência dos sistemas de criação de animais e prevenir ou controlar doenças, a tendência atual é de se adotar o confinamento total, o que tem determinado uma modificação dos prédios e dos equipamentos, especialmente nas grandes empresas.

serem higiênicas: terem água disponível e destino adequado dos resíduos;

  • serem higiênicas: terem água disponível e destino adequado dos resíduos;

  • serem bem orientadas no terreno;

  • serem simples e funcionais;

  • serem de baixo custo.

serem duráveis e seguras: utilização de materiais e técnicas construtivas adequadas;

  • serem duráveis e seguras: utilização de materiais e técnicas construtivas adequadas;

  • serem racionais: rapidez a eficiência no uso de materiais e mão-de-obra;

  • permitirem controle das variáveis climáticas;

  • permitirem expansão;

Componentes necessários para implantação de uma atividade criatória

  • Componentes necessários para implantação de uma atividade criatória

a) setor de produção: galpões para os animais e silos para ração.

  • a) setor de produção: galpões para os animais e silos para ração.

  • b) setor de preparo de alimentos: armazéns ou silos, fábricas de ração, paiol, etc.

  • c) setor administrativo: escritório, almoxarifado, controle (portão de entrada).

d) setor sanitário: fossa, crematório (animais mortos), pedilúvio para desinfecção dos pés na entrada, rodolúvio para desinfecção dos pneus dos veículos, lança-chamas.

  • d) setor sanitário: fossa, crematório (animais mortos), pedilúvio para desinfecção dos pés na entrada, rodolúvio para desinfecção dos pneus dos veículos, lança-chamas.

  • e) setor residencial: casa sede, casas de empregados.

  • t) setor de apoio: galpão-oficina.

  • g) setor externo: posto de vendas, abatedouros, cooperativas.

Cordão sanitário

  • Cordão sanitário

  • Com o objetivo de proteger toda a zona de produção, separando-a da zona externa. O cordão sanitário pode ser obtido por meio de uma cerca metálica de aproximadamente 2m de altura, sobre mureta de alvenaria de 30 cm de altura

Uma concepção construtiva que tem sido largamente empregada e que permite que se tenha um melhor controle das condições ambientais e um melhor manejo para cada fase da criação, é a divisão das edificações para abrigar suínos pela fase de vida e pela atividade. Dessa forma, têm-se galpões distintos para creche, crescimento e terminação, reprodução, gestação e maternidade.

  • Uma concepção construtiva que tem sido largamente empregada e que permite que se tenha um melhor controle das condições ambientais e um melhor manejo para cada fase da criação, é a divisão das edificações para abrigar suínos pela fase de vida e pela atividade. Dessa forma, têm-se galpões distintos para creche, crescimento e terminação, reprodução, gestação e maternidade.

Abriga os leitões após o desmame até atingirem 25 kg de peso corporal (o que ocorre por volta de 65 dias de idade);

  • Abriga os leitões após o desmame até atingirem 25 kg de peso corporal (o que ocorre por volta de 65 dias de idade);

  • A instalação pode possuir gaiolas para 10 leitões ou baias para grupos de 20 leitões.

Para animais com 25 a 60 kg de peso corporal (65 a 110 dias de idade, aproximadamente), criados em baias coletivas do setor de crescimento;

  • Para animais com 25 a 60 kg de peso corporal (65 a 110 dias de idade, aproximadamente), criados em baias coletivas do setor de crescimento;

  • E de 60 a aproximadamente 100 kg (peso de abate), também em baias coletivas;

  • Em cada uma destas fases, são utilizados prédios separados.

Fêmeas podem ser selecionadas para reprodução logo ao nascimento, caso apresentem peso corporal maior ou igual a 1,4 kg;

  • Fêmeas podem ser selecionadas para reprodução logo ao nascimento, caso apresentem peso corporal maior ou igual a 1,4 kg;

  • Podem ser separadas pelas suas tetas em quantidade (número > 14 tetas) e em qualidade (ausência de tetas invertidas);

  • Primeiro cio no 5° mês de vida e estão aptas para reprodução com aproximadamente 7 meses de idade, quando apresentam peso corporal de 100 a 110 kg.

Confirmada a prenhez, são encaminhadas para a unidade de gestação (baias coletivas ou gaiolas individuais) onde permanecem até uma semana antes do parto, sendo que a gestação dura aproximadamente 114 dias.

  • Confirmada a prenhez, são encaminhadas para a unidade de gestação (baias coletivas ou gaiolas individuais) onde permanecem até uma semana antes do parto, sendo que a gestação dura aproximadamente 114 dias.

Uma semana antes do parto são levadas para gaiolas individuais com abrigo para proteção dos leitões, onde permanecem até terminar a fase de aleitamento (21 e 28 dias);

  • Uma semana antes do parto são levadas para gaiolas individuais com abrigo para proteção dos leitões, onde permanecem até terminar a fase de aleitamento (21 e 28 dias);

  • Na maternidade não deve-se ultrapassar 25°C de temperatura.

É comum agrupar num mesmo prédio as unidades de pré-cobrição, cobrição e gestação, principalmente para pequenos criadores. O galpão deve estar orientado no sentido leste-oeste e pode ter anexos como escritório, sanitário e depósito para medicamentos, ração, ferramentas e equipamentos

  • É comum agrupar num mesmo prédio as unidades de pré-cobrição, cobrição e gestação, principalmente para pequenos criadores. O galpão deve estar orientado no sentido leste-oeste e pode ter anexos como escritório, sanitário e depósito para medicamentos, ração, ferramentas e equipamentos

Nesta unidade, as porcas permanecem desde uma semana antes do parto até terminar a fase de aleitamento. O local que abriga os leitões não deve ter umidade (fezes, urina, água) e nem calor ou frio em excesso. Os leitões devem estar protegidos contra o esmagamento, estar sob uma fonte de calor (elétrica, gás, etc.) a recebendo água de forma continua.

  • Nesta unidade, as porcas permanecem desde uma semana antes do parto até terminar a fase de aleitamento. O local que abriga os leitões não deve ter umidade (fezes, urina, água) e nem calor ou frio em excesso. Os leitões devem estar protegidos contra o esmagamento, estar sob uma fonte de calor (elétrica, gás, etc.) a recebendo água de forma continua.

Os leitões permanecem desde a desmama, com peso corporal de aproximadamente 5 kg, até atingirem peso corporal próximo de 25 kg ( 65 dias de idade).

  • Os leitões permanecem desde a desmama, com peso corporal de aproximadamente 5 kg, até atingirem peso corporal próximo de 25 kg ( 65 dias de idade).

Consta de baias que abrigam na faixa de 20 leitões cada (2 leitegadas), as quais têm o piso total ou parcialmente ripado (madeira, concreto ou metal) com fendas de 1 cm de largura. A área disponível deve ser de 0,25 a 0,32 m2 por cabeça. Podem ser usadas também gaiolas elevadas (de metal) que abrigam 1 leitegada cada. Em qualquer dos casos deve haver sempre o comedouro (0,20 m de comprimento para cada 3 animais) e o bebedouro tipo chupeta (1 para cada 10 leitões) a altura de 20 a 25 cm a partir do piso. É importante locar o bebedouro no lado oposto ao comedouro e em cima do fosso ripado para facilitar o escoamento da água.

  • Consta de baias que abrigam na faixa de 20 leitões cada (2 leitegadas), as quais têm o piso total ou parcialmente ripado (madeira, concreto ou metal) com fendas de 1 cm de largura. A área disponível deve ser de 0,25 a 0,32 m2 por cabeça. Podem ser usadas também gaiolas elevadas (de metal) que abrigam 1 leitegada cada. Em qualquer dos casos deve haver sempre o comedouro (0,20 m de comprimento para cada 3 animais) e o bebedouro tipo chupeta (1 para cada 10 leitões) a altura de 20 a 25 cm a partir do piso. É importante locar o bebedouro no lado oposto ao comedouro e em cima do fosso ripado para facilitar o escoamento da água.

As baias de crescimento inicial podem estar em um galpão possuindo sistemas de fechamento (janelas ou cortinas) e sistemas de aquecimento. As divisórias entre baias podem ser do tipo ripado de madeira, de alvenaria em cutelo ou gradeado pré-fabricado de concreto. Sempre é necessário que as unidades tenham pontos de água para lavagens.

  • As baias de crescimento inicial podem estar em um galpão possuindo sistemas de fechamento (janelas ou cortinas) e sistemas de aquecimento. As divisórias entre baias podem ser do tipo ripado de madeira, de alvenaria em cutelo ou gradeado pré-fabricado de concreto. Sempre é necessário que as unidades tenham pontos de água para lavagens.

Com mudança de baia, recria em um galpão alojando animais com 25 a 60 kg de peso corporal e terminação em outro galpão para animais de 60 a 100 kg de peso corporal;

  • Com mudança de baia, recria em um galpão alojando animais com 25 a 60 kg de peso corporal e terminação em outro galpão para animais de 60 a 100 kg de peso corporal;

  • E a recria e terminação em baia única (25 a 100 kg de peso corporal.

As divisórias das baias podem ser feitas de madeira ou alvenaria até a altura de 90 cm e o galpão que contém as baias pode ser totalmente aberto e ter cortinas para fechamento para proteção contra chuva.

  • As divisórias das baias podem ser feitas de madeira ou alvenaria até a altura de 90 cm e o galpão que contém as baias pode ser totalmente aberto e ter cortinas para fechamento para proteção contra chuva.

Dependendo da idade, o suíno pode produzir de 1,1 a 18,8 kg de dejetos por dia;

  • Dependendo da idade, o suíno pode produzir de 1,1 a 18,8 kg de dejetos por dia;

  • Para os sistemas de confinamento, nos quais os animais não dispõem de piquetes para distribuir suas dejeções, elas podem ser reaproveitadas como fertilizante, alimento para peixes ou podem passar por processo de degradação biológica.

A opção mais econômica para a disposição dos dejetos da granja de suínos é a utilização de um depósito para retenção da parte sólida dos dejetos, provido de sistema de drenagem para a parte líquida, a qual pode ser conduzida para a lagoa de criação de peixes;

  • A opção mais econômica para a disposição dos dejetos da granja de suínos é a utilização de um depósito para retenção da parte sólida dos dejetos, provido de sistema de drenagem para a parte líquida, a qual pode ser conduzida para a lagoa de criação de peixes;

  • Biodigestores (produção de gás).

Construção de rodolúvios, cujo objetivo é a desinfecção das rodas dos veículos que venham a transitar no local, por meio de uma solução desinfetante. O rodolúvio consiste de um tanque raso, de piso concretado a comprimento necessário para que todas as rodas, durante um pequeno trajeto, fiquem inteiramente banhadas.

  • Construção de rodolúvios, cujo objetivo é a desinfecção das rodas dos veículos que venham a transitar no local, por meio de uma solução desinfetante. O rodolúvio consiste de um tanque raso, de piso concretado a comprimento necessário para que todas as rodas, durante um pequeno trajeto, fiquem inteiramente banhadas.

Pedilúvios em cada local de acesso às instalações para que sejam desinfetados os pés das pessoas que transitam nas unidades de produção. Também como medida complementar as anteriores, é recomendado que o pessoal que trabalha com a criação, tome banho a troque de roupa antes do inicio do trabalho.

  • Pedilúvios em cada local de acesso às instalações para que sejam desinfetados os pés das pessoas que transitam nas unidades de produção. Também como medida complementar as anteriores, é recomendado que o pessoal que trabalha com a criação, tome banho a troque de roupa antes do inicio do trabalho.

Comentários